Apresentação: Uma alternativa às políticas curriculares centralizadas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18593/r.v46i.27181

Palavras-chave:

Currículo, Formação de professores

Resumo

Neste texto, reafirmamos nossa posição contrária à definição de uma base nacional comum curricular pormenorizada e propomos pensar políticas públicas em currículo, entendendo currículo como prática significante, como espaço-tempo de produção de sentidos. Assumimos o compromisso teórico de responder a desafios que vêm sendo apresentados pela racionalidade técnica ao campo do currículo. Como resposta, propomos pensar a intervenção educativa como investimento radical, defendendo ser muito mais produtivo intervir nas políticas curriculares por meio da constituição de uma rede intersubjetiva da qual participem professores em serviço, pesquisadores da Universidade também formadores de professores, professores em formação inicial que, no espaço situado da escola, vão se produzir como sujeitos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alice Casimiro Lopes, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Alice Casimiro Lopes concluiu o doutorado em Educação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) em 1996. Atualmente é Professora Associada da Faculdade de Educação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), e Procientista nesta mesma instituição. É Cientista do Nosso Estado Faperj desde 2009 e bolsista de produtividade do CNPq desde de 1998, hoje com nível 1 B. Atuou como Coordenadora do Programa de Pós-graduação em Educação (Proped) de janeiro de 2008 até julho de 2012. Publicou 4 livros completos, vários artigos em periódicos especializados, dentre eles Cadernos de Pesquisa, Educação e Sociedade, Educação e Realidade, Journal of Curriculum and Pedagogy, Journal of the American Association for the Advancement of Curriculum Studies e Revista Brasileira de Educação, além de ter várias publicações em capítulos de livros. Orientou 20 alunos de mestrado (sendo uma como co-orientadora), 16 alunos de doutorado (sendo 3 como co-orientadora) e 6 pesquisadores em nível de pós-doutorado. É editora do periódico Transnational Curriculum Inquiry, revista da International Association for the Advancement of Curriculum Studies (IAACS), e membro do conselho editorial de: Journal of Education Policy, Revista Brasileira de Educação, Educação e Realidade, Educação e Sociedade, dentre outras. Foi membro da Comissão de Avaliação de Programas na Capes no triênio 2002-2004. Foi membro suplente do CA Educação do CNPq de dezembro de 2012 a junho de 2013 e membro titular nessa comissão de agosto de 2014 a junho de 2016. Suas pesquisas são financiadas pelo CNPq, pela Capes e pela Faperj. É Diretora do Departamento de Fomento ao Ensino para Graduados (DEPG) na Sub-Reitoria de Pós-graduação e Pesquisa da Uerj desde janeiro de 2016 e Representante das Universidades Estaduais - Uerj no Conselho Superior da FAPERJ. Maiores informações sobre suas pesquisas e produções podem ser obtidas na página www.curriculo-uerj.pro.br Research ID http://www.researcherid.com/rid/F-7209-2012

ORCID http://orcid.org/0000-0001-9943-9117 REDALYC http://www.redalyc.org/autor.oa?id=4188

Elizabeth Macedo, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Elizabeth Macedo atuou como Visiting Scholar na University of British Columbia (pós-doutorado, CAPES, 2007), na Columbia University (pós-doutorado, CNPq, 2013-2015) e na New York University (estágio sênior, CNPq, 2019). Atualmente é professora titular da Universidade do Estado do Rio de Janeiro e assessora da Diretoria Científica para as áreas de Humanidades, Ciências Sociais Aplicadas, Letras e Artes da Faperj. É Cientista do Nosso Estado FAPERJ, bolsista 1A do CNPq e procientista da FAPERJ/UERJ. Coordena o grupo de pesquisa Currículo, cultura e diferença do CNPq e atua em docência, orientação e pesquisa no campo do Currículo. 

Referências

APPADURAI, A. La modernidad desbordada - Dimensiones culturales de La globalización. Buenos Aires: FCE, 2001.

BALL, S. J.; MAGUIRE, M. How schools do policy? Policy enactments in secondary school. New York: Routledge, 2012.

BALL, S. J.; MAINARDES, J. (ed.). Políticas Educacionais. São Paulo: Cortez, 2011.

BIESTA, G. Para além da aprendizagem: educação democrática para um futuro humano. Belo Horizonte: Autêntica, 2013.

BRASIL. Plano de Desenvolvimento da Educação 2011. Brasília, DF: MEC, 2008.

BRASIL. Lei n. 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação – PNE e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 26 jun. 2014.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Versão Final. Brasília, DF: MEC, 2018. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso em: 22 set. 2019.

COSTA, H.; LOPES, A. C. School subject community in times of death of the subject. Policy Futures in Education, v. 1, p. 1-17, 2018.

FLETCHER, P. R.; RIBEIRO, S. C. Modeling education system performance with demographic data, an introduction to the PROFLUXO model. Paris: UNESCO, 1989.

FONTANIVE, N. S.; KLEIN, R. O efeito da capacitação docente no desempenho dos alunos: uma contribuição para a formulação de novas políticas públicas de melhoria da qualidade da educação básica. Revista Iberoamericana de Evaluación Educativa, v. 3, p. 62-89, 2010.

FRANCO, C.; ALVES, F.; BONAMINO, A. Qualidade do ensino fundamental: políticas, suas possibilidades, seus limites. Educação & Sociedade, v. 28, p. 989-1014, 2007.

FREITAS, L. C. Os reformadores empresariais da educação: da desmoralização do magistério à destruição do sistema público de educação. Educação & Sociedade, v. 33, p. 379-404, 2012.

GATTI, B. A. Estudos quantitativos em educação. Educação e Pesquisa, v. 30, n. 1, p. 11-30, 2004.

KLIEBARD, H. M. Forging the American curriculum. New York: Routledge, 1992.

LACLAU, E. Emancipação e diferença. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2011.

LACLAU, E. La razón populista. Buenos Aires: Fondo de Cultura Económica, 2008.

LOPES, A. C. Democracia nas políticas de currículo. Cadernos de Pesquisa, v. 42, p. 700-715, 2012.

LOPES, A. C. Articulações de demandas educativas (im)possibilitadas pelo antagonismo ao “marxismo cultural”. Archivos Analíticos De Políticas Educativas / Education Policy Analysis Archives, v. 27, p. 109-129, 2019.

LOPES, A. C. Investment in curricular normativity in Brazil: a critical-discursive perspective. In: LEE, John Chi-Kin; GOUGH, Noel (Co-edited). Transnational education and curriculum studies: international perspective. London: Routledge, 2020.

LOPES, A. C.; MACEDO, E. Contribuições de Stephen Ball para o estudo das políticas de currículo. In: BALL, S.; MAINARDES, J. (org.). Políticas educacionais: questões e dilemas. São Paulo: Cortez, 2011. v. 1, p. 249-283.

MACEDO, E. Currículo e conhecimento: aproximações entre educação e ensino. Cadernos de Pesquisa, v. 42, n. 147, p. 716-737, 2012.

MACEDO, E. A noção de crise e a legitimação de discursos curriculares. Currículo sem Fronteiras, v. 13, n. 3, p. 436-450, set./dez., 2013.

MACEDO, E. Base Nacional Comum para Currículos: direitos de aprendizagem e desenvolvimento para quem? Educação & Sociedade, v. 36, n. 133, p. 891-908, dez. 2015.

MACEDO, E. Base nacional curricular comum: a falsa oposição entre conhecimento para fazer algo e conhecimento em si. Educação em Revista, v. 32, n. 2, p. 45-68, jun. 2016.

MACEDO, E. National curriculum in Brazil: between accountability and social justice. Curriculum Perspectives, v. 39, p. 187-191, 2019.

MATHEUS, D. dos S.; LOPES, A. C. Sentidos de qualidade na política de currículo (2003-2012). Educação & Realidade, v. 39, n. 2, p. 337-357, 2014.

MILLER, J. L. Teorização do currículo como antídoto contra a cultura da testagem. Revista e-Curriculum, v. 12, n. 3, p. 2043-2063, 2014.

MILLER, J. L.; MACEDO, E. Políticas públicas em currículo: autobiografia e sujeito relacional. Práxis Educativa, v. 13, n. 3, p. 948-965, 2018.

MOUFFE, C. La paradoxa democrática. Barcelona: Gedisa, 2003.

MOUFFE, C. For a left populism. London: Verso, 2018.

ORTIGÃO, M. I.; SZTAJN, P. Mathematics, teachers, reform and equity: results from brazilian national assessment. Journal for Research in Mathematics Education, v. 38, p. 393-419, 2007.

RAVITCH, D. Reign of errors: the hoax of the privatization movement and the danger to America’s public schools. New York: Random House, 2013.

SAHLBERG, P. Finnish Lessons 2.0. Nova York: Teachers College Press, 2015.

SHIROMA, E. A formação do professor-gestor nas políticas de profissionalização. Revista e-Curriculum, v. 7, p. 1-20, 2011a.

SHIROMA, E. Professores em exame: reflexões sobre políticas de avaliação docente. Práxis Educativa, v. 6, p. 31-44, 2011b.

SOLIGO, V. Qualidade da Educação: relações entre características de contexto e os resultados das avaliações em larga escala nos municípios de pequeno porte da Região Sul do Brasil. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, 2013.

Downloads

Publicado

08-02-2021

Como Citar

LOPES, A. C.; MACEDO, E. Apresentação: Uma alternativa às políticas curriculares centralizadas. Roteiro, [S. l.], v. 46, p. e27181, 2021. DOI: 10.18593/r.v46i.27181. Disponível em: https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/roteiro/article/view/27181. Acesso em: 19 set. 2021.

Edição

Seção

Seção temática: Uma alternativa às políticas curriculares centralizadas