Jornal Escolar na concepção de Célestin Freinet: diálogos com a legislação educacional catarinense – 1940

Palavras-chave: Jornal Escolar, Escola Nova, Célestin Freinet

Resumo

Este artigo se dedica a realizar um diálogo entre a proposta do educador escolanovista Célestin Freinet sobre a utilização dos Jornais Escolares como práticas pedagógicas e seu uso nas escolas do estado de Santa Catarina, Brasil, em meados de 1940, a partir da análise da legislação estadual que regulamentou as Associações Auxiliares da Escola, em especial o Decreto-lei n. 3.735/1946 de Santa Catarina. A legislação catarinense de 1946 buscou se aproximar da perspectiva escolanovista com a criação das Associações Auxiliares da Escola às quais a Associação do Jornal Escolar pertenceu. Assim, analisamos a legislação estadual e a difusão, a partir da década de 1920, dos trabalhos de Freinet com relação à prática do Jornal Escolar. No estudo, observamos a tentativa dos governos e dos dirigentes educacionais do Estado catarinense de se aproximarem das ideias pedagógicas escolanovistas com a prática dos Jornais Escolares. Todavia, na realização da análise, observamos contradições entre a proposta da legislação e os princípios de Freinet sobre a utilização do Jornal Escolar.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABRAS, M. C. de M.; FELGUEIRAS, M. L. As marcas da formação da professora primária através de um jornal estudantil brasileiro. In: DÍAZ, J. M. H. (ed.). Prensa pedagógica y patrimonio histórico educativo: contribuciones desde la Europa Mediterránea e Iberoamérica. Salamanca: Ediciones Universidad de Salamanca, 2013.

AMARAL, G. L. Os impressos estudantis em investigação da cultura escolar nas pesquisas em histórico-institucionais. Revista História da Educação, Pelotas: Associação Sul-rio-grandense de Pesquisadores em História da Educação, n. 11, p. 117-146, abr. 2002.

CÂNDIDO, R. M. A máquina de festejar: seus usos e configurações nas escolas primárias brasileiras e portuguesas (1890-1930). 2012. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012.

CENTRO DE MEMÓRIA DA EDUCAÇÃO DO SUL DE SANTA CATARINA. O Estudante Orleanense. Orleans: EEB Costa Carneiro, 1963.

CHARTIER, R. A aventura do livro: do leitor ao navegador. São Paulo: UNESP, 1998.

FIORI, N. A. Aspectos da evolução do ensino público: ensino público e política de assimilação cultural nos períodos imperial e republicano. São Paulo: [s. n.], 1975.

FREINET, C. O jornal escolar. Portugal: Estampa, 1974.

KANAMARU, A. T. Autonomia, cooperativismo e autogestão em Freinet: fundamentos de uma pedagogia solidária internacional. Revista Educação e Pesquisa, São Paulo, p. 1-15, fev. 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ep/2014nahead/aop1141.pdf. Acesso em: 13 jul. 2016.

LEGRAND, L. Célestin Freinet. Tradução e organização: José Gabriel Perissé. Recife: Fundação Joaquim Nabuco; Editora Massangana, 2010.

MARTINS, C. G. As representações de mulher, mãe e maternidade à luz de Simone de Beauvoir no jornal escolar O Estudante Orleanense (1949-1973). 2017. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade do Extremo Sul Catarinense, Criciúma, 2017.

MONTEAGUDO, J. G. Célestin Freinet, la escritura en libertad y el periódico escolar: un modelo de innovación educativa en la mitad del siglo 20. Revista História da Educação, Porto Alegre, v. 17, n. 40, p. 11-26, maio/ago. 2013. Disponível em: http://seer.ufrgs.br/asphe/article/view/38083. Acesso em: 13 mar. 2016.

PETRY, M. G. Da recolha à exposição: a constituição de museus escolares em escolas públicas primárias de Santa Catarina (Brasil – 1911 a 1952). 2013. Dissertação (Mestrado em educação) – Universidade do Estado de Santa Catarina, Florianópolis, 2013.

SANTA CATARINA. Secretaria da Justiça, Educação e Saúde. Departamento de Educação. Circular n. 42, de 10 de maio de 1944. Destinada aos senhores inspetores, auxiliares de inspeção, diretores e professores de estabelecimentos de ensino. Florianópolis: Secretaria da Justiça, Educação e Saúde, 1944a.

SANTA CATARINA. Secretaria da Justiça, Educação e Saúde. Departamento de Educação. Decreto-lei n. 2.991, de 28 de abril de 1944. Aprova as instruções para as associações auxiliares da escola nos estabelecimentos de ensino estaduais, municipais e particulares. Florianópolis: Imprensa Oficial do Estado, 1944b.

SANTA CATARINA. Secretaria da Justiça, Educação e Saúde. Departamento de Educação. Decreto-lei n. 3.735, de 17 de dezembro de 1946. Aprova o regulamento para os estabelecimentos de ensino primário no Estado de Santa Catarina. Florianópolis: Imprensa Oficial do Estado, 1946.

Publicado
30-07-2020
Como Citar
MARTINS, C. G.; RABELO, G. Jornal Escolar na concepção de Célestin Freinet: diálogos com a legislação educacional catarinense – 1940 . Roteiro, v. 45, p. 1-22, 30 jul. 2020.
Seção
Artigos de demanda contínua