ENTRE RELATÓRIOS E JORNAIS: A PRESENÇA DE “CULPADOS” NO DESCUMPRIMENTO DA OBRIGATORIEDADE DO ENSINO MINEIRO

  • Cíntia Borges Almeida BOLSISTA DE APOIO À PESQUISA (CNPq) NEPHE-UERJ/ PROFESSORA FABEL

Resumo

Resumo: O estudo analisou, por meio dos discursos, a existência de um “tripé” ao abordar a temática do ensino compulsório. Tanto no Império quanto na República, a questão aparece vinculada às políticas de fiscalização da instrução e da formação dos professores, e as duas, possivelmente, relacionadas a essa compulsoriedade. Tais assuntos aparecem associados desde a Lei mineira n. 13, de 1835, nos relatórios dos Presidentes de Minas Gerais e nos jornais examinados “Correio de Minas”, “Jornal do Commercio” e “Correio da Tarde”, tendo sido apontados no discurso do Presidente Silviano Brandão, no ano de 1899, como “culpados” pelo fracasso da frequência escolar.

Palavras-chave: Relatórios. Jornais. Discursos. Obrigatoriedade do ensino. Minas Gerais.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cíntia Borges Almeida, BOLSISTA DE APOIO À PESQUISA (CNPq) NEPHE-UERJ/ PROFESSORA FABEL

CÍNTIA BORGES DE ALMEIDA é mestre em educação pelo ProPEd na linha “Instituições, Práticas Educativas e História” na Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ, bolsista de apoio à pesquisa (CNPq) e Professora pela Faculdade de Educação de Belford Roxo - FABEL.

Publicado
04-07-2013
Como Citar
ALMEIDA, C. B. ENTRE RELATÓRIOS E JORNAIS: A PRESENÇA DE “CULPADOS” NO DESCUMPRIMENTO DA OBRIGATORIEDADE DO ENSINO MINEIRO. Roteiro, p. 153-182, 4 jul. 2013.
Seção
Dossiê Temático: História da Educação: fontes e métodos