Educação, mutualismo e nacionalização: aspectos de uma escola étnica italiana no Paraná (1905-1918)

Autores

  • Elaine Cátia Falcade Maschio

Resumo

No presente trabalho analisa-se a constituição da escola étnica na Società Italiana di Mutuo Soccorso Christoforo Colombo viabilizada por imigrantes italianos que se estabeleceram na então colônia Alfredo Chaves, no Paraná, no final do século XIX. Procura-se compreender o processo de implantação, abertura, funcionamento e fechamento dessa escola étnica italiana, processo este que ocorreu não em detrimento à escola pública, mas paralelo a ela. Busca-se identificar os sujeitos que fizeram parte daquele processo de escolarização étnico e reconhecer os impactos do nacionalismo na busca da desconstrução das funções daquela escola, bem como as estratégias utilizadas pelo grupo para a manutenção da identidade étnica. O recorte temporal abrange o ano de 1905, período em que ocorreu a instalação da Società Italiana di Mutuo Soccorso Christoforo Colombo, até o ano de 1918 quando essa instituição, em virtude das iniciativas de repressão nacionalista, modifica o seu registro e seus estatutos, declarando ser uma sociedade italiana católica. A substituição aparente da função e a mudança de nomenclatura e dos estatutos da Società Italiana para Sociedade Catholica Italiana de Mútuo Soccorso Christoforo Colombo, resultantes do movimento nacionalista da época, não evitaram a busca pela manutenção da identidade étnica do grupo. Esse movimento caracterizou-se como estratégia de manutenção da unidade étnica, ressignificando a educação por intermédio da religião católica.

Palavras-chave: Escola. Associação. Nacionalização.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Como Citar

MASCHIO, E. C. F. Educação, mutualismo e nacionalização: aspectos de uma escola étnica italiana no Paraná (1905-1918). Roteiro, [S. l.], v. 32, n. 2, p. 167–182, 2010. Disponível em: https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/roteiro/article/view/346. Acesso em: 23 out. 2021.

Edição

Seção

Artigos