Juventudes, tecnologias e educação: contextos emergentes

Palavras-chave: Juventudes, Tecnologias Digitais, Diálogos, Educação

Resumo

O artigo, de abordagem hermenêutica, teve por objetivo identificar as problemáticas e desafios em torno dos debates sobre juventudes, tecnologias e educação, analisando as teses de doutorado produzidas em universidades públicas brasileiras, disponibilizadas no portal de domínio público da Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações (BDTD), no período de 2012 a 2016. Os resultados colocam em questão as fronteiras dos campos das tecnologias educacionais e das juventudes, oferecendo bases para repensar as dimensões sociais das tecnologias nas práticas mobilizadoras do educar, apresentando propostas desafiadoras, críticas e com potencial reconstrutivo de conhecimentos ao dar visibilidade a essas preocupações e tendências atuais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Adilson Cristiano Habowski, Universidade La Salle

Mestrando em Educação pela Universidade La Salle - Canoas/RS, na linha de pesquisa: Culturas, Linguagens e Tecnologias na Educação. Possui o Ensino Médio na modalidade normal (magistério), com habilitação para atuar como professor nas áreas de Educação Infantil e Séries Iniciais (2014), e Graduação em Teologia pela Universidade La Salle - Canoas/RS (2017). Tem experiência prática nas áreas de Educação Infantil, Séries Iniciais e na área de Pastoral Escolar, desde 2014, com ênfase em Formação humana. Tem interesse principalmente nos seguintes temas: filosofia das tecnologias; tecnologias e educação; teoria crítica; filosofia da educação; hermenêutica e educação; sexualidade, gênero e educação. Participante do Núcleo de Estudos sobre Tecnologias na Educação - NETE/UNILASALLE/CNPq.

Elaine Conte, Universidade La Salle

Doutora em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS, 2012). Professora da Universidade La Salle - UNILASALLE, Canoas, atua no Curso de Pedagogia e no Programa de Pós-Graduação em Educação, Linha de Pesquisa Culturas, Linguagens e Tecnologias na Educação. Líder do Núcleo de Estudos sobre Tecnologias na Educação - NETE/CNPq, com financiamento do CNPq e do Programa Primeiros Projetos da FAPERGS. Possui graduação em Pedagogia com habilitação em séries iniciais e matérias pedagógicas pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM, 2003) e mestrado em Educação pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM, 2005). Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Fundamentos da Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: formação de professores, teoria crítica, filosofia da educação, tecnologias digitais e educação, estética e performance, educação a distância. É membro do Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade La Salle e do Grupo de Estudos sobre Filosofia da Educação e Formação de Professores - GEFFOP/CNPq coordenado pelas professoras doutoras Catia Piccolo Viero Devechi (UnB) e Gionara Tauchen (FURG).

Referências

ADORNO, T. W.; HORKHEIMER, M. A dialética do esclarecimento. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1985.

ALMEIDA JUNIOR, A. et al. Parecer CFE nº 977/65, aprovado em 3 dez. 1965. Revista Brasileira de Educação, n. 30, p. 162-173, 2005.

ASSUNÇÃO, Z. S. Metrópole digital: o jovem aprendiz na educação tecnológica. 2014. 256 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2014.

BARBOSA, F. C. Rede de aprendizagem em robótica: uma perspectiva educativa de trabalho com jovens. 2016. 366 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2016.

BORGES, B. S. Juventude, trabalho e educação superior: a geração y em análise. 2014. 154 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2014.

BORTOLAZZO, S. F. A geração digital como identidade cultural na contemporaneidade. In: ANPED SUL, 10., 2014, Florianópolis. Anais [...] Florianópolis, out. 2014. p. 1-18.

BORTOLAZZO, S. F. Narrativas acadêmicas e midiáticas produzindo uma Geração Digital. 2015. 206 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2015.

BRENNER, A. K.; DAYRELL, J.; CARRANO, P. Culturas do lazer e do tempo livre dos jovens brasileiros. In: ABRAMO, H. W.; BRANCO, P. P. M. (org.). Retratos da juventude brasileira: análises de uma pesquisa nacional. São Paulo: Fundação Perseu Abramo/Instituto Cidadania, 2005.

CASTELLS, M. A galáxia da internet: reflexões sobre a internet, os negócios e a sociedade. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2003.

CONTE, E.; HABOWSKI, A. C.; RIOS, M. B. Ressonâncias das tecnologias digitais na educação. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 14, n. 1, p. 31-45, jan./mar. 2019. DOI 10.21723/riaee.v14i1.11110.

DAYRELL, J. A escola faz as juventudes? Reflexões em torno da socialização juvenil. Educação e Sociedade, Campinas, v. 28, n. 100, p. 1105-1128, 2007.

DAYRELL, Juarez. Juventude, Grupos de Estilo e Identidade. Educação em Revista, Belo Horizonte, n. 30, p. 25-39, dez. 1999. Disponível em: Disponível em: http://educa.fcc.org.br/pdf/edur/n30/n30a04.pdf. Acesso em: 27 mar. 2019.

DAYRELL, J. O jovem como sujeito social. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 24, p. 40-52, set./dez. 2003.

DAYRELL, J. Por uma pedagogia da juventude. Revista Onda Jovem, Minas Gerais, n. 29, p. 35- 36, 2009.

FEATHERSTONE, M. Cultura de consumo e pós-modernismo. São Paulo: Studio Nobel, 1995.

FREIRE, P. Extensão ou comunicação? 11. ed. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 2006.

GADAMER, H.-G. Verdade e método I. Traços fundamentais de uma hermenêutica filosófica. São Paulo: Editora Universitária São Francisco, 2005.

GADAMER, H.-G. Verdade e método II: complementos e índice. Petrópolis, RJ: Vozes, 2002.

GIL, C. Z. de V. Jovens e juventudes: consensos e desafios. Educação, Santa Maria, v. 36, n. 1, p. 25-42, jan./abr. 201. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/reveducacao/article/view/2909/1647. Acesso em: 27 mar. 2019.

GUIMARÃES, G. G.; GRINSPUN, M. P. S. Z. Revisitando as origens do termo juventude: a diversidade que caracteriza a identidade. In: REUNIÃO ANUAL DA ANPED, 31., 2008, Caxambu. Anais [...] Caxambu, 2008. Disponível em: http://31reuniao.anped.org.br/1trabalho/GT20-4136--Int.pdf. Acesso em: 27 mar. 2019.

HABERMAS, J. Consciência moral e agir comunicativo. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 2003.

HABERMAS, J. Verdade e justificação: ensaios filosóficos. São Paulo: Loyola, 2004.

HABOWSKI, A. C.; CONTE, E.; TREVISAN, A. L. Por uma cultura reconstrutiva dos sentidos das tecnologias na educação. Educação & Sociedade, Campinas, v. 40, p. 1-15, 2019. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-73302019000100802&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 18 dez. 2019.

HABOWSKI, A. C.; CONTE, E.; MILBRADT, C. Inter-relações entre juventudes, educação e tecnologias digitais. Brazilian Journal of Development, v. 5, p. 6179-6196, 2019. Disponível em: http://www.brjd.com.br/index.php/BRJD/article/view/1846/1821. Acesso em: 19 dez. 2019.

KENSKI, V. M. Educação e Tecnologias: o novo ritmo de informação. Campinas: Papirus, 2007.

LEÃO, G.; DAYRELL, J. T.; REIS, J. B. Juventude, projetos de vida e ensino médio. Educação & Sociedade, Campinas, v. 32, n. 117, p. 1067-1084, 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/es/v32n117/v32n117a10.pdf. Acesso em: 18 dez. 2019.

LÉVY, P. O que é virtual? 3. ed. São Paulo: Ed. 34, 1999.

MARCUSE, H. Tecnologia, Guerra e Fascismo. Textos inéditos. São Paulo: Editora da Unesp, 1999.

PAIS, J. M. Culturas juvenis. Lisboa: Imprensa Nacional Casa da Moeda, 1993.

PRETTO, N. L. O desafio de educar na era digital: educações. Revista Portuguesa de Educação, Braga, v. 24, p. 95-118, 2011.

PRIOSTE, C. D. O adolescente e a internet: laços e embaraços no mundo virtual. 2013. 361 p. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2013.

SILVA, J. C. Produção de jogos digitais por jovens: uma possibilidade de interação com a Matemática. 2016. 227 f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2016.

SOUSA, C. C. Juventude(s), mídia e escola: ser jovem e ser aluno face à midiatização das sociedades contemporâneas. 2014. 376 p. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de Minas Gerais, Minas Gerais, 2014.

SPOSITO, M. P. Estudos sobre juventude em educação. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 6, p. 37-52, set./dez. 1997.

TAPSCOTT, D. A hora da geração digital: como os jovens que cresceram usando a internet estão mudando tudo, das empresas aos governos. Rio de Janeiro: Agir Negócios, 2010.

TRANCOSO, A. E. R. Juventudes: o conceito na produção científica brasileira. 2012. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Universidade Federal de Alagoas, Maceió, 2012. Disponível em: http://www.repositorio.ufal.br/bitstream/riufal/1253/1/Juventudes%20o%20conceito%20na%20produ%C3%A7%C3%A3o%20cient%C3%ADfica%20brasileira.pdf. Acesso em: 27 set. 2018.

Publicado
19-06-2020
Como Citar
HABOWSKI, A. C.; CONTE, E. Juventudes, tecnologias e educação: contextos emergentes. Roteiro, v. 45, p. 1-24, 19 jun. 2020.
Seção
Artigos de demanda contínua