COMPONDO UM “RETRATO DO INDIVÍDUO”: CLASSIFICAÇÃO E INTERVENÇÃO MEDIANTE FICHAS DE OBSERVAÇÃO COMPORTAMENTAL (1934-1939)

  • Juliana Vital Abreu David

Resumo

Resumo: A centralidade ocupada pela escola como espaço educativo no período correspondente às décadas iniciais do século XX estimulou a criação de novos instrumentos de mensuração e classificação que, utilizados no interior do espaço da escola, tinham por objetivo conhecer e classificar a população escolar, proporcionando formas mais eficazes de propagação de certo “modelo”, considerado ideal no processo de “transformação da criança em aluno” (Ó, 2006). Neste trabalho, utiliza-se como fonte as fichas de observação comportamental, produzidas no âmbito do Serviço de Ortofrenia e Higiene Mental (1934-1939), que funcionou nas escolas experimentais do Rio de Janeiro, tendo como chefe o médico Arthur Ramos. As fichas são compreendidas como instrumento que objetivava classificar, penetrar e intervir na individualidade e nas questões privadas da vida dos alunos, devendo compor “um retrato do indivíduo” e do ambiente social e familiar no qual estava inserido.

Palavras-chave: Serviço de Ortofrenia e Higiene Mental. Fichas de observação comportamental. Arthur Ramos.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
04-07-2013
Como Citar
DAVID, J. V. A. COMPONDO UM “RETRATO DO INDIVÍDUO”: CLASSIFICAÇÃO E INTERVENÇÃO MEDIANTE FICHAS DE OBSERVAÇÃO COMPORTAMENTAL (1934-1939). Roteiro, p. 183-208, 4 jul. 2013.
Seção
Dossiê Temático: História da Educação: fontes e métodos