Políticas públicas na formação continuada para o ensino de geometria

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18593/r.v46i.23772

Palavras-chave:

Formação de professores, Geometria, Educação Matemática

Resumo

Este artigo tem por objetivo difundir a formação de Geometria nos anos iniciais do Ensino Fundamental, tendo como referência os Programas Federal como o Pró-Letramento em Matemática, programa de formação continuada dos professores anos/séries iniciais do Ensino Fundamental; o Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa - PNAIC e a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) que tem como proposta as reformas curriculares e sua viabilização para um ensino de Matemática de qualidade, visando ao compromisso com o desenvolvimento do ensino e aprendizagem em matemática. Trataremos a formação contínua e os desafios enfrentados pelos professores da Educação Básica em suas práticas diárias no intuito de compreender as dificuldades de aprendizagem dos alunos com os conteúdos e habilidades ligados à Geometria. Os principais aportes teóricos são Lorenzato (1995, 2008), Pavanello (1989, 1993) e Serrazina (1999). Assim, finalizaremos com evidências de que a formação continuada do professor em Geometria necessita contemplar a prática pedagógica, ser realizada nas escolas e não em cursos pontuais de curta duração e fora do contexto escolar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Valdete Aparecida do Miné, Prefeitura da Estancia de Atibaia/EM Dr. José Aparecido Ferreira Franco

Graduação em Ciências Contábeis pela Unifaat (1996), licenciatura em Matemática pela Faculdades Osvaldo Cruz (2001), graduada em pedagogia pela UEM (2019), espacializações em matemática, Mestrado em Educação pela Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP (2013). Integrante do GdS/Unicamp no qual desenvolveu pesquisa sobre Lesson Study (2017-2019). Foi orientadora de matemática da Rede Municipal de Atibaia (2001-2012), tutora no programa Pró-Letramento (2007-2009), formadora no PNAIC-UNESP (2013), orientadora de estudos no PNAIC-UNICAMP (2014-2015). Atualmente é coordenadora pedagógica na EM Dr. José Aparecido Ferreira Franco, em Atibaia.

Maria Regina dos Passos Pereira, PUC-SP

Graduação em Biologia pela Faculdade de Filosofia e Letras São Leopoldo (1985). Em Pedagogia pela Faculdade Filosofia Ciências e Letras de Registro (1994). Mestre em Psicologia da Educação pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2007). Doutora em Linguística Aplicada pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2019). De 2011 a 2014, participou do Projeto Internacional DIGIT-M-ED, financiado pelo Marie Curie Actions. É integrante do Grupo de Pesquisa Linguagem em Atividade no Contexto Escolar (LACE) e participa do Projeto de Extensão DIGIT-M-ED/Brasil: Transformando o ensino-aprendizagem pelos múltiplos meios. Ainda, trabalha como formadora de professores, coordenadores, diretores e formadores de formadores para instituições de ensino, públicas e particulares. Atua como Formadora na Editora Moderna e no do Instituto Elos. Coordenou a Elaboração do Curso de Estágio Probatório dos diretores recém-ingressantes da rede estadual paulista e faz parte do Comitê da Base Nacional Comum Curricular do Estado de São Paulo.

 

Referências

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, DF: MEC, SEB, 2017.

BRASIL. Pró-Letramento: programa de formação continuada de professores dos anos/séries iniciais do ensino fundamental: matemática. Ed. rev. e ampl. incluindo SAEB/Prova Brasil matriz de referência. Brasília, DF: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2008.

BRASIL. Secretaria de Educação Básica. Pacto nacional pela alfabetização na idade certa: geometria. Brasília: MEC, SEB, 2014.

BRASIL. Secretaria da Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Matemática. Brasília, DF: MEC/SEF, 1998.

FAINGUELERNT, E. K. Educação matemática: representação e construção em geometria. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 1999.

FELDMANN, M, G. (org.) Formação de professores e escola na contemporaneidade. São Paulo: SENAC, 2009.

FIORENTINI, D. Quando acadêmicos da universidade e professores da escola básica constituem uma comunidade de prática reflexiva e investigativa. In: FIORENTINI, D.; GRANDO, R. C.; MISKULIN, R. G. S. (org.) Práticas de formação de pesquisa de professores que ensinam matemática. Campinas, SP: Mercados de Letras, 2009. (Série educação matemática).

HERSHKOWITZ, R.; BRUCKHEIMER, M.; VINNER, S. Atividades com professores baseadas em pesquisa cognitiva. In: LINDQUIST, M. M.; SHULTE, A. (org.) Aprendendo e Ensinando Geometria. Tradução: Hygino H. Domingues. São Paulo: Atual, 1994.

LAMONATO, M. A exploração-investigação matemática: potencialidades na formação contínua de professores. 2011. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2011.

LORENZATO, S. Educação infantil e percepção matemática. 2. ed. rev. e ampl. Campinas, SP: Autores Associados, 2008. (Coleção Formação de Professores).

LORENZATO, S. Por que não ensinar geometria? Revista da Sociedade Brasileira de Educação Matemática, Blumenau, n. 4, p. 3-13, jan./jun. 1995.

MATOS, J.; SERRAZINA, L. Didáctica da matemática. Lisboa: Universidade Aberta, 1996.

NACARATO, A. M.; PASSOS, C. L. B. A Geometria nas Séries Iniciais: uma análise sob a perspectiva da prática pedagógica e da formação de professores. São Carlos: EduFSCar, 2003.

NEVES, A. F. Em busca de uma vivência geométrica mais significativa. 1998. Tese (Doutorado em Educação) – Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual Paulista, Marília, 1998.

OLIVEIRA, A. T. C. C. de. Saberes e práticas de formadores de professores que vão ensinar matemática nos anos iniciais. 2007. Tese (Doutorado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2007.

PAVANELLO, M. R. O abandono do ensino da geometria no Brasil: causas e conseqüências. Revista Zetetiké, São Paulo: UNICAMP, Faculdade de Educação, ano 1, n. 1, p. 7-17, 1993.

PAVANELLO, M. R. O abandono do ensino de Geometria: uma visão histórica. 1989. (Dissertação em Educação) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1989.

RECIO, M.; RIVAYA, F. J. Una metodologia activa y ludica de la enseñanza de la geometria. Madrid: Síntesis, 1989.

SENA, R. M.; DORNELES, B. V. Ensino de geometria: rumos da pesquisa. Revemat: R. Eletr. Educ. Mat., Florianópolis: UFSC/MTM/PPGECT, 2013. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/revemat/article/view/1981-322v8n1p138/25095. Acesso em: 27 jun. 2016.

SERRAZINA, M. L.; PONTE. J. P.; OLIVEIRA, I. Grandes temas matemáticos. In: ABRANTES, P.; SERRAZINA, L.; OLIVEIRA, I. A Matemática na Educação Básica. Lisboa: Ministério da Educação Básica, 1999. p. 41-91.

Downloads

Publicado

30-03-2021

Como Citar

MINÉ, V. A. do; PEREIRA, M. R. dos P. Políticas públicas na formação continuada para o ensino de geometria . Roteiro, [S. l.], v. 46, p. e23772, 2021. DOI: 10.18593/r.v46i.23772. Disponível em: https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/roteiro/article/view/23772. Acesso em: 23 abr. 2021.

Edição

Seção

Seção Temática: Desafios da formação de professores para o ensino de Matemática