DIFERENTES BENEFÍCIOS DA GOVERNANÇA NA GESTÃO DE ORGANIZAÇÕES DE INTERESSE PÚBLICO E PRIVADO: O CASO DA REDE BIODIESEL SERGIPE

  • Vitor Hugo da Silva Vaz Universidade Federal de Sergipe
  • Maria Elena Leon Olave
  • Osiris Ashton Vital Brazil

Resumo

A governança de uma rede de empresas pode apresentar diferentes benefícios para as organizações participantes. Porém, nem sempre os estudos sobre governança têm foco em como as características das organizações podem influenciar os benefícios gerados. Assim, no presente trabalho teve-se o objetivo de analisar como a governança dessa rede de empresas pode apresentar diferentes contribuições à gestão em organizações parceiras. Metodologicamente, foi realizado um estudo de caso único em uma rede de empresas que tinha como objetivo central estruturar a cadeia de produção e o uso do biodiesel no Estado de Sergipe (Rede Biodiesel Sergipe). A coleta de informações foi realizada por meio de um roteiro de entrevista semiestruturada realizado com representantes de organizações públicas e privadas. Os resultados mostraram que, em grandes organizações, como um banco e uma instituição governamental, foi evidente o desenvolvimento de novos produtos, novos grupos de pesquisas e metodologias de gestão. Entretanto, os benefícios gerados pela governança foram mais evidentes em uma cooperativa de agricultura familiar, que obteve a reorganização do processo produtivo, a estruturação administrativa, a geração de novos negócios e a implementação de políticas públicas para a erradicação da pobreza e a evolução do pequeno agricultor. Como contribuição teórica, com o estudo possibilitou-se mostrar que, além dos benefícios, as características atribuídas a cada instituição ofereceram benefícios distintos aos participantes da Rede. Nesse caso, estudos futuros sobre a governança de redes devem considerar o perfil das instituições participantes, considerando-se os benefícios distintos proporcionados.

Palavras-chave: Benefícios. Governança. Organizações. Rede Biodiesel. Sergipe.

  

Different benefits governance in the public interest of management and private organizations: the Network case Biofuel Sergipe

 

Abstract

 

The governance of a network of companies can provide different benefits to the participating organizations. But not always the studies on governance focuses on the features of the organizations can influence the generated benefits. Thus, this study aims to analyze how the governance of the network may have different contributions to management in partner organizations. Methodologically, there was a single case study of a network of companies that had as main objective to structure the chain of production and use of biodiesel in the state of Sergipe (Biodiesel Sergipe Network). Data collection was performed using a semi-structured interview guide held with representatives of public and private organizations. The results showed that, in large organizations, such as a bank and a government institution, the development of new products, research groups and methodologies management was evident. However, the benefits generated by governance were more evident in a family farming cooperative that got the reorganization of the production process, administrative structure, generating new business and implementation of public policies for poverty eradication and development of the small farmer. As a theoretical contribution, it enabled the study show that, in addition to the benefits, features assigned to each institution offered distinct benefits to Network participants. In this case, future studies on governance networks should consider the profile of the participating institutions in view of the distinct benefits provided.

Keywords: Benefits. Governance. Organizations. Biofuel Network. Sergipe.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vitor Hugo da Silva Vaz, Universidade Federal de Sergipe
Redes de Cooperação, Administração

Referências

ABRAMOVAY, R. MAGALHÃES, R. O acesso dos agricultores familiares aos mercados de biodiesel: parcerias entre grandes empresas e movimentos sociais. Apresentado na Conferência da Associação Internacional de Economia Alimentar e Agroindustrial (AIEA2): Londrina, 2007. Disponível em: <http://ricardoabramovay.com/o-acesso-dos-agricultores-familiares-aos-mercados-de-biodiesel-parcerias-entre-grandes-empresas-e-movimentos-sociais/>. Acesso em: 21 out. 2013.

BALESTRIN, A.; VARGAS, L. M. Evidencias Teóricas para a Compreensão das Redes Interorganizacionais. In: Encontro de Estudos Organizacionais, 2., 2002, Recife. Anais... Recife: Observatório da Realidade Organizacional: PROPAD/UFPE: ANPAD, 2002. Disponível em: <http://www.anpad.org.br/diversos/trabalhos/EnEO/eneo_2002/2002_ENEO46.pdf>. Acesso em: 14 nov. 2012.

BORTOLASO, I.; VERSCHOORE, J. R.; ANTUNES JUNIOR, J. A. V. Estratégias Cooperativas: avaliando a gestão da estratégia em redes de pequenas e médias empresas. Revista Brasileira de Gestão e Negócios. São Paulo, v. 14, n. 45, out./dez., 2012, p. 419-437. Disponível em: <http://www.spell.org.br/documentos/ver/9287/estrategias-cooperativas--avaliando-a-gestao-da-estrategia-em-redes-de-pequenas-e-media-empresas/i/pt-br>. Acesso em: 14 nov. 2012.

BRAND, F. C.; RIGONI, E. H.; VERSCHOORE, J. R. GOVERNANÇA INTERORGANIZACIONAL: UM ESTUDO DO RELACIONAMENTO ENTRE AGENTES ECONÔMICOS DO SETOR DE FLORES. Revista de Gestão do Unilasalle, Canoas, v. 3, n. 1, mar., 2014, p. 99-111. Disponível em: http://www.revistas.unilasalle.edu.br/index.php/desenvolve. Acesso em: 01 abr. 2014.

BRASIL, Lei nº 11.116, de 18 de maio de 2005. Dispõe sobre o Registro Especial, na Secretaria da Receita Federal do Ministério da Fazenda, de produtor ou importador de biodiesel e sobre a incidência da Contribuição para o PIS/Pasep e da Cofins sobre as receitas decorrentes da venda desse produto; altera as Leis nos 10.451, de 10 de maio de 2002, e 11.097, de 13 de janeiro de 2005; e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 19 maio 2005b. p. 1-6. Disponível em: <http://www.receita.fazenda.gov.br/Legislacao/leis/2005/lei11116.htm>. Acesso em: 03 dez. 2012.

BRASIL, Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA). Instrução Normativa MDA nº 01, de 19 de fevereiro de 2009. Dispõe sobre os critérios e procedimentos relativos à concessão, manutenção e uso do selo combustível social. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, n. 37, 25 fev. 2009. Seção 1, p. 71-73. Disponível em: http://portal.mda.gov.br/portal/saf/arquivos/view/biodisel/IN__01_19-02-2009_Concess%C3%A3o.pdf. Acesso em: 11 out. 2012.

BRASIL. Lei 11.097, de 13 de Janeiro de 2005. Dispõe sobre a introdução do biodiesel na matriz energética brasileira; altera as Leis nos 9.478, de 6 de agosto de 1997, 9.847, de 26 de outubro de 1999 e 10.636, de 30 de dezembro de 2002; e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 14 jan. 2005. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2005/Lei/L11097.htm>. Acesso em: 03 dez. 2012.

CAMPOS, A.; CARMELIO, E. C. Biodiesel e agricultura familiar no Brasil: resultados socioeconômicos e expectativa futura. In. O futuro da indústria: biodiesel. Coletânea de artigos / coordenadores José Rincon Ferreira, Carlos Manuel Pedroso Neves Cristo – Brasília : MDIC-STI/IEL, 2006. 145 p. : il. – (Série Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior, 14). Disponível em: <http://www.desenvolvimento.gov.br//arquivos/dwnl_1201279825.pdf>. Acesso em: 12 abr. 2013.

CASTELLS, M. A era da informação: economia, sociedade e cultura - A sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra, 1999.

CORNFORTH, C. The Governance of Cooperatives and Mutual Associations: A Paradox Perspective. Annals of Public and Cooperative Economics, 75:1, 2004, p. 11-32. Disponível em: <http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/j.1467-8292.2004.00241.x/pdf>. Acesso em: 02 out. 2013.

CRESWELL, J. Research design: Qualitative, quantitative, and mixed methods approaches. London: Sage, 2002.

CRUZ, J. A. W.; MARTINS, T. S.; QUANDT, C. O. Redes de Cooperação: Um Enfoque de Governança. Revista Alcance – Eletrônica, v. 15, n. 02, maio/ago., 2008, p. 190-208. Disponível em: <http://www6.univali.br/seer/index.php/ra/article/view/671/543>. Acesso em: 15 dez. 2013.

EINSENHARDT, K. M. Building theories from case study research. Academy of Management Review. v. 14, n.4, p. 532-550, 1989.

FAO. Statistical Yearbook 2013, World food and agriculture. Food and Agriculture Organization of the United Nations: Rome, 2013.

FITTIPALDI, M. A. S.; DONAIRE, D. Governança na Rede de Negócios do Setor Editorial de Revistas. REGES - Revista Eletrônica de Gestão, Picos, v. 2, n. 2, mai./ago., 2009, p. 73-88.

GODOY, A. S. Pesquisa Qualitativa: Tipos Fundamentais. Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 35, n.3, 1995.

HUMPHREY, J.; SCHMITZ, H. Governance and upgrading: linking industrial cluster and global value chain research. IDS Working Paper 120, Institute of Development Studies, University of Sussex, Brighton, 2000.

HUMPHREY, J.; SCHMITZ, H. Governance in global value chains. IDS Bulletin 32, 2001, p. 19-29.

KWASNICKA, E. L.Governança gestora na Rede de Negócios: Um estudo comparativo. Revista Brasileira de Gestão de Negócios, vol. 8, núm. 21, maio/ago., 2006, p. 33-42. Disponível em: http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=94782105. Acessado em: 16 ago. 2013.

LOPES, F. D.; BALDI, M. Redes como perspectiva de análise e como estrutura de governança: uma análise das diferentes contribuições. Revista de Administração Pública – RAP, Rio de Janeiro: 43(5) , set./out., 2009, p. 1007-1035. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rap/v43n5/v43n5a03.pdf>. Acesso em: 19 out. 2013.

MONTENEGRO, L. M. Um parlamento de múltiplos atores: Um estudo sob a perspectiva da teoria ator-rede para o entendimento da governança e dos resultados estratégicos de Cursos de Graduação em Administração de Instituições de Ensino Superior Particulares de Curitiba. Tese (Doutorado) apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Administração, Área de Concentração Estratégia e Organizações, do Setor de Ciências Sociais Aplicadas da Universidade Federal do Paraná: Curitiba, 2013, 212f.

MUELLER, M.; SCHMIDT, A.; KUERBIS, B. Internet Security and Networked Governance in International Relations. International Studies Review. n. 15, 2013, p. 86–104. Disponível em: <http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/misr.12024/pdf>. Acesso em: 15 dez. 2013.

PROVAN, K. G.; KENIS, P. Modes of Network Governance: Structure, Management, and Effectiveness. Journal of Public Administration Research and Theory, v. 18, Issue 2, 2008, p. 229-252. [online] Disponível em: <http://ssrn.com/abstract=1157682> ou <http://dx.doi.org/10.1093/jopart/mum015>. Acessado em: 03/09/2013.

RHODES, R. A. W. The New Governance: Governing without Government, Political Studies, XLIV, 1996, p. 652-667.

RHODES, R. A. W. Understanding governance: ten years on. Organization Studies, v. 28, n. 8, 2007.

RHODES, R. A. W. Waves of governance. In, Levi-Faur, David (ed.) The Oxford Handbook of Governance. Oxford, GB, Oxford University Press, 2012, p. 33-48.

RODRIGUES, A. L.; MALO, M. C. Estruturas de Governança e Empreendedorismo Coletivo: o Caso dos Doutores da Alegria. Revista de Administração Contemporânea, v. 10, n. 3, jul./set., 2006: p. 29-50.

ROSSETTO, C. R.; ROSSETTO, A. M. Teoria Institucional e Dependência de Recursos na Aptidão Organizacional: Uma Visão Complementar. Fundação Getúlio Vargas. RAE-eletrônica. São Paulo: v. 4, n. 1, jan/jul. 2005.

SAUNDERS, M.; LEWIS, P.; THORNILL, A. Research Methods for Business Students. 4ª ed. Harlow, England: Pearson Education, 2007. cap. 10.

SANTOS, M. H. C. Governabilidade, Governança e Democracia: Criação de Capacidade Governativa e Relações Executivo-Legislativo no Brasil Pós-Constituinte. Dados [online]. v.40, n.3, 1997. ISSN 0011-5258. Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0011-52581997000300003&script=sci_arttext&tlng=es#14>. Acesso em: 13 dez. 2013.

SERGIPETEC. Estrutura do Programa Sergipe Biodiesel - 2009. Disponível em: http://www.SERGIPETEC.se.gov.br/probiose/233/Probiose.htm. Acesso em: 20 set. 2013.

SOUZA, A. P. L.; TARGINO, I.; MOREIRA, E. Impactos do Programa Nacional de Produção e uso de Biodiesel sobre o emprego e a Agricultura Familiar do Nordeste do Brasil. Revista GEONORDESTE, Ano XXII, n.2, 2011. Disponível em: http://200.17.141.110/pos/geografia/geonordeste/index.php/GeoNordeste/article/view/228. Acesso em: 16 out. 2013.

STAKE, R., E. Case Studies. In: DENZIN, N. K.; LINCOLN, Y. S. (Ed.) Handbook of Qualitave Research. London: Sage Publications, 1994.

SUZIGAN, W.; GARCIA, R.; FURTADO, J. Estruturas de governança em arranjos ou sistemas locais de produção. Revista de Gestão e Produção, São Carlos, v. 14, n. 2, maio/ago., 2007, p. 425-439.

VIEIRA, J. N. S. A agroenergia e os novos desafios para a política agrícola no Brasil. In.: O futuro da indústria: biodiesel. Série Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior – 14. Brasília, 2006.

VITAL BRAZIL, O. A.; SOUZA, A. M.; SILVA, M. S. ; VAZ, V. H. S. Impactos da produção e uso de biodiesel no estado de Sergipe. In: Rio Oil & Gas Expo and Conference 2008. Rio de Janeiro: IBP, 2008.

VITAL BRAZIL, O. A.; VAZ, V. H. S.; SILVA, M. S.; JESUS FILHO, F. P. Custos de Transação na Cadeia Produtiva de Biodiesel. In: Congresso Brasileiro de Regulação. Rio de Janeiro: ABAR, 2009.

WEGNER, D. Mecanismos de Governança de Redes Horizontais de Empresas: O caso das redes alemãs de grande porte. RGO - Revista Gestão Organizacional, v. 5, n. 2, jul./dez., 2012, p. 214-228. Disponível em: < http://bell.unochapeco.edu.br/revistas/index.php/rgo/article/viewFile/1398/778>. Acesso em: 16 dez. 2013.

WILLIAMSON, O. E. The Economics of Organization: The Transaction Costs Approach. American Journal of Sociology, v. 87, n. 3, nov., 1981, p. 548-577.

WORLD BANK. Governance and Development. The World Bank Publication, abr., 1992. Disponível em: http://www-wds.worldbank.org/external/default/WDSContentServer/WDSP/IB/1999/09/17/000178830_98101911081228/Rendered/PDF/multi_page.pdf. Acesso em: 16 dez. 2013.

YIN, R. K. Estudo de Caso: Planejamento e Métodos. Trad. Ana Thorell - 4ª Ed. – São Paulo: Bookman, 2010.

ZYLBERSZTAJN, D.; FARINA, E. M. M. Q. Dynamics of Network Governance: a contribution to the study of complex forms. REAd, ed. 65, v. 16, n. 1, jan./abr., 2010. Disponível em: < http://www.erudito.fea.usp.br/PortalFEA/Repositorio/616/Documentos/Zylbersztajn_Farina_10_2005%5B1%5D.pdf>. Acesso em: 15 dez. 2013.

Publicado
04-10-2016
Como Citar
Vaz, V. H. da S., Olave, M. E. L., & Vital Brazil, O. A. (2016). DIFERENTES BENEFÍCIOS DA GOVERNANÇA NA GESTÃO DE ORGANIZAÇÕES DE INTERESSE PÚBLICO E PRIVADO: O CASO DA REDE BIODIESEL SERGIPE. RACE - Revista De Administração, Contabilidade E Economia, 15(3), 969-1006. https://doi.org/10.18593/race.v15i3.7042