Docência em classes multisseriadas na roça: modos de formar-se e compreender as diferenças

Palavras-chave: Formação docente, Classes Multissseriadas, Ruralidades contemporâneas

Resumo

Este trabalho objetiva compreender o conhecimento de si como um espaço de formação que evidencia a prática desenvolvida na docência em classes multisseriadas, como um fazer que se reconfigura a partir da dinâmica que se efetiva através das relações que se dão no cotidiano da escola. Trata-se de uma pesquisa de base qualitativa, desenvolvida por meio da abordagem (auto)biográfica como perspectiva metodológica, pela centralidade na análise de narrativas que o sujeito produz. Assim, elegemos as entrevistas narrativas como um dispositivo de investigação. A pesquisa foi desenvolvida com três professores da Educação Básica que vivem e convivem em contextos rurais e também desenvolvem à docência em classes multisseriadas de suas comunidades, no município de Várzea do Poço, interior da Bahia. O estudo permitiu concluir que a formação é fundamentada numa concepção que toma o conhecimento de si como espaço de formação e, também, o coloca como elemento constituinte do processo de formação, autoformação e ecoformação. As narrativas (auto)biográficas revelam como os professores concebem as diferenças a partir de suas próprias experiências e histórias de vida e formação. Falar de si configura-se enquanto um procedimento formativo construído entre e com os professores a partir de cinco princípios da formação que se congregam entre si e transversalizam o fazer docente nas classes multisseriadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Charles Maycon de Almeida Mota, Universidade do Estado da Bahia/Doutorando

Possui graduação em Pedagogia pelo Instituto Superior de Ensino Capimgrossense (2009), e em Matemática pela Universidade do Estado da Bahia (2015), Especialista em Psicopedagogia Clínica e Institucional pelo Instituto Brasileiro de Pesquisa e Extensão (2012), Mestre em Educação e Diversidade pela Universidade do Estado da Bahia (2016). É professor da Educação Básica e Psicopedagogo no Centro de Referência ao Apoio Pedagógico no município de Várzea do Poço - BA, pesquisador no DIVERSO - Grupo de Pesquisa Docência, Narrativas e Diversidade e no DIFEBA - Diversidade, Formação, Educação Básica e Discurso. Doutorando em Educação e Contemporaneidade no Programa de Pós-graduação em Educação e Contemporaneidade pela Universidade do Estado da Bahia. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Coordenação Pedagógica, atuando principalmente nos seguintes temas: identidade, diversidade, formação de professores e educação do campo.

Fabrício Oliveira da Silva, Universidade Estadual de Feira de santana/Professor Assistente

Possui graduação em Licenciatura em Letras Vernáculas pela Universidade Estadual de Feira de Santana (1997), Especialização em Linguística Aplicada ao Ensino de Língua Portuguesa (1998) pela mesma universidade e Especialização em Gestão Escolar pela Faculdade de Tecnologia e Ciências (2009). Mestrado em Filologia e Língua Portuguesa pela Universidade de São Paulo (2003), Doutorado em Educação pela Universidade do Estado da Bahia - UNEB (2017) É Professor Assistente da Universidade Estadual de Feira de Santana - UEFS, lotado no Departamento de Educação. Professor permanernte do Programa de Pós-Graduação em Educação - PPGE da UEFS. Professor pesquisador do Grupo de Pesquisa Docência, Narrativas e Diversidade na Educação Básica ? DIVERSO. Coordenador e membro do Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Pedagogia Universitária - NEPPU da Universidade Estadual de Feira de Santana - UEFS. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação Superior (graduação e pós-graduação), atuando como professor e pesquisador nos seguintes temas: formação do educador, identidade docente, linguagem, leitura e produção textual, ensino de língua portuguesa, pesquisa em educação, pesquisa (auto)biográfica e docência universitária e na Educação Básica.

Referências

AMIGUINHO, A. J. M. Escola em meio rural: uma escola portadora de futuro? Revista Educação, Santa Maria, v. 33, n. 1, p. 11-32, jan./abr. 2008.

BRASIL. Decreto n. 7.352, de 04 de novembro de 2010. Dispõe sobre a política de educação do campo e o Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária – PRONERA. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 5 nov. 2010a. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/decreto/d7352.htm. Acesso em: 19 jun. 2018.

BRASIL. Resolução CNE/CEB n. 1, de 3 de abril de 2002. Institui Diretrizes Operacionais para a Educação Básica nas Escolas do Campo. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 9 abr. 2002. Seção 1, p. 32. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CEB012002. pdf. Acesso em: 19 de jun. 2018.

BRASIL. Resolução CNE/CEB, n. 4, de 13 de julho de 2010. Define Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais para a Educação Básica. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 14 jul. 2010b. Seção 1, p. 824. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/rceb004_10.pdf. Acesso em: 19 jun. 2018.

CARNEIRO, M. J. Ruralidades: novas identidades em construção. Estudos Sociedade e Agricultura, n. 11, p. 53-75, out. 1998.

CONTRERAS, J. A autonomia de professores. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2012.

DELORY-MOMBERGER, C. Formação e socialização: os ateliês biográficos de projeto. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 32, n. 2, p. 359-371, mai./ago. 2006.

DOMINICÉ, P. O processo de formação e alguns dos seus componentes relacionais. In: FINGER, M.; NÓVOA, A. (org.). O método (auto)biográfico e a formação. 2. ed. Natal: EDUFRN, 2014. p. 77-90.

FÁVERO, A. A.; TONIETO, C. Educar o educador: reflexões sobre a formação docente. Campinas, SP: Mercado das Letras, 2010.

FONTOURA, H. A. da. Docência e diversidade na Educação Básica. In: Rios, Jane Adriana Vasconcelos Pacheco. (org.). Docência na Educação Básica. Salvador: EDUNEB, 2015. p. 67-100.

LARROSA, J. Notas sobre experiências e o saber da experiência. Tradução de João Wanderley Geraldi. Revista Brasileira de Educação, São Paulo, n. 19, p. 20- 28, jan./fev./mar./abr. 2002.

ORTIZ, R. Universalismo e diversidade: contradições da modernidade-mundo. 1. ed. São Paulo: Boitempo, 2015.

PINEAU, G. As histórias de vida em formação: a gênese de uma corrente de pesquisa-ação-formação existencial. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 32, n. 2, p. 329-343, mai./ago. 2006.

PINEAU, G. A autoformação no decurso da vida: entre a hetero e a autoformação. In: FINGER, M. NÓVOA, A. (Org.). O método (auto)biográfico e a formação. 2. ed. Natal: EDUFRN, 2014. p. 91-110.

PINEAU, G.; LE GRAND, J. L. As histórias de vida. Natal: EDUFRN, 2012.

RIOS, J. A. V. P. Ser ou não ser da roça, eis a questão! Identidades e discursos na escola. Salvador: EDUFBA, 2011.

SOUZA, E. C.; PINTO, A. S. T. de; MEIRELES, M. M. de. Tensões entre o local e o global: ruralidades contemporâneas e docência em escolas rurais. Revista Educação, Santa Maria, v. 37, p. 351-364, 2012.

Publicado
04-05-2020
Como Citar
MOTA, C. M. DE A.; SILVA, F. O. DA. Docência em classes multisseriadas na roça: modos de formar-se e compreender as diferenças. Roteiro, v. 45, p. 1-26, 4 maio 2020.
Seção
Artigos de demanda contínua