Casos de ensino nas pesquisas sobre formação de professores

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18593/r.v46.27212

Palavras-chave:

Formação de Professores, Casos de Ensino, Estado da Arte, Pesquisa em Educação

Resumo

Este texto tem como propósito sistematizar a utilização dos casos de ensino como elemento teórico-metodológico nas pesquisas acerca da formação de professores no âmbito da pós-graduação stricto sensu. O estudo, de caráter exploratório e cunho documental, toma como lócus de investigação a Biblioteca Digital de Teses e Dissertações (BDTD) e o Catálogo de Teses e Dissertações da CAPES, tendo em vista que ambas as bases de dados concentram produções dos programas de pós-graduação. A primeira etapa do estudo identificou 264 teses e dissertações, que passaram por análise de títulos, resumos e palavras-chave, consolidando 36 pesquisas que foram, efetivamente, o corpus de análise da investigação. Os 36 trabalhos foram analisados na íntegra, com o propósito de realizar uma síntese integrativa abarcando os seguintes eixos de discussão: referentes teóricos; aspectos que constituem a metodologia; e, resultados das investigações. Foram identificadas publicações a partir do ano de 2001, sendo que a maior parte das pesquisas toma os casos de ensino como instrumento de investigação e formação, geralmente associado a outros instrumentos. Naquelas pesquisas em que há centralidade dos casos de ensino como objeto de estudo, explora-se seu potencial formador e a contribuição para o desenvolvimento profissional docente. Desponta, ainda, a necessidade de que as pesquisas no campo da formação de professores explorem mais os casos de ensino como elemento formador, uma vez que estes se configuram como possibilidades de promover efetiva reflexão sobre a ação do professor.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Juliano Agapito, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutorando em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC, com ingresso em 2019/I, sob orientação da Professora Doutora Márcia de Souza Hobold. Mestre em Educação pela Universidade da Região de Joinville - UNIVILLE (2013), especialista em Fisiologia do Exercício pela Universidade Gama Filho (2008), licenciado em Educação Física pela Universidade da Região de Joinville - UNIVILLE (2003) e com segunda licenciatura em Pedagogia pelo Centro Universitário de Jales - UNIJALES (2018). Atua como docente da Educação Básica na Rede Municipal de Ensino de Joinville/SC e na Educação Superior no curso de Licenciatura em Pedagogia da Faculdade Guilherme Guimbala / Associação Catarinense de Ensino (FGG/ACE). Tem experiência na área da Educação, com ênfase em Formação de Professores, Educação Especial, Educação Inclusiva e Educação Física, atuando principalmente nos seguintes temas: Professor Iniciante, Indução Profissional Docente, Trabalho e Formação Docente, Pesquisa na Educação Básica, Educação Especial Inclusiva, Diversidade e Educação Física Escolar. Membro do Grupo de Estudos e Pesquisas: Formação de Professores e Práticas de Ensino (FOPPE) vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Santa Catarina (PPGE/UFSC), coordenado pela professora Dra. Márcia de Souza Hobold, desde 2018/I até o momento.

Márcia de Souza Hobold, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutora em Educação (Psicologia da Educação) pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUC SP. De 2013 a 2015, fez pós-doutorado na PUC SP, com bolsa do CNPq, sob orientação da professora Marli André. Atualmente é Professora Efetiva do Departamento de Metodologia de Ensino e do Programa de Pós-Graduação em Educação - PPGE, do Centro de Ciências da Educação - CED da Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC. Foi professora titular da Universidade de Joinville - UNIVILLE (2008-2017), atuando no Departamento de Psicologia e no Programa de Mestrado em Educação. Atuou como coordenadora do Programa de Mestrado em Educação da UNIVILLE, por quatro anos (2013 a 2016), e dois anos como vice-coordenadora (2011-2012). No mestre ' s O Programa de Educação lecionava as disciplinas obrigatórias da linha de pesquisa e formação de professores. Foi vice-coordenadora do GT 8 (Formação de Professores), gestão 2017-2018 e atualmente é coordenadora do GT 8, nos anos 2018-2019. Desenvolve pesquisas sobre formação de professores (inicial e continuada), Didática (práticas docentes), condições de trabalho, iniciação docente, profissionalismo, identidade e saberes docentes. Trabalhou durante dezoito anos no Ensino Fundamental e Médio, atuando como Professora, Orientadora Educacional e Coordenadora Pedagógica. Desde 2005, é membro do Centro de Pesquisa para o Desenvolvimento Profissional de Professores da Educação - Programa de Psicologia da Educação da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUC SP. Coordena o Grupo de Estudos e Pesquisa: Formação de Professores e Práticas de Ensino - FOPPE, UFSC. Também integra a Rede Interinstitucional de Pesquisa em Práticas de Capacitação e Ensino (RIPEFOR). Português: Doutora em Educação (Psicologia da Educação), pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUC SP. De 2013 a 2015 realizou seu Estágio de Pós-doutoranda, na PUC SP, com bolsa do CNPq, sob supervisão da Professora Marli André. Atualmente é Professora efetiva de Didática do Departamento de Metodologia de Ensino e do Programa de Pós-Graduação em Educação - PPGE, do Centro de Ciências da Educação - CED, da Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC. Foi professora da Universidade da Região de Joinville - UNIVILLE (2008-2017), atuando no Departamento de Psicologia e no Programa de Mestrado em Educação. Atuou como coordenadora do Programa de Mestrado em Educação, da UNIVILLE, por quatro anos (2013 a 2016), e mais dois anos como vice-coordenadora (2011-2012). No Programa de Mestrado em Educação lecionou como disciplinas obrigatórias da linha de pesquisa e formação docente. Foi vice-coordenadora do GT 8 (Formação de Professores), gestão 2017-2018 e, atualmente, é a coordenadora do GT 8, nos anos de 2018-2019. Desenvolve pesquisas sobre a formação de professores (inicial e continuada), Didática (práticas de ensino), condições de trabalho, início da docência, profissionalidade, identidade e saberes docentes. Atuou por dezoito anos no Ensino Fundamental e no Ensino Médio, exercendo as funções de professora, Orientadora Educacional e Coordenadora Pedagógica. Desde 2005, integra o Núcleo de Pesquisa sobre o Desenvolvimento Profissional dos Professores do Programa de Educação - Psicologia da Educação da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUC SP. Coordena o Grupo de Estudos e Pesquisa: Formação de Professores e Práticas de Ensino - FOPPE, da UFSC. Também integra a Rede Interinstitucional de Pesquisas sobre a Formação e as Práticas Docentes (RIPEFOR).

Referências

ALMEIDA, R. S. de. Didática nos anos iniciais do ensino fundamental: um estudo sobre a docência de 11 professoras. 2017. 129 p. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2017. Disponível em: https://www.metodista.br/revistas/revistas-unimep/index.php/comunicacoes/article/view/4143. Acesso em: 10 abr. 2020.

ANASTÁCIO, J. B. Formação e desenvolvimento profissional para uma prática pedagógica reflexiva na educação superior: casos de ensino na evidenciação de saberes do professor que atua na graduação em ciências contábeis. 2017. 153 p. Dissertação (Mestrado em Ciências Contábeis) – Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado, São Paulo, 2017. Disponível em: http://tede.fecap.br:8080/jspui/handle/jspui/764. Acesso em: 10 abr. 2020.

ANDRÉ, M. D. A. A produção acadêmica sobre formação de professores: um estudo comparativo das dissertações e teses defendidas nos anos 1990 e 2000. Formação Docente, v. 1, n. 1, p. 41-56, ago./dez. 2009. Disponível em: https://revformacaodocente.com.br/index.php/rbpfp/article/view/4. Acesso em: 6 fev. 2020.

ANDRÉ, M. D. A. Etnografia da prática escolar. 18. ed. Campinas, SP: Papirus, 2012.

ANDRÉ, M. D. A. Formação de professores: a constituição de um campo de estudo. Educação, v. 33, n. 3, p. 174-181, 2010. Disponível em: https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/faced/article/view/8075. Acesso em: 5 fev. 2020.

BATISTA, E. S. C. Atividades multimodais no processo de aprender a ensinar matemática sob a perspectiva inclusiva: uma experiência com licenciandos em pedagogia. 2017. 311 p. Tese (Doutorado em Educação Matemática) – Universidade Anhanguera, São Paulo, 2017. Disponível em: https://repositorio.pgsskroton.com/handle/123456789/12164. Acesso em: 11 abr. 2020.

BEZERRA, A. O. Do giz ao byte: itinerários formativos docente para uso de tecnologias da informação e comunicação (TIC) em programas de gestão social. 2014. 124 p. Dissertação (Mestrado em Administração) – Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2014. Disponível em: https://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/19666. Acesso em: 7 abr. 2020.

BRAGA, A. Os saberes de professoras que ensinam ciências nas séries iniciais: um estudo de caso. 2005. 146 p. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2005. Disponível em: https://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/2784?show=full. Acesso em: 7 abr. 2020.

CARDOSO, L. A. M. Os processos formativos no programa de iniciação à docência da UFMT: a experiência de um grupo de licenciandas em pedagogia. 2014. 268 p. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, 2014. Disponível em: https://ri.ufmt.br/handle/1/309. Acesso em: 22 abr. 2020.

CUNHA, F. J. P. Prática pedagógica de professores de educação física: um estudo de caso na rede pública estadual em Florianópolis – SC. 2003. 151 p. Dissertação (Mestrado em Educação Física) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2003. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/86228. Acesso em: 22 abr. 2020.

DOMINGUES, I. M. C. S. Os casos de ensino como “potenciais reflexivos” no desenvolvimento profissional dos professores da escola pública. 2007. 160 p. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, 2007. Disponível em: http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/DetalheObraForm.do?select_action=&co_obra=94726. Acesso em: 22 abr. 2020.

DOMINGUES, I. M. C. S. Desenvolvimento profissional de professoras alfabetizadoras em ambiente virtual de aprendizagem: contribuições de casos de ensino. 2013. 260 p. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2013. Disponível em: https://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/2299. Acesso em: 7 abr. 2020.

DUEK, V. P. Educação inclusiva e formação continuada: contribuições dos casos de ensino para os processos de aprendizagem e desenvolvimento profissional de professores. 2011. 351 p. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2011. Disponível em: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/14342. Acesso em: 10 abr. 2020.

DUTRA, L. P. A construção de saberes experienciais por egressas do PIBID, nos primeiros anos da docência. 2017. 167 p. Dissertação (Mestrado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2017. Disponível em: https://www.pucminas.br/pos/educacao/Paginas/Apresentacao.aspx. Acesso em: 25 abr. 2020.

EVANGELISTA, E. G. Percursos formativos de formadores de professores de língua portuguesa que atuam no CEFAPRO de Cuiabá-MT. 2011. 166 p. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, 2011. Disponível em: https://bdtd.ibict.br/vufind/Record/UFMT_655008bf6ca5986c6f8428da0d895bbc. Acesso em: 25 abr. 2020.

HOBOLD, M. S. Desenvolvimento profissional dos professores: aspectos conceituais e práticos. Práxis Educativa, v. 13, n. 2, p. 425-442, 2018. Disponível em: https://www.redalyc.org/jatsRepo/894/89457516010/html/index.html. Acesso em: 12 nov. 2020.

IZA, D. F. V. As concepções de corpo e movimento de professoras nas práticas educativas: significado e sentido de atividades de brincadeiras na educação infantil. 2008. 152 p. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2008. Disponível em: http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/DetalheObraForm.do?select_action=&co_obra=165708. Acesso em: 25 abr. 2020.

LACERDA, C. R. A experiência do exercício da profissão e o saber ensinar: estudo com professores dos cursos de bacharelado. 2011. 249 p. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2011. Disponível em: https://bdtd.ibict.br/vufind/Record/UFC-7_8497a583a8a3f9f952945403b55bc90f. Acesso em: 10 abr. 2020.

MARCELO, C. Desenvolvimento profissional docente: passado e futuro. Revista de Ciências da Educação, n. 8, p. 7-22, jan./abr. 2009. Disponível em: http://www.unitau.br/files/arquivos/category_1/MARCELO___Desenvolvimento_Profissional_Docente_passado_e_futuro_1386180263.pdf. Acesso em: 5 fev. 2020.

MENDONÇA, L. O. Reflexões e ações de professores sobre modelagem matemática na educação estatística em um grupo colaborativo. 2015. 263 p. Tese (Doutorado em Ensino de Ciências e Matemática) – Universidade Cruzeiro do Sul, São Paulo, 2015. Disponível em: https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=2886325. Acesso em: 22 abr. 2020.

MIGLIORANÇA, F. A atuação do professor de matemática na educação de jovens e adultos: conhecendo a problemática. 2004. 185 p. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2004. Disponível em: https://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/2554?show=full. Acesso em: 22 abr. 2020.

MILANESI, J. B. Rede social virtual de professores especializados e a escolarização de estudantes com deficiência intelectual. 2017. 375 p. Tese (Doutorado em Educação Especial) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2017. Disponível em: https://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/10288. Acesso em: 10 abr. 2020.

MIZUKAMI, M. G. N. Casos de Ensino e aprendizagem profissional da docência. In: ABRAMOWICZ, A.; MELLO, R. R. (org.). Educação: pesquisas e práticas. Campinas: Papirus, 2000, p. 139-161.

MOREIRA, J. S. Aprendizagem profissional da docência e base de conhecimento para o ensino de tutores que atuam no método problem-based learning (PBL). 2019. 276 p. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual de Feira de Santana, Feira de Santana, 2019. Disponível em: http://tede2.uefs.br:8080/handle/tede/964. Acesso em: 7 abr. 2020.

MUSSI, A. A. Docência no ensino superior: conhecimentos profissionais e processos de desenvolvimento profissional. 2007. 294 p. Tese (Doutorado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2007. Disponível em: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/16304. Acesso em: 7 abr. 2020.

NONO, M. A. Casos de ensino e professoras iniciantes. 2005. 238 p. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2005. Disponível em: https://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/2324?show=full. Acesso em: 22 abr. 2020.

ORTEGA, E. M. V. A construção dos saberes dos estudantes de pedagogia em relação à matemática e seu ensino no decorrer da formação inicial. 2011. 164 p. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011. Disponível em: https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-04082011-122255/pt-br.php. Acesso em: 22 abr. 2020.

PAIXÃO, M. S. S. L. Práticas docentes em classe comum de escolas regulares para alunos com deficiência intelectual. 2018. 217 p. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Piauí, Teresina, 2018. Disponível em: https://www.ufpi.br/arquivos_download/arquivos/TESE__MARIA_DO_SOCORRO_SANTOS_LEAL_PAIX%C3%83O__Final20190807155731.pdf. Acesso em: 7 abr. 2020.

PEREIRA, I. D. M. Ensino de ciências na perspectiva da alfabetização científica: prática pedagógica no ciclo de alfabetização. 2015. 178 p. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2015. Disponível em: https://bdtd.ibict.br/vufind/Record/UFPL_3ab7c2c5d96bce59d33c240651cac69b. Acesso em: 11 abr. 2020.

PEREIRA, P. R. R. Professores de matemática em início de carreira: um olhar para a prática docente no ensino e aprendizagem de expressões algébricas. 2019. 117 p. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) – Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, 2019. Disponível em: https://www2.ufjf.br/mestradoedumat/wp-content/uploads/sites/134/2011/05/Disserta%C3%A7%C3%A3o-Paulo.pdf. Acesso em: 7 abr. 2020.

POGGETTI, L. G. Professoras das séries iniciais do ensino fundamental e as orientações curriculares oficiais para o ensino de matemática: um estudo dessa relação. 2014. 107 p. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014. Disponível em: https://teses.usp.br/teses/disponiveis/48/48134/tde-09122014-113509/publico/LIANE_GEYER_POGGETTI.pdf. Acesso em: 12 abr. 2020.

RABELO, S. C. C. Casos de ensino na formação continuada a distância de professores do atendimento educacional especializado. 2016. 305 p. Tese (Doutorado em Educação Especial) - Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2016. Disponível em: http://bdtd.ibict.br/vufind/Record/SCAR_cb2f3da21e07c1eb2affab64a72302e4. Acesso em: 12 abr. 2020.

RAMOS, E. M. O. Professores bacharéis da saúde: trajetórias de profissionalidades docentes. 2018. 205 p. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, 2018. Disponível em: http://www.uece.br/ppge/wp-content/uploads/sites/29/2019/06/Tese_EV%C3%93DIO-MAUR%C3%8DCIO-OLIVEIRA-RAMOS.pdf. Acesso em: 22 abr. 2020.

RODRIGUES, M. C. C. Contribuições de um projeto de formação on-line para o desenvolvimento profissional de professoras do 1º ano do ensino fundamental. 2013. 242 p. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2013. Disponível em: https://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/2302. Acesso em: 7 abr. 2020.

ROMANOWSKI, J. P.; ENS, R. T. As pesquisas denominadas do tipo “estado da arte” em educação. Revista Diálogo Educacional, v. 6, n. 19, p. 37-50, set./dez. 2006. Disponível em: https://periodicos.pucpr.br/index.php/dialogoeducacional/article/view/24176. Acesso em: 5 fev. 2020.

SALGADO, L. F. G. Necessidades formativas de professores de educação básica especial, diversidade e inclusão: interlocuções e desafios. 2018. 166 p. Trabalho final (Mestrado Profissional em Educação) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2018. Disponível em: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/21369. Acesso em: 11 abr. 2020.

SANTOS, R. A. Racismo, preconceito e discriminação: concepções de professores. 2007. 120 p. Tese (Doutorado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2007. Disponível em: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/16266. Acesso em: 11 abr. 2020.

SILVA, D. K. Uma ação de formação de professores na e para uma abordagem investigativa em aulas de matemática. 2018. 322 p. Tese (Doutorado em Educação Científica e Tecnológica) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2018a. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/206097. Acesso em: 11 abr. 2020.

SILVA, E. T. Cenário de desenvolvimento profissional de professores: a escola como lócus de formação contínua? 2018. 150 p. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, 2018b. Disponível em: http://educas.com.br/blog/cenario-de-desenvolvimento-profissional-de-professores-a-escola-como-locus-de-formacao-continua/. Acesso em: 22 abr. 2020.

SOUSA, M. P. Pensando a formação inicial em educação física: entendendo o papel do estágio em uma concepção de ação docente enquanto práxis. 2012. 118 p. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Nove de Julho, São Paulo, 2012. Disponível em: http://bdtd.ibict.br/vufind/Record/NOVE_4aee8181c3ec1fab4d02606b46c16ee4. Acesso em: 25 abr. 2020.

ULIANA, M. R. Formação de professores de matemática, física e química na perspectiva da inclusão de estudantes com deficiência visual: análise de uma intervenção realizada em Rondônia. 2015. 315 p. Tese (Doutorado em Educação em Ciência e Matemática) – Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, 2015. Disponível em: https://periodicoscientificos.ufmt.br/ojs/index.php/reamec/article/view/8511. Acesso em: 7 abr. 2020.

VOSGERAU, D. S. R.; ROMANOWSKI, J. P. Estudos de revisão: implicações conceituais e metodológicas. Diálogo Educacional, v. 14, n. 41, p. 165-189, jan./abr. 2014. Disponível em: https://periodicos.pucpr.br/index.php/dialogoeducacional/article/view/2317. Acesso em: 7 ago. 2020.

YAMAMOTO, E. M. Estudo de concepções e crenças de licenciandos sobre o ensino de matemática. 2012. 132 p. Tese (Doutorado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2012. Disponível em: https://tede2.pucsp.br/handle/handle/16039. Acesso em: 11 abr. 2020.

ZERBATO, A. P. Desenho universal para aprendizagem na perspectiva da inclusão escolar: potencialidades e limites de uma formação colaborativa. 2018. 298 p. Tese (Doutorado em Educação Especial) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2018. Disponível em: https://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/9896. Acesso em: 11 abr. 2020.

Downloads

Publicado

15-07-2021

Como Citar

AGAPITO, J.; HOBOLD, M. de S. Casos de ensino nas pesquisas sobre formação de professores. Roteiro, [S. l.], v. 46, p. e27212, 2021. DOI: 10.18593/r.v46.27212. Disponível em: https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/roteiro/article/view/27212. Acesso em: 28 set. 2021.

Edição

Seção

Seção temática: Casos de Ensino na pesquisa e na formação de professores