O princípio educativo em Gramsci: contribuições ao ensino de filosofia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18593/r.v46i.24869

Palavras-chave:

Ensino de Filosofia, Práxis, Princípio educativo

Resumo

Esse artigo tem como objetivo apontar a filosofia da práxis como elo fundante entre o princípio pedagógico de Antonio Gramsci e a prática do ensino de filosofia. Nesse processo, situamos o ensino de filosofia no contexto educacional e escolar brasileiro e propomos como via dialógica, vincular a prática de ensino de filosofia à contribuição de uma perspectiva filosófica-educacional fundamentada no pensamento gramsciano, recorrendo às concepções de educação, de escola e ensino presentes nas obras do autor. Destacamos que a filosofia da práxis é o elo fundante entre o princípio pedagógico de Gramsci e a prática do ensino de filosofia; o que pressupõe a correlação dialética e necessária da teoria e da prática, unificando e viabilizando um caminho mais crítico para o processo de formação de uma nova cultura com vistas a concepções do mundo mais críticas e atuantes; o que inclui um projeto político que considere a escola enquanto instrumento ideológico da superestrutura. A investigação, de abordagem qualitativa, se constitui em uma pesquisa de revisão bibliográfica das contribuições da teoria gramsciana para o ensino de filosofia, consideradas enquanto concepção ontológica do sujeito professor, e enquanto conteúdo curricular que compõe a história da filosofia. Ambas abordagens acionam o campo das ideologias, seja enquanto concepção de mundo do docente que atua nessa área, seja enquanto campo conceitual da história da filosofia. Nesse sentido, a filosofia da práxis assume o compromisso de comprometer-se na reelaboração e socialização das verdades já existentes, que até então estão restritas à determinados grupos e a uma formação eminentemente teórica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gabriela da Nóbrega Carreiro, Universidade Federal da Paraíba

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), na linha de pesquisa em Processos de Ensino-Aprendizagem. Mestra em educação. Bacharela e licenciada em Filosofia pela UFPB. Pesquisadora do Grupo de Estudo e Pesquisa em Filosofia e Psicologia da Educação - ÁGORA / UFPB. Áreas de interesse: Filosofia e Gênero, Filosofia da Educação, Ensino de filosofia e Gênero.

Tânia Rodrigues Palhano, Universidade Federal da Paraíba

Doutora e Mestre em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação / PPGE da Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Possui pós-doutorado em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Bacharel e Licenciatura em Filosofia pela UFPB. Professora de Filosofia da Educação, vinculada ao Departamento de Fundamentação da Educação, do Centro de Educação da UFPB e credenciada no Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE / UFPB), na Linha de Pesquisa em Processos de Ensino-Aprendizagem. Líder do Grupo de Estudo e Pesquisa em Filosofia e Psicologia da Educação (ÁGORA / UFPB). Áreas de interesse: ética na educação, ensino de filosofia e experiência educativa.

Maria das Graças de Almeida Baptista, Universidade Federal da Paraíba

Possui Pós-Doutorado em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Doutora e Mestre em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação/PPGE da Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Bacharel e Licenciada em Psicologia pela UniversidadeFederal Fluminense (UFF). Professora vinculada ao Departamento de Fundamentação da Educação, do Centro de Educação da UFPB e credenciada junto ao Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE/UFPB), na Linha de Pesquisa em Processos de Ensino-Aprendizagem. Líder do Grupo de Estudos e Pesquisa em Filosofia e Psicologia da Educação (ÁGORA/UFPB). Áreas de interesse: Teorias da educação, Formação de professores, Práxis pedagógica e Psicologia Histórico-Crítica.

 

Referências

BRASIL. Lei n. 4.024 de 20 de dezembro de 1961. Fixa as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 14 dez. 1962. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/CCivil_03/LEIS/L4024.htm. Acesso em: 27 jun. 2020.

BRASIL. Lei n. 5.692 de 11 de agosto de 1971. Fixa as Diretrizes e Bases da Educação Nacional e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 12 ago. 1971. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/CCivil_03/LEIS/L4024.htm. Acesso em: 27 jun. 2020.

BRASIL. Lei n. 9.394 de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 21 dez. 1996. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9394.htm. Acesso em: 27 jun. 2020.

BRASIL. Lei n. 11.684 de 02 de junho de 2008. Altera o art. 36 da Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir a Filosofia e a Sociologia como disciplinas obrigatórias nos currículos do ensino médio. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 3 jul. 2008. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2008/Lei/L11684.htm. Acesso em: 27 jun. 2020.

D’ANNA. G. Gentile, Giovanni. In: LIGUORI, G.; VOZA, P. Dicionário gramsciano (1926-1937). São Paulo: Boitempo, 2017.

DUARTE, A. M. C. et al. A contrarreforma do Ensino Médio e as perdas de direitos sociais no Brasil. Roteiro, v. 45, p. 1-26, 4 jun. 2020.

GRAMSCI, A. Cadernos do cárcere. Edição e tradução: Carlos Nelson Coutinho. Rio de Janeiro: Civilização brasileira, 1999. v. 1.

GRAMSCI, A. Cadernos do cárcere. Edição e tradução: Carlos Nelson Coutinho. Rio de Janeiro: Civilização brasileira, 2001. v. 2.

GRAMSCI, A. O leitor de Gramsci: escritos escolhidos 1916-1935. Organização: Carlos Nelson Coutinho. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2011.

JESUS, A. T. O pensamento e a prática escolar de Gramsci. 2. ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2005.

MANACORDA, M. A. Marx e a pedagogia moderna. Campinas, SP: Editora Alínea, 2010.

MANACORDA, M. A. O princípio educativo em Gramsci: americanismo e conformismo. Campinas, SP: Editora Alínea, 2013.

MARX, K.; ENGELS F. Teses sobre Feuerbach In: MARX, K.; ENGELS F. A ideologia alemã: crítica da mais recente filosofia alemã em seus representantes Feuerbach, B. Bauer e Stirner, e do socialismo alemão em seus diferentes profetas (1845-1846). Tradução: Rubens Enderle, Nélio Schneider e Luciano Cavini Martoano. São Paulo: Boitempo, 2007.

META, C. Educação. In: LIGUORI, G.; VOZA, P. Dicionário gramsciano (1926-1937). São Paulo: Boitempo, 2017.

NOSELLA, P. A escola de Gramsci. São Paulo: Cortez, 1992.

NOSELLA, P. A escola de Gramsci: vinte e dois anos depois. Revista Trabalho Necessário, ano 13, n. 20, p. 172-205, 2015.

SILVEIRA, R. Ensino de filosofia e cidadania: uma abordagem a partir de Gramsci. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, v. 94, p. 53-77, 2013.

Downloads

Publicado

13-04-2021

Como Citar

CARREIRO, G. da N.; PALHANO, T. R. .; BAPTISTA, M. das G. de A. O princípio educativo em Gramsci: contribuições ao ensino de filosofia. Roteiro, [S. l.], v. 46, p. e24869, 2021. DOI: 10.18593/r.v46i.24869. Disponível em: https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/roteiro/article/view/24869. Acesso em: 26 set. 2021.

Edição

Seção

Artigos de demanda contínua