Formação de professores que ensinam matemática em uma perspectiva de complexidade: discussão agregando fragmentos experienciais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18593/r.v46i.24347

Palavras-chave:

Pensamento complexo, Formação de professores de matemática, Prática pedagógica, Ação docente

Resumo

Apresento pressupostos que fundamentam uma perspectiva complexa de formação de professores que ensinam matemática. A complexidade pertence aos estudos contemporâneos sobre cognição e desenvolvimento humano. Encontra ressonância na comunidade científica, envolvida com discussões inter e transdisciplinares, nos diferentes âmbitos formativos. Este artigo tem o objetivo de discutir questões relativas à formação de professores que ensinam matemática em uma perspectiva de complexidade, conforme postula Edgar Morin. De natureza analítica e reflexiva, tomo a ideia de conhecimento pertinente como âncora teórica e o pensamento complexo como linha matriz sob a qual analiso fragmentos de experiências formativas vividas por uma professora que ensina matemática na Educação Básica e fragmentos de experiências vividas por uma aluna adulta tentando aprender matemática. Ambas não têm vínculo entre si. Da primeira, analiso o reflexo, em seus alunos, de seu processo de formação. Da segunda, analiso o reflexo da ação de sua professora em seu processo de aprendizagem. Adoto a ideia do pensamento complexo como articulante e multidimensional, em que articular, relacionar e contextualizar são movimentos intrínsecos ao fazer docente. Como resultado, apresento indicativos de que a densidade da aprendizagem em matemática é vinculada a princípios didáticos, desenvolvidos pelos professores em seus processos formativos, que vão da prescrição pedagógica, em um extremo, à problematização de situações contextualizadas, porquanto pertinentes, em outro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ettiène Guérios, Universidade Federal do Parana

Professora na Universidade Federal do Paraná. Programa de Pós Graduação em Educação. Programa de Pós Graduação em Educação: Teoria e Prática de Ensino

 

Referências

ANDRÉ, M. E. D. A. et al. Estado da arte da formação de professores no Brasil. Educação e Sociedade, Campinas: Cedes, v. 20, n. 68, p. 301-309, 1999. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/es/v20n68/a15v2068. Acesso em: 16 jan. 2021.

CRESWELL, J. W. Investigação qualitativa e projeto de pesquisa: escolhendo entre cinco abordagens. Porto Alegre: Penso, 2014.

GATTI, B. A.; BARRETTO, E. S. de S.; ANDRÉ, M. E. D. A. Políticas docentes no Brasil: um estado da arte. Brasília, DF: UNESCO, 2011.

GATTI, B. A. Educação, escola e formação de professores: políticas e impasses. Educar em Revista, Curitiba, v. 29, n. 50, p. 51-67, 2013. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/educar/article/view/34740/21529. Acesso em: 16 jan. 2021.

GATTI, B. A. et al. Professores no Brasil: novos cenários de Formação. Brasília, DF: UNESCO, 2019.

GATTI, B. A. et al. Formação de professores para o ensino fundamental: instituições formadoras e seus currículos. In: FUNDAÇÃO VICTOR CIVITA. Estudos & Pesquisas Educacionais, São Paulo: Fundação Victor Civita, 2010. n. 1, p. 95-138. Disponível em: https://fvc.org.br/wp-content/uploads/2018/04/estudos_e_pesquisas_educacionais_vol_1.pdf. Acesso em: 16 jan. 2021.

GATTI, B. A. Formação inicial de Professores para a educação básica: Pesquisas e políticas Educacionais. Estudos em Avaliação Educacional, São Paulo: Fundação Carlos Chagas, v. 25, n. 57, p. 24-54, 2014. Disponível em: http://www.fcc.org.br/pesquisa/publicacoes/eae/arquivos/1899/1899.pdf. Acesso em: 16 jan. 2021.

GUÉRIOS, E. Contribuições do pensamento complexo para a formação de professores em uma perpsctiva transdisdiplinar. In: SÁ, R. A de; BEHRENS, M. A. (org.). Teoria da Complexidade: contribuições epistemológicas e metodológicas para uma pedagogia complexa. Curitiba: Appris, 2019a. Cap. X, p. 223-236.

GUÉRIOS, E. Espaços oficiais e intersticiais da formação docente: histórias de um grupo de professores na área de ciências e matemática. 2002. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2002 Disponível em: http://repositorio.unicamp.br/handle/REPOSIP/253667. Acesso em: 16 jan. 2021.

GUÉRIOS, E.; GONÇALVES, T. O. Um estudo acerca da pesquisa sobre formação inicial de professores que ensinam matemática nos anos iniciais de escolarização. Educar em Revista, Curitiba, v. 35, n. 78, p. 27-45, 2019. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/er/v35n78/1984-0411-er-35-78-0027.pdf. Acesso em: 16 jan. 2021.

GUÉRIOS, E. Principios didácticos para una práctica matemática transdisciplinar. Cuadernos de Investigación y Formación en Educación Matemática, Costa Rica: Universidad de Costa Rica, Centro de Investigaciones Matemáticas y Metamatemáticas, año 14, n. 18, p. 199-209, 2019b. Disponível em: https://revistas.ucr.ac.cr/index.php/cifem/article/view/39913. Acesso em: 16 jan. 2021.

GUÉRIOS, E.; MODTKOSKI, H. H. Conexões entre Gaston Bachelard, Edgar Morin e o pensamento complexo. In: GUÉRIOS, E. et al. (org.). Complexidade e Educação: diálogos Epistemológicos Transformadores. Curitiba: CRV. 2017. Cap. 6, 115-136.

GUÉRIOS, E.; RIBEIRO, A.; FOLLADOR, D. Políticas públicas e a formação de professores que ensinam matemática: perspectivas e diálogos entre universidades e Educação Básica. In: BRANDT, C. F.; GUÉRIOS, E. (org.). Práticas e pesquisas no campo da Educação Matemática. Curitiba: CRV, 2017. p. 59-78.

MINDAL, C.; GUÉRIOS, E. Formação de professores em instituições públicas de ensino superior no Brasil: diversidade de problemas, impasses, dilemas e pontos de tensão. Educar em Revista, Curitiba, v. 29, n. 50, p. 21-33, 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/er/n50/n50a03.pdf. Acesso em: 16 jan. 2021.

MORAES, M. C. Questões curriculares contemporâneas no âmbito da complexidade e da transdisciplinaridade. In: SÁ, R. A. de; BEHRENS, M. A. (org.). Teoria da Complexidade: contribuições epistemológicas e metodológicas para uma pedagogia complexa. Curitiba: Appris, 2019. Cap. IV, p. 99-138.

MORIN, E.; ROGER-CIURANA, E.; MOTTA, R. D. Educar na era planetária: o pensamento complexo como método de aprendizagem no erro e na incerteza humana. São Paulo: Cortez, 2003.

MORIN, E. Os sete saberes necessários à educação do futuro. São Paulo: Cortez, 2000.

MORIN, E. A cabeça bem feita: repensar a reforma/ reformar o pensamento. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2001.

NÓVOA, A. Prefácio. In: GUÉRIOS, E. et al. (org.). Complexidade e Educação: diálogos epistemológicos transformadores. Curitiba: CRV, 2017. Cap. 6, p. 21-24.

Downloads

Publicado

30-06-2021

Como Citar

GUÉRIOS, E. Formação de professores que ensinam matemática em uma perspectiva de complexidade: discussão agregando fragmentos experienciais. Roteiro, [S. l.], v. 46, 2021. DOI: 10.18593/r.v46i.24347. Disponível em: https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/roteiro/article/view/24347. Acesso em: 19 set. 2021.

Edição

Seção

Seção Temática: Desafios da formação de professores para o ensino de Matemática