Pedagogia decolonial e educação de jovens, adultos e idosos no contexto de uma sociedade racializada

  • Marizete Lucini Universidade Federal de Sergipe
  • Leyla Menezes de Santana Universidade Federal de Sergipe

Resumo

Resumo: O presente artigo objetiva apresentar reflexões assentadas no âmbito da pedagogia decolonial como contribuições insurgentes às práticas pedagógicas da educação de jovens, adultos e idosos. Fruto de reflexões teóricas e pedagógicas, o caminho aqui delineado, à luz da fenomenologia hermenêutica, percorre os tensionamentos que o ensino na Educação de Jovens e Adultos (EJA) experimenta em relação às suas formas colonizadoras, em uma sociedade marcadamente racializada, mas também estabelece relação com as práticas pedagógicas vivenciadas por alfabetizadoras populares que, fixadas na realidade do campo, foram se constituindo e se reconhecendo como agentes de transformação ao se relacionarem com a educação e se engajarem comunitariamente para que jovens, adultos e idosos alcançassem a habilidade de ler e escrever. Essa dinâmica era vivenciada a partir de um movimento de construção, reflexão e reconstrução contínuos do ato educativo, com o deslocamento opressão/libertação, cuja principal exigência era a tomada de consciência que se realizava comunitariamente e a partir de um salto crítico.

Palavras-chave: Pedagogia decolonial. Educação de Jovens, Adultos e Idosos. Ensino decolonizado.

 

Decolonial pedagogy and youth, adults and elderly education in the context of a racialized society 

 

Abstract: This article aims to present reflections based on decolonial pedagogy as insurgent contributions to the pedagogical practices of the education of young people, adults and the elderly. As a result of theoretical and pedagogical reflections, the path outlined here, in the light of the phenomenological hermeneutics, goes through the tensions that teaching in Youth and Adult Education (YAE) experiences in relation to its colonized forms, in a markedly racialized society, but also establishes relationship with pedagogical practices lived by rural female literacy teachers who, established themselves in the countryside reality, were becoming and recognizing themselves as agents of transformation during the relational educational process, when community engaged to develop reading and writing skills of young people, adults and the elderly. This dynamics was experienced from a constant movement of construction, reflection and continuous reconstruction of the educational act, doing a displacement of oppression/liberation, whose main demand was the awareness that was given in a communitarian context during a critical breakthrough.

Keywords: Decolonial pedagogy. Youth, Adults and the Elderly Education. Decolonized teaching.


Pedagogía decolonial y educación de jóvenes, adultos y ancianos en el contexto de una sociedad racializada

 

Resumen: El presente artículo tiene como objetivo presentar reflexiones asentadas en el ámbito de la pedagogía decolonial como contribuciones insurgentes a las prácticas pedagógicas de la educación de jóvenes, adultos y ancianos. Fruto de reflexiones teóricas y pedagógicas, el camino aquí delineado, a la luz de la fenomenológia hermenéutica, recorre los tensos que la enseñanza en la Educación de Jóvenes y Adultos (EJA) experimenta en relación a sus formas colonizadoras, en una sociedad marcadamente racializada, pero también establece relación con las prácticas pedagógicas vivenciadas por alfabetizadoras populares que, fijadas en la realidad del campo, se fueron constituyendo y reconociendose como agentes de transformación al relacionarse con la educación y al involucrarse comunitariamente para que jóvenes, adultos y ancianos alcanzasen la habilidad de leer y escribir. Esta dinámica ha sido vivida a partir de un movimiento constante de construcción, reflexión y reconstrucción continua del acto educativo, con el desplazamiento opresión/liberación, cuya principal exigencia era la toma de conciencia que se daba comunitariamente y a partir de un salto crítico.

Palabras clave: Pedagogía decolonial. Educación de Jóvenes, Adultos y Ancianos. Enseñanza decolonizada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marizete Lucini, Universidade Federal de Sergipe
Doutora em Educação pela Universidade Estadual de Campinas. Professora no Departamento de Educação da UFS. Professora no Programa de Pós-Graduação em Educação da UFS - PPGED e do Programa de Mestrado Profissional em Ensino de História – PROFHISTÓRIA/UFRJ/UFS. Líder do Grupo de Pesquisa Educação, História e Interculturalidade (GPEHI/UFS). E-mail:marizetelucini@gmail.com
Leyla Menezes de Santana, Universidade Federal de Sergipe

Mestre em Educação pela Universidade Tiradentes. Doutoranda em Educação pela Universidade Federal de Sergipe. Membro do Grupo de Pesquisa Educação, História e Interculturalidade (GPEHI/UFS). E:mail: leyla.menezes@gmail.com 

Referências

BEISIEGEL, C. de R. Paulo Freire. Recife: Fundação Joaquim Nabuco: Editora Massangana, 2010.

BRASIL. Ministério de Educação. Diretoria de Alfabetização e Educação de Jovens e Adultos. Balanço do Brasil Alfabetizado. Brasília (DF): [s. n.], 2012. 30 transparências, color., 25 cm x 20 cm.

CANDAU, V. M. Educação intercultural na América Latina: tensões atuais. Trabalho apresentado no Congresso Iberoamericano de História da Educação na América Latina (CIHELA), realizado na UERJ, em 2009.

CONTE, I. I.; RIBEIRO, M. Saberes-fazeres que atravessam a Educação do Campo. Revista Roteiro, Joaçaba, v. 42, n. 1, p. 201-222, jan./abr. 2017. Disponível em: http://editora.unoesc.edu.br/index.php/roteiro/article/view/10695. Acesso em: 18 ago. 2017.

DUSSEL, E. Ética da libertação na idade da globalização e da exclusão. 4. ed. Petrópolis (RJ): Vozes, 2012.

FIGUEIREDO, J. B. de A.; SILVA, C. R. da. Contributos para a Formação d@ Educador(a) numa Perspectiva Freireana Descolonializante: um estudo de caso. Visão Global, Joaçaba, v. 15, n. 1-2, p. 115-134, jan./dez. 2012. Disponível em: https://editora.unoesc.edu.br/index.php/visaoglobal/article/view/3416. Acesso em: 05 jul. 2017

FREIRE, P. Ação cultural para a liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2001b.

FREIRE, P. Cartas à Guiné-Bissau: registros de uma experiência em processo. 2. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1978.

FREIRE, P. Carta de Paulo Freire aos professores. Revista Estudos Avançados, São Paulo, v. 15 n. 42, p. 259-268, maio/ago. 2001a. Disponível em:

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142001000200013. Acesso em 19 ago. 2017.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

FREIRE, P. Pedagogia da Esperança: Um encontro com a Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992.

FREIRE, P. Pedagogia da tolerância. 2. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2014.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

IBGE. Pesquisa nacional por amostra de domicílio contínua. Rio de Janeiro: IBGE, 2018.

JESUS, M. P. dos S de. Lutas e transformações no contexto político-racial: reflexões no campo da Educação de Jovens e Adultos. In: MEIRELES, M. M. de. Educação, diversidade e diferenças: olhares (des)colonizados e territorialidades múltiplas. 1. ed. Curitiba: CRV, 2015.

MACHADO, M. A. de C. Políticas educacionais no Brasil na área de educação de jovens e adultos: o caso do Programa Brasil Alfabetizado em Sergipe. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Tiradentes, Aracaju, 2015.

MASINI, E. F. S. Enfoque fenomenológico de pesquisa em Educação. In: FAZENDA, Ivani (org.). Metodologia da pesquisa educacional. São Paulo: Cortez, 2010. p. 65-74.

PAIM, E. A. Para além das leis: o ensino de culturas e histórias africanas, afrodescendentes e indígenas como decolonização do ensino de história. In: MOLINA, A. H. FERREIRA, C. A. L. Entre textos e contextos: caminhos do ensino de história. Curitiba: Editora CRV, 2016. p. 141-166.

PAIVA, V. Paulo Freire e o nacionalismo desenvolvimentista. São Paulo: Graal, 2000.

PASTORAL DA CRIANÇA. Aprendendo e ensinando, ensinando e aprendendo. Curitiba: Pastoral da Criança, 2008.

PASTORAL DA CRIANÇA. Missão e gestão: educação de jovens e adultos. Curitiba: Pastoral da Criança, 2007.

PENNA, C. Paulo Freire no pensamento decolonial: um olhar pedagógico sobre a teoria pós-colonial latino-americana. Brasília: Revista de Estudos e Pesquisas sobre as Américas, v. 8, n. 2, p. 181-199, 2014. Disponível em: http://periodicos.unb.br/index.php/repam/article/view/12609. Acesso em: 19 ago. 2017.

PIMENTEL, Á. Sensibilidade e Criação. In: FEITOSA, D. A.; DORNELES, M. do A.; BERGAMASCHI, M. A. (org.). O sensível e a sensibilidade na pesquisa em educação. Cruz das Almas (BA): UFRB, 2016. p. 7-17.

RIVERO, J. Alfabetização e educação de jovens e adultos na América Latina, direito humano fundamental e fator essencial de equidade social. In: UNESCO. Educação de jovens e adultos na América Latina: direito e desafio de todos. São Paulo: UNESCO/Fundação Santillana, 2009. p. 9-54.

WALSH, C. Interculturalidade crítica e pedagogia decolonial: in-surgir, re-existir e re-viver. In: CANDAU, V. M. (org.). Educação intercultural na América Latina: entre concepções, tensões e propostas. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2009.

Publicado
19-02-2019
Como Citar
Lucini, M., & Santana, L. (2019). Pedagogia decolonial e educação de jovens, adultos e idosos no contexto de uma sociedade racializada. Roteiro, 44(1), 1-18. https://doi.org/10.18593/r.v44i1.15451
Seção
Seção Temática: Educação étnico-racial: desafios cotidianos para além dos aspectos legais