A pedagogia do herói sob as performances das políticas públicas contemporâneas

Palavras-chave: Pedagogia do Herói, Políticas públicas, Docência, Performatividade

Resumo

O artigo propõe uma atualização da pedagogia do herói, que é acionada nas escolas e nas instituições de ensino voltadas à formação de professores por meio de políticas públicas e movimentada pela racionalidade neoliberal no contexto global/local. O exercício analítico utiliza-se de dados de uma pesquisa de doutoramento desenvolvida com filmes hollywoodianos e de um conjunto de pesquisas desenvolvidas sobre formação de professores com aportes teóricos das políticas educacionais e do referencial sobre docência e formação de professores em uma perspectiva hipercrítica. O estudo evidencia que a pedagogia do herói produz regras para o processo de avaliação e estimula performances cada vez mais altas dos professores e das instituições de formação docente no cenário brasileiro. Nessa pedagogia, o professor é colocado na posição de herói, e a docência, mediante uma lógica concorrencial, torna-se uma atividade qualificada, atingida por meio de premiações e bons resultados de avaliações em larga escala. Como desdobramentos deste estudo, apresentam-se alguns desafios para que se possam subverter os efeitos da tal pedagogia. Os resultados apontam para a necessidade de uma constante suspeita da visão de pedagogia do herói e das políticas públicas contemporâneas neoliberais, que precisam passar sob o escrutínio permanente da crítica radical.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eli Terezinha Henn Fabris, Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS)

Doutorado (2005) e Mestrado (1999) em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS); Especialização (1994) e Graduação em Pedagogia Administração Escolar e Orientação Educacional(1979) pela Universidade de Passo Fundo- UPF. É professora Adjunta II da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS) e coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Educação, onde também orienta mestrado e doutorado na Linha de Pesquisa Formação de Professores, Currículo e Práticas Pedagógicas. Coordena a Comissão PROEX/CAPES no Programa de Pós-Graduação em Educação da UNISINOS.Tem experiência na rede pública (estadual e municipal) e particular na docência e em cargos de gestão escolar (direção, orientação e supervisão). Suas pesquisas envolvem os seguintes temas: currículo, formação de professores, inclusão, pedagogias culturais, práticas pedagógicas e docência contemporânea. Coordena o Grupo Interinstitucional de Pesquisa em Pedagogias, Docências e Diferenças(GIPEDI/CNPq). Participa do Grupo de Estudo e Pesquisa em Inclusão GEPI/CNPq e grupo de pesquisa, Formação de Professores, Ensino e Avaliação/CNPq . Na UFRGS participa do NECCSO. Coordenou o GT 13- Educação Fundamental, na Associação Nacional de Pesquisadores (ANPED) de 2013 a 2015. No período de setembro de 2014 a fevereiro de 2015 realizou em Porto, Portugal, o estágio pós-doutoral - Bolsista CAPES, pertencente ao Programa de Intercâmbio Internacional com Portugal. Desde o início de 2015 é Bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq - Nível 2 - CA ED ? Educação.

Referências

AÇÃO EDUCATIVA. Banco Mundial em Foco: um ensaio sobre sua atuação na educação brasileira e na dos países que integram a Iniciativa Via Rápida na América Latina. São Paulo: Ação Educativa, 2005.

AFONSO, A. J. Nem tudo o que conta em educação é mensurável ou comparável. Crítica à accountability baseada em testes estandardizados e rankings escolares. Revista Lusófona de Educação, n. 13, p. 13-29, 2009.

BALL. S. J. Profissionalismo, Gerencialismo e Performatividade. Cadernos de Pesquisa, v. 35, n. 126, p. 539-564, set./dez. 2005.

BERGOLD, A. Supervisão Escolar S/A: a produção de supervisoras gerentes em um programa de formação continuada. 2014. 146 p. Dissertação (Mestrado em Educação)–Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, 2014.

BRODBECK, C. F. Docência em ciências nas práticas pibidianas do subprojeto biologia e a fabricação de uma pedagogia da redenção. 2015. 166 p. Tese (Doutorado em Educação)–Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, 2015.

CAMPBELL, J. O herói de mil faces. São Paulo: Pensamento, 1995.

DAL’IGNA, M. C.; FABRIS, E. T. H. Constituição de um ethos de formação no Pibid/Unisinos: processos de subjetivação na iniciação à docência. Educação Unisinos, v. 19, p. 77-87, 2015.

FABRIS, E. T. H. A Pedagogia do Herói nos filmes Hollywoodianos. Currículo sem Fronteiras, v. 10, n. 1, p. 232-245, jan./jun. 2010.

FABRIS, E. T. H. A avaliação como estratégia de qualificação da formação docente: entre a qualidade da produtividade e a qualidade da artesania. In: COLÓQUIO DA AFIRSE, 22., Lisboa. Anais... Lisboa, 2015.

FABRIS, E. T. H. Representações de Espaço e Tempo no Olhar de Hollywood sobre a Escola. 2009. Dissertação (Mestrado em Educação)–Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 1999.

FERREIRA, M. S. Espetacularização da carreira docente: prêmio professores do Brasil como prática da economia da educação. 2015. Tese (Doutorado em Educação)–Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2015.

FISCHMAN, G. E. Dos professores super-heróis aos intelectuais comprometidos: limitações e possibilidades das narrativas redentoras em educação. Cultura e docência: novos olhares para a realidade educacional. In: REUNIÃO ANUAL DA ANPED, 32., 2009, Caxambu. Anais... Caxambu, 2009.

FOUCAULT, M. Segurança, território, população. São Paulo: Martins Fontes, 2008.

HERMANN, N. Ética & educação. Outra sensibilidade. Belo Horizonte: Autêntica, 2014.

KORITIAKE, L. A. Atuação dos organismos internacionais na educação. In: VI Congresso Luso-brasileiro Anpae, 6., 2010, Sorocaba. Anais eletrônicos... Sorocaba, 2010. Disponível em: <http://www.anpae.org.br/iberolusobrasileiro2010/cdrom/64.pdf>. Acesso em: 23 set. 2016.

MACHADO, R. Por uma genealogia do poder. In: FOUCAULT, M. Microfísica do Poder. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1979.

NEVES, A. Qualidade na formação de professores: os cursos de pedagogia 5 estrelas. 2016. Dissertação (Mestrado em Educação)–Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, 2016.

NÓVOA, A. Entrevista com o Professor Antonio Nóvoa. Educação e Sociedade, Campinas, v. 33, n. 119, p. 633-645, abr./jun. 2012.

OECHSLER, K. M.; SILVA, N. M. A. O bom professor na Revista Nova Escola: do herói ao profissional ativo. Atos de Pesquisa em Educação, v. 7, n. 4, p. 1202-1223, dez. 2012.

OLIVEIRA, S. Tornar-se professor/a: matriz de experiência e processos de subjetivação na iniciação à docência. 2015. Tese (Doutorado em Educação)–Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, 2015.

SANTOS, A. S.; FERREIRA, L. M. A. Jornada do Herói no Cinema: considerações mitodológicas acerca da saga Star Wars. Correlatio, v. 14, n. 28, dez. 2015.

SCHERER, R. P. Cada um aprende de um jeito: das adaptações às flexibilizações curriculares. 2015. Dissertação (Mestrado em Educação)–Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, 2015.

SCHNEIDER, M. P.; NARDI, E. L. Accountability em educação: mais regulação da qualidade ou apenas um estágio do Estado-avaliador? ETD – Educação Temática Digital, Campinas, v. 17, n. 1, p. 58-74, abr. 2015. Disponível em: <http://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/etd/article/view/8634818>. Acesso em: 09 out. 2016.

SENNETT, R. Entrevista Revista IHU. São Leopoldo, 2009.

SENNETT, R. O artífice. 2. ed. Rio de Janeiro: Record, 2013.

SILVA, R. R. D.; FABRIS, E. T. H. Políticas de Currículo para o Ensino Médio no Brasil Contemporâneo: o que ensina aos jovens a escola que protege? Revista Educação e Sociedade, Campinas, v. 37, n. 135, p. 352-363, maio/jun. 2016.

VEIGA-NETO, A. É preciso ir aos porões. Revista Brasileira de Educação, v. 17, n. 50, maio/ago. 2012.

VEIGA-NETO, A. Educação e governamentalidade neoliberal: novos dispositivos, novas subjetividades. In: PORTOCARRERO, V.; CASTELO BRANCO, G. Retratos de Foucault. Rio de Janeiro: Nau, 2000.

VEIGA-NETO, A. Educação e Pós-Modernidade: impasses e perspectivas. Rio de Janeiro, 2005. Resumo da aula inaugural do Programa de Pós-Graduação em Educação da Pontifícia

Universidade Católica do Rio de Janeiro.

VEIGA-NETO, A. Michel Foucault e Educação: há algo de novo sob o sol? In: VEIGA-NETO, A. (Org.). Crítica Pós-Estruturalista e Educação. Porto Alegre: Sulina, 1995.

VICENTINI, P. P.; ALVES, A. Professor: herói, coitado ou vilão para a Revista Veja? Uma análise das imagens veiculadas sobre o magistério no periódico da Editora Abril (1996-2008). In: ENCONTRO NACIONAL DE DIDÁTICA E PRÁTICAS DE ENSINO, 16., 2012, Campinas. Anais... Campinas, 2012.

ZEICHNER, K. M. Políticas de Formação de Professores nos Estados Unidos. Como e por que elas afetam vários países do mundo. Belo Horizonte: Autêntica, 2013.

Publicado
11-04-2018
Como Citar
FABRIS, E. T. H. A pedagogia do herói sob as performances das políticas públicas contemporâneas. Roteiro, v. 43, n. 1, p. 205-224, 11 abr. 2018.
Seção
Dossiê Organismos multilaterais e políticas públicas na educação básica e superior: diretrizes, desafios e práticas