AÇÃO CONCERTADA OU DISCIPLINAMENTO? O DEBATE ENTRE TEORIAS VOLUNTARISTAS E SISTÊMICAS PARA A COMPREENSÃO DAS RELAÇÕES DE PODER EM REDES DE ECONOMIA SOLIDÁRIA

  • Jandir Pauli Faculdade Meridional - IMED

Resumo

Este artigo teve por objetivo estabelecer a base conceitual para a compreensão das relações de poder em Redes de Economia Solidária (RESs). A metodologia utilizada analisou a literatura sobre o assunto propondo uma reflexão crítica do conceito sistêmico de poder, geralmente utilizado para explicar as relações nestas Redes. Para a Teoria Sistêmica o poder é compreendido como elemento funcional e marginal da análise social, uma vez que a prática social estaria estruturada sobre o consenso e na sua distribuição simétrica. É a partir desses pressupostos que se estabelece a problemática deste estudo: o arranjo institucional em rede consegue eliminar os conflitos a ponto de tornar as relações de poder elementos marginais da análise social? A crítica à teoria sistêmica tem como base a Teoria Voluntarista de Michel Foucault (1926-1984), para a qual o poder permeia todas as relações sociais a ponto de se tornar um elemento estrutural da análise social. As conclusões apontam para a ideia de que, mesmo se tratando de uma organização social que procura estruturar as relações sociais a partir do ideal normativo da solidariedade, da igualdade e da simetria, é impossível afirmar que estas relações são isentas da ação e efeitos do poder. A materialidade dessa “mecânica do poder” pode ser percebida a partir do dispositivo da disciplina (dimensão negativa) que arranja os indivíduos em torno de acordos, coações, normalizações e projetos comuns. Nesse percurso, o poder torna-se também produtivo (dimensão positiva), criando indivíduos capazes de construir importantes instituições sociais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jandir Pauli, Faculdade Meridional - IMED
Doutor em Sociologia pela UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul), Mestre em Sociologia pela UFRGS (2006), Licenciatura Plena em Filosofia pela Universidade de Passo Fundo (1998) e Bacharelado em Filosofia pelo Instituto de Filosofia Berthier (1997). Dedica-se à docência universitária desde 2005 quando iniciou suas atividades na Universidade de Passo Fundo (UPF) e Faculdades IDEAU. Desde 2006 é professor na Faculdade Meridional (IMED). Nesta instituição coordenou a Escola de Gestão Pública (2007-2010). Entre setembro de 2010 e fevereiro de 2011 licenciou-se para realização de um estágio doutoral (Programa PDEE-CAPES) na Université Sorbonne (Paris IV), França, sob a orientação do Prof. Dr. Philippe Steiner. Como pesquisador, atua nas linhas de pesquisas: Trabalho nas sociedades contemporâneas (CNPq/PPGS-UFRGS) e Estudos organizacionais contemporâneos (IMED). Em suas pesquisas desenvolve temas como: comportamento organizacional, trabalho e identidade social, cooperativismo, associativismo e economia solidária, significado social do dinheiro e dimensão social dos mercados.
Publicado
16-12-2013
Como Citar
Pauli, J. (2013). AÇÃO CONCERTADA OU DISCIPLINAMENTO? O DEBATE ENTRE TEORIAS VOLUNTARISTAS E SISTÊMICAS PARA A COMPREENSÃO DAS RELAÇÕES DE PODER EM REDES DE ECONOMIA SOLIDÁRIA. RACE - Revista De Administração, Contabilidade E Economia, 13(1), 79-96. Recuperado de https://portalperiodicos.unoesc.edu.br/race/article/view/2666