Indícios do civismo na cultura do grupo escolar costa carneiro: o jornal o estudante Orleanense (1949-1973)

Palavras-chave: Jornal escolar, Civismo, Associações Auxiliares da Escola, Cultura escolar

Resumo

Este artigo é resultado de uma pesquisa realizada no campo da História da Educação, em que se teve como objetivo analisar os ideais de civismo disseminados por meio do jornal O Estudante Orleanense, e que fizeram parte da cultura do Grupo Escolar Costa Carneiro (Orleans, SC) entre os anos 1949 e 1973. De modo específico, buscou-se demonstrar de que forma esse civismo foi divulgado antes e durante a Ditadura Civil-Militar. Os resultados demonstraram que a produção do jornal resistiu a diversas reformas políticas, reproduzindo em suas páginas ações e intenções que colaboravam para a formação de cidadãos patriotas, sendo um instrumento importante no processo de construção da cultura escolar do educandário.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Giani Rabelo, Universidade do Extremo Sul Catarinense - UNESC

Doutora. Professora do Curso de Pedagogia, professora do Programa de Desenvolvimento Sócio Econômico e professora do Programa de Pós-Graduação na Universidade do Extremo Sul Catarinense (UNESC) – Criciúma/SC/Brasil.

Vanessa Massiroli, Universidade do Extremo Sul Catarinense - UNESC
Graduação em pedagogia pela Universidade do Extremo Sul Catarinense – UNESC. Membro do Grupo de Pesquisa História e Memória da Educação (GRUPEHME) da Universidade do Extremo Sul Catarinense (UNESC) – Criciúma/SC/Brasil.

Referências

ABREU, V. K. A Educação Moral e Cívica: disciplina escolar e doutrina disciplinar – Minas Gerais (1969-1993). 2008. 160 p. Dissertação (Mestrado em Educação)–Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2008.

ALAMINO, C. A. M. Políticas educacionais no Estado Novo: o embate entre as propostas educacionais de Gustavo Capanema e Anísio Teixeira. In: SILVA, C. B. (Org.). Educar para a nação: cultura política, nacionalização e ensino de história nas décadas de 1930 e 1940. Curitiba: CRV, 2014. p. 147-167.

ALVES, M. F. A reconstrução da identidade nacional na Era Vargas: práticas e rituais cívicos e nacionalistas impressos na cultura do grupo escolar José Rangel/Juiz de Fora/Minas Gerais (1930-1945). 2010. Tese (Doutorado em Educação)–Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2010.

BRASIL. Decreto n. 5.700, de 01 de setembro de 1971. Dispõe sobre a forma e a apresentação dos Símbolos Nacionais, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 02 set. 1971. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L5700.htm>. Acesso em: 29 maio 2015.

BRASIL. Decreto-lei n. 8.529, de 02 de janeiro de 1946. Expede a lei orgânica do ensino primário. Rio de Janeiro, 1946.

CENTRO DE MEMÓRIA DA EDUCAÇÃO DO SUL DE SANTA CATARINA (CEMESSC). Disponível em: <http://www.unesc.net/cemessc>. Acesso em: 29 maio 2015.

FERREIRA, R. C. C. A comissão nacional do livro didático durante o Estado Novo (1937-1945). 2008. 139 p. Dissertação (Mestrado em História)–Universidade Estadual Paulista, Assis, 2008.

GHIRALDELLI JÚNIOR, P. História da educação. São Paulo: Cortez, 1994.

GRUPO ESCOLAR COSTA CARNEIRO. Jornal Escolar O Estudante Orleanense - agosto 1971. Orleans, 1971.

HOBSBAWN, E.; RANGER, T. A invenção das tradições. 6. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2008.

MONTEIRO, J. Nacionalização do ensino: uma contribuição à história da educação. Florianópolis: Ed. UFSC, 1984.

OTTO, F. As associações auxiliares da escola e a forma de transmissão das dimensões valorativas e moral da sociedade catarinense: o caso das “Ligas de bondade” (1935‐1950). 2012. Dissertação (Mestrado em Educação)–Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012.

PETRY, M. G. Da recolha à exposição: a constituição de museus escolares em escolas públicas primárias de Santa Catarina (Brasil – 1911 a 1952). 2013. 224 p. Dissertação (Mestrado em Educação)–Universidade do Estado de Santa Catarina, Florianópolis, 2013.

PLÁCIDO, G. D. Civismo e religião católica na cultura escolar da E.E.B. Professora Julieta Torres Gonçalves – Nova Veneza/SC (1971-1985). 2015. 154 p. Dissertação (Mestrado em Educação)–Universidade do Extremo Sul Catarinense, Criciúma, 2015.

RABELO, G. O Jornal Escolar O Estudante Orleanense: não podemos tornar as crianças felizes, mas podemos fazê-las felizes tornando-as boas (Santa Catarina, 1949-1973). Revista História da Educação, Porto Alegre, n. 40, p. 197-219, maio/ago. 2013. Disponível em: <http://seer.ufrgs.br/index.php/asphe/article/view/38091/24848>. Acesso em: 12 abr. 2015.

ROSSATO, L. Formar a alma da criança brasileira: as escolas nas áreas de colonização em Santa Catarina (décadas de 1930 e 1940). In: SILVA, C. B. (Org.). Educar para a nação: cultura política, nacionalização e ensino de história nas décadas de 1930 e 1940. Curitiba: CRV, 2014. p. 111-124.

SANTA CATARINA (Estado). Circular n. 32, de 02 de abril de 1943. Destinada aos senhores inspetores e diretores de estabelecimentos de ensino. Florianópolis, 1945a.

SANTA CATARINA (Estado). Circular n. 42, de 10 de maio de 1944. Destinada aos senhores inspetores, auxiliares de inspeção, diretores e professores de estabelecimentos de ensino. Florianópolis, 1944a.

SANTA CATARINA (Estado). Circular n. 76, de 16 de agosto de 1943. Destinada aos senhores inspetores escolares, auxiliares de inspeção, diretores e professores de estabelecimentos de ensino. Florianópolis, 1945b.

SANTA CATARINA (Estado). Decreto n. 2.991, de 28 de abril de 1944. Aprova as instruções para as associações auxiliares da escola nos estabelecimentos de ensino estaduais, municipais e particulares. Florianópolis, 1944b.

SANTA CATARINA (Estado). Decreto n. 3.733, de 12 de dezembro de 1946. Expede o regulamento para o serviço de inspeção escolar. Florianópolis, 1946a.

SANTA CATARINA (Estado). Decreto n. 3.735, de 17 de dezembro de 1946. Aprova o regulamento para os estabelecimentos de ensino primário no Estado de Santa Catarina. Florianópolis, 1946b.

SANTA CATARINA (Estado). Lei n. 40, de 12 de dezembro de 1947. Cria cargo no quadro único do Estado e dá outras providências. Florianópolis, 1947.

SOUZA, R. F. Templos de Civilização: a implantação da escola primária graduada no Estado de São Paulo (1890-1910). São Paulo: Ed. Unesp, 1998.

VIEGA, J. G. A. B.; GALVÃO, A. M.O. As escolas isoladas nas décadas iniciais do século XX: o estudo de uma instituição. Cadernos de História da Educação, Uberlândia, n. 2, p. 479-500, jul./dez. 2012. Disponível em: <http://www.seer.ufu.br/index.php/che/article/view/21708>. Acesso em: 20 abr. 2015.

VIÑAO FRAGO, A. Sistemas educativos, culturas escolares y reformas: continuidades y Cambios. Madrid: Morata, 2002.

ZEN, M. W. Brasileiros pelas letras: a ação educativa presente nos clubes de leitura e bibliotecas escolares de Santa Catarina. O caso do grupo escolar Alberto Torres, Brusque, SC (1938-1950). 2007. 66 p. Dissertação (Mestrado em Educação)–Universidade do Estado de Santa Catarina, Florianópolis, 2007.

Publicado
04-12-2017
Como Citar
RABELO, G.; MASSIROLI, V. Indícios do civismo na cultura do grupo escolar costa carneiro: o jornal o estudante Orleanense (1949-1973). Roteiro, v. 42, n. 3, p. 563-586, 4 dez. 2017.