Processos de auto(trans)formação permanente com educadores: possibilidades de reinvenção da pedagogia popular na escola pública

Palavras-chave: Auto(trans)formação permanente, Educação popular, Escola pública

Resumo

Neste artigo apresentam-se reflexões de uma pesquisa qualitativa, fruto de uma dissertação de mestrado em que se propôs estudar e compreender a auto(trans)formação permanente de professores e estudantes pelo entrelaçamento da práxis educativa escolar com a pedagogia popular. Foram abordados os conceitos de formação permanente (FREIRE, 2011a), formação docente (IMBERNÓN, 2011) e auto(trans)formação permanente (HENZ; FREITAS, 2015a, 2015b). O trabalho traz as contribuições da pedagogia popular de Freire (2011a) como uma possibilidade para a escola pública e uma educação mais significativa para educandos e educadores. A abordagem metodológica escolhida foi embasada nos Círculos Dialógicos Investigativo-formativos (HENZ, 2014, 2015; HENZ; FREITAS, 2015a), que privilegiam espaços de diálogo e auto(trans)formação docente com ênfase e proximidade no cotidiano dos estudantes e da comunidade. A metodologia caracteriza-se como pesquisa-participante (BRANDÃO, 2001), realizada por meio de Círculos Dialógicos Investigativo-formativos com o coletivo de educadoras de uma escola pública de Barra Funda, RS. A análise mostrou que o diálogo tem muito a contribuir para os momentos de auto(trans)formação com as educadoras, coautoras da pesquisa, a partir de temáticas cotidianas e inquietantes que emergiram dos Círculos, abrindo a possibilidade de auto(trans)formação para que os docentes e a própria escola pública construam uma educação mais problematizadora, dialógica e humana.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Celso Ilgo Henz, Universidade Federal de Santa Maria

Possui graduação em Filosofia pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letras Dom Bosco (1990), Mestrado em Educação pela Universidade Federal de Santa Maria (1995), Doutorado em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2003) e Pós-Doutorado pela Universidad de Sevilla Sevilla/Espanha. Atualmente é professor associado 2 da Universidade Federal de Santa Maria e pesquisador do PPGE, na Linha de Pesquisa: Formação, Saberes e Desenvolvimento Profissional. É líder do Grupo de Estudos e Pesquisa "DIALOGUS: educação, formação e humanização com Paulo Freire", registrado junto à base do CNPq. Coordenador do Projeto de Pesquisa "Humanização e Cidadania na Escola: diálogos com professores", que objetiva uma pesquisa-formação permanente com professores da educação básica, e o Projeto de Extensão "Hora do Conto: meninos e meninas lendo o mundo e a palavra", buscando estimular o gosto pela leitura, a imaginação, a criatividade e a criticidade. Participa da organização dos Fóruns de Leituras de Paulo Freire, no RS, desde 1999.Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: auto(trans)formação permanente com professores, educação humanizadora, cidadania, leitura de mundo/leitura da palavra e Paulo Freire. Trabalha com palestras em seminários e congressos e projetos de formação continuada/permanente de professores em escolas municipais e estaduais. É editor da Revista Educação(B1) do Centro de Educação da UFSM.

Patrícia Signor, Universidade Federal de Santa Maria

Doutoranda em Educação pela UFSM, Linha de Pesquisa: Formação, Saberes e Desenvolvimento Profissional, Mestra em Educação pela UFSM pela mesma linha de pesquisa (2016). Possui graduação em Letras - Português e Espanhol pela Universidade de Passo Fundo (2012). Pós-Graduação nas áreas de Ensino e Aprendizagem de Língua Espanhola (UPF) e Gestão Escolar(UFSM). Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Língua Portuguesa e Língua Espanhola. Atua como professora da Educação Básica e Ensino Superior. Participa do grupo de estudos e pesquisas Dialogus: educação, formação e humanização com Paulo Freire, com registro no CNPq (2011).

Referências

BRANDÃO, C. R. Pesquisa Participante. 8. ed. 2. reimp. São Paulo: Brasiliense, 2001.

FREIRE, P. Professora sim, tia não: Cartas a quem ousa ensinar. São Paulo: Olho D’água, 1993.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 43. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2011a.

FREIRE, P. Pedagogia da esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido. 17. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2011b.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 55. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2013.

GHEDIN, E.; FRANCO, M. A. S. Questões de método na construção da pesquisa em educação. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

HENZ, C. I. Círculos Dialógicos Investigativo-formativos e Auto(Trans)Formação Permanente de Professores. In: HENZ, C. I.; TONIOLO, J. M. S. A (Org.). Dialogus: círculos dialógicos, humanização e auto(trans)formação de professores. São Leopoldo: Oikos, 2015.

HENZ, C. I. “Círculos Dialógicos Investigativo-formativos”: pesquisa-formação permanente de professores. In: SEMINÁRIO NACIONAL: DIÁLOGOS COM PAULO FREIRE – POR UMA PEDAGOGIA DOS HUMANOS, 8., 2014, Bento Gonçalves. Anais... Bento Gonçalves: Ed. URI, 2014.

HENZ, C. I.; FREITAS, L. M. Círculos Dialógicos Investigativo-formativos: uma possibilidade de pesquisa entrelaçando os Círculos de Cultura freireanos com a pesquisa-formação. In: FÓRUM DE ESTUDOS: LEITURAS DE PAULO FREIRE – EDUCAR COM SERIEDADE SIM, MAS COM ALEGRIA! AS CLASSES POPULARES NA ESCOLA PÚBLICA, 17., 2015, Santa Maria. Anais... Santa Maria: Ed. UFSM, 2015a.

HENZ, C. I.; FREITAS, L. M. Círculos Dialógicos Investigativo-formativos: uma proposta epistemológico-política de pesquisa. In: HENZ, C. I.; TONIOLO, J. M. S. A. (Org.). Dialogus: círculos dialógicos, humanização e auto(trans)formação de professores. São Leopoldo: Oikos, 2015b.

HENZ, C. I. Razão-emoção Crítico-reflexiva: um desafio permanente na capacitação de professores. Tese (Doutorado em Educação)–Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2003.

IMBERNÓN, F. Formação docente e profissional: formar-se para a mudança e a incerteza. 9. ed. São Paulo: Cortez: 2011.

ISAIA, S. M. A.; BOLZAN, D. P. V. Trajetórias da docência: articulando estudos sobre processos formativos e de aprendizagem de ser professor. In: ISAIA, S. M. A.; BOLZAN, D. P. V. (Org.). Pedagogia Universitária e desenvolvimento profissional docente. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2009.

JOSSO, M. C. Experiências de vida e formação. São Paulo: Cortez, 2004.

KRONBAUER, L. G. Gadamer: hermenêutica filosófica e educação. In: MARTINS, M. F.; PEREIRA, A. R. (Org.). Filosofia e Educação: Ensaios sobre autores clássicos. São Paulo: EdUFScar, 2014.

MARCELO, C. Formación del professorado para el cambio educativo. 2. ed. Barcelona: EUB, 1995.

SIGNOR, P. A auto(trans)formação permanente e a pedagogia de educação popular: entrelaçamentos possíveis entre a práxis educativa escolar e a realidade dos estudantes. 2016. Dissertação (Mestrado em Educação)–Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, 2016.

TARDIF, M. Saberes Docentes e Formação Profissional. Petrópolis: Vozes, 2002.

Publicado
06-12-2018
Como Citar
HENZ, C. I.; SIGNOR, P. Processos de auto(trans)formação permanente com educadores: possibilidades de reinvenção da pedagogia popular na escola pública. Roteiro, v. 43, n. esp, p. 273-298, 6 dez. 2018.
Seção
Dossiê Comemorativo Roteiro 40 anos