Os fundamentos educacionais da Revista Critéria – 1964 a 1968

  • Sandino Hoff

Resumo

Neste estudo analisam-se os textos elaborados pelos conselheiros do Conselho Estadual de Educação, entre 1965, data da criação do CEE, publicados na revista Criteria, números 3 a 8, de 1964 a 1968. Os artigos dos conselheiros constataram fraco ensino no estado do Paraná; buscaram a causa do baixo rendimento; examinaram regimentos e estatutos dos estabelecimentos de ensino, oficiais e particulares; e elaboraram subsídios à educação, textos teóricos sobre o ensino e relatos de experiências. O objeto de investigação são os seis volumes da Revista que completam doze artigos. Na metodologia utilizou-se a análise temática feita nos textos. Foram analisados os temas que se atêm rigorosamente à educação e os que integram a educação no quadro de desenvolvimento socioeconômico e na visão da educação como investimento. Os conselheiros operacionalizaram o atraso da educação escolar diante do progresso industrial, tanto em termos de preparar este desenvolvimento quanto para a ocupação futura dos empregos oferecidos pela indústria, a partir de alguns indicadores: a ausência de professores qualificados; a criação indiscriminada de novas faculdades, sem critérios mínimos de um ensino qualificado; o exame de suficiência, um verdadeiro fabricante de professores do ensino médio; a baixa remuneração docente. Os artigos da Criteria refletem o âmbito educacional do Paraná, as reformas educacionais e a intervenção do governo no fraco desempenho escolar, constatado por pesquisas quantitativas. A idéia central refere-se à boa escola, adequada a uma boa sociedade industrial, a desempenhar o papel de criação da riqueza social e da preparação aos empregos modernos da indústria.

Palavras-chave: Políticas públicas. Organização do trabalho pedagógico. Conselho Estadual da Educação do Paraná. Educação e desenvolvimento.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Como Citar
HOFF, S. Os fundamentos educacionais da Revista Critéria – 1964 a 1968. Roteiro, v. 33, n. 2, p. 283-304, 27 jul. 2010.
Seção
Artigos