Arquivar a vida: uma possibilidade para o ensino de História

  • Geyso Dongley Germinari UTP

Resumo

O artigo aborda a possibilidade do uso escolar de documentos históricos encontrados em arquivos familiares. Tais arquivos são formados por fotografias, certidões de nascimento, notas fiscais, carteiras de trabalho, entre outras fontes históricas guardadas em gavetas e armários de qualquer residência. A partir dessa temática, a investigação busca compreender as possibilidades e limites da utilização de arquivos familiares em aulas de História, dos anos iniciais do ensino fundamental. Para tanto, realizou-se uma pesquisa de campo com duas professoras da rede municipal de ensino do Município de Pinhais, PR. A metodologia de investigação foi referenciada na pesquisa qualitativa/interpretativa aplicada à educação, a qual orientou a coleta de dados, desenvolvida por meio de observações, no momento do planejamento das aulas e entrevistas com as professoras. Ao usarem as fontes históricas de arquivos familiares, as professoras expressaram ideias a respeito das seguintes dificuldades de natureza didático-metodológica: trabalhar a participação dos sujeitos na História; relacionar a História local com a História geral; desenvolver a noção de temporalidade histórica; desenvolver trabalhos coletivos.

Palavras-chave: Arquivo familiar. Ensino de História. Metodologia de ensino.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Geyso Dongley Germinari, UTP
Professor do programa de mestrado e doutorado em educação da Universidade Tuiuti do Paraná.
Publicado
12-06-2012
Como Citar
GERMINARI, G. D. Arquivar a vida: uma possibilidade para o ensino de História. Roteiro, v. 37, n. 1, p. 51-70, 12 jun. 2012.
Seção
Artigos