EXPERIÊNCIAS EDUCATIVO-MUSICAIS NA FORMAÇÃO DE UM HABITUS MUSICAL

  • Marcelo Kaczan Universidade Federal do Ceará
  • Pedro Rogério Universidade Federal do Ceará - UFC
  • Maria Anita Vieira Lustosa Kaczan Universidade Estadual do Ceará - UECE
Palavras-chave: Ensino de música. Práticas criativas. Inclusão

Resumo

Neste artigo, debatemos a importância de se reafirmar o ensino de música nos espaços educativos garantindo sua permanência no âmbito da escola regular. Assim, temos aqui como objetivo primordial apresentar a relevância da utilização de práticas educativo-musicais “criativas” para o ensino de música (FONTERRADA, 2015) como elemento potencializador do desenvolvimento humano, cognitivo, crítico, emocional, político e social. Essa forma de ensinar música, com esteio em práticas “criativas” nas salas de aulas, traz possibilidades de se inovar o ensino de música e, assim, romper e/ou ultrapassar o tradicionalismo que sempre imperou nesse campo. O motor central de nossas discussões é a necessidade de se reinventar o ensino de música, propondo práticas diversificadas que incentivem a criação e a fruição, que possam romper com o ensino tradicional de música e com a lógica do consumo mercadológico que o repertório comercial forma nos ouvintes. É necessário incentivar a criação de experiências diversas consideradas singulares diante do processo massivo que apenas reproduz modelos prontos e legitimados socialmente. Assim, é urgente investir em práticas criativas diversas das atuais formas de ensinar música na escola.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcelo Kaczan, Universidade Federal do Ceará

Doutorando em educação pelo programa de pós graduação em educação PPGE  da Universidade Federal do Ceará - UFC, linha LECE e eixo ensino de música. Mestre em educação pelo programa de pós graduação da Universidade Federal do Ceará - UFC,Graduado em Filosofia e Administração pela Universidade Estadual do Ceará - UECE, especialização em Gestão Escolar pela UDESC, especialização em Gestão e Avaliação da Educação Pública no CAED pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Experiência na docência e especialista em gestão da educação publica com ênfase na gestão Escolar.

Pedro Rogério, Universidade Federal do Ceará - UFC

Professor da Universidade Federal do Ceará - UFC. Pós-Doutorado em Psicologia Social pela Universidad de Valladolid; Doutor em Educação / Linha Currículo / Eixo Temático Ensino de Música pela UFC (2011). Mestre em Educação pela UFC (2006). Graduado em Música - Licenciatura - pela Universidade Estadual do Ceará (2000) . Atua como avaliador e parecerista em eventos acadêmicos e científicos. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Currículo, atuando principalmente nos seguintes temas: Educação Musical, Formação de Professores, Currículo, Sociologia da Arte e EAD. Colaborador do Programa de Pós-Graduação em Educação da UFC; Linha de Pesquisa Educação, Currículo e Ensino do Programa de Pós Graduação em Educação da UFC; Professor e pesquisador do Mestrado Profissional em Artes - PROFARTES, Coordenador do Grupo de Pesquisa e Estudos da Música Cearense - GRUPECE e do Laboratório de Epistemologia da Música da UFC -LEMUS. Professor Associado I do Curso de Música - Licenciatura - da UFC. Representante no Ceará da Associação Brasileira de Educação Musical - ABEM.

Maria Anita Vieira Lustosa Kaczan, Universidade Estadual do Ceará - UECE

Professora do curso de Pedagogia da UECE na área de política, planejamento e gestão educacional Doutora em Educação Brasileira do Curso de Pós-graduação da Universidade Federal do Ceará - UFC e mestre em educação pela Universidade Federal do Ceará - UFC, em 2009, especialização em Supervisão, Orientação e Gestão Educacional pela Instituto PróSaber em 2019 e graduação em pedagogia, em 2015, pelo Instituto ISEPRO e graduação em Filosofia pela Universidade Estadual do Ceará - UECE, em 2003. . Pesquisadora do Laboratório de Pesquisas e Estudos sobre o Trabalho - LABOR, pesquisadora do Eixo temático de pesquisa: Marxismo, Teoria Crítica e Filosofia da Educação do Programa de Pós-graduação da Universidade Federal do Ceará- UFC - Área de estudo: Filosofia da Educação - categorias - educação e emancipação humana - Técnica do Programa de Alfabetização na Idade Certa - PAIC.

Referências

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular: Ensino Médio. Documento homologado pela Portaria n. 1.570, publicada no D.O.U. de 21/12/2017, Seção 1, p. 146. Disponível em: . Acesso em: 4 abr. 2018.

BASTIAN, H. G. Música na escola: a contribuição do ensino da música no aprendizado e no convívio social da criança. Tradução de Paulo F. Valério. São Paulo: Paulinas, 2009.

BOURDIEU, P.; PASSERON, J. C. A reprodução: elementos para uma teoria do sistema de ensino. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1992.

______, P. Os três estados do capital cultural. In: NOGUEIRA, M. A.; CATANI, A. (Org.). Pierre Bourdieu: escritos de educação. Petrópolis, RJ: Vozes, 1998. p. 71-79.

______, P. A gênese dos conceitos de hábitos e de campo. In: ______. O poder simbólico. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2001.

______, P.; DARBEL, A. O amor pela arte: os museus de arte na Europa e seu público. São Paulo; Edusp/Zouk, 2003.

______, P. A distinção: crítica social do julgamento. São Paulo: Edusp, 2007.

FISCHER, E. A necessidade da arte. Tradução de Leandro Konder. 9. ed. Rio de Janeiro: Guanabara, 1987.

FONTERRADA, M. T. de O. Ciranda de sons: práticas criativas em educação musical. São Paulo: Unesp Digital, 2015. Recurso eletrônico.

______. Educação musical na contemporaneidade. In: JORNADA INTERNACIONAL DE ESTUDOS INTERDISCIPLINARES: MÚSICA, EDUCAÇÃO E SOCIEDADE, 2., 2019, Palência/Fortaleza. Palestra: Educação musical na educação básica – princípios e questões do ensino de música na contemporaneidade. Disponível em: . Acesso em: 18 abr. 2019.

KACZAN, M. Entrelaçando caminhos: histórias de vida dos professores de música em Fortaleza. 2017. 151 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2017.

LOPES, J. J. As escritas da abertura na música contemporânea. 1990. Disponível em: . Acesso em: 18 abr. 2019.

MATON, K. Habitus. In: GRENFEL, M. (Ed.). Pierre Bourdieu: conceitos fundamentais. Tradução de Fábio Ribeiro. Petrópolis, RJ: Vozes, 2018. p. 73-94.

MORIN, E. Rumo ao abismo: ensaios sobre o destino da humanidade. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2011.

PEÑALBA, A. La defensa de la educación musical desde las neurociências. Revis¬ta Electrónica Complutense de Investigación en Educación Musical, 14, p. 109-127, 2017.

PENNA, M. Música(s) e seu ensino. 2 ed. ver. e ampl. Porto Alegre: Sulina, 2014.

SCHAFER, R. M. Educação sonora: 100 exercícios de escuta e criação de sons. Tradução de Marisa Trench de Oliveira Fonterrada. São Paulo: Melhoramentos, 2009.
Publicado
25-06-2020
Como Citar
KACZAN, M.; ROGÉRIO, P.; ANITA VIEIRA LUSTOSA KACZAN, M. EXPERIÊNCIAS EDUCATIVO-MUSICAIS NA FORMAÇÃO DE UM HABITUS MUSICAL. Roteiro, v. 45, 25 jun. 2020.
Seção
Artigos de demanda contínua