O trabalho de fim de curso como contributo para a formação inicial de professores: uma análise focada no instituto superior de ciências da educação (ISCED) de Cabinda, Angola

  • Maria Helena Canhici Fae\UFMG (Brasil) / Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto
  • Carlinda Leite CIIE – Centro de Investigação e Intervenção Educativas, Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto
  • Preciosa Fernandes CIIE – Centro de Investigação e Intervenção Educativas, Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto
Palavras-chave: Formação inicial de professores, Trabalho Final de Curso, Angola, ISCED

Resumo

No artigo expõe-se sobre a opção, no Instituto Superior de Ciências da Educação (ISCED) de Cabinda, por um Trabalho de Fim de Curso (TFC) como contributo para a formação inicial de professores. Recorrendo a entrevistas, no estudo analisam-se as opiniões dos responsáveis da Decania e dos chefes dos departamentos de ensino e investigação. Na opinião dos responsáveis pelo ISCED, o modelo de formação adotado proporciona conhecimentos gerais de conteúdos de ensino e de investigação, embora não forneça conhecimentos específicos relativos a práticas docentes. Considerando a opinião dos entrevistados, embora a opção curricular por um TFC em vez de um estágio com relatório não seja considerada a ideal para a formação de futuros professores, ela permite que os estudantes desenvolvam competências investigativas nos domínios dos estudos que realizam, habilitando-os a um desempenho melhor no curso.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BOLÍVAR, A. Como melhorar as escolas. Porto: Edições ASA, 2003.

CARDOSO, E. M.; FLORES, M. A. A formação inicial de professores em Angola: problemas e desafios. In: CONGRESSO INTERNACIONAL GALEGO-PORTUGUÊS DE PSICOPEDAGOGIA, 10., 2009, Braga. Anais... Braga: Universidade do Minho, 2009.

DELORS, J. et al. A educação: um tesouro a descobrir. Porto: Edições ASA, 1996.

ESTRELA, M. T.; FREIRE, I. Formação de professores. Sísifo: Revista de Ciências da Educação, n. 8, p. 3-5, 2009.

ESTRELA, M. T. Síntese da investigação sobre formação inicial de professores em Portugal. Porto: Porto Editora, 2002.

GARCIA, C. M. Formação de professores: para uma mudança educativa. Porto: Porto Editora, 1999.

GARCIA, C. M. O professor iniciante, a prática pedagógica e o sentido da experiência. Formação Docente: Revista Brasileira de Pesquisa sobre Formação Docente, v. 2, n. 3, p. 11-49, 2010.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2002.

JOSEFA, J. N. Formação pedagógica e ação docente: o processo de colocação dos professores na escola do Primeiro Ciclo do Ensino Secundário em Cabinda, Angola. 2014. 155 p. Dissertação (Mestrado em Educação)–Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2014.

LEITE, C. A formação inicial de professores no quadro dos compromissos de Bolonha: contributos para uma reflexão sobre o que foi instituído em Portugal. Formação Docente: Revista Brasileira de Pesquisa sobre Formação Docente, v. 4, n. 7, p. 10-18, 2012.

LEITE, C.; FERNANDES, P. Desafios aos professores na construção de mudanças educacionais e curriculares: que possibilidades e que constrangimentos? Educação, Porto Alegre, v. 33, n. 3, p. 198-204, 2010.

LEITE, C. Percursos e tendências recentes da formação de professores em Portugal. Educação, Porto Alegre, v. 28, n. 3, p. 371-389, 2005.

LEITE, C. Políticas de currículo em Portugal e (im)possibilidades da escola se assumir como uma instituição curricularmente inteligente. Currículo sem Fronteiras, v. 6, n. 2, p. 67-81, 2006.

LEITE, C. Políticas de formação de professores do ensino básico em Portugal: uma análise focada no exercício da profissão. Revista Educação e Cultura Contemporânea, v. 11, n. 26, p. 8-29, 2014.

LEITE, C. Ser professor nos dias de hoje... formar professores num mundo em mudança. Revista Educação, Santa Maria, v. 34, n. 2, p. 251-264, 2009.

LLAMAS, G. Formación del profesorado: necessidades y demandas. Barcelona: Editorial Praxis, 1999.

LÜDKE, M. Sobre a socialização profissional de professores. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, n. 99, p. 5-15, nov. 1996.

LUSSINGA, A.; LEITE, C. A formação inicial de professores em Angola: um estudo focado nos cursos do ensino de Biologia e Geografia do Isced do Huambo. Lúmen, v. 24, n. 1, p. 11-31, 2015.

NGULUVE, A. K. Política educacional Angolana (1976-2005): organização, desenvolvimento e perspectivas. 2006. 218 p. Dissertação (Mestrado em Educação)–Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006.

NÓVOA, A. O regresso dos professores. Oeiras, 2011. Disponível em: <https://pt.scribd.com/document/68387246/O-regresso-dos-professores>. Acesso em: 18 maio 2017.

NÓVOA, A. Para uma formação de professores construída dentro da profissão. Portugal: Universidade de Lisboa, 2009. Disponível em: <http://www.revistaeducacion.educacion.es/re350/re350_09por.pdf>. Acesso em: 27 mar. 2017.

NZAU, D. K.; COSTA, J. B. Formação continuada de professores de física, em Angola, com base num modelo didáctico para o campo conceptual de força. Revista Brasileira de Ensino de Física, v. 34, n. 3, p. 1-14, 2012. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rbef/v34n3/a14v34n3.pdf>. Acesso em: 03 abr. 2017.

QUITEMBO, A. D. A formação de professores de Matemática no Instituto Superior de Ciências de Educação em Benguela-Angola: um estudo sobre o seu desenvolvimento. 2010. Tese (Doutorado em Educação)–Universidade de Lisboa, Lisboa, 2010.

REPÚBLICA DE ANGOLA. Decreto-lei n. 90, de 15 de dezembro de 2009. Estabelece as normas gerais e reguladoras do Sistema de Ensino Superior – Revoga os Decretos-lei ns. 35/01, de 08 de junho e 65/04 de 22 de outubro e demais legislação que contrarie o disposto no presente decreto. Diário da República, Luanda, 15 dez. 2009.

REPÚBLICA DE ANGOLA. Lei n. 17, de 07 de outubro de 2016. Lei de Bases do Sistema de Educação e Ensino, que estabelece os princípios e as bases gerais do Sistema de Educação e de Ensino – Revoga a Lei n. 13/01, de 31 de dezembro e toda a legislação que contrarie o disposto na presente lei. Diário da República, Angola, 07 out. 2016.

REPÚBLICA DE ANGOLA. Plano nacional de formação de quadros (PNFQ) 2013-2020. Luanda: Órgãos Essenciais Auxiliares do Presidente da República, 2012.

SANTOS, M. Cultura, educação e ensino em Angola. Braga, 1998.

SCHNETZLER, R. P.; OLIVEIRA, C. Orientadores em foco: o processo da orientação de teses e dissertações em educação. Brasília, DF: Liber Livro, 2010.

SEVERINO, J. A. Metodologia do trabalho científico. 23. ed. São Paulo: Cortez, 2007.

SOUSA, M. J.; BAPTISTA, C. S. Como fazer investigação, dissertações, teses e relatórios segundo Bolonha. 5. ed. Lisboa: Lidel, 2011.

TAMO, K. Metodologia de investigação em ciências sociais: como elaborar um trabalho de fim de curso. 1. ed. Luanda: Capatê, 2012.

TARDIF, M.; LESSARD, C.; GAUTHIER, C. Formação dos professores e contextos sociais. Porto: Rès Editor, 2000.

ZEICHNER, K. Uma análise crítica sobre a “reflexão” como conceito estruturante na formação docente. Educação & Sociedade, v. 29, n. 103, p. 535-554, 2008.

Publicado
04-12-2017
Como Citar
CANHICI, M.; LEITE, C.; FERNANDES, P. O trabalho de fim de curso como contributo para a formação inicial de professores: uma análise focada no instituto superior de ciências da educação (ISCED) de Cabinda, Angola. Roteiro, v. 42, n. 3, p. 427-448, 4 dez. 2017.