https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/race/issue/feed RACE - Revista de Administração, Contabilidade e Economia 2020-04-27T17:42:55+00:00 Ieda Margarete Oro race@unoesc.edu.br Open Journal Systems <p>E-ISSN 2179-4936</p> https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/race/article/view/24033 Folha de rosto 2020-04-27T17:41:15+00:00 Editora Unoesc editora@unoesc.edu.br 2020-04-27T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Editora Unoesc https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/race/article/view/24029 Editorial 2020-04-27T17:41:35+00:00 Ieda Margarete Oro ieda.oro@unoesc.edu.br 2020-04-27T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Ieda Margarete Oro https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/race/article/view/23184 Orientação empreendedora e prática de custos na rede hoteleira do Sul brasileiro 2020-04-27T14:01:15+00:00 Suzete Antonieta Lizote lizote@univali.br Sayonara Fátima Teston sayonara.teston@unoesc.edu.br Patrick Zawadzki patrick.zawadzki@unoesc.edu.br Sandeep Kumar Gupta sayonara.teston@unoesc.edu.br <p><em>Este estudo teve como objetivo avaliar a relação entre orientação empreendedora e prática de custos em hotéis. O material para realizar a pesquisa descritiva e relacional com abordagem quantitativa foi obtido por meio de um questionário de autopreenchimento que foi respondido pelos gestores de hotéis de 16 cidades da região Sul do Brasil. Os dados obtidos foram analisados empregando a ANOVA e análise de correlação de Spearman. Os resultados deste estudo evidenciaram que os hotéis que adotam o método de custeio baseado em atividades e formam o preço considerando os valores de mercado são os que possuem respectivamente maior orientação empreendedora. Entre as implicações práticas, acredita-se que os resultados podem auxiliar na tomada de decisões de gestão. Paralelamente, ao trabalhar com a formação do preço da diária, constata-se que os hotéis que realizam a precificação baseada nos valores de mercado são os que têm melhores práticas de custos. O estudo apresenta originalidade, pois demonstra uma atitude conservadora dos hotéis, no que se refere à assunção de riscos.</em></p> 2020-04-27T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Suzete Antonieta Lizote, Sayonara Fátima Teston, Patrick Zawadzki, Sandeep Kumar Gupta https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/race/article/view/23149 Value Relevance das despesas de P&D no mercado de capitais: Um estudo das empresas brasileiras do Setor de TI 2020-04-27T17:41:55+00:00 Ronan Reis Marçal m.ronanreis@gmail.com Leonardo Flach leonardo.flach@gmail.com <p><em>Embora as despesas de P&amp;D sejam relevantes para qualquer empresa, o setor de TI se destaca nesse sentido, uma vez que essas empresas fazem investimentos constantes em ativos intangíveis para desenvolver soluções e sistemas para seus clientes. Portanto, este estudo teve como objetivo verificar a relevância das despesas de P&amp;D para empresas do setor de TI listadas na B3 entre 2010 e 2018. As regressões foram realizadas por desvios mínimos absolutos, considerando o preço das ações como variável de resposta e as despesas de P&amp;D como variável explicativa. Além disso, análises complementares foram feitas usando regressões logísticas. Foi considerado sempre um nível de confiança de 95%. Os resultados mostram que as despesas de P&amp;D explicam a variação nos preços das ações, conforme o esperado. O sinal positivo indica que os investimentos em intangíveis aumentam o valor de mercado das empresas de TI, no entanto, existem limites para esses benefícios. Um comparativo interessante é que, para o setor elétrico, alvo do estudo de Alves, Silva, Macedo, e Marques (2011), as despesas de P&amp;D não indicaram poder preditivo com relação aos preços das ações. Isso confirma a relevância dessa medida para o setor de TI, dada a sua importância para as atividades dessas empresas. Embora exista um senso comum da relevância das despesas de P&amp;D para o setor de TI, não havia literatura que fornecesse essas evidências de maneira empírica. Esta pesquisa preenche essa lacuna e denota maior relevância das informações contábeis referentes às despesas de P&amp;D para investidores das empresas de TI da B3.</em></p> 2020-04-27T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Ronan Reis Marçal, Leonardo Flach https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/race/article/view/22336 As finalidades do orçamento na influência do isomorfismo institucional na autorrejeição 2020-04-27T17:42:15+00:00 Igor Pereira da Luz i.pereiradaluz@gmail.com Carlos Eduardo Facín Lavarda elavarda@gmail.com <p>O presente trabalho teve por objetivo examinar a influência do isomorfismo institucional na&nbsp;autorrejeição ao orçamento, mediada pelas finalidades do artefato. Aponta-se a importância do estudo do setor farmacêutico brasileiro pois este representa um exemplo peculiar de discussão institucional, considerando as pressões de isomorfismo institucional sofridas pelo setor. O estudo é descritivo, de abordagem quantitativa, caracterizado como pesquisa de levantamento, tipo <em>survey</em>. Para cumprir o objetivo foram utilizados os pressupostos de DiMaggio e Powell (1983), as respostas estratégicas de desafiar e manipular do modelo conceitual de Oliver (1991) e as finalidades do orçamento utilizadas por Ekholm e Wallin (2011). A população selecionada foram os gerentes das empresas do setor farmacêutico vinculadas ao Guia da Farmácia, e a amostra final foi composta por 147 respostas válidas. Para a análise de dados foi utilizada a Modelagem de Equações Estruturais. Os resultados apontam para uma influência positiva do isomorfismo institucional nas finalidades de planejamento e diálogo. Não foi encontrada, porém, influência das finalidades do orçamento na autorrejeição. O isomorfismo institucional ainda apresentou influência positiva na autorrejeição do orçamento. Como contribuições, o estudo traz indícios de que os fatores de isomorfismo levam a uma melhor utilização das finalidades do orçamento, levam também a uma rejeição do artefato, que pode estar ligada a fatores de multiplicidade e restrição.</p> 2020-04-27T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Igor Pereira da Luz, Carlos Eduardo Facín Lavarda https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/race/article/view/20220 Satisfação dos acadêmicos de Ciências Contábeis: um estudo com equações estruturais 2020-04-27T14:01:18+00:00 Adhmir Renan Voltolini Gomes adhmir.renan@gmail.com Rafael Maximiano Ferreira rafamaxf@gmail.com Samuel Lyncon Leandro de de Lima samuellynconleandro@gmail.com Silvana Anita Walter silvanaanita.walter@gmail.com <p>O objetivo desta pesquisa foi analisar quais atributos influenciam a Satisfação geral dos acadêmicos do Curso de Contabilidade. Dessa forma, o referencial teórico utilizado para embasamento consistiu na satisfação dos estudantes e nas metodologias de ensino em Ciências Contábeis. Posteriormente, foi elaborado um <em>background</em> teórico para fundamentar a construção de nove hipóteses. Quanto à metodologia, a pesquisa é caracterizada pela abordagem quantitativa do tipo <em>survey</em>, com a coleta de dados obtidos de fonte primária, por meio da aplicação de questionários com escala Likert. A amostra da pesquisa é composta por 368 respondentes, acadêmicos dos Cursos de Ciências Contábeis matriculados em uma instituição de ensino superior privada situada na região Oeste do Estado do Paraná. Por fim, verificou-se que entre as categorias de análise propostas, todas demonstraram influência nos referidos constructos e, de forma positiva, exceto a Aprendizagem e o Desempenho pessoal. Além disso, identificou-se que os aspectos voltados à Qualidade do ensino/Desempenho do Curso, bem como os aspectos voltados ao Relacionamento com os professores são os que impactam a Satisfação geral com o Curso na percepção dos acadêmicos. Com isso, os achados evidenciaram a importância de uma percepção elevada sobre a Qualidade do ensino/Desempenho do Curso, na medida que impacta significativamente na Satisfação geral do acadêmico.</p> 2020-04-27T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 RACE - Revista de Administração, Contabilidade e Economia https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/race/article/view/20203 Avaliação do nível de sustentabilidade das indústrias de pequeno porte de microrregião do sul de Santa Catarina 2020-04-27T17:42:34+00:00 Rodney Wernke rodneywernke1@hotmail.com Ivone Junges ivone.junges@unisul.br O estudo teve o objetivo de identificar os níveis de sustentabilidade ambiental, econômica e social de pequenas empresas fabris localizadas nos municípios de uma microrregião do sul de Santa Catarina. A pesquisa se caracteriza como descritiva, com abordagem quantitativa e utilização do procedimento <em>survey</em> para coleta dos dados de 88 pequenas indústrias. Após breve revisão da literatura e evidenciação de estudos anteriores, foram apresentados os dados levantados acerca da utilização de práticas de sustentabilidade nas dimensões ambiental, social e econômica. Os resultados evidenciaram que a dimensão ambiental é a que menos prioridade vem recebendo dos gestores fabris participantes do estudo, seguida da dimensão econômica. Por outro lado, a dimensão social é aquela na qual o melhor desempenho foi constatado, visto que um maior número de indicadores apresentou percentuais elevados de utilização das práticas de sustentabilidade. Ainda, foi apurado por intermédio do teste estatístico <em>Mann-Whitney</em> que não há relação entre o porte das empresas e o nível de uso das práticas de sustentabilidade abrangidas. 2020-04-27T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 RACE - Revista de Administração, Contabilidade e Economia https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/race/article/view/20124 Percepções de estudantes e egressos do ensino médio sobre o curso de Ciências Contábeis: uma análise sob a ótica dos estereótipos da profissão 2020-04-27T17:42:55+00:00 Jucellia Paulista de Almeida jucellia.almeida@gmail.com Bruna Camargos Avelino bcavelino@gmail.com Talles Vianna Brugni tallesbrugni@hotmail.com <p>Este estudo teve o objetivo de conhecer e analisar as percepções de estudantes e egressos do Ensino Médio com relação à Graduação em Ciências Contábeis sob a ótica de estereótipos associados à profissão. O estudo ocorreu mediante a aplicação de questionários aos indivíduos componentes da amostra, presentes no evento Mostra de Profissões/Mostra Sua UFMG, promovido pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), e em um cursinho preparatório de vestibular localizado no Município de Lagoa Santa, região metropolitana de Belo Horizonte, Minas Gerais. Além disso, o questionário também foi disponibilizado on-line na plataforma do Google Drive. A partir da análise dos dados, realizada por meio da construção de tabelas e análises de frequência, constatou-se um desconhecimento dos respondentes sobre vários aspectos inerentes ao Curso e à profissão contábil. No que diz respeito aos estereótipos apontados na literatura, este trabalho não encontrou outro senão aquele que relaciona a Contabilidade à Ciência Exata, e uma parcela considerável dos indivíduos ainda vincula a principal tarefa do Contador ao cálculo do imposto de renda. Ressalta-se, desse modo, a necessidade de as escolas que possuem o Ensino Médio fornecerem informações adequadas a respeito das carreiras pretendidas pelos alunos, bem como estimularem a participação destes em eventos como a Mostra de Profissões realizada pela UFMG.</p> 2020-04-27T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 RACE - Revista de Administração, Contabilidade e Economia https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/race/article/view/20106 Desempenho econômico das empresas familiares e não familiares na crise de 2012 2020-04-27T14:01:22+00:00 Micheli Aparecida Lunardi micheli.lunardi@yahoo.com.br Nelson Hein micheli.lunardi@yahoo.com.br Adriana Kroenke micheli.lunardi@yahoo.com.br <p>Esta pesquisa consistiu em analisar o comportamento do desempenho econômico das empresas familiares e não familiares na Crise de 2012. Para tanto, analisaram-se as empresas brasileiras listadas na B3 (Brasil, Bolsa, Balcão) e desenvolveu-se um estudo descritivo, documental e quantitativo, com a utilização de ranking, distância DP<sub>2</sub>. O período de análise compreendeu os anos de 2008 a 2016. Os resultados revelaram que nos anos de 2011, 2012 e 2013 as empresas familiares apresentaram melhor colocação no ranking de desempenho econômico das empresas analisadas. Conclui-se que houve uma mudança no comportamento econômico das empresas familiares e não familiares principalmente nos anos próximos à Crise de 2012, sendo que as empresas familiares passaram a ocupar o primeiro lugar no ranking de desempenho econômico, quando anteriormente era mantido pelas empresas não familiares. Assim, em um cenário de crise o desempenho econômico das empresas familiares é superior ao das empresas não familiares. Como contribuição, o estudo apresenta o comportamento econômico das empresas familiares e não familiares, indicando como o desempenho econômico das empresas familiares e não familiares se comporta em um cenário de crise, demonstrando que as empresas familiares tendem a manter o desempenho econômico maior.</p> 2020-04-27T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2019 RACE - Revista de Administração, Contabilidade e Economia https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/race/article/view/19920 A intensidade da orientação empreendedora e capacidade de marketing no varejo supermercadista 2020-04-27T14:01:23+00:00 Ruan Carlos dos Santos ruan_santos1984@hotmail.com Ismael Luiz dos Santos ismael.luiz.santos@gmail.com Daniel de Souza Silva Junior danielss.j@hotmail.com <p>O presente estudo busca a evidenciação dos construtos Orientação Empreendedora (OE) e Capacidade de Marketing (CM) no segmento supermercadista de Santa Catariana. A pesquisa possui um caráter exploratório que partindo da formulação das hipóteses H1 e H2, procurou-se confirmar a presença dos constructos OE e CM nas empresas associadas à Associação Catarinense de Supermercado (Acats). Foram contemplados 342 supermercados distribuídos em 35 cidades do Norte ao Sul do Estado de Santa Catarina, de um total de 679 empresas associadas à Acats. A proposta da pesquisa envolveu um levantamento bibliográfico, a aplicação de questionários aos participantes da EXPOSUPER 2017, e a posterior análise dos resultados. Apesar de se basear em um modelo teórico consagrado, este estudo possui certo teor de originalidade na medida em que analisa a orientação empreendedora no varejo supermercadista utilizada na verificação da capacidade de marketing na concorrência do mercado empresarial. Os resultados evidenciaram que existente, e com grande intensidade, a presença dos construtos orientação empreendedora nas dimensões de inovação, proatividade e risco; e capacidade de marketing nas dimensões de pesquisa de mercado, preço, produto, promoção e gestão. A utilização das perspectivas teóricas relacionadas à capacidade de marketing e empreendedorismo aplicadas ao setor supermercadista. Estas potencializam habilidades e recursos para conseguir uma forte posição no mercado, considerando as perspectivas de clientes e concorrentes. Os empresários poderão entender melhor as necessidades e expectativas dos clientes, além dos movimentos dos concorrentes, podendo conduzir e direcionar as informações no desenvolvimento da maior efetividade dos seus recursos e capacidades.</p> 2020-04-27T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 RACE - Revista de Administração, Contabilidade e Economia