Pedagogia decolonial e educação de jovens, adultos e idosos no contexto de uma sociedade racializada

Palavras-chave: Pedagogia decolonial, Educação de Jovens, Adultos e Idosos, Ensino decolonizado

Resumo

O presente artigo objetiva apresentar reflexões assentadas no âmbito da pedagogia decolonial como contribuições insurgentes às práticas pedagógicas da educação de jovens, adultos e idosos. Fruto de reflexões teóricas e pedagógicas, o caminho aqui delineado, à luz da fenomenologia hermenêutica, percorre os tensionamentos que o ensino na Educação de Jovens e Adultos (EJA) experimenta em relação às suas formas colonizadoras, em uma sociedade marcadamente racializada, mas também estabelece relação com as práticas pedagógicas vivenciadas por alfabetizadoras populares que, fixadas na realidade do campo, foram se constituindo e se reconhecendo como agentes de transformação ao se relacionaremm a educação e se engajarem comunitariamente para que jovens, adultos e idosos alcançassem a habilidade de ler e escrever. Essa dinâmica era vivenciada a partir de um movimento de construção, reflexão e reconstrução contínuos do ato educativo, com o deslocamento opressão/libertação, cuja principal exigência era a tomada de consciência que se realizava comunitariamente e a partir de um salto crítico.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marizete Lucini, Universidade Federal de Sergipe

Doutora em Educação pela Universidade Estadual de Campinas. Professora no Departamento de Educação da UFS. Professora no Programa de Pós-Graduação em Educação da UFS - PPGED e do Programa de Mestrado Profissional em Ensino de História – PROFHISTÓRIA/UFRJ/UFS. Líder do Grupo de Pesquisa Educação, História e Interculturalidade (GPEHI/UFS). E-mail:marizetelucini@gmail.com

Leyla Menezes de Santana, Universidade Federal de Sergipe

Mestre em Educação pela Universidade Tiradentes. Doutoranda em Educação pela Universidade Federal de Sergipe. Membro do Grupo de Pesquisa Educação, História e Interculturalidade (GPEHI/UFS). E:mail: leyla.menezes@gmail.com 

Referências

BEISIEGEL, C. de R. Paulo Freire. Recife: Fundação Joaquim Nabuco: Editora Massangana, 2010.

BRASIL. Ministério de Educação. Diretoria de Alfabetização e Educação de Jovens e Adultos. Balanço do Brasil Alfabetizado. Brasília (DF): [s. n.], 2012. 30 transparências, color., 25 cm x 20 cm.

CANDAU, V. M. Educação intercultural na América Latina: tensões atuais. Trabalho apresentado no Congresso Iberoamericano de História da Educação na América Latina (CIHELA), realizado na UERJ, em 2009.

CONTE, I. I.; RIBEIRO, M. Saberes-fazeres que atravessam a Educação do Campo. Revista Roteiro, Joaçaba, v. 42, n. 1, p. 201-222, jan./abr. 2017. Disponível em: http://editora.unoesc.edu.br/index.php/roteiro/article/view/10695. Acesso em: 18 ago. 2017.

DUSSEL, E. Ética da libertação na idade da globalização e da exclusão. 4. ed. Petrópolis (RJ): Vozes, 2012.

FIGUEIREDO, J. B. de A.; SILVA, C. R. da. Contributos para a Formação d@ Educador(a) numa Perspectiva Freireana Descolonializante: um estudo de caso. Visão Global, Joaçaba, v. 15, n. 1-2, p. 115-134, jan./dez. 2012. Disponível em: https://editora.unoesc.edu.br/index.php/visaoglobal/article/view/3416. Acesso em: 05 jul. 2017

FREIRE, P. Ação cultural para a liberdade. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2001b.

FREIRE, P. Cartas à Guiné-Bissau: registros de uma experiência em processo. 2. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1978.

FREIRE, P. Carta de Paulo Freire aos professores. Revista Estudos Avançados, São Paulo, v. 15 n. 42, p. 259-268, maio/ago. 2001a. Disponível em:

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142001000200013. Acesso em 19 ago. 2017.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

FREIRE, P. Pedagogia da Esperança: Um encontro com a Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992.

FREIRE, P. Pedagogia da tolerância. 2. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2014.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

IBGE. Pesquisa nacional por amostra de domicílio contínua. Rio de Janeiro: IBGE, 2018.

JESUS, M. P. dos S de. Lutas e transformações no contexto político-racial: reflexões no campo da Educação de Jovens e Adultos. In: MEIRELES, M. M. de. Educação, diversidade e diferenças: olhares (des)colonizados e territorialidades múltiplas. 1. ed. Curitiba: CRV, 2015.

MACHADO, M. A. de C. Políticas educacionais no Brasil na área de educação de jovens e adultos: o caso do Programa Brasil Alfabetizado em Sergipe. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Tiradentes, Aracaju, 2015.

MASINI, E. F. S. Enfoque fenomenológico de pesquisa em Educação. In: FAZENDA, Ivani (org.). Metodologia da pesquisa educacional. São Paulo: Cortez, 2010. p. 65-74.

PAIM, E. A. Para além das leis: o ensino de culturas e histórias africanas, afrodescendentes e indígenas como decolonização do ensino de história. In: MOLINA, A. H. FERREIRA, C. A. L. Entre textos e contextos: caminhos do ensino de história. Curitiba: Editora CRV, 2016. p. 141-166.

PAIVA, V. Paulo Freire e o nacionalismo desenvolvimentista. São Paulo: Graal, 2000.

PASTORAL DA CRIANÇA. Aprendendo e ensinando, ensinando e aprendendo. Curitiba: Pastoral da Criança, 2008.

PASTORAL DA CRIANÇA. Missão e gestão: educação de jovens e adultos. Curitiba: Pastoral da Criança, 2007.

PENNA, C. Paulo Freire no pensamento decolonial: um olhar pedagógico sobre a teoria pós-colonial latino-americana. Brasília: Revista de Estudos e Pesquisas sobre as Américas, v. 8, n. 2, p. 181-199, 2014. Disponível em: http://periodicos.unb.br/index.php/repam/article/view/12609. Acesso em: 19 ago. 2017.

PIMENTEL, Á. Sensibilidade e Criação. In: FEITOSA, D. A.; DORNELES, M. do A.; BERGAMASCHI, M. A. (org.). O sensível e a sensibilidade na pesquisa em educação. Cruz das Almas (BA): UFRB, 2016. p. 7-17.

RIVERO, J. Alfabetização e educação de jovens e adultos na América Latina, direito humano fundamental e fator essencial de equidade social. In: UNESCO. Educação de jovens e adultos na América Latina: direito e desafio de todos. São Paulo: UNESCO/Fundação Santillana, 2009. p. 9-54.

WALSH, C. Interculturalidade crítica e pedagogia decolonial: in-surgir, re-existir e re-viver. In: CANDAU, V. M. (org.). Educação intercultural na América Latina: entre concepções, tensões e propostas. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2009.

Publicado
19-02-2019
Como Citar
LUCINI, M.; SANTANA, L. Pedagogia decolonial e educação de jovens, adultos e idosos no contexto de uma sociedade racializada. Roteiro, v. 44, n. 1, p. 1-18, 19 fev. 2019.
Seção
Seção Temática: Educação étnico-racial: desafios cotidianos para além dos aspectos legais