Entrevista: política, poder e existência, com Flávia Monteiro de Barros Araújo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18593/r.v46i.23825

Palavras-chave:

Educação, Currículo, Política

Resumo

Nesta entrevista, interessa-nos abordar a educação escolar e o exercício do magistério como produção de sentidos. A presente entrevista argui um “papel” institucional: a Secretária Municipal de Educação, Ciência e Tecnologia de Niterói, Estado do Rio de Janeiro, mas não perde de vista a pessoa instituída no cargo, que milita em muitos setores da área da Educação, não necessariamente consoantes. É também professora; formadora de professores e de pesquisadores; mulher em posição de mando; esposa; cidadã. Partimos do pressuposto que aquilo que descrevemos como realidade é um fenômeno produzido por nossas intencionalidades, tais intencionalidades são respostas ao exterior que nos constitui, portanto, nossa produção de sentidos ou significados existenciais, via de regras, está sempre em tensão com o mundo que nos cerca. Pensar, construir e executar políticas públicas educacionais é um exercício político, entendido com a arte de conviver na pólis, de grande complexidade, necessariamente conflituoso, inclusive na intimidade daquele que vivencia situações conflitantes entre o interesse próprio e o institucional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Guilherme Augusto Rezende Lemos, Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ

Guilherme Augusto Rezende Lemos é Graduado em Filosofia pela UERJ (1996), Mestre em Filosofia Moderna e Contemporânea pelo PPGFIL/UERJ (2001), Doutor em Educação Pelo ProPEd/UERJ (2014); é Vice-Coordenador do ProPEd-UERJ; Pesquisador do grupo de pesquisa Currículo, Cultura e Diferença – PropEd-UERJ; Professor Adjunto da Faculdade de Educação da UERJ, atuando nas áreas de didática e currículo; Coordenador do Curso de Extensão em Produção Curricular para a Rede de Ensino de Niterói; Pesquisador do Projeto Uma alternativa às políticas centralizadas: formar professores e produzir currículo – nas escolas, Projeto de pesquisa e intervenção inovadora apresentado ao Edital Apoio à pesquisa e à inovação em Ciência Humanas, Sociais e Sociais Aplicadas, Linha 1: Educação Básica: ensino e formação docente, liderado por Elizabeth Macedo (2017). Financiamento CAPES, CNPq e FAPERJ. APQ1 FAPERJ (2016), ARC FAPERJ (2019).

Referências

LEMOS, G. A. R. Currículo e docência: regulação e escape. In: MACEDO, E.; MENEZES, I. (org.). Currículo, política e cultura: conversas entre Brasil e Portugal. Curitiba: CRV, 2019. p. 41-56.

RIBEIRO, D. Aos trancos e barrancos: como o Brasil deu no que deu. 2. ed. Rio de Janeiro: Editora Guanabara, 1986.

Endereço para correspondência: Rua Santo Amaro, 14, apto 801, Glória, Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil; guilhermealemos@yahoo.com.br

Downloads

Publicado

24-09-2020

Como Citar

LEMOS, G. A. R. . Entrevista: política, poder e existência, com Flávia Monteiro de Barros Araújo. Roteiro, [S. l.], v. 46, p. e23825, 2020. DOI: 10.18593/r.v46i.23825. Disponível em: https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/roteiro/article/view/23825. Acesso em: 19 set. 2021.

Edição

Seção

Seção temática: Uma alternativa às políticas curriculares centralizadas