Políticas públicas para a juventude na perspectiva neoliberal: a centralidade da educação

  • Flávia Xavier de Carvalho
  • Amélia Kimiko Noma Universidade Estadual de Maringá - UEM

Resumo

O objetivo deste texto é analisar os principais elementos de políticas para a juventude em âmbito internacional e nacional a partir de 1990 e, com base nisso, ressaltar a sua vinculação com as políticas de cunho neoliberal. O objeto em estudo é analisado em articulação com o cenário histórico da mundialização do capital, das transformações sociais decorrentes da crise estrutural do capital e das soluções encaminhadas pela ordem hegemônica à crise, que garantem a reprodução das relações sociais capitalistas e legitimam estratégias de regulação social. A partir dos anos 1990, as políticas de alinhamento neoliberal foram dirigidas para o combate à pobreza, passando a focalizar a juventude em situação de vulnerabilidade e a propalar a centralidade na educação para se alcançar o desenvolvimento juvenil.

Palavras-chave: Políticas públicas. Juventude. Política neoliberal. Centralidade da Educação.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Amélia Kimiko Noma, Universidade Estadual de Maringá - UEM
Professora do Departamento de Fundamentos da Educação e no Programa de  Pós-Graduação em Educação na Universidade Estadual de Maringá (UEM). Graduada em Psicologia (USP-Ribeirão Preto). Mestre em Educação (UFSCar). Doutora em História (PUC-SP). Linha de Pesquisa: Políticas Públicas e Gestão da Educação.
Publicado
22-06-2011
Como Citar
XAVIER DE CARVALHO, F.; NOMA, A. K. Políticas públicas para a juventude na perspectiva neoliberal: a centralidade da educação. Roteiro, v. 36, n. 1, p. 167-186, 22 jun. 2011.
Seção
Artigos