Currículo de Ciências: a alquimia das disciplinas escolares e a produção da autonomia docente

Autores

  • Marcia Serra Ferreira Universidade Federal do Rio de Janeiro
  • Maria Margarida Gomes Universidade Federal do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.18593/r.v46i.23827

Palavras-chave:

Currículo, Disciplina escolar, Ciências, Formação de professores, Alquimia das disciplinas escolares, Autonomia docente

Resumo

O trabalho investiga a produção do currículo da disciplina escolar Ciências em uma escola municipal que recebe licenciandos de Ciências Biológicas da Universidade Federal do Rio de Janeiro para as atividades de estágio supervisionado. Focaliza, especialmente, o modo como licenciandos se constituem professores em meio à experiência de produzir esse currículo. Para realizar essa tarefa, associamos as nossas observações durante o estágio supervisionado com a realização de uma roda de conversa com os licenciandos que atuaram, durante o ano de 2019, em uma instituição escolar específica. No diálogo com Michel Foucault e Thomas Popkewitz, investimos na ideia de que os processos alquímicos que transformam as ciências de referência em conhecimentos escolares também produzem, simultaneamente, os professores bons e adequados (assim como os não tão bons e pouco adequados) para ensiná-los. Na análise, percebemos o quanto a noção de autonomia docente foi assumida como central no processo formativo, em um movimento que articulou a construção curricular em torno dos conhecimentos, materiais didáticos e avaliações. Aspectos como o uso de atividades práticas e a criatividade foram enunciados como participando da constituição desse bom professor, capaz de ressignificar a escola pública e seus sujeitos e de subverter os modos de regulação e controle impostos pelas políticas centralizadas. No processo formativo, além dos conhecimentos científicos, os enunciados de cunho pedagógico foram assumidos como bastante significativos na constituição de um profissional capaz de fugir à norma, participando da construção do currículo de forma ativa, criativa e autônoma.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcia Serra Ferreira, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Professora Associada de Didática e Prática de Ensino das Ciências Biológicas na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), onde atua no Programa de Pós-graduação em Educação. Pesquisadora nível 2 do CNPq e Cientista do Nosso Estado Faperj. Coordenadora do Grupo de Estudos em História do Currículo, no âmbito do Núcleo de Estudos de Currículo (NEC/UFRJ), e do Projeto Fundão Biologia. Realizou estágio de Pós-Doutoramento (2016/2017) na Unicamp e como Fulbright Visiting Scholar na UW-Madison. Publicou livros, capítulos e artigos com foco na História do Currículo e das Disciplinas, na interface com as Políticas de Currículo, a História da Educação e o Ensino de Ciências e Biologia.

Maria Margarida Gomes, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Licenciada em Ciências Biológicas pela UFRJ - Universidade Federal do Rio de Janeiro (1984), Mestre em Currículo e Ensino pela KU - Universidade do Kansas (1995) e Doutora em Educação pela UFF - Universidade Federal Fluminense (2008). É Professora Associada do Departamento de Didática da Faculdade de Educação da UFRJ, exercendo atividades de ensino, pesquisa e extensão com estudantes de Graduação e Pós-Graduação. Atua no Programa de Pós-Graduação em Educação, no LaNEC - Laboratório do Núcleo de Estudos de Currículo e no Projeto Fundão Biologia - UFRJ. Coordena o Grupo de Estudos "Currículos escolares, ensino de Ciências e materiais didáticos". É Jovem Cientista do Estado - JCE/FAPERJ/2016, com experiência na área de Educação, principalmente em Currículo e suas relações com o ensino das Ciências e Biologia, a história das disciplinas escolares, os conhecimentos escolares, os materiais didáticos escolares e a formação de professores.

Referências

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, DF: MEC, 2018.

BRASIL. Decreto 19.890, de 18 de abril de 1931. Dispõe sobre a organização do ensino secundário. Diário Oficial, Rio de Janeiro, 1 maio 1931.

FERREIRA, M. S. A história da disciplina escolar Ciências no Colégio Pedro II (1960-1980). 2005. Tese (Doutorado) – Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2005.

FERREIRA, M. S. Currículo e cultura: diálogos com as disciplinas escolares Ciências e Biologia. In: MOREIRA, A. F.; CANDAU, V. M. (org.). Currículos, disciplinas escolares e culturas. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.

FERREIRA, M. S.; GOMES, M. M. Emergência da disciplina escolar Ciências nos currículos oficiais brasileiros (1931-1971). In: ENCONTRO PERSPECTIVAS DO ENSINO DE BIOLOGIA, 7., 2000, São Paulo. Anais [...] São Paulo: FEUSP, 2000. p. 704-708.

FISCHER, R. M. B. A paixão de trabalhar com Foucault. In: VEIGA-NETO, A. et al. Caminhos Investigativos I: novos olhares na pesquisa em educação. Rio de Janeiro: Lamparina, 2007.

FOUCAULT, M. A arqueologia do saber. 7. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2010.

FOUCAULT, M. A ordem do discurso. São Paulo: Edições Loyola, 2014.

FOUCAULT, M. Microfísica do poder. 12. ed. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1996.

GOMES, M. M. Conhecimentos ecológicos em livros didáticos de Ciências: aspectos sócio-históricos de sua constituição. Tese (Doutorado) – Universidade Federal Fluminense, Rio de Janeiro, 2008.

GOMES, M. M.; SELLES, S. E.; LOPES, A. C. Currículo de ciências: estabilidade e mudança em livros didáticos. Educação e Pesquisa, v. 39, p. 477-492, 2013.

MACEDO, E.; LOPES, A. C. A estabilidade do currículo disciplinar: o caso das ciências. In: LOPES, A. C.; MACEDO, E. (org.). Disciplinas e integração curricular: histórias e políticas. Rio de Janeiro: DP&A, 2002. p. 73-94.

POPKEWITZ, T. S. Lutando em defesa da alma. A política do ensino e a construção do professor. Porto Alegre: Artmed Editora, 2001.

POPKEWITZ, T. S. The limits of teacher education reforms: school subjects, alchemies, and an alternative possibility. Journal of Teacher Education, v. 61, n. 5, p. 413-421, Nov. 2010.

Downloads

Publicado

24-09-2020

Como Citar

SERRA FERREIRA, M.; PEREIRA DE LIMA GOMES, M. M. Currículo de Ciências: a alquimia das disciplinas escolares e a produção da autonomia docente. Roteiro, [S. l.], v. 46, p. e23827, 2020. DOI: 10.18593/r.v46i.23827. Disponível em: https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/roteiro/article/view/23827. Acesso em: 24 set. 2021.

Edição

Seção

Seção temática: Uma alternativa às políticas curriculares centralizadas