MODELAGEM ESTATÍSTICA COM FOCO NA MOTIVAÇÃO DOS BANCOS QUE SECURITIZARAM NO BRASIL ENTRE 2005 E 2012

  • Cristina Ferabolli Unisinos - Universidade do Vale do Rio dos Sinos
  • Igor Alexandre Clemente Morais Unisinos - Universidade do Vale do Rio dos Sinos

Resumo

Nesta pesquisa teve-se como objetivo analisar os principais fatores que levaram os bancos brasileiros a utilizarem instrumentos de securitização no período de 2005 a 2012. Avaliou-se, ainda, o cenário da crise financeira global de 2007 a 2008 e se esta modificou o padrão da securitização no mercado brasileiro. Os resultados obtidos para uma amostra de 643 observações indicam que a liquidez é o fator determinante na opção pela securitização, seguido pelo capital regulatório. Além disso, o tamanho do banco também apresenta relevância estatística, sinalizando possíveis ganhos de escala nas operações de securitização. Não foram encontradas evidências de utilização da securitização por transferência de risco de crédito e por performance, nem de mudanças no padrão da securitização, no Brasil, no período pré e pós-crise.

Palavras-chave: Securitização. Liquidez. Capital regulatório. Risco de crédito. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cristina Ferabolli, Unisinos - Universidade do Vale do Rio dos Sinos
Mestre em Ciências Contábeis/Finanças
Igor Alexandre Clemente Morais, Unisinos - Universidade do Vale do Rio dos Sinos
Doutor em Economia

Referências

AGOSTINO, M.; MAZZUCA, M. Why do banks securitize? Evidence from Italy. XVI Spanish Finance Forum Conference Proceedings. Spanish Finance Association, Madrid. May, 2008

BANNIER, C.E.; HANSEL, D.M. Determinants of Europeans bank’s engagement in loan securitization. Discussion Paper, Deutsche Bundesbank. June, 2008.

BAUR, D.; JOOSSENS, E. The effect of credit risk transfer on financial stability. EUR Working Paper n. 21521 EN. January 2006.

BCBS – BASEL COMMITTEE ON BANKING SUPERVISION. Basel III: A global regulatory framework for more resilient banks and banking systems. Basle: Bank for International Settlements, December, 2010.

CALOMIRIS, C.W.; MASON, J.R. Credit card securitization and regulatory arbitrage. Journal of Financial Services Research. v. 26. 2004. p. 5-27

CARDONE-RIPORTELLA, C.; SAMANIEGO-MEDINA, R.; TRUJILLO-PONCE, A. What drives bank securitization? The Spanish experince. Journal of Banking and Finance. v. 34, nro 11. 2010. p. 2639-2651

CATÃO, G.C. Securitização de recebíveis no setor bancário brasileiro: um estudo multi-caso. 2006. 99 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Contábeis) – Programa Multiinstitucional e Inter-Regional da Universidade de Brasília, da Universidade Federal da Paraíba, da Universidade Federal de Pernambuco, e da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. João Pessoa.

CATÃO, G.; RODRIGUES, R.N.; LIBONATI, J.J. Securitização de recebíveis no setor bancário brasileiro: um estudo empírico. Revista Brasileria de Finanças. 2009.

CEBENOYAN, A. S.; STRAHAN, P.E. Risk Management, Capital Structure and Lending at Banks. Wharton Financial Institutions Center Working Papers n. 02-09. October, 2001.

CERRATO, M. Why do UK banks securitize? Discussion Paper Series: University of Glasgow. Department of Economics. Nro 6. 2012.

CGFS - COMMITTEE ON THE GLOBAL FINANCIAL SYSTEM. The role of ratings in structured finance: issues and implications. BIS Quartely Review. January 2005.

DUFFIE, D. Innovations in credit risk transfer: implications for financial stability. BIS Working Papers n. 255, July 2008.

FERNANDES, M.P. O mercado de securitização no Brasil e suas fontes de valor. 2010, 52 f. Dissertação (Mestrado Profissional) – Escola de Economia de São Paulo, Fundação Getúlio Vargas. São Paulo.

GOLDBERG, M.B. A securitização de recebíveis e seus impactos no valor das originadoras: evidências do mercado brasileiro. 2011, 48 f. Dissertação (Mestrado em Economia) – Escola de Economia de São Paulo, Fundação Getúlio Vargas. São Paulo.

LAUREANO, G.L. Sale of credit portfolio and risk: the case of financial institutions in Brazil. 2009. 86 f. Dissertação (Mestrado em Administração de Empresas) – Escola de Administração de Empresas de São Paulo, Fundação Getúlio Vargas, São Paulo.

LEE, H.J. Essays on asset securitization, bank production costs and the credit card market. 2003. 137 f. Tese (Doutorado em Economia). University of California, Berkeley.

LOUTSKINA, E. The role of securitization in bank liquidity and funding management. Journal of Financial Economics. 2011. p. 663-684

LUXO, J.C.A. O impacto da securitização de ativos nos indicadores financeiros e nos betas das empresas. 2007. 234 f. Tese (Doutorado em Administração) – Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo.

MARTIN-OLIVER, A.; SAURINA, J. Why do banks securitize? XV Spanish Finance Forum Conference Proceedings. Spanish Finance Association. Palma de Mallorca. November, 2007.

MASON, J.R.; ROSNER, J. How resilient are Mortgage Backed Securities to Collateralized Debt Obligation market disruptions? Working paper series. February, 2007.

MINTON, B. Securitization by banks and finance companies: Efficient financial contracting or regulatory arbitrage? Working Paper: Ohio State University. 2004

OLIVEIRA, C.M.R. Determinantes de spreads de ativos securitizados: uma avaliação de fundos de investimento em direitos creditórios. 2012, 55 f. Dissertação (Mestrado em Economia) – Escola de Economia de São Paulo, Fundação Getúlio Vargas. São Paulo.

PINHEIRO, F.A.P. Securitização de recebíveis – uma análise dos riscos inerentes. 2008, 186 f. Dissertação (Mestrado em Administração) – Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo.

PULINO, M.V.Z. O custo de capital em operações de securitização de recebíveis de empresas não financeiras por meio da emissão de cotas de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios – FIDCs. 2008. 73 f. Dissertação (Mestrado em Administração de Empresas) – Escola de Administração de Empresas de São Paulo, Fundação Getúlio Vargas, São Paulo.

SILVA, R.R. Os Fundos de Investimento em Direitos Creditórios (FIDCs) como uma alternativa ao financiamento de micro e pequenas empresas: uma análise do mercado de crédito brasileiro. 2006. 85 f. Dissertação (Mestrado em Economia) – Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo. Ribeirão Preto.

UZUN, H.; WEBB, E. Securitization and risk: Empirical evidence on US banks. The Journal of Risk Finance. v. 8. 2007. p. 11-23

Publicado
26-07-2016
Como Citar
Ferabolli, C., & Morais, I. A. C. (2016). MODELAGEM ESTATÍSTICA COM FOCO NA MOTIVAÇÃO DOS BANCOS QUE SECURITIZARAM NO BRASIL ENTRE 2005 E 2012. RACE - Revista De Administração, Contabilidade E Economia, 15(2), 579-600. https://doi.org/10.18593/race.v15i2.7276