A pedagogia do estético na formação docente: uma proposta de (re)(des)construção de conceitos sobre famílias

Palavras-chave: Formação docente, Cinema, Representações sociais, Famílias organizadas em modelos não convencionais

Resumo

Neste texto o objetivo é problematizar o conceito de família ideal e família desestruturada de professores da educação básica da rede pública de ensino. Para atender ao objetivo proposto, traz-se o recorte de uma pesquisa de doutoramento, na qual elaborou-se, desenvolveu-se e aplicou-se uma proposta de formação para 15 docentes da educação básica. A metodologia consistiu na transmissão de obras fílmicas, em um total de oito encontros, cuja temática central era famílias não convencionais. Durante a intervenção aplicamos de forma individual um conjunto de instrumentos para coleta de dados, no entanto, neste artigo enfatizam-se os resultados obtidos mediante aplicação do inventário com ênfase no trabalho de Associação Livre de Palavras (ALP), o qual foi proposto no primeiro e no último encontro. Os dados obtidos foram categorizados com o auxílio do software EVOC e discutidos com base na Teoria das Representações Sociais (TRS), com apoio da Teoria do Núcleo Central (TNC). Concluiu-se que o cinema associado a outras estratégias que problematizem o conceito de família possibilita mobilizar e ressignificar sentidos associados aos conceitos de família ideal e família desestruturada.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Isaias Batista de Oliveira Júnior, Universidade Estadual do Paraná

Professor Colaborador na Universidade Estadual do Paraná - UNESPAR. Doutor em Educação na Universidade Estadual Paulista Júlio Mesquita Filho. Mestre em Educação pelo Programa de Pós Graduação em Educação da Universidade Estadual de Maringá. Pós Graduado em Psicopedagogia Clínica e Institucional. Pós Graduado em Neuropedagogia na Educação. Pós Graduado em Gestão Escolar. Licenciado em Pedagogia. Licenciado em Educação Física pela Universidade Estadual de Londrina. Graduado em Nutrição.

Referências

ABRIC, J. C. A abordagem estrutural das representações sociais. Desenvolvimentos recentes. In: CAMPOS, P. H. F.; LOUREIRO, M. C. S. (Org.). Representações sociais e práticas educativas. Goiânia: Ed. da UCG, 2003. p. 37-57.

ABRIC, J. C. A abordagem estrutural das representações sociais. In: MOREIRA, A. S. P.; OLIVEIRA, D. C. de (Org.). Estudos interdisciplinares de representação social. Goiânia: AB, 1998. p. 27-38.

AMAZONAS, M. C. L. de A. et al. Arranjos familiares de crianças das camadas populares. Psicologia em Estudo, Maringá, v. 8, p. 11-20, 2003. Edição Especial.

ANDRADE, F. C. B. de. A teoria das representações sociais. In: SANTOS, C. S. G. dos; ANDRADE, F. C. B. de (Org.). Representações sociais e formação do educador: revelando interseções e discursos. João Pessoa: Editora Universitária, 2002. p. 17-34.

A RAZÃO do meu afeto. Direção de Nicholas Hytner. EUA: Fox Filmes, 1998. Filme (113 min).

AUMONT, J. Pode um Filme Ser um Ato de Teoria? Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 33, n. 1, p. 21-34, jan./jun. 2008.

BABY Love. Direção de Vincent Garenq. França: Films Distribution, 2008. Filme (99 min).

BARCELLOS, L. V. A família homossexual vista pela jurisprudência constante. 2013. Monografia (Graduação em Direito)–Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul, Ijuí, 2013.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Tradução Luís Antero Reto e Augusto Pinheiro. 4. ed. rev. e atual. Lisboa: Edições 70, 2010.

BELLA. Direção de Alejandro Monteverde. EUA; México: Califórnia Filmes, 2006. Filme (91 min).

BLASCO, P. G. et al. Cinema para o estudante de Medicina: um recurso afetivo/efetivo na educação humanística. Revista Brasileira de Educação Médica, Rio de Janeiro, v. 29, n. 2, p. 119-128, maio/ago. 2005.

BRASIL. Constituição. República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF: Senado Federal, 1988.

DE CORAÇÃO partido. Direção de Jon Gunn. EUA: Paris Filmes, 2009. Filme (104 min).

ENGELS, F. A origem da família, da propriedade privada e do Estado. Tradução Leandro Korder. 9. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1984.

FABRIS, E. H. Cinema e Educação: um caminho metodológico. Educação & Realidade, Porto Alegre, v. 33, n. 1, p. 117-134, jan./jun. 2008.

FABRIS, E. H. Em cartaz: o cinema brasileiro produzindo sentidos sobre a escola e trabalho docente. 2005. 231 p. Tese (Doutorado em Educação)–Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2005.

FISCHER, S. Cotidianos no cinema brasileiro contemporâneo: imagens da família, da casa e da rua. Porto Alegre: Plus, 2009.

FRAGA, P. D. Sobre Cinema e Educação estética. Revista Espaço Acadêmico, Maringá, n. 137, p. 16-22, out. 2012.

GUIMARÃES, C. A experiência estética e a vida ordinária. Revista Eletrônica E-Compós, n. 1, p. 1-13, dez. 2004.

HINTZ, H. C. Novos tempos, novas famílias? Da modernidade à pós-modernidade. Pensando Famílias, Porto Alegre, n. 3, p. 8-19, 2001.

KEHL, M. R. Em defesa da família tentacular. Artigos e Ensaios. [S.l.], 2003. Disponível em: <http://www.mariaritakehl.psc.br/PDF/emdefesadafamiliatentacular.pdf>. Acesso em: 17 jul. 2014.

LACAN, J. A família. Tradução Brigitte Cardoso e Cunha, Ana Paula dos Santos e Graça Lamas Graça Lapa. 2. ed. Lisboa: Assirio & Alvim, 1981.

LEÃO, N.; SIMAS, F.; FARIELLO, D. Veja os direitos que os homossexuais ganham com a decisão do STF. IG: Último Segundo. 2011. Disponível em: <http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/veja+os+direitos+que+os+homossexuais+ganham+com+a+decisao+do+stf/n1300153607263.html>. Acesso em: 01 set. 2014.

MENIN, M. S. de S.; ZECHI, J. A. M. Manual: conjunto de programas permitindo a análise de evocação – EVOC 2000. Presidente Prudente: Ed. Unesp, 2003.

MOSCOVICI, S. A representação social da psicanálise. Rio de Janeiro: Zahar, 1978.

MOSCOVICI, S. Representações sociais: investigações em psicologia social. Tradução Pedrinho A. Guareschi. 11. ed. Petrópolis: Vozes, 2015.

OS GAROTOS estão de volta. Direção de Scott Hicks. Reino Unido; Austrália: Califónia Filmes, 2009. Filme (103 min).

PELOS olhos de Maisie. Direção de Scott Mcgehee, David Siegel. EUA: Weinstock Productions, 2012. Filme (99 min).

PEREIRA, M. V. Contribuições para entender a experiência estética. Revista Lusófona de Educação, Lisboa, v. 18, n. 18, p. 111-123, 2011.

PEREIRA, R. da C. Princípios fundamentais e norteadores para a organização jurídica da família. 2004. 157 p. Tese (Doutorado em Direito)–Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2004.

POLETTO, M.; KOLLER, S. H. Contextos ecológicos: promotores de resiliência, fatores de risco e de proteção. Estudos de Psicologia, Campinas, v. 25, n. 3, p. 405-416, jul./set. 2008.

RIBEIRO, F. S.; CRUZ, F. M. L. Representações sociais de família por crianças na cidade de Recife. Psicologia & Sociedade, Belo Horizonte, v. 25, n. 3, p. 612-622, 2013.

ROUDINESCO, E. A família em desordem. Tradução André Telles. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2003.

SÁ, C. P. de. Núcleo central das representações sociais. Petrópolis: Vozes: 1996a.

SÁ, C. P. de. Representações Sociais: Teoria e Pesquisa do Núcleo Central. Temas em Psicologia, n. 3, p. 19-33, 1996b.

SACRAMENTO, A. J. C. O cinema na prática pedagógica: Projeto Cine Modelo realizado no Colégio Modelo Luiz Eduardo Magalhães. 2008. Monografia (Graduação em Pedagogia)–Universidade do Estado da Bahia, Juazeiro, 2008.

SILVA, M. R. S. da et al. Processos que sustentam a resiliência familiar: um estudo de caso. Texto & Contexto Enfermagem, Florianópolis, v. 18, n. 1, p. 92-99, jan./mar. 2009.

SILVA, P. F. C. Olhe bem de perto: a construção dos discursos sobre a família nos filmes hollywoodianos contemporâneos. 2012. 212 p. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais)–Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2012.

SOARES, M. L. P. Educação estética: investigando possibilidades a partir de um grupo de professoras. 2008. 99 p. Dissertação (Mestrado em Educação)–Universidade do Vale do Itajaí, Itajaí, 2008.

UM DIA desses. Direção de Travis Fine. EUA: PFM Pictures, 2012. Filme (98 min).

UMA LIÇÃO de amor. Direção de Jessie Nelson. EUA: Playarte, 2002. Filme (127 min).

WAGNER, A. Os desafios da família contemporânea: revisitando conceitos. In: WAGNER, A. et al. (Org.). Desafios Psicossociais da Família Contemporânea: Pesquisas e Reflexões. 1. ed. Porto Alegre: Artmed, 2011. p. 19-35.

WALSH, F. Fortalecendo a resiliência familiar. Tradução Magda França Flores. Revisão Científica Cláudia Bruscagin. São Paulo: Roca, 2005.

YUNES, M. Â. M.; GARCIA, N. M.; ALBUQUERQUE, B. de M. Monoparentalidade, pobreza e resiliência: entre as crenças dos profissionais e as possibilidades da convivência familiar. Psicologia: Reflexão e Crítica, Rio Grande do Sul, v. 20, n. 3, p. 444-453, 2007.

Publicado
04-12-2017
Como Citar
OLIVEIRA JÚNIOR, I. B. DE. A pedagogia do estético na formação docente: uma proposta de (re)(des)construção de conceitos sobre famílias. Roteiro, v. 42, n. 3, p. 449-476, 4 dez. 2017.