A diversidade cultural como potência pedagógica: do encontro à educação intercultural

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18593/r.v46i.24767

Palavras-chave:

Diversidade Cultural, Diálogo Intercultural, Educação Intercultural Crítica

Resumo

Neste artigo, analisamos a diversidade cultural e os encontros interculturais que tomam lugar na Escola Classe Sítio das Araucárias, situada na Rota do Cavalo, Sobradinho-DF. A pesquisa empírica que informa o artigo foi realizada ao longo do ano de 2019 por meio de entrevistas e rodas de conversa junto à equipe docente da Escola e de observação participante junto às famílias que habitam na região, em seus espaços coletivos e territórios de vivências. A partir desses dois procedimentos metodológicos, analisamos a feição da diversidade cultural que constitui a Rota do Cavalo e as formas pelas quais ela têm sido, ao mesmo tempo, afirmada, negada, marcada e comungada no contexto escolar. Com base nisso, analisamos os desafios pedagógicos que brotam do convívio com a diferença, bem como indicamos algumas potencialidades que o encontro intercultural aponta com vistas à construção de uma educação intercultural criticamente orientanda.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana TerezaReis da Silva, Universidade de Brasília

Professora da Faculdade de Educação, da Unversidade de Brasília (FE/UnB). Coordenadora do Grupo de Pesquisa Educação, Saberes e Decolonialidades (GPDES/UnB).

Iassana Rodrigues Soares, Universidade de Brasília (UnB)

Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade de Brasília (PPGE/UnB). Membro do Grupo de Pesquisa Educação, Saberes e Decolonialidades (GPDES/UnB)

Referências

BASEI, A. P.; LEÃES FILHO, W. A interculturalidade na formação de professores: possibilidades de (re)significar as práticas da Educação Física escolar. Revista Digital, ano 12, n. 117, fev. 2008. Disponível em: https://www.efdeportes.com/efd117/a-interculturalidade-na-formacao-de-professores-da-educacao-fisica.htm. Acesso em: 7 jun. 2019.

CASTRO-GÓMEZ, S.; GROSFOGUEL, R. (ed.). El giro decolonial: reflexiones para una diversidad epistémica más allá del capitalismo global. Bogotá: Siglo del Hombre Editores; Universidad Central, Instituto de Estudios Sociales Contemporáneos y Pontificia Universidad Javeriana, Instituto Pensar, 2007. Disponível em: http://www.unsa.edu.ar/histocat/hamoderna/grosfoguelcastrogomez.pdf. Acesso em: 14 jul. 2020.

FONSECA, V. da. Educação especial. 2. ed. Porto Alegre: Artes Médicas, 1995.

GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL. Diretrizes Pedagógicas da Educação Básica do Campo: para a rede Pública do Distrito Federal. Brasília, DF: Secretaria Distrital de Educação, 2018. Disponível em: http://www.educacao.df.gov.br/wp-conteudo/uploads/2018/01/Diretrizes-Ed-do-Campo-SEEDF.pdf. Acesso em: 14 jul. 2020.

HALL, S. Quem precisa da identidade? In: SILVA, T. T. (org. e trad.). Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis, RJ: Vozes, 2009. p. 103-133.

MARQUES, L. P. Cotidiano escolar e as diferenças. Educação em Foco, v. 17, n. 11, p. 101-117, mar./jun. 2012. Disponível em: https://www.ufjf.br/revistaedufoco/files/2012/10/Cotidiano-escolar-e-diferenças.pdf. Acesso em: 14 jul. 2020.

MIGNOLO, W. D. El pensamiento decolonial: desprendimiento y apertura. Un manifiesto. In: CASTRO-GÓMEZ, S.; GROSFOGUEL, R. (org.). El giro decolonial: reflexiones para una diversidad epistémica más allá del capitalismo global. Bogotá: Siglo del Hombre Editores, 2008. p. 25-46.

PERPÉTUO, L. D. Comunidade cigana Calon em processo de escolarização: conflitos étnicos e saberes pluriculturais. 2017. 153 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade de Brasília, Brasília, DF, 2017. Disponível em: https://repositorio.unb.br/handle/10482/31549. Acesso em: 14 jul. 2020.

QUIJANO, A. Colonialidad y modernidad-racionalidad. Peru Indigna, v. 13, n. 29, p. 11-20, 1992. Disponível em: https://www.lavaca.org/wp-content/uploads/2016/04/quijano.pdf. Acesso em: 14 jul. 2020.

REIS DA SILVA, A. T. Educação em direitos humanos: o currículo entre o relativismo e o universalismo. Educação e Sociedade, v. 36, n. 131, abr./jun. 2015. Disponível em https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0101-73302015000200461&script=sci_arttext&tlng=pt. Acesso em: 26 fev. 2021.

SANTOS, B. de S. A gramática do tempo: para uma nova cultura. São Paulo: Cortez, 2006.

SANTOS, B. de S.; ALMEIDA FILHO, N. de. A universidade do século XXI: para uma universidade nova. Coimbra: Almedina, 2008.

SILVA, T. T. da. Documento de identidade: uma introdução às teorias do currículo. 3. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2010.

SKLIAR, C. A questão e a obsessão pelo outro em educação. In: GARCIA, R. L.; ZACCUR, E.; GIAMBIAGI, I. (org.). Cotidiano: diálogos sobre diálogos. Rio de Janeiro: DP&A, 2005. p. 49-62.

WALSH, C. Interculturalida y (de)colonialidad: perspectivas críticas y políticas. Visão Global, v. 15, n. 1-2, p. 61-74, jan./dez. 2012. Disponível em: https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/visaoglobal/article/view/3412. Acesso em: 14 jul. 2020.

WOODWARD, K. Identidade e diferença: uma introdução teórica e conceitual. In: SILVA, T. T. (org. e trad.). Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis, RJ: Vozes, 2009. p. 7-72.

Downloads

Publicado

23-03-2021

Como Citar

SILVA, A. T. R. da; SOARES, I. R. A diversidade cultural como potência pedagógica: do encontro à educação intercultural. Roteiro, [S. l.], v. 46, p. e24767, 2021. DOI: 10.18593/r.v46i.24767. Disponível em: https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/roteiro/article/view/24767. Acesso em: 19 abr. 2021.

Edição

Seção

Artigos de demanda contínua