https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/race/issue/feed RACE - Revista de Administração, Contabilidade e Economia 2020-08-12T18:41:04+00:00 Ieda Margarete Oro race@unoesc.edu.br Open Journal Systems <p>E-ISSN 2179-4936</p> https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/race/article/view/24920 Editorial 2020-08-12T18:37:15+00:00 Cláudia Sofia Frias Pinto claudia.frias.pinto@gmail.com <p>Editorial</p> 2020-08-12T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Cláudia Sofia Frias Pinto https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/race/article/view/25139 Folha de rosto 2020-08-12T18:41:04+00:00 Editora Unoesc editora@unoesc.edu.br 2020-08-12T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Editora Unoesc https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/race/article/view/23789 Influência da estrutura de propriedade e da gestão familiar no custo de financiamento da dívida de companhias abertas brasileiras 2020-08-12T17:40:34+00:00 Geovanne Dias de Moura moura.geovanne@gmail.com Jovani Lanzarin jovani87@gmail.com Sady Mazzioni sady@unochapeco.edu.br Francisca Francivânia Rodrigues Ribeiro Macêdo francymacedo2011@gmail.com Ilse Maria Beuren jklein@uol.com.br <p><em>O objetivo do estudo foi verificar a influência da estrutura de propriedade e da gestão familiar no custo do financiamento da dívida de companhias abertas listadas na B3. Para isso, foi realizada pesquisa quantitative e descritiva, por meio de análise documental e com consulta aos Formulários de Referência, banco de dados Economatica e site da B3. A amostra foi composta por 211 companhias abertas em 2012, 214 em 2013, 225 em 2014, 220 em 2015 e 223 em 2016. Os resultados mostraram que o custo médio do financiamento da dívida, na maioria dos anos, não foi menor no grupo de empresas que tinha uma estrutura familiar. No entanto, ao comparar o custo do financiamento da dívida entre empresas que possuíam gestão familiar e não familiar, percebeu-se que, na maioria dos anos, o custo era menor no grupo de empresas familiares. Portanto, verificou-se que apenas a gestão familiar influenciou a redução do custo do financiamento da dívida. Conclui-se que as empresas com estrutura acionária e gestão familiar desfrutam de maior alinhamento de interesses entre o controlador e o gestor, de acordo com a perspectiva principal-agente da Teoria da Agência. A pesquisa contribui para fortalecer a compreensão do tema no cenário brasileiro e expande a discussão existente na literatura, abordando um fator que influencia o custo da dívida e que ainda é pouco explorado no Brasil. Também contribui para a literatura da área com evidências empíricas relacionadas ao cenário brasileiro, que ainda carece de pesquisas dessa natureza.</em></p> 2020-08-12T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Geovanne Dias de Moura, Jovani Lanzarin, Sady Mazzioni, Francisca Francivânia Rodrigues Ribeiro Macêdo , Ilse Maria Beuren https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/race/article/view/21417 Fatores determinantes dos erros de previsão dos analistas de mercado para variáveis fiscais no Brasil 2020-08-12T17:40:33+00:00 Francisca Aparecida de Souza fsouza@unb.br César Augusto Tibúrcio Silva cesaraugustotiburciosilva@gmail.com Karla Roberta Castro Pinheiro Alves karlarobertap@gmail.com <p><em>O objetivo deste estudo é investigar fatores determinantes dos erros de previsão dos analistas de mercado para variáveis fiscais brasileiras. Os dados para realização da pesquisa foram obtidos no Prisma Fiscal, o sistema do Ministério da Economia de coleta e divulgação de expectativas do mercado para variáveis fiscais. Os dados coletados se referem à arrecadação, receita líquida e despesa total, no período de novembro de 2015 a dezembro de 2018.&nbsp; O Mean Absolute Percentage Error (MAPE) e z foram utilizados para medir a qualidade da previsão dos analistas de mercado. </em><em>A utilização do valor z como uma medida do erro de previsão é uma das contribuições desta pesquisa</em><em>. Entre os resultados obtidos, destacam-se: a hipótese de que o horizonte temporal interfere na qualidade da previsão não foi rejeitada para horizontes de um e dois anos; a dispersão das previsões não apresentou alteração substancial; e a hipótese de viés otimista não foi confirmada. Pode-se concluir que, para essa amostra, a temporalidade é um fator determinante do erro de previsão dos analistas de mercado para variáveis fiscais. A pesquisa contribui com a discussão sobre erro de previsão nas áreas de Gestão Financeira Pública e Contabilidade Pública.</em></p> 2020-08-12T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Karla Roberta Castro Pinheiro Alves, César Augusto Tibúrcio Silva, Francisca Aparecida de Souza https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/race/article/view/23711 Gerenciamento de resultados e republicação de demonstrações contábeis em empresas listadas na B3 2020-08-12T17:40:35+00:00 Márcia Martins Mendes De Luca marciammdeluca@gmail.com Ana Olívia Batista Viana anaoliviabv@gmail.com Karen Davila Freitas de Sousa karenfreitas217@gmail.com Danival Sousa Cavalcante danival.cavalcante@ufca.edu.br Vanessa Ingrid da Costa Cardoso nessaingrid@gmail.com <p>As informações divulgadas nas demonstrações contábeis impactam diretamente no processo decisório dos <em>stakeholders</em>. Nesse contexto<em>,</em> busca-se confirmar se as empresas que gerenciam resultados têm maior propensão a republicar suas demonstrações contábeis. O objetivo deste estudo é investigar as relações entre o gerenciamento de resultados e a republicação das demonstrações contábeis nas companhias listadas na B3—Brasil, Bolsa, Balcão. A amostra da pesquisa reúne 154 empresas e 201 casos de republicação de demonstrações contábeis entre 2011 e 2017. Para análise dos dados, foram aplicadas técnicas de análise de conteúdo, estatística descritiva, análise de correlação e regressão logística. Os resultados apontam para uma relação entre a republicação de demonstrações contábeis e a prática de gerenciamento de resultados por <em>accruals</em> discricionários, não se rejeitando a hipótese do estudo. Verificou-se, ainda, uma elevada proporção de republicações voluntárias, sugerindo que as empresas são propícias a adotarem esse procedimento com a finalidade de prover para os usuários uma maior qualidade das informações contábeis.</p> 2020-08-12T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Márcia Martins Mendes De Luca, Ana Olívia Batista Viana, Karen Davila Freitas de Sousa, Danival Sousa Cavalcante, Vanessa Ingrid da Costa Cardoso https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/race/article/view/22114 Essencialidade do valor justo na avaliação das propriedades para investimento: Evidências no Brasil 2020-08-12T17:40:36+00:00 João Paulo Machado Ribeiro jpmr0505@gmail.com Álvaro José Ribeiro Caldas alvarocaldas@ufpi.edu.br Ariane Firmeza Mota arianefmota@yahoo.com.br Edilson Paulo edilson.paulo@ufrgs.br <p>O objetivo geral deste estudo foi investigar a essencialidade do valor justo na perspectiva das Propriedades para Investimento (PPIs), verificando como e se as empresas listadas no mercado brasileiro avaliam tais ativos, bem como a relação com aspectos empresariais e com os níveis de hierarquia do valor justo. Foram analisadas as demonstrações financeiras e notas explicativas das empresas listadas na B3 que possuíam PPIs, entre 2013 e 2017. Observou-se comportamento mais conservador na escolha do método de avaliação de suas PPIs, dada a complexidade para determinação do valor justo sobre os critérios como do custo histórico. Os resultados aqui reportados demonstram como principal contribuição que o critério de avaliação a valor justo não é essencial para as empresas analisadas, uma vez que a utilidade dessa informação é conferida se estas forem verificáveis e compreensíveis. Ademais, destaca-se que a contabilização do valor justo está sob profundo escrutínio por causa de seu papel em crises financeiras, sendo sua utilidade uma questão fundamental para seu tratamento no contexto brasileiro.</p> 2020-08-12T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 João Paulo Machado Ribeiro, Álvaro José Ribeiro Caldas, Ariane Firmeza Mota, Edilson Paulo https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/race/article/view/23793 Dinâmicas orçamentárias dos governos locais paranaenses: Seguindo o incrementalismo ou equilíbrio pontuado? 2020-08-12T17:40:37+00:00 Cristiane Aparecida da Silva cristianedasilva@ufgd.edu.br Ricardo Suave ricardosuave@outlook.com Fabiano Aparecido da Silva fabianocontabilista@bol.com.br Fabricia Silva da Rosa fabriciasrosa@hotmail.com <p>Este estudo objetivou analisar se o processo orçamentário dos governos locais paranaenses segue os padrões de mudança incremental nas dotações orçamentárias ou ocorrência de pontuações orçamentárias. No que se refere aos objetivos, este estudo se caracteriza como descritivo. Quanto à abordagem, a pesquisa se caracteriza como qualitativa. A amostra corresponde a 39 governos locais paranaenses, cujo levantamento de dados diz respeito ao eixo temporal 2014 a 2017. Os dados foram coletados no site do Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro (Siconfi) em outubro de 2018. Foram estabelecidas quatro variáveis de análise: educação, saúde, segurança pública e urbanismo. Levando-se em consideração os aspectos analisados, conclui-se que a variação percentual nos dados de apropriação do orçamento é distribuída de forma não linear, conforme ilustrado pelas apresentações gráficas e estatísticas descritivas, sugerindo a ocorrência de um padrão de equilíbrio pontuado e também a ocorrência de pontuações simultâneas nas alocações orçamentárias entre os setores das políticas públicas. As limitações da pesquisa são concernentes à seleção da amostra e variáveis analisadas. Como apontamentos de pesquisas futuras, sugere-se utilizar um recorte longitudinal maior, bem como a aplicação de modelos com testes estatísticos.</p> 2020-08-12T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Cristiane Aparecida da Silva, Ricardo Suave, Fabiano Aparecido da Silva, Fabricia Silva da Silva https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/race/article/view/20861 Evidenciação dos ativos intangíveis pelas empresas de Tecnologia da Informação da B3 2020-08-12T17:40:39+00:00 Daiany de Souza daianys098@gmail.com Ernando Fagundes fagundes.ernando@gmail.com Januário José Monteiro januariomonteiromonteiro@gmail.com Rodrigo Rengel rengel.rodrigo@hotmail.com Fabricio Constante fabricio.constante@unigranrio.edu.br <p>Este estudo teve como objetivo analisar o nível de evidenciação dos ativos intangíveis no setor de Tecnologia da Informação listadas na B3, durante o período de 2010 a 2017. Para isso, elaborou-se um checklist a partir dos critérios de divulgação exigidos pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis 04 (CPC, 2010). Analisaram-se as Demonstrações Contábeis das empresas do setor de Tecnologia da Informação listadas na Brasil, Bolsa, Balcão (B3), identificando os itens do cheklist a fim de mensurar o nível de evidenciação dessas empresas, com base nos itens atendidos ou não por elas. Os resultados demonstraram que a Empresa Senior Solution S.A. apresentou o maior nível de evidenciação. Porém, cabe ressaltar que nenhuma das empresas analisadas cumpriu totalmente com o que é determinado pelo CPC 04 (CPC, 2010). O item de divulgação menos observado pelas empresas foi a evidenciação da rubrica da demonstração do resultado em que qualquer amortização tenha sido incluída. O nível de evidenciação apresentado pelas empresas foi em média de 81,72%, considerando o total de itens ao longo do período analisado. Este estudo contribui ao apresentar aspectos da evidenciação dos ativos intangíveis que não têm sido atendidos pelas empresas, permitindo que estas atuem para melhorar qualitativamente a evidenciação desses ativos, a fim de obterem reações positivas do mercado.</p> 2020-08-12T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Daiany de Souza, Ernando Fagundes, Januário José Monteiro, Rodrigo Rengel, Fabricio Constante https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/race/article/view/23769 Receitas a serem seguidas? Mapeamento sobre o fenômeno “empreendedorismo de palco” em reportagens da web 2020-08-12T17:40:40+00:00 Lauriene Teixeira Santos lauriene.tsantos@gmail.com Juliana de Oliveira Becheri julianabecheri@gmail.com Izadora Ribeiro e Garcia de Oliveira izadora_rgo@hotmail.com Paulo Henrique Montagnana Vicente Leme paulo.leme@ufla.br <p>Os estudos e pesquisas a respeito do empreendedorismo têm crescido ao longo do tempo. Contudo, o interesse sobre esse tema vai além do meio acadêmico, estendendo-se para a mídia de negócios. Assim, é possível verificar o surgimento do fenômeno “empreendedorismo de palco”, que recentemente tem ganhado espaço no mundo dos negócios. O objetivo geral do presente artigo é mapear, por meio de reportagens divulgadas na internet, em sites brasileiros, o que tem sido abordado sobre esse fenômeno. Espera-se que ao analisar o conteúdo dessas reportagens seja possível obter dados relevantes para fomentar uma discussão a respeito dessa temática. O estudo apresenta uma abordagem qualitativa e exploratória. Como técnica de análise dos dados, utilizou-se a análise de conteúdo, sob os preceitos de Bardin. Os resultados obtidos são apresentados e discutidos de acordo com as categorias de análise: definições sobre empreendedorismo de palco; falsas promessas; empreendedorismo como autoajuda; indústria do sonho; e foco voltado para ferramentas concretas. Assim, identificou-se que a abordagem das reportagens está voltada para um alerta aos leitores sobre o conteúdo difundido mediante o “empreendedorismo de palco”, mostrando que há um grande apelo motivacional, em detrimento de conceitos e práticas com embasamento teórico-científico. Nesse sentido, percebe-se que por intermédio do “empreendedorismo de palco” ideias equivocadas têm sido difundidas a respeito do empreendedorismo, pois este apresenta “receitas prontas” indicando que com o devido esforço os objetivos almejados são alcançados. Apresenta então, a ideia que uma mesma configuração serve para todas as pessoas e empresas.</p> 2020-08-12T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Lauriene Teixeira Santos, Juliana de Oliveira Becheri, Izadora Ribeiro e Garcia de Oliveira, Paulo Henrique Montagnana Vicente Leme https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/race/article/view/23037 Estratégia de localização e modo de entrada de organização do Segmento Metalomecânico 2020-08-12T17:40:41+00:00 Ana Célia Bohn anaceliabohn@gmail.com <p>O presente estudo, do tipo estudo de caso único (Yin, 2016), de natureza qualitativa, descritivo e bibliográfico, tem por objetivo compreender as motivações de internacionalização de uma organização multinacional do segmento metalomecânico, com matriz localizada no Brasil e subsidiárias em países distintos. Entre essas motivações, o estudo procura descrever as estratégias de localização e os modos de entrada (Cuervo-Cazurra &amp; Narula, 2015). Para o cumprimento do objetivo proposto foram necessárias pesquisas de ordem bibliográfica e eletrônica, em livros e sites específicos, bem como o aporte de dados secundários, com base no sítio oficial da organização, visita técnica guiada e entrevista semiestruturada de perguntas direcionadas a um gestor técnico, responsável pela área de internacionalização. A análise e discussão de resultados ocorreu pelo método de análise do conteúdo e discussão teórica. Observou-se que a organização objeto de estudo pulverizou seus negócios, expandindo-se em diversos segmentos de mercado nos cinco continentes em países desenvolvidos e em desenvolvimento. O modo de entrada diferiu em cada situação, sendo consideradas as formas por aquisições, <em>joint-ventures</em>, escritórios em locais estratégicos ou instalação de fábricas novas, próprias (<em>greenfields</em>). A proporção do negócio agigantou-se desde os anos 2000, demonstrando um crescimento médio anual de 15%, a partir da internacionalização. As contribuições deste estudo enaltecem o desenvolvimento de empresas brasileiras no exterior, em termos de gestão organizacional e, enquanto contribuição científica, efetuou revisão de literatura de negócios internacionais e aproximou a academia da área empresarial, no que se refere à singularidade das estratégias de internacionalização.</p> 2020-08-12T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Ana Célia Bohn