A AUTOAVALIAÇÃO NA APRENDIZAGEM DE LÍNGUA INGLESA: SUBSÍDIO PARA RECONHECIMENTO DA PRÓPRIA APRENDIZAGEM E GESTÃO DO ERRO

  • Giovana Chimentão Punhagui Universidade Estadual de Londrina
  • Nadia Aparecida de Souza Universidade Estadual de Londrina

Resumo

Resumo: Os documentos oficiais para o ensino de língua estrangeira, na educação básica, apresentam a necessidade de oferecer subsídios para que o indivíduo se posicione criticamente no contexto no qual está inserido e estabeleça diálogo com outras realidades. Como a aprendizagem de uma língua demanda estudo constante, até mesmo após o período escolar – quando não há mais a figura do professor como mediador –, o desenvolvimento de maior autonomia para com o aprender se faz relevante. Uma das opções, revelada pela literatura como desencadeadora de maior independência cognitiva, é a utilização da autoavaliação. Este estudo é um recorte de uma dissertação de mestrado em andamento, e tem por objetivo expor a análise da efetividade da autoavaliação no reconhecimento da situação na qual se encontra a aprendizagem e do tratamento do erro como possibilidade para aprender. A pesquisa, de abordagem qualitativa, na modalidade estudo de caso, teve a participação de 36 alunos da 8ª série de uma escola pública da região Norte do Paraná. As informações dos instrumentos de coleta foram submetidas à análise de conteúdo temática, permitindo constatar que a maioria dos alunos, após trabalho com a autoavaliação, mostrou ser capaz de reconhecer seus pontos fortes e suas dificuldades e considerou o erro como alavanca para mudanças na aprendizagem, revelando o potencial deste instrumento para desencadear reflexão sobre a situação de aprendizagem.

Palavras-chave: Aprendizagem de língua inglesa. Autoavaliação. Regulação da aprendizagem. Autonomia. Abordagem do erro.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
28-09-2012
Como Citar
PUNHAGUI, G. C.; DE SOUZA, N. A. A AUTOAVALIAÇÃO NA APRENDIZAGEM DE LÍNGUA INGLESA: SUBSÍDIO PARA RECONHECIMENTO DA PRÓPRIA APRENDIZAGEM E GESTÃO DO ERRO. Roteiro, v. 37, n. 2, p. 265-294, 28 set. 2012.
Seção
Dossiê Políticas e práticas de avaliação no ensino fundamental