Análise do Disclosure Ambiental das Empresas autuadas pelo IBAMA e listadas na B3

Autores

DOI:

https://doi.org/10.18593/race.24030

Palavras-chave:

Disclosure Ambiental, Autuações Ambientais, Ibama, B3

Resumo

O disclosure ambiental é divulgado pelas empresas com a intenção de fornecer dados relevantes aos usuários das informações contábeis, considerando que estes estão cada dia mais conscientes das questões ambientais. Por ser considerado de caráter voluntário, o disclosure ambiental, é realizado de acordo com os princípios, valores e realidade de cada empresa. Sendo assim, esse estudo possui o objetivo de demonstrar o nível de disclosure ambiental das empresas que foram autuadas pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) de acordo com o setor de atuação. A amostra é composta por 50 empresas que estão listadas na B3 e foram autuadas pelo Ibama entre 2014 a 2017. Para verificar o nível de evidenciação ambiental nos relatórios de sustentabilidade, demonstrações financeiras padronizadas (DFPs) e no relatório da administração, foi utilizado como base, um checklist, elaborado por Farias (2008) composto por 33 questões dividido em 5 categorias. O estudo se caracteriza como pesquisa descritiva e documental e utiliza-se de estatística descritiva. Os resultados encontrados nesta pesquisa apresentam que 40% da amostra possui nulo e/ou baixíssimo nível de disclosure ambiental, pois das 33 questões que compõe o check list, 9 empresas não obtiveram nenhuma evidenciação ambiental e 11 empresas não obtiveram mais de 20% de evidenciação dentre a chance de se ter 100% de disclosure ambiental. Analisando o nível de disclosure ambiental considerando o setor, as empresas que compõe o setor de materiais básicos e utilidade pública foram o que mais tiveram evidenciação ambiental. Já as empresas do setor financeiro e consumo cíclico foram as que tiveram menor disclosure ambiental.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bianca Borghezan Soares, Universidade do Estado de Santa Catarina

Bacharela em Ciências Contábeis pela Universidade do Estado de Santa Catarina. 

Diego Rafael Stüpp, Universidade do Estado de Santa Catarina

Possui graduação em Ciências Contábeis pela Universidade para o Desenvolvimento do Alto Vale do Itajaí (2007), especialização em Finanças e Mercados de Capitais pela Universidade para o Desenvolvimento do Alto Vale do Itajaí (2008) e Mestrado em Contabilidade pela Universidade Federal de Santa Catarina (2015). Atualmente é Professor Assistente da Universidade do Estado de Santa Catarina. Tem experiência na área de Administração, com ênfase em Contabilidade, atuando principalmente nos seguintes temas: contabilidade tributária, financeira e societária.

Amanda Beatriz Nasatto Corrêa, UFSC

Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Contabilidade (PPGC) na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC); Graduada no curso de Ciências Contábeis na Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). Foi bolsista voluntária em projetos de pesquisa na UDESC e Representante titular do corpo discente do Conselho de Centro do Ceavi - CONCEAVI - 2018.

Referências

Abdullah, M., Hamzah, N., Ali, M. H., Tseng, M. L., & Brander, M. (2020). The Southeast Asian haze: The quality of environmental disclosures and firm performance. Journal of Cleaner Production, 246, 118958. DOI: https://doi.org/10.1016/j.jclepro.2019.118958

Antunes, P. B. (2014). Direito Ambiental (16ª ed) São Paulo: Atlas.

Aragón-Correa, J. A., Marcus, A., & Hurtado-Torres, N. (2016). The natural environmental strategies of international firms: Old controversies and new evidence on performance and disclosure. Academy of Management Perspectives, 30(1),24-39. DOI: https://doi.org/10.5465/amp.2014.0043

Arora, M. P., & Lodhia, S. (2017). The BP Gulf of Mexico oil spill: Exploring the link between social and environmental disclosures and reputation risk management. Journal of Cleaner Production, 140, 1287-1297. DOI: https://doi.org/10.1016/j.jclepro.2016.10.027

Ashforth, B. E., & Gibbs, B. W. (1990). The double-edge of organizational legitimation. Organization science, 1(2), 177-194. DOI: https://doi.org/10.1287/orsc.1.2.177

Basamalah, A. S., & Jermias, J. (2005). Social and environmental reporting and auditing in Indonesia maintaining organizational legitimacy? Gadjah Mada Int. J. Bus., 7, 109-127. DOI: https://doi.org/10.22146/gamaijb.5565

Bertoli, A. L., & Ribeiro, M. D. S. (2006). Passivo ambiental: estudo de caso da Petróleo Brasileiro SA-Petrobrás. A repercussão ambiental nas demonstrações contábeis, em conseqüência dos acidentes ocorridos. Revista de Administração Contemporânea, 10(2), 117-136. DOI: https://doi.org/10.1590/S1415-65552006000200007

Bewley, K., & Li, Y. (2000). Disclosure of environmental information by Canadian manufacturing companies: a voluntary disclosure perspective. Advances in Environmental Accounting & Management, 1, 201–226. DOI: https://doi.org/10.1016/S1479-3598(00)01011-6

Brammer, S., Brooks, C., & Pavelin, S. (2006). Corporate social performance and stock returns: UK evidence from disaggregate measures. Financial Management, 35(3) 97-116. DOI: https://doi.org/10.1111/j.1755-053X.2006.tb00149.x

Brown, N., & Deegan, C. (2012). The public disclosure of environmental performance information a dual test of media agenda setting theory and legitimacy theory. Accounting and Business Research, (29), 21-41. DOI: https://doi.org/10.1080/00014788.1998.9729564

Cho, C. H. (2009). Legitimation strategies used in response to environmental disaster: A French case study of Total SA’s Erika and AZF incidents. European Accounting Review, 18(1), 33-62. DOI: https://doi.org/10.1080/09638180802579616

Christmann, P. (2004). Multinational companies and the natural environment: Determinants of global environmental policy. Academy of Management Journal, 47(5), 747-760. DOI: https://doi.org/10.5465/20159616

Delgado-Márquez, B. L., Pedauga, L. E., & Cordón-Pozo, E. (2017). Industries regulation and firm environmental disclosure: A stakeholders’ perspective on the importance of legitimation and international activities. Organization & Environment, 30(2),103-121. DOI: https://doi.org/10.1177/1086026615622028

Delmas, M. A., & Montes-Sancho, M. J. (2011). An institutional perspective on the diffusion of international management system standards: The case of the environmental management standard ISO 14001. Business Ethics Quarterly, 21(1), 103-132. DOI: https://doi.org/10.5840/beq20112115

Ellimäki, P., Gómez-Bolaños, E., Hurtado-Torres, N., & Aragón-Correa, J. A. (2019). Do global firms increase their environmental disclosure and performance? Symbolic versus effective operations and the moderating role of liability of origin. Legitimation implications. Industrial Marketing Management.

Estadão – Ibama multa Santander em 47,5 milhões. https://economia.estadao.com.br/noticias/geral,ibama-multa-o-santander-em-r-47-5milhoes,10000083694

Farias, C., & Damacena, F. (2017). Meio ambiente e economia: uma perspectiva para além dos instrumentos de comando. Revista de Direito Econômico e Socioambiental, 8(1),148-181. DOI: https://doi.org/10.7213/rev.dir.econ.soc.v8i1.9696

Farias, K. T. R. (2008). A relação entre a divulgação ambiental, desempenho ambiental e desempenho econômico nas empresas brasileiras de capital aberto: uma pesquisa utilizando equações simultâneas. [Dissertação de Mestrado, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto, SP].

Ferreira, J. V. (2016). Desastres ecológicos e seus impactos no disclosure e nos investimentos socioambientais: um estudo em empresas brasileiras. [Dissertação de Mestrado, Universidade Federal da Bahia, Salvador, BA].

Formanski, G. C., Mendes, V. G., & Rover, S. (2018). Provisões e passivos contigentes ambientais: uma análise dos fatores que influenciam a divulgação das companhias listadas na B3 e autuadas pelo IBAMA entre 2010 a 2016. Anais do Congresso da Associação Nacional de Programas de Pós-Graduação em Ciências Contábeis, João Pessoa, PB, Brasil, 12.

Frank, B., & Grothe-Senf, A. (2006). Avaliação de desempenho ambiental ampliado (adaa): um modelo para comparação de Empresas. Revista Brasileira de Ciências Ambientais (Online), (05), 16-21.

Garcia, A. S., & Orsato, R. J. (2013). Índices de sustentabilidade empresarial: porque participar. Anais do Congresso da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 37.

Gray, R., & Bebbington, J. (2000). Environmental accounting, managerialism and sustainability: Is the planet safe in the hands of business and accounting? Advances in Environmental Accounting & Management, 1. Management, 1, 1-44. DOI: https://doi.org/10.1016/S1479-3598(00)01004-9

Hassan, A., & Ibrahim E. (2012). Corporate environmental information disclosure: Factors influencing companies’ success in attaining environmental awards Corporate Social Responsibility and Environmental Management, 19(1), 32-46 DOI: https://doi.org/10.1002/csr.278

Iatridis, G. E. (2013). Environmental disclosure quality: Evidence on environmental performance, corporate governance and value relevance. Emerging Markets Review, 14, 55-75. DOI: https://doi.org/10.1016/j.ememar.2012.11.003

Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis [Ibama]. (2018a). Consulta a embargos e autos de infração. https://servicos.ibama.gov.br/ctf/publico/areasembargadas/ConsultaPublicaAreasEmbargadas.php

Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis [Ibama]. (2018b). O que é fiscalização ambiental. https://www.ibama.gov.br/fiscalizacao-ambiental/o-que-e-fiscalizacao#oquee

Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis [Ibama]. (2018c). Rompimento da Barragem de Fundão: Documentos relacionados ao desastre da Samarco em Mariana/MG. https://www.ibama.gov.br/cites-e-comercio-exterior/cites?id=117

Kernisky, D. A. (1997). Proactive crisis management and ethical discourse: Dow Chemical’s issues management bulletins 1979-1990. Journal of Business Ethics, 16(8), 843-853. DOI: https://doi.org/10.1023/A:1017901501108

Kolk, A., & Fortanier F. (2013). Internationalization and environmental disclosure: The role of home and host institutions. Multinational Business Review, 21(1),87-114. DOI: https://doi.org/10.1108/15253831311309500

Kouloukoui, D., & Gomes, S. M. S. A. (2016). Samarco fez o dever de casa? As revelações dos relatórios contábil financeiro e de sustentabilidade antes do desastre de mariana. Anais do Congresso Brasileiro de Contabilidade, Fortaleza, CE, Brasil, 20.

Kronbauer, C. A., & Silva, M. M. (2012). Disclosure Ambiental: Análise do grau de evidenciação nas demonstrações contábeis das empresas de transporte. Revista de Contabilidade do Mestrado em Ciências Contábeis da UERJ, 17(Especial), 32-46.

Lanfredi, G. F. (2016). Política Ambiental – Busca de Efetividade de seus Instrumentos (3ª ed.) São Paulo: Quartier.

Lyon, T. P., & Maxwell, J. W. (2011). Greenwash: Corporate environmental disclosure under threat of audit. Journal of Economics and Management Strategy, 20(1), 3-41. DOI: https://doi.org/10.1111/j.1530-9134.2010.00282.x

Mathuva, D. M., & Kiweu, J. M. (2016). Cooperative social and environmental disclosure and financial performance of savings and credit cooperatives in Kenya. Advances in accounting, 35, 197-206. DOI: https://doi.org/10.1016/j.adiac.2016.09.002

Meng, X. H., Zeng, S. X., Shi, J. J., Qi, G. Y., & Zhang, Z. B. (2014). The relationship between corporate environmental performance and environmental disclosure: An empirical study in China. Journal of environmental management, 145, 357-367. DOI: https://doi.org/10.1016/j.jenvman.2014.07.009

Munhoz, L. (2019). The Brazilian Brumadinho Mining Disaster: Environmental Regulation on Debate. Natural Resources & Environment, 34(2), 37-41.

Neu, D., Warsame, H., & Pedwell, K. (1998). Managing public impressions: environmental disclosures in annual reports. Accounting, Organizations and Society, 23(3), 265-82. DOI: https://doi.org/10.1016/S0361-3682(97)00008-1

Nik-Ahmad, N. N. N., & Mohamad, N. A. (2013). Environmental disclosures by the Malaysian construction sector: exploring extent and quality. Corp. Soc. Responsib. Environ. Manag., 21, 240-252. DOI: https://doi.org/10.1002/csr.1322

Nor, N. M., Bahari, N. A. S., Adnan, N. A., Kamal, S. M. Q. A. S., & Ali, I. M. (2016). The effects of environmental disclosure on financial performance in Malaysia. Procedia Economics and Finance, 35, 117-126. DOI: https://doi.org/10.1016/S2212-5671(16)00016-2

Nossa, V. (2002). Disclosure ambiental: uma análise do conteúdo dos relatórios ambientais de empresas do setor de papel e celulose em nível internacional. [Tese de doutorado, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP].

Petrobrás. (2018). Capacidade de produção. http://www.petrobras.com.br/fatos-e-dados/planejamento-e-capacidade-tecnica-denossas-equipes-levam-a-recorde-de-producao.htm

Refinaria Manguinhos. (2018). Área de operação. http://www.refinariademanguinhos.com/areas-de-operacao

Rover, S. (2009). Disclosure ambiental de empresas potencialmente poluidoras: características da informação ambiental e explicações para a divulgação voluntária no Brasil. [Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC].

Rover, S., Borba, J. A., & Murcia, F. D. (2009). Características do Disclosure Ambiental de empresas brasileiras potencialmente poluidoras: análise das demonstrações financeiras e dos relatórios de sustentabilidade do período de 2005 a 2007. Revista Contemporânea de Economia e Gestão, 7(1), 23-36. DOI: https://doi.org/10.19094/contextus.v7i1.32101

Rover, S., Tomazzia, E. C., Murcia, F. D. R., & Borba, J. A. (2012). Explicações para a divulgação voluntária ambiental no Brasil utilizando a análise de regressão em painel. Revista de Administração, 47(2), 217-230. DOI: https://doi.org/10.5700/rausp1035

Uhr, J. Z., & Uhr, D. (2014). Infrações ambientais e a reputação do regulador: Análise em dados de painel para o Brasil. Universidade de São Paulo, Instituto de Pesquisas Econômicas, 44(1), 1-15. DOI: https://doi.org/10.1590/S0101-41612014000100003

Villiers, C., & Van Staden, C. J. (2010). Shareholders’ requirements for corporate environmental disclosures: A cross country comparison. The British Accounting Review, 42(4), 227-240. DOI: https://doi.org/10.1016/j.bar.2010.08.002

Vogt, M., Hein, N., Rosa, F. S., & Degenhart, L. (2015). Relação entre as variáveis dos fatores determinantes da divulgação de informações sobre os impactos ambientais com o grau de evidenciação ambiental das empresas brasileiras. Anais do Congresso UFSC de contabilidade, Florianópolis, SC, Brasil, 6.

Downloads

Publicado

04/29/2022

Como Citar

Soares, B. B., Stüpp, D. R. ., & Corrêa, A. B. N. (2022). Análise do Disclosure Ambiental das Empresas autuadas pelo IBAMA e listadas na B3 . RACE - Revista De Administração, Contabilidade E Economia, 21(1), 29–50. https://doi.org/10.18593/race.24030

Edição

Seção

Administração