Discriminação no mercado de trabalho formal: uma análise exploratória por gênero, a partir dos dados da Relação Anual de Informações Sociais – RAIS 2007

  • Rinaldo Rinaldo Galete PUC/PR CAMPUS MARINGÁ

Resumo

Tem sido crescente o interesse de grupos mal remunerados no mercado de trabalho. A diferença de rendimentos entre homens e mulheres poderia ser explicada pelas diferenças entre suas características médias, como experiência, idade, educação e setor de trabalho. Essas características geralmente explicam parte dessa diferença, sendo o restante atribuído a um componente residual associado à discriminação. Neste trabalho objetiva-se investigar evidências de discriminação por gênero no mercado de trabalho formal brasileiro. As mulheres tendem a estar excessivamente representadas nas ocupações de remuneração baixa. Os resultados do índice de dissimilaridade indicaram um grau relativo de segregação ocupacional por sexo. As mulheres estão sub-representadas nas ocupações de remuneração elevada. Parte da diferença entre os salários relativos pode ser resultado de diferentes distribuições ocupacionais. Até nas mesmas ocupações, independente de serem de remuneração baixa ou elevada, em parte significativa delas, as mulheres ganham substancialmente menos do que os homens.

Palavras-chave: Discriminação. Mercado formal de trabalho. Rendimentos do trabalho.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
31-05-2011
Como Citar
Galete, R. R. (2011). Discriminação no mercado de trabalho formal: uma análise exploratória por gênero, a partir dos dados da Relação Anual de Informações Sociais – RAIS 2007. RACE - Revista De Administração, Contabilidade E Economia, 9(1-2), 135-152. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/race/article/view/284