O CRESCIMENTO ECONÔMICO DOS MUNICÍPIOS DO AGLOMERADO DE CONFECÇÕES DO AGRESTE PERNAMBUCANO: UMA ANÁLISE DO PERÍODO DE 2000/2010, À LUZ DAS TEORIAS DA NGE

  • Maria Eliane Alves Universidade Federal Rural de Pernambuco
  • Maria Gilca Pinto Xavier Universidade Federal Rural de Pernambuco
  • Luís Henrique Romani Campos Fundação Joaquim Nabuco e Faculdade Joaquim Nabuco

Resumo

A primeira década do século XIX é marcada pela retomada da industrialização de Pernambuco, principalmente com a atração de grandes empreendimentos no complexo portuário-industrial de Suape, na região metropolitana do Recife. Diante desse cenário econômico, a região do Agreste Central e Setentrional vem chamando a atenção, pois mesmo não se beneficiando de forma direta de tais investimentos, tem apresentando um relevante crescimento nos últimos anos. Um dos fatores desse “sucesso” da região é a presença da aglomeração produtiva de confecções. Assim, o objetivo central neste trabalho foi analisar o crescimento econômico dos municípios desse aglomerado, no período de 2000/2010, à luz das teorias das NGEs. A base de dados utilizada foi formada a partir da utilização dos microdados dos Censos Demográficos de 2000 e 2010 – para a mensuração da variável Renda média do emprego total – do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Já as informações acerca do crescimento do PIB e da população foram coletadas diretamente no site do IPEADATA (2014). Os dados coletados foram devidamente compilados por meio do uso de ferramentas da estatística descritiva. Os resultados sugerem ter havido no Aglomerado de Confecções do Agreste Pernambucano (ACAP), no período de 2000/2010, a presença de forças acumulativas nos três principais municípios, o chamado núcleo do ACAP. Essas forças atuaram, principalmente, na atração populacional e geraram efeitos de transbordamento para muitos municípios limítrofes.

Palavras-chave: Crescimento econômico. Aglomerações produtivas. Nova geografia econômica.

 

The economic growth of municipalities of agglomerated fabrication in the countryside of Pernambuco state: an analysis of the 2000/2010 period, the light of theories of nge

 

 

Abstract

 

 

The first decade of the nineteenth century is marked by the resumption of industrialization of Pernambuco, especially with the lure of large enterprises in the port-industrial complex of Suape, in the metropolitan region of Recife. Given this economic situation, the region of Agreste Central and Northern has attracted the attention because even not benefiting directly from such investments, it has presented a significant growth in recent years. One of the factors of this “success” of the region is the presence of productive agglomeration of clothing. Thus, the main objective of this study was to analyze the economic growth of the municipalities of this cluster in the period of 2000/2010, in the light of the theories of NGE. The database used was formed from the use of microdata of the 2000 and 2010 Demographic Census – to measure the moving average income of total employment – the Brazilian Institute of Geography and Statistics (IBGE). The information about the GDP growth and population were collected directly in IPEADATA site (2014). The collected data were properly collected through the use of descriptive statistics tools. The results suggest that there was in the agglomerate of Agreste Pernambucano Clothing (ACAP), in the period of 2000/2010, the presence of cumulative forces in the three main cities, the so-called ACAP core. These forces acted mainly on population attraction and generated spillover effects for many neighboring municipalities.

Keywords: Economic growth. Productive clusters. New economic geography.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Eliane Alves, Universidade Federal Rural de Pernambuco
Possui graduação em Ciências Econômicas pelo Centro Universitário UNIFAVIP (2005), mestrado em Administração e Desenvolvimento Rural (2015). É professora do Centro Universitário UNIFAVIP|Devry.
Maria Gilca Pinto Xavier, Universidade Federal Rural de Pernambuco
É graduada em Ciências Sociais pela Universidade Federal da Paraíba, fez mestrado em Sociologia pela Universidade Estadual de Campinas e Doutorado pela Universidade Federal de Pernambuco em Desenvolvimento urbano.Atualmente é professora Adjunto IV da Universidade Federal Rural de Pernambuco.É pesquisadora líder do grupo de Pesquisa para Caracterização de Aglomeração Produtiva, Inovação e Empreendedorismo: CARISMA. Faz parte do corpo docente do Curso Pós-Graduação em Administração e Desenvolvimento Rural (strictu-sensu )/UFRPE.
Luís Henrique Romani Campos, Fundação Joaquim Nabuco e Faculdade Joaquim Nabuco
Possui graduação em Ciências Econômicas pela Universidade Estadual de Maringá (1990), mestrado em Economia pela Universidade Federal da Paraíba (2000) e doutorado em Economia pela Universidade Federal de Pernambuco (2004). Atualmente é pesquisador titular e Diretor de Pesquisas Sociais da Fundação Joaquim Nabuco e professor da Faculdade Joaquim Nabuco.

Referências

ALVES, Janaina da Silva; SILVEIRA NETO, Raul da Mota. Impacto das externalidades de aglomeração no crescimento econômico do emprego: O caso do cluster de confecções de Pernambuco. Revista Econômica do Nordeste, v.42, n. 2, Abril-Junho 2011. p. 333-350. Disponível em: [http://www.bnb.gov.br/projwebren/Exec/artigoRenPDF.aspx?cd_artigo_ren=1246]. Acesso em: 30 Mar 2012.

BACEN. Calculadora do Cidadão. Banco Central do Brasil, 2014. Disponivel em: <http://www.bcb.gov.br/?CALCULADORA>. Acesso em: 15 Agosto 2014. Calculadora do Cidadão.

CEPLAN. Consultoria Econômica e Planejamento, Recife, p. 47, 2012. Disponivel em: <http://www.ceplanconsult.com.br/analiseceplan/index.php>. Acesso em: 17 Agosto 2012.

DIXIT, A.K; STIGLITZ, J.E. Monopolistic Competition and Optimum Product Diversity. American Economic Review, 1977. 297-308.

DUBEY, Vinod. Definição de Economia Regional. In: SCHWARTZMAN, Jacques (Org.) Economia Regional. Tradução de Rosa Maria Roedel dos Santos. Belo Horizonte: Editora UFMG, 1977. Cap. 1.

FADE/UFPE. www.sebraepe.com.br. SEBRAE-PE, 2003. Disponivel em: <http://www.sebraepe.com.br>. Acesso em: 11 Novembro 2010.

FUJITA, Masahisa; KRUGMAN, Paul; VENABLES, Anthony J. Economia Espacial: urbanização, prosperidade econômica e desenvolvimento humano mundo. São Paulo: Futura, 2002.

IBGE. Microdados do Censo Demográfico 2000. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Rio de Janeiro. 2000.

IBGE. Microdados do Censo Demográfico 2010. INSITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Rio de Janeiro. 2010. Disponível em: [http://www.ibge.gov.br/cidadesat/link.php?uf=pe]. Acesso em 14 Dez 2012.

IPEADATA. REGIONAL. IPEADATA, 2014. Disponivel em: . Acesso em: 01 AGOSTO 2014.

KRUGMAN, P. Increasing Returns and Economic Geography. Journal of Political Economy, 1991. pp. 483-499.

KRUGMAN, P. Complex Landscapes in Economic Geography. The American Economic Review, 1994. pp. 412-416.

KRUGMAN, P. R. Scale economics, product differentiation, and the pattern of trade”. American Economic Review , 1980. 950-959.

LIMA, João Policarpo R.; SICSÚ, Abrahm Benzaquem; PADILHA, Maria Fernanda F.G. Economia de Pernambuco: transformações recentes e perspectivas no contexto regional globalizado. Revista Econômica do Nordeste, Fortaleza, v.38, n. 4, Out-dez 2007. Disponível em: [http://www.bnb.gov.br/projwebren/Exec/artigoRenPDF.aspx?cd_artigo_ren=1062]. Acesso em: 07 Abr 2012.

LIRA, Sonia Maria de. Muito além das feiras da sulanca: a produção da confecção no Agreste/PE. Recife: Ed. Universitária da UFPE, 2011.

MARSHALL, Alfred. Princípios de Economia: Tratado Introdutório. São Paulo: Abril Cultural, 1982. (Os economistas).

OLIVEIRA, Cristiano Aguiar de. Crescimento econômico das cidades nordestinas: um enfoque da nova geografia econômica. Revista Econômica do Nordeste, Fortaleza, v. 35, n. 3, jul-set 2004. Disponível em: [http://www.bnb.gov.br/projwebren/Exec/artigoRenPDF.aspx?cd_artigo_ren=334]. Acesso em: 07 de Abr de 2012.

PORTER, Michael E. Competição = On Competition: estratégias competitivas essenciais. Rio de Janeiro: Campus, 1999.

SEBRAE. Estudo Econômico do APL de Confecções do Agreste de PE. Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas. Recife, p. 151. 2013.

XAVIER, Maria Gilca Pinto. Recife: [s.n.], 2006. Tese de Doutorado.

Publicado
04-10-2016
Como Citar
Alves, M. E., Pinto Xavier, M. G., & Romani Campos, L. H. (2016). O CRESCIMENTO ECONÔMICO DOS MUNICÍPIOS DO AGLOMERADO DE CONFECÇÕES DO AGRESTE PERNAMBUCANO: UMA ANÁLISE DO PERÍODO DE 2000/2010, À LUZ DAS TEORIAS DA NGE. RACE - Revista De Administração, Contabilidade E Economia, 15(3), 891-914. https://doi.org/10.18593/race.v15i3.7153