Transdisciplinaridade e interculturalidade: experiências vividas e compartilhadas no curso de educação intercultural indígena – UFG (2018)

Palavras-chave: Transdisciplinaridade, Interculturalidade, Tema contextual, Estudantes indígenas

Resumo

O presente artigo pretende apresentar os conceitos da “transdisciplinaridade” e da “interculturalidade crítica” que permearam as dinâmicas das aulas sobre o Tema Contextual Educação Intercultural Bilíngue e, sobretudo, evidenciar a contribuição dos estudantes indígenas em sala como representantes de suas epistemologias. Suas experiências apontaram para a importância de debates mais aprofundados em torno da diversidade, da diferença e da interculturalidade no contexto educacional brasileiro, discussão levantada a partir de três atividades didáticas propostas e realizadas durante as aulas, nas quais narrativas, textos escritos e documentos imagéticos foram desenvolvidos. As produções e reflexões foram fundamentadas nos princípios da “enação”, “transdisciplinaridade”, “interculturalidade crítica” (MATURANA, 2000; NASCIMENTO, 2014; VARELA; THOMPSON; ROSCH, 1992; WALSH, 2013; WALSH; VIAÑA; TAPIA, 2010) e em suas experiências educacionais. Ao analisarem seus conhecimentos e usos no cotidiano, os estudantes consideraram que, para além do conceito de “interculturalidade”, cunhado na década de 1970, na América Latina, o chamado “intercâmbio entre povos” (termo rememorado por eles durante as aulas) já existia como prática, mesmo antes de ser utilizado nas políticas públicas, na atualidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Tamiris Maia Gonçalves Pereira, Universidade Federal de Goiás

Bacharel em Arqueologia pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás; Especialista em História Cultural pela Universidade Federal de Goiás; Mestre em História pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás e Doutoranda em História pela Universidade Federal de Goiás.

Ordália Cristina Gonçalves Araújo, Universidade Estadual de Goiás/Universidade Federal de Goiás

Professora da Faculdade de História da Universidade Estadual de Goiás/ Doutoranda em História pela Universidade Federal de Goiás. 

Elias Nazareno, Professor Associado I da Faculdade de História e do Curso de Educação Intercultural da Universidade Federal de Goiás – UFG.

Doutor em Sociologia / Professor Associado I da Faculdade de História e do Curso de Educação Intercultural da Universidade Federal de Goiás – UFG, Goiânia, Goiás - Brasil.

Referências

CANDAU, V. M. F. Educación intercultural en América Latina: distintas concepciones y tensiones actuales. Estudios Pedagógicos 36, n. 2, p. 343-352, 2000.

CANDAU, V. M. F.; RUSSO, K. Interculturalidade e educação na América Latina: uma construção plural, original e complexa. Revista Diálogo Educação, Curitiba, v. 10, n. 29, p. 151-169, jan./abr. 2010.

DIAS, T. C. Contatos e desacatos: os línguas na fronteira entre sociedade colonizadora e indígenas (1740 a 1889) – Goiás. Espaço Ameríndio, Porto Alegre, v. 7, n. 2, p. 205-226, jul./dez. 2013.

MALDONADO-TORRES, N. Transdisciplinaridade e decolonialidade. Revista Sociedade e Estado, v. 31, n. 1, p. 75-97, 2016.

MARIN, J. O. B. M. A formação de trabalhadores brasileiros: a experiência do Colégio Isabel. História Unisinos, n. 13, v. 2, p. 154-167, maio/ago. 2009.

MATURANA, H. Transdisciplinaridade e cognição. In: CETRANS (org.). Educação e Transdisciplinaridade. 1. ed. UNESCO. São Paulo: TRIOM, 2000. p. 79-110.

MENDES, R. A. S. América Latina – interpretações da origem do imperialismo norte-americano. Projeto História, São Paulo, n. 31, p. 167-188, dez. 2005.

NASCIMENTO, A. M. Interculturalidade: apontamentos conceituais e alternativa para a educação bilíngue. Revista Sures, n. 3, 2014. Disponível em: https://revistas.unila.edu.br/index.php/sures/article/view/121/127. Acesso em: dez. 2014.

NAZARENO, E. História, tempo e lugar entre o povo indígena Bero Biawa Mahãdu (Javaé): a partir da interculturalidade crítica, da decolonialidade e do enfoque enactivo. In: OLIVEIRA, M. J. (org.). Direitos humanos e pluriversalidade: conexões temáticas. 1. ed. Curitiba: Editora Prismas Ltda, 2017. p. 85-118.

NAZARENO, E.; ARAÚJO, O. C. G. Reflexões em torno do tema contextual “Etnicidade e diversidade cultural”. Revista Articulando e construindo saberes, Goiânia, v. 2, n. 1, 2017.

NOSSOS ESPÍRITOS não falam inglês: internato indígena. Direção: Chip Richie, Produção: Steven Heape. [Estados Unidos: s. n.], 2008. 1 vídeo (52 min.).

PIMENTEL DA SILVA, M. do S. A pedagogia da retomada: decolonização de saberes. Articulando e Construindo Saberes, Goiânia, v. 2, n. 1, p. 204-216, 2017.

PIMENTEL DA SILVA, M. do S. As línguas indígenas na escola: da desvalorização à revitalização. Signótica, v. 18, n. 2, p. 381-395, jul./dez. 2006.

PIN, A. E. História da educação do povo Javaé: do período colonial à República. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2014.

REPETTO, M. Os sentidos das fronteiras na transdisciplinaridade e na interculturalidade. Textos & Debates, Boa Vista, n. 22, p. 13-30, jul./dez. 2012.

STEIL, C. A.; CARVALHO, I. C. M. Epistemologias ecológicas: delimitando um conceito. Mana: Estudos de Antropologia Social, n. 20, v. 1, p. 163-183, 2014.

THIAGO, E. M. C. P. S. O texto multimodal de autoria indígena: narrativa, lugar e interculturalidade. Tese (Doutorado em Estudos Linguísticos e Literários em Inglês) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS. Projeto Político Pedagógico. Licenciatura Intercultural. Goiânia: UFG, 2011.

VARELA, F. J.; THOMPSON, E.; ROSCH, E. De cuerpo presente: las ciencias cognitivas y la experiencia humana. Barcelona: Editorial Gedisa, 1992.

WALSH, C. (org.). Pedagogías decoloniales: prácticas insurgentes de resistir, (re)existir y (re)vivir. Tomo I. Quito-Ecuador: Ediciones Abya-Yala, 2013. p. 23-68.

WALSH, C.; VIAÑA J.; TAPIA, L. Interculturalidad crítica y educación intercultural. Bolívia: Instituto Internacional de Integración, 2010. p. 75-96.

Publicado
16-04-2019
Como Citar
PEREIRA, T. M. G.; ARAÚJO, O. C. G.; NAZARENO, E. Transdisciplinaridade e interculturalidade: experiências vividas e compartilhadas no curso de educação intercultural indígena – UFG (2018). Roteiro, v. 44, n. 2, p. 1-22, 16 abr. 2019.
Seção
Seção Temática: Educação e Diferença: diálogo e perspectivas