Posições subjetivistas e objetivistas de ciência: a hermenêutica como fundamento da pesquisa qualitativa

Autores

  • João Manoel Roratto

Resumo

Este trabalho discute aspectos relacionados à evolução recente da ciência, com ênfase no conflito entre posições objetivistas e subjetivistas, até chegar à importância da pesquisa qualitativa na construção do conhecimento científico na atualidade, com base nos variados campos de tradição e linhas de pensamento nas ciências sociais e nas formulações teóricas de Gadamer sobre hermenêutica. Nos estudos de Denzin e Lincoln, analisa-se a relevância da pesquisa qualitativa nos últimos tempos e sua forma metodológica diversificada e peculiar de representar as diferentes realidades que compõem o universo social, bem como as expectativas desse modelo de pesquisa a se afirmar como ciência. Em Gadamer, busca-se entender a construção do processo retórico e hermenêutico como método para compreender e explicar a realidade social, cujas bases ontológicas estão nas ideias originais de Platão sobre discurso e de Aristóteles sobre filosofia prática.

Palavras-chave: Ciência objetiva. Ciência subjetiva. Pesquisa qualitativa. Filosofia prática. Hermenêutica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Como Citar

RORATTO, J. M. Posições subjetivistas e objetivistas de ciência: a hermenêutica como fundamento da pesquisa qualitativa. Roteiro, [S. l.], v. 35, n. 1, p. 175–192, 2010. Disponível em: https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/roteiro/article/view/233. Acesso em: 19 abr. 2021.

Edição

Seção

Artigos