RELAÇÃO ENTRE ESTILO DE LIDERANÇA E COMPROMETIMENTO ORGANIZACIONAL AFETIVO / Relation between leardeship style and affective organizational commitment

  • Maria de Lourdes de Oliveira Nogueira Universidade Metodista de São Paulo (UMESP)
  • Luciano Venelli Costa Universidade Metodista de São Paulo (UMESP)
  • José Alberto Carvalho dos Santos Claro Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP

Resumo

A liderança e seus estilos contribuem para gerar desempenho e resultados melhores para as organizações. Objetivou-se analisar a relação entre os estilos de liderança e o comprometimento organizacional afetivo (COA). Utilizou-se o método quantitativo, com dados coletados por um questionário de autopreenchimento composto por três escalas que medem as variáveis da pesquisa com 92 trabalhadores de uma empresa privada na cidade de São Paulo. A análise foi descritiva e multivariada, buscando-se correlações entre três estilos de liderança: tarefa, relacionamento e situacional com o COA. Encontraram-se fracas correlações entre estilos de liderança e COA, sendo significativas as correlações do comprometimento com o estilo tarefa e com o estilo situacional, porém, com variações em razão do tamanho da amostra. Esses resultados contribuem para o aprimoramento dos processos de gestão de pessoas a fim de promover melhorias no desenvolvimento das lideranças e no comprometimento das pessoas por meio das políticas da organização.

Palavras-chave: Comportamento organizacional. Estilo de liderança. Comprometimento organizacional afetivo. Organização. Gestão de pessoas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria de Lourdes de Oliveira Nogueira, Universidade Metodista de São Paulo (UMESP)
Professora na Centro Universitário Estácio, nos cursos Gestão e Bacharelado, ministrando as disciplinas relacionadas a recursos humanos, negociação e psicologia.Professora na Faculdade FMU Mestranda em Admnistração, com enfase em Gestão de Pessoas pela UMESP, Especialista em Admnistração de Recursos Humanos e Psicologia Organizacional pela Faculdade Hoyler e Graduada em Psicologia pela Faculdade Paulistana de Ciências e Letra. Experiência em recursos humanos em empresas de médio e grande porte, nacionais e multinacionais na indústria metalurgica e na indústria de serviços com repport nacional e internacional.Conhecimento em sub-sistemas de recursos humanos. Atuação estratégica focada no negócio e na organização do capital humano com resultados mensuráveis.
Luciano Venelli Costa, Universidade Metodista de São Paulo (UMESP)
Possui graduação em Engenharia Elétrica - ênfase Eletrônica pelo Centro Universitário da FEI (1992), graduação em Administração Geral pela Universidade Metodista de São Paulo (2011), mestrado em Administração pela Universidade Metodista de São Paulo (2003) e doutorado em Administração pela Universidade de São Paulo (2011). Atualmente é professor titular da Universidade Metodista de São Paulo, atuando como docente da graduação e do mestrado em Administração e Diretor da Faculdade de Administração e Economia. Tem experiência na área de Administração e Tecnologia, atuando principalmente nos seguintes temas: gestão de pessoas, tecnologia aplicada, gestão de projetos e educação a distância
José Alberto Carvalho dos Santos Claro, Universidade Federal de São Paulo - UNIFESP
Professor Adjunto Nível A.I. de Administração, com Dedicação Exclusiva, na UNIFESP - Universidade Federal de São Paulo, Campus Baixada Santista, IMar - Instituto do Mar, Departamento de Ciências do Mar (DCMar). Orientador PIBIC-CNPq e Monitoria. Pesquisador do Laboratório de Pesquisas em Interações Sociotecnicoambientais (LISTA-UNIFESP). Professor credenciado no Programa de Pós-Graduação (Mestrado Profissional) em Gestão de Políticas e Organizações Públicas (UNIFESP-EPPEN-Escola Paulista de Política, Economia e Negócios-Campus Osasco). Possui graduação em Administração de Empresas pela Universidade Católica de Santos (1992), mestrado em Administração pela Universidade Metodista de São Paulo (1998) e doutorado em Comunicação Social pela Universidade Metodista de São Paulo (2002). Tem experiência na área de Administração, com ênfase em Marketing, atuando principalmente nos seguintes temas: administração, organizações, marketing, consumidor, educação continuada, consumo, sustentabilidade, sociedade e o mar, e comunicação científica. Experiência docente desde 1996 em cursos de graduação, especialização e mestrado. Experiência como consultor e gestor. Foi coordenador geral de pós-graduação (equivalente pro-reitoria) e de programa de mestrado em Administração e editor de revistas científicas. A partir de 2007 exerce o cargo de Diretor de Relações Institucionais do IMPACTO - Instituto Metropolitano de Pesquisas Acadêmicas e Consultoria Técnico-Operacional. Avaliador ad-hoc do INEP-MEC desde 2002 e do CEE-SP (Conselho Estadual de Educação de São Paulo) desde 2013. Parecerista de Agências de Fomento: MEC e CNPq. Foi líder do Grupo de Pesquisa do CNPq (Competitividade Regional e Desafios Estratégicos, com projeto de pesquisa com o mesmo nome, da Linha de Pesquisa Estratégia e Competitividade). Pesquisador Visitante da PUC-SP e membro do Grupo de Pesquisa Estudos em Competitividade e Estratégia Internacional, na linha de pesquisa Estratégia e Competitividade. Exerce ainda o papel de Editor da Revista Organizações em Contexto - ROC (QUALIS CAPES B2). Orientador Bolsista de Agentes Locais de Inovação (ALI) pelo CNPq e SEBRAE (Santos e São Paulo-Centro) modalidade Bolsista de Extensão no País do CNPq - Nível A (01/10/2012 a 30/09/2014). Voluntário em várias organizações do terceiro setor. E-mail: albertoclaro@albertoclaro.pro.br.

Referências

ALLEN, N. J.; MEYER, J. P. The measurement and antecedents of affective, continuance and normative commitment to the organization. Journal of Occupational Psychology, v. 63, p. 01-18, 1990.

ANDRADE, M. M. Como preparar trabalhos para o curso de Pós-graduação: noções práticas. São Paulo: Atlas, 2002.

ARAUJO, A. Coach: um parceiro para o seu sucesso! Rio de Janeiro: Elsevier, 2011.

BARNEY, J. B. Asset stocks and sustained competitive advantage: a comment. Management Science, v. 35, p. 1511-1513, 1989.

BASTOS, A. V. B. Comprometimento organizacional: a estrutura dos vínculos do trabalhador com a organização, a carreira e o sindicato. Brasília, 1994. Tese (Doutorado) – Brasília: Universidade de Brasília, 1994.

BENEVIDES, V. L. A. Os estilos de liderança e as principais táticas de influência utilizada pelos líderes brasileiros. 114f. Dissertação (Mestrado Executivo em Gestão Empresarial) – Fundação Getúlio Vargas, São Paulo: FGV, 2010.

BERGAMINI, C. W. Liderança: administração do sentido. São Paulo: Atlas, 1994.

BLAKE, R. R.; MOUTON, J. S. O grid gerencial. São Paulo: Pioneira, 1975.

BLANCO, V. B. Um estudo sobre a prática de coaching no ambiente organizacional e a possibilidade de sua aplicação como prática de gestão de conhecimento. 217f. Dissertação de Mestrado em Gestão do Conhecimento e Tecnologia da Informação da Universidade Católica de Brasília. Brasília: UCB, 2006.

BOWDITCH, J. L.; BUONO, A. F. Elementos do comportamento organizacional. São Paulo: Pioneira Thomson, 2002.

BURNS, J.M. Leadership. New York: Harper, 1978.

CAVICCHIOLI, G. Estilos de liderança de fundadores de empresas familiares do setor de transporte rodoviário de cargas no Brasil e a continuidade do negócio. 124f. Dissertação (Mestrado em Administração de empresas) – Pontifica Universidade de São Paulo, São Paulo: PUC, 2008.

CHANG JR., J. Gestão de pessoas através do desenvolvimento do comprometimento organizacional: uma abordagem holística e simultânea dos determinantes envolvidos nesse processo. 2002. Tese (Doutorado em Administração) – Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo. São Paulo: FEA/USP, 2002.

CONGER, J. A.; KANUNGO, R. N. Toward a behavioral theory of charismatic leadership in organizational settings. Academy of Management Review, v. 12, p. 637-647, 1987.

COSTA, F. M.; BASTOS, A. V. B. Múltiplos comprometimentos no trabalho: um estudo entre trabalhadores de organizações agrícolas do polo de fruticultura irrigada de Juazeiro/Petrolina. Rev. Adm. UFSM, Santa Maria, v. 2, n. 2, p. 280-297, maio/ago. 2009.

DI STEFANO, R. O Líder-coach: líderes criando líderes. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2012.

FERNANDES, M. C. O papel moderador de estilos de liderança na relação entre percepção de suporte organizacional e comprometimento organizacional afetivo: um estudo com trabalhadores da Região Sudeste do Brasil. 113f. Dissertação de Mestrado da Universidade Metodista de São Paulo. São Bernardo do Campo: UMESP, 2012.

FRAGA, L. D. Motivação nas Organizações. Revista da Católica, v. 3, n. 5, jan.-jun., 2005.

FURTADO, O. Dialética e contradições da construção da identidade social. Psicol. Soc., v. 22, n. 2, p. 259-268, 2010.

GASPAR, D. J.; PORTÁSIO. R. M. Liderança e coaching: desenvolvendo pessoas, recriando organizações. Rev. de Ciências Gerencias v. 13, n. 18, p. 17-41, 2009.

GIL, A. C. Pesquisa Social. São Paulo: Atlas, 1999.

GOLEMAN, D. O poder da inteligência emocional: a experiência de liderar com sensibilidade e eficácia. Rio de Janeiro: Campus, 2002, 299p.

GONÇALVES, M. N. C. Estilos de liderança: um estudo de auto-percepção de enfermeiros gestores. 141f. Dissertação (Mestrado em Ciências Empresariais). Universidade Fernando Pessoa, Porto (Portugal): UFP, 2008.

HAIR JR., J. F.; ANDERSON, R. E.; TATHAM, R. L.; BLACK, W. C. Análise multivariada de dados. 5. ed. Porto Alegre: Bookman, 2005.

HERSEY, P.; BLANCHARD, K. H. Psicologia para administradores: a teoria e as técnicas da liderança situacional. São Paulo: E.P.U., 1986, 428p.

LONGARAY, A. A.; GIESTA, L. C. Pressupostos para uma Direção Eficaz: a teoria de liderança revisitada. In: Encontro Nacional de Engenharia de Produção – ENEGEP, 29, 1999, Salvador, Anais... Salvador: Abepro, 1999.

MAGALHÃES, L. R. Aprendendo a lidar com gente: relações interpessoais no cotidiano. 2. ed. Salvador (BA): EDUFBA – Editora da Universidade Federal da Bahia, 2001.

MAYER, J. D., DIPAOLO, M.T.; SALOVEY, P. Perceiving affective content in ambiguous visual stimuli: a component of emotional intelligence. Journal of Personality Assessment, v. 54, p. 772-781, 1990.

McGREGOR, D. Motivação e Liderança. São Paulo: Brasiliense, 1973. 239p.

McGREGOR, D. O lado humano da empresa. São Paulo: Martins Fontes, 1980.

MEDEIROS, C. A. F.; ALBUQUERQUE, L. G.; SIQUEIRA, M., MARQUES, G. M. Comprometimento Organizacional: o estado na arte no Brasil. RAC – Revista de Administração Contemporânea, v. 7, n. 4, p. 187-209, Out./Dez., 2003.

MELO, E. A. A. Escala de avaliação do estilo gerencial (EAEG): desenvolvimento e validação. Revista Psicologia: Organizações e Trabalho RPOT, v. 4, n. 2, p. 31-32, 2004.

MEYER, J. P.; ALLEN, N. J.A three-component conceptualization of organizational commitment. Human Resource Management Review, v. 1, n. 1, p. 61-89, Spring, 1991.

MOLLIS, M. Las reformas de la educación superior en Argentina para el nuevo milenio. Avaliação (Campinas). v. 13, n. 2, p. 509-532, 2008.

MOWDAY, R. T.; PORTER, L. W.; STEERS, R. M. Employee-organization linkages: the psychology of commitment, absenteeism, and turnover. New York: Academic Press, v.27, 1982. 253p.

MOWDAY, R. T.; PORTER, L. W.; STEERS, R. M. The measurement of organizational commitment. Journal of Vocational Behavior, v. 14, p. 224-247, 1979.

PANTOJA, S. G. Liderança: uma relação eficaz. 162f. Dissertação Mestrado em Engenharia Mecânica. Faculdade de Engenharia Mecânica, Universidade Estadual de Campinas. Campinas: UNICAMP, 2005.

PENROSE, E.; PITELIS, C. The theory of the growth of the firm. 4.ed. New York: Oxford, 1959.

POLIT, D. F.; BECK, C. T.; HUNGLER, B. P. Fundamentos de pesquisa em Enfermagem: métodos, avaliação e utilização. Trad. de Ana Thorell. 5. ed. Porto Alegre: Artmed, 2004.

PORTER, M. E. Competitive strategy: techniques for analyzing industries and competitors. New York: The Free Press, 1980.

RAUPP, F. M.; BEUREN, I. M. Metodologia da pesquisa aplicável às ciências sociais. In: BEUREN, I. M. (Org.), Como elaborar trabalhos monográficos em contabilidade: teoria e prática. São Paulo: Atlas, 2006.

RICHARDSON, R. J. Pesquisa social: métodos e técnicas. São Paulo: Atlas, 1999. 327p.

RIOS, A. L. F. As Relações entre Satisfação, Longevidade no Trabalho e Comprometimento Organizacional em uma Empresa do Segmento Metalúrgico de Fortaleza. Revista de Psicologia UFC, v. II, n. 1, jan./jun., 2011.

ROCHA, D.; CALVANTE, C. E. SOUZA, W . J. Estilos de Liderança: estudo de caso em uma organização militar. Revista de Administração da UNIMEP, v. II, n. 1, jan.-jun., 2011.

ROMAN, S.; STEFANO, S. R.; ANDRADE, S. M.; ZAMPIER, M. A. Análise do Comprometimento Organizacional d Sua Natureza em Relação aos Funcionários Públicos Municipais. Gestão & Regionalidade, v. 28, n. 84, p. 5-19, set-dez., 2012.

ROSENSTOCK, K. I. V. Satisfação, envolvimento e comprometimento com o trabalho: percepção dos profissionais na estratégia saúde da família. Revista Baiana de Saúde Pública, v. 35, n. 3, p. 591-603, 2011.

ROVEDA, V. As inter-relações entre liderança, comunicação e cultura nas organizações. 148f. Dissertação (Mestrado). Administração. Universidade Caxias do Sul. Caxias do Sul (RS): UCS, 2010.

SANTOS, T. L. Os estilos de liderança nas organizações não governamentais da região metropolitana de Belém. 109f. Dissertação (Mestrado Interinstitucional em Administração) – Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Natal (RN): UFRN, 2010.

SCHERMERHORN JR., J. R.; HUNT, J. G., OSBORN, R. N. Fundamentos do comportamento organizacional, 2 ed. São Paulo: Bookmann, 2005.

SILVA, J. C. O estilo de liderança dos bibliotecários de Brasília. 169 f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Universidade de Brasília, Brasília, 2009.

SIQUEIRA, M. M. M. Medidas de comportamento organizacional: ferramentas de diagnóstico e de gestão. Porto Alegre: Artmed, 2008.

SIQUEIRA, M. M. M.; COSTA, L. V.; FILENGA, D. O poder preditivo de percepção de justiça sobre suporte organizacional e seu impacto sobre o comprometimento afetivo. Gestão Contemporânea, Porto Alegre, v. 9, n. 12, p. 235-256, jul.-dez., 2012.

SOUZA, W. S. Análise da interdependência do capital psicológico, percepções de suporte e bem estar no trabalho. Dissertação (Mestrado). Curso de Pós-Graduação em Administração. Universidade Metodista de São Paulo. São Bernardo do Campo (SP): UMESP, 2011.

STEFANO, S. R.; GOMES FILHO, A. C. Estilos de liderança: um estudo comparativo entre as empresas de transporte. In: Encontro da ANPAD – ENANPAD, 27, Anais… Atibaia (SP): ANPAD, 2003.

TABACHNICK, B. G.; FIDELL, L. S Using multivariate statistics. 2. ed. New York: HarperCollins, 2001.

URIS, A. Liderança. 2. ed. São Paulo: IBRASA, 1967, 228p.

WANDERLEY, L. E. São Paulo no contexto da globalização. Lua Nova, n. 69, p. 173-203, 2006.

ZANELLI, J. C.; BORGES-ANDRADE, J. E.; BASTOS, A. V. B. Psicologia, organizações e trabalho no Brasil. Porto Alegre: Artmed, 2004.

Publicado
12-08-2015
Como Citar
Nogueira, M. de L. de O., Costa, L. V., & Claro, J. A. C. dos S. (2015). RELAÇÃO ENTRE ESTILO DE LIDERANÇA E COMPROMETIMENTO ORGANIZACIONAL AFETIVO / Relation between leardeship style and affective organizational commitment. RACE - Revista De Administração, Contabilidade E Economia, 14(2), 707-736. https://doi.org/10.18593/race.v14i2.5885