https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/race/issue/feed RACE - Revista de Administração, Contabilidade e Economia 2021-02-02T18:26:35+00:00 Juliano Danilo Spuldaro race@unoesc.edu.br Open Journal Systems <p>E-ISSN 2179-4936</p> https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/race/article/view/27006 Folha de rosto 2021-02-02T18:26:35+00:00 editora unoesc editora@unoesc.edu.br 2020-12-01T18:42:36+00:00 Copyright (c) 2020 editora unoesc https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/race/article/view/26675 Editorial 2021-02-02T18:26:35+00:00 Ieda Margarete Oro ieda.oro@unoesc.edu.br 2020-12-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Ieda Margarete Oro https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/race/article/view/20503 Espiritualidade no ambiente de trabalho e comportamentos de cidadania organizacional: uma análise sobre a percepção dos empregados em indústria do Rio Grande do Norte 2020-12-01T19:30:58+00:00 Laís Karla da Silva Barreto laisbarreto@gmail.com Ivy Dias Barros ivy.dias@hotmail.com César Ricardo Maia de Vasconcelos cesarmvasconcelos@gmail.com Gabriel Martins de Araújo Filho gabrielmartins@ufrnet.br Allan Gustavo Freire da Silva allangfs@hotmail.com <p>Este estudo objetivou compreender como a Espiritualidade no Ambiente de Trabalho (EAT) influencia o Comportamento da Cidadania Organizacional (CCO), a partir da percepção dos empregados de uma indústria do setor de Água Mineral do Rio Grande do Norte. O trabalho visou apresentar, interpretar e compreender as relações entre as variáveis analíticas obtidas a partir das percepções dos empregados. Para tanto, concretizou-se uma pesquisa de perspectiva quantitativa e finalidade descritiva. A coleta de dados sobre EAT e CCO ocorreu por meio de questionários respondidos por 32 funcionários em todos os níveis hierárquicos. Os principais resultados encontrados evidenciaram que as dimensões Sentido de préstimo à comunidade e Alegria no trabalho obtiveram maior prevalência sobre as demais dimensões. Quanto ao CCO, identificou-se um alto grau de percepção dos aspectos de Cortesia e Altruísmo. Em contrapartida, o comportamento de Desportivismo mostrou-se menos predominante nos resultados. Faixa etária, tempo de serviço e cargo de chefia apresentaram influência no CCO e na EAT. Verificou-se a existência de relação moderada entre Sentido de préstimo de comunidade e todos os CCO, exceto Desportivismo. Assim, demonstrou-se que alguns comportamentos de cidadania organizacional e EAT relacionam-se quando presentes no ambiente de trabalho, bem como alguns aspectos sociodemográficos e ocupacionais podem influenciar os comportamentos de cidadania no trabalho e a espiritualidade do ambiente.</p> 2020-10-29T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Laís Karla da Silva Barreto, Ivy Dias Barros https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/race/article/view/20425 A pé, no carrinho de compras ou no buggy: a influência das crianças nas compras do supermercado 2020-12-01T19:30:59+00:00 Vitor Koki da Costa Nogami vitor.nogami@pucpr.br Olga Maria Coutinho Pépece omcpepece@uem.br Juliana Medeiros juliana.medeiros@pucpr.br Andres Rodriguez Veloso veloso@usp.br <p><em>O objetivo do artigo é analisar como a estratégia do carrinho de compras pode influenciar o processo de compra da família quando está com os filhos no supermercado. A revisão da literatura aborda a evolução do varejo de supermercado e a influência das crianças na tomada de decisão da família no supermercado. Realizamos duas pesquisas, a primeira (qualitativa) incluiu 12 observações e 7 entrevistas em uma loja de supermercado, a segunda (quantitativa) consistiu em um survey em quatro lojas de uma mesma rede de supermercados com amostra de 298 famílias. Os resultados indicam como principais achados, (a) os pais preferem quando os filhos estão no carrinho de compras, (b) as crianças preferem ir no carrinho porque há uma experiência de compra divertida e (c) quando as crianças estão caminhando, eles interagem mais com os produtos no supermercado, consequentemente, a família gasta mais do que o planejado. Este artigo tem as seguintes contribuições. O artigo oferece uma compreensão mais profunda de como as crianças se comportam em ambientes reais, fornecendo insights para gerentes de varejo sobre a dinâmica da loja. Além disso, oferecemos sugestões aos gerentes de varejo sobre como implantar uma estratégia de carrinho que tenha potencial para gerar receitas superiores. Por fim, nossos resultados sugerem que, em algumas situações de varejo, a implantação de certas estratégias de carrinho pode trazer mais segurança para a loja.</em></p> 2020-11-09T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Vitor Koki da Costa Nogami, Olga Maria Coutinho Pépece, Juliana Medeiros, Andres Rodriguez Veloso https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/race/article/view/23798 Impacto da crise econômica de 2014 a 2016 sobre o coeficiente beta do Mercado de Capitais Brasileiro 2020-12-01T19:31:00+00:00 Vinícius Luís de Souza Nonato viniciuslsn@hotmail.com Paula Virgínia Tófoli paula.tofoli@ucb.br <p>Estudos empíricos têm encontrado evidências de que o risco de mercado, ou beta de mercado, tende a aumentar em períodos de crise. Dada a crise econômica brasileira de 2014 a 2016, o objetivo deste artigo foi analisar se esta teve um impacto significativo sobre o risco de mercado das empresas brasileiras com ações negociadas na Brasil, Bolsa, Balcão (B3). Para isso, estimou-se a trajetória do beta de uma carteira de ações negociadas na B3 para o período de fevereiro de 2010 a dezembro de 2018, considerando um modelo <em>CAPM</em> condicional em que a dinâmica de beta é dada por um processo estocástico combinado com um conjunto de variáveis condicionantes relacionadas ao ciclo econômico. Encontramos evidências de que o beta da carteira teve um aumento a partir de janeiro de 2015 e somente retornou a patamares do período pré-crise a partir de março de 2018. Essas evidências estão de acordo com os resultados encontrados na literatura internacional e têm implicações importantes em termos de gerenciamento de risco.&nbsp;&nbsp;</p> 2020-08-07T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Vinícius Nonato, Paula Tófoli https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/race/article/view/20845 Alavancagem financeira, estrutura patrimonial e a volatilidade dos ativos negociados na B3 2020-12-01T19:31:01+00:00 Fabio Michel Oliveira michelmike23@hotmail.com <p>Este artigo possui o objetivo de mensurar o efeito da alavancagem financeira e da estrutura patrimonial das empresas listadas na B3 (Brasil, Bolsa, Balcão) na volatilidade de seus ativos negociados em Bolsa. Para isso, estimou-se um modelo de painel com efeitos fixos utilizando dados trimestrais e calculou-se a volatilidade trimestral por meio do desvio padrão dos preços de fechamento diários dos ativos. Os dados utilizados incluem os balanços trimestrais desde o período de 2010 até o primeiro trimestre de 2017, e o preço dos ativos negociados em Bolsa. Os resultados demonstram que a estrutura de capital das empresas influencia a volatilidade de seus ativos, especialmente variáveis, como o grau de alavancagem, a composição do endividamento e a imobilização do patrimônio. Empresas com níveis maiores de endividamento são mais sensíveis a esses efeitos, bem como empresas do setor de varejo e transportes.</p> 2020-09-04T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Fabio Michel Oliveira https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/race/article/view/21319 O conhecimento dos estudantes de Ciências Contábeis acerca do Código de Ética 2020-12-01T19:31:02+00:00 Karina Silveira da Cunha karina_lagoa@hotmail.com Maria Denize Henrique Casagrande denize_casagrande@yahoo.com.br Sandro Vieira Soares sandrovieirasoares@hotmail.com Alan Diógenes Góis alandgois@hotmail.com <p>O Código de Ética Profissional do Contador (CEPC) objetiva fixar a forma pela qual os contadores devem seguir no exercício da profissão e com relação à classe, e o conhecimento de seu teor é um dos componentes do Exame de Suficiência do Conselho Federal de Contabilidade. Esta pesquisa teve por objetivo principal verificar qual o nível de conhecimento dos estudantes do Curso de Ciências Contábeis da Universidade Federal de Santa Catarina, acerca do CEPC. A pesquisa quantitativa foi realizada por meio de um levantamento que se baseou em questões presentes nos Exames de Suficiência do Conselho Federal de Contabilidade. Participaram da pesquisa 101 estudantes matriculados na 2ª e na 4ª fases do Curso. Os resultados apontaram que a média de acertos de alunos que já cursaram a disciplina (Ética e Filosofia Política) é, estatisticamente, maior que de alunos que ainda não cursaram a disciplina. A mediana do número de acertos de alunos que já cursaram a disciplina é o dobro dos indicados por alunos que ainda não cursaram. Tais resultados sustentam a conclusão de que cursar a disciplina impacta, positivamente, o desempenho das questões sobre ética. No entanto, a análise do desempenho dos dois grupos, por questão, revelou que a proporção de acertos dos alunos que já cursaram a disciplina é, estatisticamente, maior dos que não cursaram em apenas 5 das 18 questões analisadas. Tais resultados, à luz do teor das questões em que houve melhora do desempenho, sustentam a conclusão que cursar a disciplina impacta, positivamente, o desempenho em um número restrito e pequeno de questões.</p> 2020-09-14T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Sandro Vieira Soares, Karina Silveira da Cunha, Maria Denize Henrique Casagrande, Alan Diógenes Góis https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/race/article/view/23702 Preservação da riqueza socioemocional e a profissionalização em empresas familiares 2020-12-01T19:31:03+00:00 Alice Carolina Ames aliceames@hotmail.com Jessica Giovana Nolli jessicanolli@hotmail.com Franciele Beck beck.franciele@gmail.com Daniel Magalhães Mucci danielmmucci@gmail.com <p>Empresas familiares dominam os negócios em grande parte das economias mundiais exercendo influência sobre o ambiente econômico-social. Este estudo objetiva investigar como a riqueza socioemocional impacta no processo de profissionalização em uma empresa familiar. A pesquisa caracteriza-se como exploratório, estudo de caso qualitativo realizado em uma empresa localizada em Santa Catarina com 50 anos de história, sendo uma empresa S.A de capital fechado de grande porte. As entrevistas foram analisadas pela abordagem da análise do discurso. Os resultados da pesquisa sugerem que a riqueza socioemocional influenciou a profissionalização no sentido de preservar os valores da família, dado que a profissionalização ocorreu com o intuito de manutenção e sobrevivência do negócio. Além disso, a contratação de profissionais não familiares permitiu diferentes percepções para a tomada de decisões, agregando valor à tomada de decisão. A contribuição teórica do estudo consiste na discussão da riqueza socioemocional e da profissionalização, no que tange ao envolvimento da família na organização e a participação de profissionais não familiares na gestão do negócio, levando em consideração que a riqueza socioemocional reforça a profissionalização da empresa familiar. Esse estudo amplia o debate acerca da profissionalização em empresas familiares sugerindo que esse processo não concorre com a manutenção da riqueza socioemocional.</p> 2020-11-09T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Alice Carolina Ames, Jessica Giovana Nolli, Franciele Beck, Daniel Magalhães Mucci https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/race/article/view/21762 Qualidade da informação ambiental versus rentabilidade de empresas do setor elétrico listadas no ISE 2020-12-01T19:31:04+00:00 Ana Lúcia dos Santos analucia.santos@ufersa.edu.br Alexsandro Gonçalves da Silva Prado alexsandro.prado@ufersa.edu.br Caritsa Scartaty Moreira caritsa_scarlaty@hotmail.com José Mauro Madeiros Veloso Soares jose-mauro-m@hotmail.com <p>A teoria dos <em>stakeholders</em> presume que os investimentos socioambientais resultam melhor desempenho financeiro, visto que refletem a preocupação da empresa com o meio ambiente e a sociedade. O presente estudo objetivou verificar a relação existente entre a qualidade da informação ambiental e a rentabilidade de empresas do setor de energia elétrica pertencentes ao Brasil Bolsa Balcão (B3) listadas no Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE). A amostra compreendeu 10 empresas brasileiras com ações negociadas na B3 no período de 2014 a 2017. Quanto à coleta de dados, utilizou-se: o Relatório de Sustentabilidade, o modelo <em>Global Reporting Initiative</em> (GRI), as Demonstrações Financeiras Padronizadas (DFPs) e informações econômico-financeiras extraídas no banco de dados do Sistema Economática®. A partir dos resultados evidenciou-se que as empresas têm o grau de acurácia médio ou alto, indicando boa qualidade de evidenciação. Ao aplicar a técnica estatística de regressão quantílica, percebeu-se que um maior nível de evidenciação dada pelo índice de acurácia não está associado às variáveis Lucros antes de Juros, Impostos, Depreciação e Amortização (EBITDA), Lucro antes do Imposto de Renda + Disponibilidade Financeira Líquida (LAIR+DLF), Margem Bruta, <em>Earnings Before Interest and Taxes</em> (Margem EBIT), Margem Ebitda, Rentabilidade do Ativo (RentAt) e Retorno sobre o Investimento (ROIC). No geral, os resultados indicaram a inexistência de relação entre a rentabilidade das empresas e as ações socioambientais.</p> 2020-11-09T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Ana Lúcia dos Santos, Alexsandro Gonçalves da Silva Prado, Caritsa Scartaty Moreira, José Mauro Madeiros Veloso Soares https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/race/article/view/22627 Liderança relacional em rede do setor de transportes brasileiro 2020-12-01T19:31:04+00:00 Éderson Tomasi da Silva ederson.tomasi@gmail.com Eliane Salete Filippim eliane.filippim@unoesc.edu.br Anderson de Souza Sant’Anna anderson.santanna@fgv.br <p>A gestão de uma empresa organizada em rede amplia a construção de relacionamentos que fortalecem a cooperação e a otimização de recursos para além do plano líder-liderado, requerendo articulação e cooperação entre os níveis individuais, organizacionais e societais, referenciando-se, portanto, no estilo de liderança relacional. Esta pesquisa teve como objetivo descrever os papéis e formas de liderança em uma empresa situada no Oeste catarinense que é identificada como uma organização com estrutura em rede. A pesquisa é classificada como um estudo de caso, realizado por meio de abordagem qualitativa, conduzida com a organização do segmento de transporte de cargas fracionadas, com unidades na região Sul do Brasil. Os dados foram coletados por meio de entrevista, observação, questionário e análise de documentos. Para análise dos dados, fez-se uso de análise de conteúdo e triangulação de diferentes fontes de evidências. Entre os principais resultados se aponta para a relevância de perfis de liderança diferenciados capazes de construção e sustentação de ambiências organizacionais mais flexíveis em que a integração e coordenação intra e interorganizacionais possam superar lógicas centradas no contratualismo formal, na burocracia e em práticas predominantes em configurações organizacionais funcionais que dificultam a transferência de conhecimentos, a criatividade e a inovação.</p> 2020-09-24T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Éderson Tomasi da Silva, Eliane Salete Filippim, Anderson de Souza Sant’Anna https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/race/article/view/23822 Alinhamento entre modelos de gestão de pessoas e os níveis de sustentabilidade organizacional 2020-12-01T19:31:05+00:00 Terezinha Bernadete Pinto Oliari tbpoliari@gmail.com Silvio Roberto Stefano professor-silvio@hotmail.com Sandra Mara de Andrade Andrade prof.sandraandrade@hotmail.com <p>A discussão das questões da sustentabilidade vem ganhando corpo nas organizações com a busca do desenvolvimento sustentável organizacional e com o consumo de produtos ecológicos, fazendo com que as indústrias implementem suas atividades e seus processos produtivos com políticas e práticas de gestão mais eficazes e eficientes. Essas exigências de mercado, atualmente, vêm mudando o conceito e as estratégias sustentáveis que a organização desenvolve; nesse contexto, a gestão de pessoas tem papel crucial nas ações, uma vez que a gestão das políticas e práticas planejadas e executadas pela gestão de pessoas tende a auxiliar na posição desejável no nível de sustentabilidade organizacional. Assim, o tema estudado merece uma reflexão mais aprofundada na academia e nas organizações. Este estudo buscou compreender de que forma acontece o alinhamento dos modelos estratégico e sustentável da gestão de pessoas e os níveis de sustentabilidade organizacional de duas indústrias de papel e celulose. Para isso, realizou-se um estudo de casos múltiplos nessas duas indústrias, as quais se configuram como empresas que estão em reestruturação das estratégias visando à implementação da sustentabilidade para o melhor desempenho organizacional. Para se alcançar o objetivo geral, foi necessário realizar uma ampla pesquisa bibliográfica, com entrevistas semiestruturadas com diretores e funcionários – estratégicos e táticos –, além de observação assistemática e análise dos documentos das empresas nos sites. Por meio da análise do conteúdo foi possível verificar que os níveis de sustentabilidade das indústrias estão relacionados ao modelo de gestão de pessoas adotado para o gerir das empresas.</p> 2020-11-09T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Terezinha Bernadete Pinto Oliari, Silvio Roberto Stefano, Sandra Mara de Andrade Andrade