A emergência de estudos de política curricular e o potencial de sua base teórico-metodológica

Autores

  • Ozerina Victor de Oliveira Universidade Federal de Mato Grosso
  • Celeida Maria Costa de Souza e Silva Universidade Católica Dom Bosco https://orcid.org/0000-0001-7074-5137

DOI:

https://doi.org/10.18593/r.v46.23191

Palavras-chave:

Políticas de currículo, teses e dissertações, ciclo de políticas

Resumo

Este estudo se situa no contexto das políticas de currículo existentes nos anos de 1990 no Brasil. Questionam-se análises que delas são feitas e enfrenta-se o desafio de pensar conexões entre fatores materiais e simbólicos em tendências teórico-metodológicas de pesquisas em política curricular com o objetivo de compreender implicações para a pesquisa no campo do currículo. Em seu desenvolvimento, recorre-se à noção de política de currículo como política cultural, defendida por Macedo (2004) e Oliveira (2008), e aos estudos de Bowe e Ball (1992) e Ball (1997), reconhecendo-os enquanto construção teórico-metodológica capaz de nortear o estudo. Os efeitos de perspectivas teórico-metodológicas se manifestam substantivamente em produções stricto sensu, por isso a decisão em analisar tais perspectivas em dissertações e teses. A seleção destas foi obtida a partir de resumos do banco de dados da Capes, com recorte naquelas defendidas entre 1995 e 2002, chegando a 15 dissertações e 8 teses. Conclui-se pela emergência da política curricular como objeto de estudo, destacando-se o potencial de perspectivas desenvolvidas a partir da cultura.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ozerina Victor de Oliveira, Universidade Federal de Mato Grosso

Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), mestrado em Educação pela mesma universidade, doutorado em Educação pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro e Pós-doutorado em Currículo da Educação do campo pela Universidade do Estado de Mato Grosso.  É professora associada da Universidade Federal de Mato Grosso, atuando nos cursos de Mestrado e Doutorado do Programa de Pós-graduação em Educação e como Pró-reitora de Ensino de Pós-graduação na UFMT. 

 

 

Celeida Maria Costa de Souza e Silva, Universidade Católica Dom Bosco

Graduada em História e Mestre em Educação pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS); Doutora em Educação pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) e Pós-doutorado em Educação pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). É professora pesquisadora da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), atua nos Cursos de Graduação e no Programa de Pós-Graduação em Educação - Mestrado e Doutorado (PPGE/UCDB).

Referências

BALL, S. J. Educational reform: a critical and post-structural approach. Buckingham: Open University Press, 1997.

BARÃO, G. O. D. Conferência Mundial de Educação para Todos: um novo consenso para a universalização da Educação Básica. 1999. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro,1999.

BARRETO, E. A. Estado e políticas curriculares no Brasil dos anos 90: impactos na realidade paraense. 2000. Dissertação (Mestrado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2000.

BATISTA, C. O projeto de reorganização do ensino de 1o e 2o graus no Estado de São Paulo – governo Mário Covas (1994-1998): um debate sobre uma reforma educacional. 2000. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, SP, 2000.

BORGES, I. C. N. Políticas de currículo em conflito: uma análise da estrutura curricular em ciclos na Secretaria Municipal de educação de São Paulo (1989 – 1997). 2000. Dissertação (Mestrado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2000.

BOWE, R.; BALL, S. J. Reforming education & changing schools: case-studies in policy sociology. London: Routledge, 1992.

CHIARELOTTO, A. A. Política educacional nos anos 90: a história nos Parâmetros Curriculares Nacionais. 2000. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2000.

CORRÊA, P. S. A. O Estado e a formulação da política curricular: prescrições e inconfidências. 2000. Tese (Doutorado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2000.

COSTA, J. F. A década de 80 e os embates curriculares: a proposta para o ensino de história em Florianópolis. 2001. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2001.

FIGUEIREDO, I. M. Z. Políticas educacionais para o estado do Paraná nas décadas de 80 e 90: da prioridade à “centralidade da educação básica”. 2001. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, São Paulo, 2001.

GOMES, D. I. Acertando o Passo e Errando o Caminho. 2000. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Juiz de Fora, Minas Gerais, 2000.

HALL, S. Da Diáspora: identidades e mediações culturais. Tradução de Adelaine Laguardia Resende et al. Belo Horizonte: UFMG; Brasília: UNESCO, 2003.

HAGE, S. A. M. Guerra cultural pela escola no Brasil: a disputa pela direção do Plano Nacional de Educação (1988 – 1999). 2000. Tese (Doutorado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2000.

HOMMA, M. Políticas públicas de educação e práticas curriculares: uma experiência de interlocução em Santos – 1994 a 1996. 2002. Dissertação (Mestrado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2002.

KRUPPA, S. M. P. O Banco Mundial e as políticas públicas de educação nos anos 90. 2000. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2000.

LIMA, R. N. As relações intergovernamentais e as políticas educacionais. 2000. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, São Paulo, 2000.

MACEDO, E. F. Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento: uma visão cultural do currículo de ciências. In: LOPES, A. C.; MACEDO, E. F. Currículo de Ciências em Debate. Campinas: Papirus, 2004.

MARTINEZ, M. H. Cultura no singular ou cultura no plural?: as reformas educativas no Brasil e na Argentina nos anos 90. 2000. Dissertação (Mestrado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2000.

MOMMA, A. M. As políticas educacionais brasileiras de ensino fundamental no contexto do Mercosul: perspectivas e desafios para o processo de integração. 2001. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, São Paulo, 2001.

OLIVEIRA, O. V. de. Movimento comutativo da política de currículo: o caso da Escola Sarã. Revista de Educação Pública, Cuiabá, v. 17, n. 33, p. 13-24, jan./abr. 2008.

PADILHA, P. R. Planejamento Educacional – a visão do Plano decenal de Educação para Todos: 1993-2003. 1998. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 1998.

PERONI, V. M. V. A redefinição do papel do Estado e a política educacional no Brasil dos anos 90. 1999. Tese de doutorado (Doutorado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 1999.

SANTIAGO, A. R. F. Política curricular e educação básica: um estudo do campo do currículo nas políticas públicas de educação. 1999. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 1999.

SHEEN, M. R. C. C. Política educacional e hegemonia: a criação das primeiras universidades estaduais do Paraná na década de 1960. 2000. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, São Paulo, 2000.

SILVA, I. L. F. Reforma ou contra-reforma no sistema de ensino do Estado do Paraná?: uma análise da meta de igualdade social nas políticas educacionais dos anos 90. 1998. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 1998.

SILVA, M. H. A. A participação do professor no processo de reforma curricular promovido pela Coordenadoria de Estudos e Normas Pedagógicas (CENP) da Secretaria de Estado de Educação de São Paulo na década de 80. 1999. Dissertação (Mestrado em Educação) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 1999.

SOBRINHO, R. J. D. Programa brasileiro de qualidade e produtividade: uma nova instância definidora de políticas educacionais no Brasil dos anos noventa? 1998. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal Fluminense, Rio de Janeiro, 1998.

SOUZA, A. N. As políticas educacionais para o desenvolvimento e o trabalho docente. 1999. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1999.

Downloads

Publicado

10-09-2021

Como Citar

OLIVEIRA, O. V. de; SILVA, C. M. C. de S. e. A emergência de estudos de política curricular e o potencial de sua base teórico-metodológica. Roteiro, [S. l.], v. 46, p. e23191, 2021. DOI: 10.18593/r.v46.23191. Disponível em: https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/roteiro/article/view/23191. Acesso em: 28 set. 2021.

Edição

Seção

Artigos de demanda contínua