RITOS DE PASSAGEM DE ESTUDANTES DE CLASSES MULTISSERIADAS RURAIS NAS ESCOLAS DA CIDADE

  • Elizeu Clementino de Souza Universidade do Estado da Bahia (UNEB)
  • Nanci Rodrigues Orrico Programa de Pós-Graduação em Educação e Contemporaneidade da Universidade do Estado da Bahia (PPGEduC-UNEB); Universidade Federal do Recôncavo da Bahia.
  • Fábio Josué SouzaSantos Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB).
  • Ana Sueli Teixeira de Pinho Universidade Católica do Salvador (UCSal)

Resumo

O texto objetiva discutir ritos de passagem de estudantes concluintes do 5º ano do Ensino Fundamental, em classes multisseriadas em escolas rurais para as escolas da cidade, onde são obrigados a se matricular a fim de dar continuidade aos seus estudos. A partir desta problemática, ou seja, a negação do acesso à educação pública de qualidade, expressa por meio da baixa frequência ou até mesmo inexistência de escolas dos Anos Finais do Ensino Fundamental nas localidades rurais onde esses estudantes residem, é possível inferir a adoção de uma lógica de abandono, precarização e negação da escolarização para todos, por parte dos sistemas públicos de ensino. Busca-se, assim, compreender a inserção desses estudantes nas escolas da cidade, no sentido de apreender o modo como vivenciam essa transição e se reconhecem como sujeitos desse processo educativo. Para entender a dinâmica referida, teoricamente o texto ancora-se nos conceitos de diferença, diversidade, ritos de passagem e multisseriação, além de investigar tensões relacionadas às configurações do espaço rural brasileiro contemporâneo, às políticas públicas para a Educação rural/do campo e à política nacional de transporte escolar. Do ponto de vista metodológico, adotamos princípios da pesquisa (auto)biográfica, com ênfase na realização de diferentes dispositivos de escritas, de entrevistas narrativas e também de análise documental, tendo em vista socializar algumas intervenções e práticas de acompanhamentos desenvolvidos em escolas que acolhem os estudantes das áreas rurais, como férteis para a construção de outras formas de inclusão dos egressos das classes multisseriadas nas escolas da cidade.

Palavras-chave: Educação rural. Multisseriação. Ritos de passagem. Inclusão escolar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Elizeu Clementino de Souza, Universidade do Estado da Bahia (UNEB)
Pesquisador 1D do CNPq. Professor Titular do Programa de Pós-Graduação em Educação e Contemporaneidade, da Universidade do Estado da Bahia (PPGEduC-UNEB). Coordenador do GRAFHO (Grupo de Pesquisa (Auto)biografia, Formação e História Oral). Pesquisador associado do Laboratorie EXPERICE (Université de Paris 13- Paris 8). Tesoureiro da Associação Brasileira de Pesquisa (Auto)biográfica (BIOgraph) e Diretor Financeiro da ANPEd (2013-2015). Membro do Conselho de Administração da Association Internationale des Histories de Vie en Formation et de La Recherche Biographique en Education (ASIHIVIF-RBE). Coordenador do Projeto: “Multisseriação e trabalho docente: diferenças, cotidiano escolar e ritos de passagem” (CNPq e FAPESB).
Nanci Rodrigues Orrico, Programa de Pós-Graduação em Educação e Contemporaneidade da Universidade do Estado da Bahia (PPGEduC-UNEB); Universidade Federal do Recôncavo da Bahia.
Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Educação e Contemporaneidade da Universidade do Estado da Bahia (PPGEduC-UNEB),. Membro do GRAFHO (Grupo de Pesquisa (Auto)biografia, Formação e História Oral). Membro do OBSERVALE (Observatório em Educação do Vale do Jiquiriçá). Professora substituta da UFRB – Campus do CFP/Amargosa e professora pesquisadora da PARFOR/UFRB – MEC/CAPES. Integrante também dos projetos “Multisseriação e trabalho docente: diferenças, cotidiano escolar e ritos de passagem” (UNEB) e “Pibid – Classes Multisseriadas” (UFRB). Pedagoga (UNEB), Especialista em Educação Inclusiva (FSC)
Fábio Josué SouzaSantos, Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB).
Doutor e mestre em Educação e Contemporaneidade (PPGEduC/UNEB). Membro do GRAFHO (Grupo de Pesquisa (Auto)biografia, Formação e História Oral). Membro do OBSERVALE (Observatório em Educação do Vale do Jiquiriçá). Professor Assistente da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), campus Amargosa. Integrante também a equipe do projeto “Multisseriação e trabalho docente: diferenças, cotidiano escolar e ritos de passagem
Ana Sueli Teixeira de Pinho, Universidade Católica do Salvador (UCSal)
Doutora em Educação e Contemporaneidade pelo Programa de Pós- Graduação em Educação e Contemporaneidade da Universidade do Estado da Bahia (PPGEduC-UNEB). Pesquisadora do GRAFHO Grupo de Pesquisa (Auto)biografia, Formação e História Oral (GRAFHO). Professora da Universidade Católica do Salvador (UCSal). Vice coordenadora do Projeto: “Multisseriação e trabalho docente: diferenças, cotidiano escolar e ritos de passagem” (CNPq e FAPESB).
Publicado
23-03-2016
Como Citar
DE SOUZA, E. C.; RODRIGUES ORRICO, N.; SOUZASANTOS, F. J.; TEIXEIRA DE PINHO, A. S. RITOS DE PASSAGEM DE ESTUDANTES DE CLASSES MULTISSERIADAS RURAIS NAS ESCOLAS DA CIDADE. Roteiro, v. 41, n. 1, p. 219-240, 23 mar. 2016.
Seção
Dossiê A narrativa na pesquisa e na formação docente