A gestão profissional e a natureza de uma universidade católica

  • Lúcio Gomes Dantas Universidade Católica de Brasília https://orcid.org/0000-0002-5630-5060
  • Maria Regina Carvalho Teixeira de Oliveira Faculdades Integradas de Pedro Leopoldo; Universidade UNIMED
Palavras-chave: Gestão educacional., Universidade Católica., Identidade. Mercado Educacional

Resumo

Nos últimos anos, a mercantilização da educação superior brasileira e as estratégias de mercado das instituições lucrativas têm solapado as Instituições de Ensino Superior (IES). O impacto da operacionalização dos serviços educacionais, disponibilizados à sociedade, tem apresentado aspectos que reverberam na gestão profissional, sobretudo nas universidades católicas. Diante disso, os imperativos mercadológicos têm afetado, sobremaneira, a missão e os valores das IES católicas. Nesse sentido, esta comunicação reflete aspectos constitutivos da gestão profissional e o impacto deles na identidade da Universidade Católica. Para realizar este estudo utilizou-se o método qualitativo, de caráter exploratório, escrito sob a perspectiva de um ensaio teórico, no qual se realiza uma discussão conceitual sobre o modelo de gestão profissional que atende ao mercado atual de Educação Superior. Utilizou-se, ainda, documentos de uma universidade católica, bem como de sua mantenedora, para fazer interface com as concepções de gestões vigentes no cenário atual das IES. Discutiu-se as concepções que permeiam a gestão, a missão e os valores institucionais frente às demandas do atual mercado educacional superior. Observou-se que, na discussão dos autores, critica-se a forma de gerir sob a perspectiva do mercado neoliberal e que seu principal impacto na Educação Superior pode desqualificar a identidade da universidade católica. Conclui-se que é importante preservar a identidade desse tipo de universidade, uma vez que se leva em conta a comunidade de estudiosos que se dedica à investigação, ao ensino e às várias formas de serviço à comunidade como promoção dos saberes e missão cultural.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ARENDT, H. A condição humana. Tradução de Roberto Raposo. 5. ed. rev. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1991.

AUDY, J. A inovação, o desenvolvimento e o papel da Universidade. Estudos Avançados, São Paulo, v. 31, n. 90, p. 75-87, 2017. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/eav/article/view/137885/133471. Acesso em: 2 set. 2019.

BUBER, M. Sobre comunidade. 2. reimp. Tradução Newton Aquiles Von Zuben. São Paulo: Perspectiva, 2012. (Debates; 203).

CARVALHO, C. H. A. A mercantilização da educação superior brasileira e as estratégias de mercado das instituições lucrativas. Revista Brasileira de Educação. Rio de Janeiro, v. 18, n. 54, p. 761-801, jul./set. 2013. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbedu/v18n54/13.pdf. Acesso em: 16 jul. 2019.

CASTANHO. S. Da universidade modelo aos modelos de universidade. Quaestio – Revista de Estudos de Educação. Sorocaba, SP. Ano 4, n. 1, p. 27-43, maio de 2002. Disponível em: http://periodicos.uniso.br/ojs/index.php/quaestio/article/view/1394/1377. Acesso em: 3 ago. 2019.

CASTEL, R. As metamorfoses da questão social: uma crônica do salário. Tradução de Iraci D. Poleti. 9. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2010.

CHAUI, M. A universidade pública sob nova perspectiva. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 24, p. 5-15, set./dez. 2003. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-24782003000300002&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 16 ago. 2019.

CONCÍLIO VATICANO II. Declaração Gravissimum Educationis sobre a educação cristã. In: Compêndio do Vaticano II: Constituições, Decretos, Declarações. 12. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 1978.

CONFEREÊNCIA NACIONAL DOS BISPOS DO BRASIL - CNBB. Setor Universidades da Igreja no Brasil: identidade e missão. Brasília: CNBB, 2019. (Estudos da CNBB; 112).

CONGREGAÇÃO PARA A EDUCAÇÃO; PONTIFÍCIO CONSELHO PARA OS LEIGOS; PONTIFÍCIO CONSELHO DA CULTURA. Presença da Igreja na Universidade e a cultura universitária, 1994. Disponível em: http://www.vatican.va/roman_curia/pontifical_councils/cultr/documents/rc_pc_cultr_doc_22051994_presence_po.html. Acesso em: 18 set. 2019.

CONSELHO EPISCOPAL LATINO-AMERICANO – CELAM. Conclusões da Conferência de Puebla - 1979: evangelização no presente e no futuro da América Latina. 13. ed. São Paulo: Paulinas, 2004. (Sal da Terra).

CRESWELL, J. W. Projeto de Pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. Tradução de Magda França Lopes. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2016. (Métodos de Pesquisa).

CUNHA, L. A. Ensino Superior e Universidade no Brasil. In: LOPES, E. M. T.; FARIA FILHO, L. M.; VEIGA, C. G. (Org.). 500 anos de Educação no Brasil. 3. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2007. p. 171-204.

DEJOURS, C. A banalização da injustiça social. Tradução de Luís Alberto Monjardim. 6. ed. Rio de Janeiro: FVG, 2005.

DIAS, R. Sociologia & Administração. 2. ed. rev. ampl. Campinas: Alínea, 2001.

DONKIN, R. Sangue, suor e lágrimas: a evolução do trabalho. Tradução de Roger Maioli dos Santos. São Paulo: M. Books do Brasil, 2003.

DRUCKER, P. F. O gestor eficaz. Tradução de Jorge Fortes. Rio de Janeiro: LTC, 2017.

FAYOL, J. H. Administração industrial e geral: previsão, organização, comando, coordenação e controle. Tradução de Irene de Bojano; Mário de Souza. 10. ed. São Paulo: Atlas, 1990.

FERREYRA, M. M. et al. Em uma encruzilhada: Ensino Superior na América Latina e Caribe - Panorama. Brasília: Grupo Banco Mundial, 2018. Disponível em: https://openknowledge.worldbank.org/bitstream/handle/10986/26489/211014ovPT.pdf?sequence=8. Acesso em: 4 set. 2019.

FLICK, U. Introdução à pesquisa qualitativa. Tradução de Joice Elias Costa. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2009. (Métodos de Pesquisa).

FRANCISCO. Constituição Apostólica Veritatis Gaudium: sobre as Universidades e as Faculdades Eclesiásticas. São Paulo: Paulinas, 2018a. (Voz do Papa; 205).

______. Discurso do Papa Francisco aos membros da Fundação Gravissimum Educationis. 25 de junho de 2018b. Disponível em: http://w2.vatican.va/content/francesco/pt/speeches/2018/june/documents/papa-francesco_20180625_gravissimum-educationis.html Acesso em: 19 set. 2019.

GAULEJAC, V. Gestão como doença social: ideologia, poder gerencialista e fragmentação social. Tradução de Ivo Stomiolo. 3. ed. Aparecida, SP: Ideias & Letras, 2007. (Management; 4).

GIROUX, H. Ensino superior, para quê? Tradução de Elisabeth Seraphim Prosser. Educar em Revista, Curitiba, n. 37, p. 25-38, maio/ago. 2010. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/educar/article/view/18519/12055. Acesso em: 3 set. 2019.

ISMAIL, S.; MALONE, M. S.; GEEST, Y. Organizações Exponenciais. Por que elas são 10 vezes melhores, mais rápidas e mais baratas que a sua (e o que fazer a respeito). Tradução de Gerson Yamagami. São Paulo: HSM, 2015.

JOÃO PAULO II. Constituição Apostólica Ex Corde Ecclesiae. 1990. Disponível em: http://w2.vatican.va/content/john-paul-ii/pt/apost_constitutions/documents/hf_. Acesso em: 17 set. 2019.

JULIATTO, C. I. Parceiros educadores: estudantes, professores, colaboradores e dirigentes. Curitiba: Champagnat, 2007.

LOPES, F. D.; BALDI, M. Redes como perspectiva de análise e como estrutura de governança: uma análise das diferentes contribuições. Revista de Administração Pública – FGV, Rio de Janeiro, v. 43, n. 5, p. 1007-1035, set./out. 2009. Disponível em: http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/rap/article/view/6720/5303. Acesso em: 16 ago. 2019.

MAGALDI, S.; SALIBI NETO, J. Gestão do amanhã: tudo o que você precisa saber sobre gestão, inovação e liderança para vencer na 4ª revolução industrial. São Paulo: Gente, 2018.

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Metodologia do trabalho científico: procedimentos básicos, pesquisa bibliográfica, projeto e relatório, publicações e trabalhos científicos. 7. ed. 8. reimp. São Paulo: Atlas, 2013.

MINAYO, M. C. S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 12. ed. São Paulo: Hucitec, 2010. (Saúde em Debate; 46).

MONTAÑO, C. Terceiro setor e questão social: crítica ao padrão emergente de intervenção social. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2003.

MORGAN, G. Imagens da organização. Tradução de Geni G. Goldschmidt. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2006. (Edição Executiva).

RICHARDSON, R. J. Pesquisa social: métodos e técnicas. Colaboração de Dietmar Klaus Pfeiffer. 4. ed. rev. ampl. São Paulo: Atlas, 2017.

ROSSATO, R. A universidade brasileira face ao processo de Bolonha. In: PEREIRA, E. M. A.; ALMEIDA, M. L. P. (Org.). Reforma universitária e a construção do espaço europeu de Educação Superior: análise de uma década do Processo de Bolonha. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2011. p. 181-205.

SENNET, R. A corrosão do caráter: consequências pessoais do trabalho no novo capitalismo. Tradução de Marcos Santarrita. 14. ed. Rio de Janeiro: Record, 2009.

SEVERINO, A. J. Metodologia do trabalho científico. 23. ed. rev. atual. 5. reimp. São Paulo: Cortez, 2007.

SPRING, J. Como as corporações globais querem usar as escolas para moldar o homem para o mercado. Tradução de Ana Júlia Galvan. Campinas, SP: Vide Editorial, 2018.

TAYLOR, F. W. Princípios de administração científica. Tradução de Arlindo Vieira Ramos. 8. ed. 14. reimp. São Paulo: Atlas, 2009.

UNIÃO DE EDUCAÇÃO CORPORATIVA - UEC. Governança corporativa da UEC. 2016.
______. Estatuto da UEC. 2017.

UNIVERSIDADE COMUNITÁRIA REGIONAL - UCR. Plano de Gestão 2018-2025. 2018.

WAHLBRINCK, I. F.; PACHECO, L. M. D. Ética do cuidado e extensão universitária: da tomada de consciência à conscientização. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2017.

ZAMAGNI, S. A identidade e a missão de uma universidade católica na atualidade. Tradução de Luís Marcos Sander. Cadernos IHU Ideias, São Leopoldo, RS, ano 11, n. 185, p. 3-19, 2013. Disponível em: http://www.ihu.unisinos.br/images/stories/cadernos/ideias/185cadernosihuideias_corrigido.pdf. Acesso em: 3 ago. 2019.
Publicado
16-04-2020
Como Citar
DANTAS, L. G.; CARVALHO TEIXEIRA DE OLIVEIRA, M. R. A gestão profissional e a natureza de uma universidade católica. Roteiro, v. 45, 16 abr. 2020.
Seção
Seção temática: Gestão educacional: novas contribuições ao campo