Sobre a Revista

Nos últimos anos o mundo observou inúmeras mudanças nos centros urbanos, o número de pessoas residindo em ambientes urbanos ultrapassou o rural, e a proporção poderá atingir a marca de 70% até 2050. As cidades contemporâneas consomem aproximadamente 80% dos recursos energéticos e contribuem significativamente para emissão de gases do efeito estufa (GEE). Os sistemas urbanos, operam e organizam a vida na cidade como a infraestrutura, os serviços, o ecossistema, os serviços humanos e administração, e estes estão em crescente pressão devido ao enorme desafio da sustentabilidade, aliado a maior onda de urbanização da história é decorrente das mudanças na sociedade, as pessoas mudam para as áreas urbanizadas em busca de melhores oportunidades de trabalho.

O número de pessoas que migram para áreas urbanas leva a questões mais complexas, como o congestionamento de infraestrutura, uso excessivo dos recursos naturais, educação, saneamento e serviços de saúde. Estes problemas são perceptíveis diariamente na vida contemporânea das cidades e obrigam os gestores a criar estratégias para melhorar o bem-estar nos núcleos urbanizados.

Diante do panorama global, é natural que nós, arquitetos, e os demais atores ligados à produção dos espaços indagamos: Qual cidade queremos viver? E como a arquitetura pode contribuir para o desenvolvimento das cidades na contemporaneidade? 

O objetivo dos anais é refletir o legado da arquitetura frente às cidades inteligentes e sustentáveis. As temáticas abordadas vão de encontro aos caminhos que a arquitetura e o urbanismo se relacionam frente às novas tecnologias.