OS MAPAS DE FREQUÊNCIA ESCOLAR E A PRODUÇÃO DOS SERVIÇOS DE FISCALIZAÇÃO DO ENSINO NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO (1924-1949)

  • Amália Dias FAculdade de Educação da BAixada Fluminense, Uerj, RJ>

Resumo

Resumo: O presente artigo demonstra como os mapas de frequência de alunos e professores consubstanciavam um dos recursos das agências estaduais de regulamentação e fiscalização do ensino primário. Foi preciso restituir os processos de elaboração e permanência deste desse equipamento nas sucessivas reformas estaduais do ensino, para compreender seus significados e alcances nos processos de disseminação, criação, manutenção e expansão da rede de escolas primárias no Estado. Os resultados da pesquisa, produzida a partir dos mapas de frequência do município de Nova Iguaçu, demonstraram a construção de uma metodologia de coleta e cruzamento de dados, e os usos e resultados que emergem do trabalho com essta fonte para a compreensão do perfil de escolas e dos critérios de sua distribuição na região.

Palavras-chave: Inspeção. Mapas de Frequência. Ensino Primário. Metodologia.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Amália Dias, FAculdade de Educação da BAixada Fluminense, Uerj, RJ>

Professora de História da Educação do Departamento Ciências HUmanas e Educação da Faculdade de Educação da BAixada Fluminense, UERJ.

Doutorado em Educação, Universidade Federal Fluminense, 2012.

Mestrado em Educação, Universidade Federal Fluminense, 2018.

 

Publicado
04-07-2013
Como Citar
DIAS, A. OS MAPAS DE FREQUÊNCIA ESCOLAR E A PRODUÇÃO DOS SERVIÇOS DE FISCALIZAÇÃO DO ENSINO NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO (1924-1949). Roteiro, p. 13-40, 4 jul. 2013.
Seção
Dossiê Temático: História da Educação: fontes e métodos