Didáticas das relações étnico raciais: contribuições propositivas para a formação inicial de professores

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18593/r.v46.26442

Palavras-chave:

formação inicial de professores, currículo, diversidade étnico-racial

Resumo

Os/as professores/as são considerados agentes de fundamental importância na superação das iniquidades étnico-raciais e na promoção de uma educação de qualidade. Tal fato tem provocado mudanças curriculares na formação inicial de professores/as, como a inclusão de disciplinas obrigatórias concernentes à temática étnico-racial, no entanto, duas questões centrais ainda ecoam nas pesquisas sobre a temática e nos núcleos de pesquisa que têm em muitas instituições discutido estas mudanças curriculares: será que os/as professores/as estão sendo de fato preparados/as, nos cursos de formação inicial de professores/as, para lidar pedagogicamente com situações de discriminação racial e para a valorização da diversidade racial e cultural? Que metodologias, estratégias e práticas nas experiências em voga têm se apresentado como eficazes? A partir destas questões, este artigo objetiva analisar as experiências formativas que resultam da introdução de uma disciplina obrigatória “Didáticas e educação das relações étnico-raciais” no curso de formação inicial de professores na Universidade Federal de São Carlos. Esta disciplina focaliza a educação das relações étnico-raciais como dimensão indispensável à Didática, campo de investigação da ciência Pedagogia, que estuda meios, instrumentos, modalidades, estratégias utilizadas para ensinar e aprender, situando-os histórica, social e culturalmente. Por meio da análise da análise documental e de entrevistas o artigo enfoca a construção de experiências de formação visando contribuir de forma propositiva com o campo da formação inicial de professores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tatiane Cosentino Rodrigues, Universidade Federal de São Carlos

Professora Adjunta do Departamento de Teorias e Práticas Pedagógicas da UFSCar. Pesquisadora do Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros e Professora no Programa de Pós-Graduação em Educação da UFSCar.

Ayodele Floriano Silva, UFSCar

Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Federal de São Carlos - UFSCAR (2018) e Medicina Veterinária pela Universidade Estadual de Londrina - UEL (2007). É especialista em Biologia Aplicada à Saúde (2008) com Mestrado em Ciências pela Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo FSP/USP (2011). Trabalhou (2011 a 2018) no Instituto Fazenda da Toca na Escola de Educação Infantil da Toca. Atualmente realiza mestrado no PPGE da UFSCar.

Referências

ALGARVE, V. A. Cultura negra na sala de aula: pode um cantinho de Africanidades elevar a auto-estima de crianças negras e melhorar o relacionamento entre crianças negras e brancas? 2004. Dissertação (Mestrado em Ciências Humanas) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2004.

ANDRADE, P. S. Pertencimento étnico-racial e ensino de História. 2006. Dissertação (Mestrado em Ciências Humanas) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2006.

ANDRADE, R. R. Messias de. Pesquisas sobre formação de professores: uma comparação entre os anos 90 e 2000. In: REUNIÃO ANUAL DA ANPED, 30., 2007, Caxambu. Anais [...] Caxambu, 2007.

ANDRÉ, M. et al. Estado da arte da formação de professores no Brasil. Educação & Sociedade, ano XX, v. 20, n. 68, p. 301-309, dez. 1999.

BENITE, A. M.; ALVINO, A. C. B. Africanidades em ensino de química: uma experiência no contexto da produção de biocombustíveis e aquecimento global. Revista da ABPN, v. 9, n. 22, 2017. Disponível em: http://abpnrevista.org.br/revista/index.php/revistaabpn1/issue/view/22. Acesso em: 15 set. 2020.

BERGAMASCHI, M. A.; MEDEIROS, J. S. História, memória e tradição na educação escolar indígena: o caso de uma escola Kaingang. Rev. Bras. Hist., v. 30, n. 60, p. 55-75, 2010. Acesso em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-01882010000200004&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 15 set. 2020. DOI: https://doi.org/10.1590/S0102-01882010000200004.

BOLZAN, D. P. V.; POWACZUK, A. C. H. Processos formativos nas licenciaturas: desafios da e na docência. Roteiro, v. 42, n. 1, p. 107-132, 2017. DOI: https://doi.org/10.18593/r.v42i1.11550.

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico- Raciais e para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana. Brasília, DF: MEC, 2004.

BRASIL. Lei n. 10.639, de 9 de janeiro de 2003. Altera a Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade da temática "História e Cultura Afro-Brasileira", e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 10 jan. 2003.

CAPUTO, S. G. Educação nos terreiros e como a escola se relaciona com crianças de candomblé. Rio de Janeiro: Pallas, 2012.

CARDOSO, I. A. Educação das relações étnico-raciais: limites e possibilidades no curso de pedagogia da UFSCar. 2016. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2016. Disponível em: https://repositorio.ufscar.br/handle/ufscar/8391. Acesso em: 12 abr. 2020.

CARVALHO, M. P. de. O fracasso escolar de meninos e meninas: articulações entre gênero e cor/raça. Cadernos Pagu, n. 22, p. 247-290, 2004. DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-83332004000100010.

CAVALLEIRO, E. Do silêncio do lar ao silêncio escolar: racismo, preconceito e discriminação na educação infantil. São Paulo: Contexto, 2000.

COELHO, W. N. B.; QUADROS, C. Formação de professoras e professores e relações raciais: mapeamento da produção em teses, dissertações e artigos (2003-2014). In: SILVA, P. V. B.; RÉGIS, K.; MIRANDA, S. A. Educação das relações étnico-raciais: o estado da arte. Curitiba: NEAB/UFPR e ABPN, 2018.

CUNHA, L. Contribuição dos povos africanos para o conhecimento científico e tecnológico universal. [S. l.: s. n.], 2014. Disponível em: http://smec.salvador.ba.gov.br/documentos/contribuicao-povos-africanos.pdf. Acesso em: 8 abr. 2021.

CUNHA, M. I. O tema da formação de professores: trajetórias e tendências do campo na pesquisa e na ação. Educação e Pesquisa, v. 39, n. 3, 2013.

DÁVILA, J. Diploma de brancura: política social e racial no Brasil – 1917-1945, São Paulo: Editora da UNESP, 2006.

FERNANDES, F. Cor e estrutura social em mudança. In: BASTIDE, R.; FERNANDES, F. Brancos e Negros em São Paulo. [S. l.]: Editora Global, 2008.

FREYRE, G. Casa grande & senzala: formação da família brasileira sob o regime da economia patriarcal. 51. ed. rev. São Paulo: Global, 2006.

GOMES, N. L. Diversidade étnico-racial: por um projeto educativo emancipatório. Retratos da escola, v. 2, n. 2-3, p. 95-108, jan./dez. 2008.

GOMES, N.; SILVA, P. B. G. O desafio da diversidade. In: GOMES, N.; SILVA, P. B. G. Experiências étnicos-culturais para a formação de professores. Belo Horizonte: Autêntica 2002.

GONÇALVES, L. A. O. O silêncio: um ritual pedagógico a favor da discriminação racial: um estudo acerca da discriminação racial como fator de seletividade na escola pública de primeiro grau - 1a a 4a série. 1985. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 1985.

GRUPIONI, L D. Diretórios de associações e organizações indígenas no Brasil. Brasília: INEP-MEC, 1999.

GRUPIONI, L. D. Educação e povos indígenas: construindo uma política nacional de educação escolar indígena. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, v. 81, n. 198, 2000. Disponível em: http://rbep.inep.gov.br/ojs3/index.php/rbep/article/view/3723. Acesso em: 18 abr. 2020.

MENINO 23 – infâncias perdidas no Brasil. Produção de Belisário Franca. Brasil: Globo Filmes, 2016. 1 DVD (79 min).

MORAES, E. M.; PEREIRA, J. E. D. Formação docente e diversidade cultural: complexidade, polissemia e consciência política. Roteiro, 2014. Edição Especial. Disponível em: https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/roteiro/article/view/6356. Acesso em: 8 abr. 2021.

NÓVOA, A. (org.). Profissão professor. 2. ed. Porto: Porto Ed., 1995.

RIOS, M. P. G.; SOPELSA, O. O curso de pedagogia da Unoesc em tela: concepção dos docentes e dos egressos. Roteiro, v. 36, n. 1, p. 129-146, 2011. Disponível em: https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/roteiro/article/view/807. Acesso em: 10 abr. 2021.

ROCHA, E.; ROSEMBERG, F. Autodeclaração de cor e/ou entre escolares paulistanos(as). Cadernos de Pesquisa, v. 37, n. 132, set./dez. 2007. Disponível em:

https://sapientia.pucsp.br/bitstream/handle/17039/1/Binder1.pdf. Acesso em: 10 abr. 2021.

SCHUWARCZ, L. M. O espetáculo das raças: cientistas, instituições e questão racial no Brasil 1870-1930. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.

SILVA, D. V C. da. A educação das relações étnico-raciais no ensino de Ciências: diálogos possíveis entre Brasil e Estados Unidos. 2009. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-graduação em Educação, Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2009.

SILVA, P. B. G. e. Entre Brasil e África: construindo conhecimento e militância. Belo Horizonte: Editora Mazza, 2011.

SOUZA, A. L. S.; JOVINO, I. da; MUNIZ, K. da S. Letramento de reexistência: um conceito em movimentos negros. Revista da ABPN, v. 10, 2018. Disponível em: http://abpnrevista.org.br/revista/index.php/revistaabpn1/issue/view/25. Acesso em: 10 abr. 2021.

SOUZA, E. F. Repercussão do discurso pedagógico sobre relações raciais nos PCNs. In: CAVALLERO, E. (org.). Racismo e anti-racismo na educação: repensando nossa escola. São Paulo: Summus, 2001.

TARDIF, M. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes, 2002.

Downloads

Publicado

08-07-2021

Como Citar

RODRIGUES, T. C.; SILVA, A. F. Didáticas das relações étnico raciais: contribuições propositivas para a formação inicial de professores. Roteiro, [S. l.], v. 46, p. e26442, 2021. DOI: 10.18593/r.v46.26442. Disponível em: https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/roteiro/article/view/26442. Acesso em: 28 set. 2021.

Edição

Seção

Seção temática: Epistemologias Negras e Processos Educativos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)