A BNCC e o Currículo da Educação Infantil e do Ensino Fundamental em Sergipe

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18593/r.v46i.23976

Palavras-chave:

BNCC, Implementação curricular, Estado de Sergipe, Narrativas, Análise documental

Resumo

A implementação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) em curso no sistema brasileiro da Educação Básica apresenta características regionais específicas, que dependem de opções políticas e estratégias de gestão assumidas pelas diversas instituições envolvidas direta ou indiretamente com o processo. Nesse sentido, o objeto de estudo do presente trabalho consiste no levantamento e análise de documentos e discursos produzidos por instituições e seus agentes atrelados ao processo de implementação da BNCC no estado de Sergipe, compreendendo especialmente a Secretaria Estadual de Educação, a Secretaria Municipal de Educação de Aracaju e a Universidade Federal de Sergipe. A investigação fundamenta-se, assim, na pesquisa documental e na apresentação de narrativas que exprimem vivências e emitem opiniões sobre o objeto de estudo contemplado. Com isso, por meio do enfoque metodológico da análise de documentos e de narrativas é apresentado um quadro geral dos aspectos mais importantes observados nesse momento sobre questões curriculares no sistema educacional deste Estado. Priorizou-se a Educação Infantil e o Ensino Fundamental, desde que o Currículo de Sergipe voltado para estas etapas da Educação Básica em suas diversas modalidades encontra-se no momento aprovado pelo Conselho Estadual de Educação e homologado pelas instâncias políticas locais. A pesquisa mostra como os documentos e as narrativas produzidos sobre o currículo são formados a partir do embate entre propostas centralizadas, como é o caso da BNCC e o equacionamento necessário para a formulação de políticas públicas voltadas à superação de dificuldades regionais e contingentes da Educação Básica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paulo Marchelli, Universidade Federal de Sergipe (UFS)

Licenciado em Filosofia pela Universidade de São Paulo, é mestre e doutor em Educação pela mesma instituição, com pós-doutorado pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Sua área de especialização é Filosofia da Educação, tendo se especializado na Teoria Geral de Planejamento e Desenvolvimento Curricular, com foco na Formação de Professores. Atualmente é Professor Associado da Universidade Federal de Sergipe, atuando no curso de Licenciatura em Pedagogia do Campus Professor Alberto Carvalho e no Programa de Pós-graduação em Educação do Campus Professor José Aloísio de Campos. É membro dos seguintes Grupos de Pesquisa do CNPq: Grupo de Pesquisa Clínica da Atividade e Trabalho Docente e Grupo de Estudos e Pesquisas em Formação de Professores e Tecnologias da Informação e Comunicação (FOPTIC). Publica artigos em revistas especializadas que remetem aos resultados das suas investigações recentes. Além disso, em seus trabalhos anteriores podem ser encontradas diversas abordagens interdisciplinares circunscritas ao campo das Ciências Humanas e da Filosofia.

Referências

BRASIL. LDB: lei de diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, DF: Senado Federal, Coordenação de Edições Técnicas, 2017a.

BRASIL. O Todos é suprapartidário e independente. Todos pela educação, 2020. Disponível em: https://www.todospelaeducacao.org.br/pag/quem-somos/. Acesso em: 11 fev. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular: Educação é a base. Brasília: MEC, 2017b. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf. Acesso em: 5 fev. 2020.

BRASIL. Ministério da Educação. Resolução CNE/CP nº 2, de 22 de dezembro de 2017. Institui e orienta a implantação da Base Nacional Comum Curricular, a ser respeitada obrigatoriamente ao longo das etapas e respectivas modalidades no âmbito da Educação Básica. Brasília, DF: MEC, 2017c. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/todas-as-noticias/323-secretarias-112877938/orgaos-vinculados-82187207/53031-resolucoes-cp-2017. Acesso em: 15 jan. 2018.

BRASIL. Programa de Apoio à Implementação da BNCC – ProBNCC: documento orientador 2019. Brasília, DF: MEC/Secretaria de Educação Básica, 2019. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/implementacao/doc_orientador_probncc_2019.pdf. Acesso em: 29 fev. 2020.

CLANDININ, D. J.; CONNELLY, F. M. Pesquisa narrativa: experiência e história em pesquisa qualitativa. 2. ed. Uberlândia: EDUFU, 2015.

D’ÁVILA, J. L. Política de formação docente executada pelo terceiro setor: considerações sobre a Fundação Lemann. In: CONGRESSO NACIONAL DE EDUCAÇÃO, 11., 2013, Curitiba. Anais eletrônicos [...] Curitiba: Pontifícia Universidade Católica do Paraná, 2013. p. 11558-11569. Disponível em: https://educere.bruc.com.br/CD2013/pdf/10301_5770.pdf. Acesso em: 6 fev. 2020.

FIERA, L. As teias de interesses e influências nas redes de políticas educativas na América Latina e Caribe. Roteiro, Joaçaba, v. 44, n. 3, p. 1-20, set./dez. 2019.

FUNDAÇÃO LEMANN. A aprovação e a homologação da BNCC: Conselho Nacional de Educação e Ministério da Educação aprovam a Base Nacional Comum Curricular. [S. l.: s. n.], 2017. Disponível em: https://fundacaolemann.org.br/noticias/a-aprovacao-e-a-homologacao-da-bncc?. Acesso em: 6 fev. 2020.

FUNDAÇÃO LEMANN. Trabalhamos por um país mais justo, inclusivo e avançado. [S. l.: s. n.], 2020. Disponível em: https://fundacaolemann.org.br/somos. Acesso em: 6 fev. 2020.

GUIA DE IMPLEMENTAÇÃO BNCC. Guia de Implementação da Base Nacional Comum Curricular. Orientações para o processo de implementação da BNCC. [S. l.: s. n.], 2018. Disponível em: https://implementacaobncc.com.br. Acesso em: 26 fev. 2020.

LACERDA, M. P. A proposta de um currículo nacional. 1 vídeo (22 min). Publicado pelo Canal Fundação Lemann. [S. l.: s. n.], 2012. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=N5vzTo6ONrs. Acesso em: 12 fev. 2020.

LOPES, A. C. Articulações de demandas educativas (im)possibilitadas pelo antagonismo ao “marxismo cultural”. Arquivos analíticos de políticas educativas, v. 27, n. 109, p. 1-21, 2019. Disponível em: https://epaa.asu.edu/ojs/article/view/4881/2303. Acesso em: 15 abr. 2020.

MOVIMENTO PELA BASE. Necessidade e construção de uma Base Nacional Comum. [S. l.: s. n.], 2015. Disponível em: http://movimentopelabase.org.br/wp-content/uploads/2015/09/Necessidade-e-construcao-Base-Nacional-Comum.pdf. Acesso em: 11 fev. 2020.

MOVIMENTO PELA BASE. Novidades sobre a Base: A BNCC é homologada. [S. l.: s. n.], 2017a. Disponível em: http://movimentopelabase.org.br/acontece/bncc-homologada/. Acesso em: 11 fev. 2020.

MOVIMENTO PELA BASE. Quem somos. [S. l.: s. n.], 2017b. Disponível em: http://movimentopelabase.org.br/quem-somos/. Acesso em: 11 fev. 2020.

PIAGET, J. O nascimento da inteligência na criança. Rio de Janeiro: Guanabara, 1987.

SERGIPE. Currículo de Sergipe: Educação Infantil e Ensino Fundamental. Regulamentado no Sistema Estadual de Ensino por meio do Parecer nº 388/2018/CEE e da Resolução nº 04/2018/CEE. Aracaju: Câmara Municipal, 28 dez. 2018a. Disponível em: https://www.seed.se.gov.br/arquivos/CURRICULO.DE.SERGIPE.v.02-Regulamentado.pdf. Acesso em: 14 jan. 2020.

SERGIPE. Secretaria de Estado da Educação/Conselho Estadual de Educação (CEE-SE). Resolução Normativa nº 4, de 29 de novembro de 2018. Regulamenta a implementação do Currículo do Estado de Sergipe nas redes de ensino e nas instituições educacionais integrantes do Sistema de Ensino, e dá providências correlatas. Diário Oficial, Aracaju, 13 dez. 2018b. Disponível em: https://www.cee.se.gov.br/arquivos/Resolucao.Normativa.n.4.2018.Curriculo.de.Estado.pdf. Acesso em: 26 fev. 2020.

UNIÃO NACIONAL DOS DIRIGENTES MUNICIPAIS DE EDUCAÇÃO. Conheça o Guia de implementação da Base Nacional Comum Curricular. [S. l.: S. n.], 2018. Disponível em: https://undime.org.br/noticia/05-04-2018-16-34-conheca-o-guia-de-implementacao-da-base-nacional-comum-curricular. Acesso em: 26 fev. 2020.

Downloads

Publicado

05-03-2021

Como Citar

MARCHELLI, P. A BNCC e o Currículo da Educação Infantil e do Ensino Fundamental em Sergipe. Roteiro, [S. l.], v. 46, p. e23976, 2021. DOI: 10.18593/r.v46i.23976. Disponível em: https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/roteiro/article/view/23976. Acesso em: 19 set. 2021.

Edição

Seção

Seção temática: Uma alternativa às políticas curriculares centralizadas