As políticas neoliberais e o pragmatismo gerencial na educação pública paranaense

  • Ademir Aparecido Pinhelli Mendes Centro Universitário Internacional Uninter
  • Geraldo Balduíno Horn Universidade Federal do Paraná
  • Edson Teixeira de Rezende Faculdade de Ensino Superior do Paraná (FESPRP)
Palavras-chave: Políticas neoliberais, Pragmatismo gerencial, Trabalho pedagógico, Educação básica

Resumo

Trata-se de um estudo documental, com o objetivo de analisar as políticas neoliberais que vêm sendo implantadas pelo governo do Paraná. Para tal, parte-se de três problemas fundamentais: (i) as políticas neoliberais ganharam força no Paraná a partir de 2010, com o Governo Beto Richa, provocando um completo rompimento do espírito republicano e democrático; (ii) ocorreu no Paraná, em sintonia com o impeachment de 2016, uma total desresponsabilização do Estado para com a coisa (res)pública e uma ampliação da perda de direitos; (iii) está em curso uma nova concepção de gestão educacional – gerencialismo e pragmatismo protagonizados por institutos e fundações. Analisam-se os desdobramentos das políticas educacionais no Paraná com a implantação do modelo de gestão educacional orientado pelo Guia de Tutoria Pedagógica, da Fundação Itaú Social (2014), e 15 roteiros de tutoria elaborados e lançados pelo Departamento de Acompanhamento Pedagógico da Secretaria de Estado de Educação do Paraná. Entre outros aspectos, o estudo conclui que as atuais políticas educacionais no estado destroem significativamente a autonomia pedagógica das escolas e não melhoram as condições de trabalho docente na rede pública paranaense.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ademir Aparecido Pinhelli Mendes, Centro Universitário Internacional Uninter

Doutor em Educação. Professor Titular do Programa de Pós-graduação Profissional em Educação e Novas Tecnologias - Mestrado e Doutorado - Centro Universitário Internacional Uninter e da Secretaria de Educação do Paraná.

Geraldo Balduíno Horn , Universidade Federal do Paraná

Doutor em Educação. Professor Titular do Programa de Pós-graduação em Educação - Mestrado e Doutorado - Universidade Federal do Paraná. 

Edson Teixeira de Rezende , Faculdade de Ensino Superior do Paraná (FESPRP)

Doutor em Educação. Professor de Filosofia da Faculdade de Ensino Superior do Paraná FESPRP e Secretaria de Educação do Paraná.

Referências

ANDRADE, S. V. R. As políticas educacionais do estado do Paraná no período de 2003 a 2010 e o desenvolvimento profissional dos professores de matemática. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual de Maringá, Maringá, 2012. Disponível em: http://repositorio.uem.br:8080/jspui/bitstream/1/4409/1/000200267.pdf. Acesso em: 17 abr. 2020.

BRASIL. Constituição. República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF: Senado Federal, 5 out. 1988.

DAMETTO, J. Avaliação em larga escala e a objetivação da qualidade educacional: controvérsias em torno da fabricação discursiva da qualidade na educação básica. 2017. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade de Passo Fundo, Passo Fundo, 2017. Disponível em: http://tede.upf.br/jspui/bitstream/tede/1239/2/2017JarbasDamettoTese.pdf. Acesso em: 16 abr. 2020.

FUNDAÇÃO ITAÚ SOCIAL. Guia de tutoria pedagógica. São Paulo: Fundação Itaú Social, 2014.

GALL, N.; GUEDES, P. M. A reforma educacional de Nova York: possibilidades para o Brasil. São Paulo: Fundação Itaú Social, 2009.

GENTILI, P. Neoliberalismo e educação: manual do usuário. In: SILVA, T. T.; GENTILI, P. (org.). Escola S.A.: quem ganha e quem perde no mercado educacional do neoliberalismo. Brasília, DF: CNTE, 1996. p. 9-49.

GOMIDE, A. G. V. Formação de Professores no Brasil: Precarização, desqualificação e intervenção da UNESCO nas políticas educativas a partir de 1990. In: ENCONTRO DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO DA REGIÃO SUL, 8., 2010, Londrina. Anais [...] Londrina, 2010. v. 1. p. 1-14. Disponível em: http://universidadetuiuti.utp.br/Cadernos_De_Pesquisa/pdfs/cad_pesq11/7_politicas_da_unesco_cp11.pdf. Acesso em: 17 abr. 2020.

HORN, G. B. Por uma mediação praxiológica do saber filosófico no ensino médio: Análise e Proposição a partir da Experiência Paranaense. 2002. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Estadual de São Paulo-Faculdade de Educação, São Paulo, 2002.

JESUS, A. O.; GOMIDE, A. G. V. Políticas de formação de professores: alguns apontamentos sobre a formação em nível médio, no Estado do Paraná, a partir do ano de 2003. [S. l.: s. n.], 2008. Disponível em: http://www.gestaoescolar.diaadia.pr.gov.br/arquivos/File/producoes_pde/md_maria_aparecida_oliveira_jesus.pdf. Acesso em: 17 abr. 2020.

LAVAL, C. A escola não é uma empresa: o neoliberalismo em ataque ao ensino público. Londrina: Planta, 2004.

LIBÂNEO, J. C.; OLIVEIRA, J. F.; TOSCHI, M. S. Educação escolar: políticas, estrutura e organização. 10. ed. São Paulo: Cortez, 2012.

MENDES, A. A. P. A construção do lugar da filosofia no currículo do ensino médio: análise a partir da compreensão dos professores de filosofia da escola pública paranaense. 2008. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2008. Disponível em: https://repositorio.uninter.com/handle/1/357. Acesso em: 14 abr. 2019.

NODA, M.; GALUCH, M.T.B. Políticas públicas de educação no ensino básico do Estado do Paraná: da dívida social à formação para o mercado (1980-2000). Revista HISTEDBR On-line, v. 18, p. 545-569, 2018.

PARANÁ. Secretaria de Estado da Educação. Inexigibilidade de Chamamento Público para a formalização do Acordo de Cooperação Técnica com o Instituto Compartilhar. Curitiba: SEED, 2019a. Disponível em: http://www.educacao.pr.gov.br/Pagina/Acordos-de-Cooperacao. Acesso em: 14 abr. 2019.

PARANÁ. Secretaria de Educação. Roteiros de tutoria pedagógica. Curitiba: SEED, 2019b.

PARANÁ. Secretaria de estado da Educação. Termo de Convênio de Cooperação Técnica nº 201900006/2019 - SEED e SESC. Curitiba: SEED, 2019c. Disponível em: http://www.educacao.pr.gov.br/Pagina/Acordos-de-Cooperacao. Acesso em: 14 abr. 2019.

ROMAN, M. D. Neoliberalismo, política educacional e ideologia: como ilusões de neutralidade da pedagogia como técnica. Psicologia USP, São Paulo, v. 10, n. 2, p. 153-187, 1999. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-65641999000200011&lng=en&nrm=iso. Acesso em: 17 abr. 2020.

SANTOS, A. L. F. Gestão democrática da escola: bases epistemológicas, políticas e pedagógicas. [S. l.]: Anped, 2006. Disponível em: http://www.anped.org.br/sites/default/files/gt05-2114.pdf. Acesso em: 9 jun. 2019.

SAVIANI, D. Políticas educacionais em tempos de golpe: retrocessos e formas de resistência. Roteiro, v. 45, 25 nov. 2019.

SOUSA, S. E. A gestão educacional no Paraná 2011-2013. 2013. 2013. Dissertação (Mestrado em Sociedade, Estado e Educação) – Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Cascavel, 2013. Disponível em: http://tede.unioeste.br/handle/tede/865. Acesso em: 14 abr. 2020.

TIRADENTES, A. F. Política, trabalho e conhecimento no “novo ensino médio”. Revista Trabalho Necessário, v. 5, n. 5, jun. 2018. Disponível em: https://periodicos.uff.br/trabalhonecessario/article/view/4623/4259. Acesso em: 17 abr. 2020.

VIEIRA, W. J. O ensino de filosofia e o uso do texto clássico de filosofia: análise a partir das escolas públicas paranaenses de ensino médio. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2012. Disponível em: https://acervodigital.ufpr.br/bitstream/handle/1884/29273/R%20-%20D%20-%20WILSON%20JOSE%20VIEIRA.pdf. Acesso em: 17 abr. 2020.

Publicado
04-06-2020
Como Citar
MENDES, A. A. P. .; HORN , G. B.; REZENDE , E. T. DE. As políticas neoliberais e o pragmatismo gerencial na educação pública paranaense. Roteiro, v. 45, p. 1-24, 4 jun. 2020.
Seção
Seção temática: Políticas educacionais e o avanço da nova (ou extrema?) direita