Regime diferenciado de contratações e concorrência pública: um estudo sob a ótica da economicidade

  • Dayane Andressa Loli Mestranda do curso de Gestão e Desenvolvimento Regional da Universidade Estadual do Oeste do Paraná - UNIOESTE
  • Gilmar Ribeiro de Mello Professor adjunto da Universidade Estadual do Oeste do Paraná - UNIOESTE.
  • Claudio Antonio Rojo Professor adjunto da Universidade Estadual do Oeste do Paraná - UNIOESTE.

Resumo

A Lei n. 12.462 de 2011 instituiu o Regime Diferenciado de Contratações como nova modalidade licitatória. Na presente pesquisa teve-se como objetivo comparar o RDC com a Concorrência Pública nas contratações de obras de uma Universidade Federal, visando a identificar qual modalidade é mais vantajosa para a administração em termos financeiros. A pesquisa caracterizou-se como quantitativa; utilizou-se o teste estatístico não paramétrico de Mann-Whitney para a análise dos dados. Inferiu-se, dessa primeira análise, que a concorrência gerou uma economicidade três vezes maior para a administração. Dessa forma, seguiu-se com o estudo buscando-se comparar os RDCs da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) com os RDCs de outras Instituições Federais de Ensino Superior, a fim de identificar se estas possuem semelhanças quanto aos percentuais de economicidade. Aplicou-se novamente o teste estatístico de Mann-Whitney, o qual revelou que a economicidade da UFFS, nessa modalidade, é semelhante à economicidade da maioria das Instituições Federais de Ensino Superior que também a utilizam.

Palavras-chave: RDC. Concorrência. Economicidade.

 

Abstract

 

The Differentiated Contracting Regime Act (Law n. 12.462 of 2011) established a new bidding modality. This study aimed to compare the DCR with the Public Competition in contracting works of a Federal University, to identify what mode is most advantageous for the administration in financial terms. The research was characterized as quantitative and used the non-parametric statistical test of Mann-Whitney for data analysis. It is inferred that first analysis that the competition generated three times more economicity for administration. Thus, there was sequel to the study seeking to compare the DCRs of UFFS with DCRs other Federal Institutions of Higher Education in order to identify whether they have similarities as to the percentage of economy. Was applied again statistical test of Mann-Whitney and they revealed that the UFFSs economicity of this embodiment is similar to economy in most Federal Institutions of Higher Education which used the same procedure.

Keywords: DCR. Competition. Economicity .

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Dayane Andressa Loli, Mestranda do curso de Gestão e Desenvolvimento Regional da Universidade Estadual do Oeste do Paraná - UNIOESTE

Mestranda do curso de Gestão e Desenvolvimento Regional da Universidade Estadual do Oeste do Paraná - UNIOESTE.

Administradora na Universidade Tecnológica Federal do Paraná UTFPR Campus de Francisco Beltrão.

Gilmar Ribeiro de Mello, Professor adjunto da Universidade Estadual do Oeste do Paraná - UNIOESTE.
Doutor e Mestre em Ciências Contábeis pela Universidade de São Paulo - FEA/USP. Professor Adjunto da Universidade Estadual do Oeste do Paraná - Unioeste, atuando no Mestrado em Gestão e Desenvolvimento Regional (Campus de Francisco Beltrão), no Mestrado em Contabilidade (Campus de Cascavel) e nos cursos de graduação em Administração e Ciências Econômicas.
Claudio Antonio Rojo, Professor adjunto da Universidade Estadual do Oeste do Paraná - UNIOESTE.
Pós-Doutor (2012) pela Universidade de São Paulo - FEA / USP. É professor adjunto da UNIOESTE, onde ministra Planejamento Estratégico na graduação e Cenários Estratégicos e Competitivos no Mestrado Profissional em Administração e no Mestrado em Contabilidade. Professor de Estudos Organizacionais no mestrado em Gestão e Desenvolvimento Regional.

Referências

ALEXANDRINO, Marcelo; PAULO, Vicente. Direito administrativo descomplicado. São Paulo: Método, 2012.

AMORA, Dimmi. Novo modelo para licitação não garante redução de custos. Folha de São Paulo, São Paulo, 11 abr. 2014. Disponível em: <http://www1.folha.uol.com.br/poder/2014/04/1438988-novo-modelo-para-licitacao-nao-garante-reducao-de-custos.shtml>. Acesso em: 16 jun. 2014.

APPOLINÁRIO, Fábio. Metodologia da ciência: filosofia e prática da pesquisa. 2. ed. São Paulo: Cengage Learning, 2012.

BARAN, Katna. RDC não garantiu rapidez e economia, mostram estudos. Gazeta do Povo, Curitiba, 19 maio. 2014. Disponível em: < http://www.gazetadopovo.com.br/vidapublica/conteudo.phtml?id=1469776&tit=RDC-nao-garantiu-rapidez-e-economia-mostram-estudos>. Acesso em: 14 jul. 2014.

BORGES, André. RDC frustra meta de redução de custos. Valor Econômico, São Paulo, 26 fev. 2014. Disponível em: <http://www.valor.com.br/brasil/3444168/regime-diferenciado-de-contratacao-frustra-meta-de-reducao-de-custos#ixzz2uR70WVOZ>. Acesso em: 16 jun. 2014.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal: Centro Gráfico.

BRASIL. Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993. Regulamenta o art. 37, inciso XXI, da Constituição Federal, institui normas para licitações e contratos da Administração Pública e dá outras providências. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8666cons.htm>. Acesso em: 16 jun. 2014.

BRASIL. Lei nº 12.462, de 04 de agosto de 2011. Institui o Regime Diferenciado de Contratações Públicas – RDC; altera a Lei nº 10.683, de 28 de maio de 2003. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2011/Lei/L12462.htm>. Acesso em: 17 jun. 2014.

BRASIL. Tribunal de Contas da União. Licitações e contratos. Brasília: TCU, Secretaria de Controle Interno, 2003.

BRASIL. Senado Federal. Comissão aprova regime diferenciado para todas as licitações e contratos públicos. Disponível em: <http://www12.senado.gov.br/noticias/materias/2014/03/25/comissao-aprova-regime-diferenciado-para-todas-as-licitacoes-e-contratos-publicos>. Acesso em: 08 jul. 2014.

CÂMARA DOS DEPUTADOS. Confira as principais mudanças do RDC em relação à Lei de Licitações, 16 jun. 2011. Disponível em: <http://www2.camara.leg.br/camaranoticias/noticias/ADMINISTRACAO-PUBLICA/198794-CONFIRA-AS-PRINCIPAIS-MUDANCAS-DO-RDC-EM-RELACAO-A-LEI-DE-LICITACOES.html>. Acesso em: 16 jul. 2014.

FÁVERO, P. Luiz et al. Análise de dados: modelagem multivariada para tomada de decisões. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009.

MARTINS, Gilberto de Andrade. Manual para elaboração de monografias e dissertações. 3 ed. São Paulo: Atlas, 2002.

RIGOLIN, Ivan B. RDC (Regime Diferenciado de Contratações Públicas). Fórum Conhecimento Jurídico, Belo Horizonte, n. 117, set. 2011. Disponível em: <http://www.editoraforum.com.br/ef/index.php/conteudo-revista/?conteudo=75003>. Acesso em: 08 jul. 2014.

RICHARDSON, Robert Jarry et al. Pesquisa social: métodos e técnicas. 3. ed. São Paulo: Atlas, 1999.

1 SA, Antonio Lopes de. Teoria da Contabilidade. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

TEIXEIRA, Daniel P. R. The differential public procurement regime ("RDC") for the 2014 Brazil Fifa World Cup and the 2016 Rio Olympics. Disponível em: <http://www.ippa.org/IPPC5/Proceedings/Part3/PAPER3-6.pdf>. Acesso em: 19 jun. 2014.

Publicado
23-03-2017
Como Citar
Loli, D. A., de Mello, G. R., & Rojo, C. A. (2017). Regime diferenciado de contratações e concorrência pública: um estudo sob a ótica da economicidade. RACE - Revista De Administração, Contabilidade E Economia, 16(1), 37-64. https://doi.org/10.18593/race.v16i1.9810