Finanças pessoais: uma análise do comportamento de estudantes de Ciências Contábeis

  • Mariana Ferreira Soares Marques Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
  • Renata Turola Takamatsu Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
  • Bruna Camargos Avelino Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Resumo

Resumo: A forma como as pessoas lidam com suas finanças pessoais é um tema cada vez mais relevante diante da complexidade dos meios de pagamento atuais, das formas de investimento existentes e da oferta do crédito restrita. Neste estudo propõe-se a analisar como os estudantes de Ciências Contábeis da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) têm gerenciado suas finanças, a propensão ao endividamento ou à poupança desses indivíduos e a influência de aspectos comportamentais — o autocontrole, a visão de curto prazo, a preferência por crédito e a propensão a planejar — na gestão dos recursos. Foi realizado um estudo quantitativo, com a aplicação de questionários a 104 estudantes. Os resultados da pesquisa foram analisados por meio da análise fatorial, testes de correlação e de diferenças de médias. Observou-se, de forma geral, que os acadêmicos de Ciências Contábeis são altamente bancarizados e, em grande parte, possuem poupança e realizam depósitos regulares. Foi identificada uma maior propensão à poupança em alunos inseridos em famílias com renda superior a R$ 5.201,00 e uma aversão a crédito de estudantes que poupam com a finalidade de prevenir emergências. A idade dos alunos não esteve correlacionada a nenhum padrão de comportamento.

Palavras-chave: Finanças Pessoais. Propensão ao endividamento. Propensão à poupança.

Personal finance: an analysis of Undergraduate Accounting students behavior 

Abstract: The ways in which people deal with money is relevant given the complexity of current payment methods, existing types of investment and the credit supply restrictions. This research's aim was to assess how Undergraduate Accounting students manage their finances, their propensity for getting into debt, propensity to save and analyze how behavioral aspects (self-control, short-term thinking, preference for credit and propensity to plan) influence resources’ management. We have applied a questionnaire to 104 students.  We used principal component analysis, correlations and tests of differences between means. The results suggest that Accounting students are highly banked and, most of them have savings account and make periodic deposits. We have identified a higher Propensity to save money in families with incomes greater than R$ 5.201,00 and debt aversion of students who save to prevent emergencies. Student's age was not correlated with any behavior pattern.

Keywords: Personal Finance. Propensity to save. Propensity for getting into debt.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mariana Ferreira Soares Marques, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Bacharel em Ciências Contábeis pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Renata Turola Takamatsu, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Doutora em Controladoria e Contabilidade (FEA/USP)

Professora Adjunta do Departamento de Ciências Contábeis da UFMG

Bruna Camargos Avelino, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

Doutora em Controladoria e Contabilidade (FEA/USP)

Professora Adjunta do Departamento de Ciências Contábeis da UFMG

Referências

Amadeu, J. R. (2009). A educação financeira e sua influência nas decisões de consumo e investimento: Proposta de inserção da disciplina na matriz curricular (dissertação de Mestrado). Universidade do Oeste Paulista, Presidente Prudente.

Atkinson, A., Mckay, S., Kempson, E., & Collard, S. (2006). Levels of financial capability in the UK: Results of a baseline survey. Consumer Research Report 47. London, England: Financial Services Authority.

Banco Central do Brasil. (2013). Caderno de Educação Financeira – Gestão de Finanças Pessoais (Conteúdo Básico). Retirado de https://www.bcb.gov.br/pre/pef/port/caderno_cidadania_financeira.pdf

Bernheim, D., Garrett, D. M., & Maki, D. M. (1997, July). Education and saving: The long term effects of high school financial curriculum mandates. National Bureau of Economic Research, 6.085.

Borges, P. R. S. (2010, outubro). Educação financeira e sua influência no comportamento do consumidor no mercado de bens e serviços. Anais do Encontro de Produção Científica e Tecnológica, Campo Mourão, PR, 5.

Bortoluzzi, D. A., Boligon, J. A. R., Hollveg, S. D. S., & Medeiros, F. S. B. (2015). Aspectos do endividamento das famílias brasileiras no período de 2011-2014. Perspectiva, 39, 111-123.

Claudino, L. P., Nunes, M. B., & Silva, F. C da. (2009, agosto). Finanças pessoais: Um estudo de caso com servidores públicos. Anais do Seminário em Administração, São Paulo, SP, 12. Retirado de http://sistema.semead.com.br/12semead/resultado/trabalhosPDF/724.pdf

Costa, G. G. de O., Souza, R. C., & Gouvêa, V. H. C. (2007, Janeiro-Dezembro). Um procedimento inferencial para análise fatorial utilizando as técnicas bootstrap e jackknife: Construção de intervalos de confiança e testes de hipóteses. Rev. Univ. Rural. Sér. Ci. Exatas e da Terra, 26(1-2), 33-44.

% dos brasileiros preferem o cartão na hora de parcelar, mas só um terço conhece os juros cobrados. (2014, junho). Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas. Retirado de http://www.cndl.org.br/noticia/80-dos-brasileiros-preferem-o-cartao-na-hora-de-parcelar-mas-so-um-terco-conhece-os-juros-cobrados

England, J., & Chatterjee, P. (2005). Financial education: A review of existing provision in the UK. Kansas: Corporate Document Services.

Fabrigar, L. R., Maccallum, R. C., Wegner, D. T., & Strahan, E. J. (1999, September). Evaluating the use of exploratory factor analysis in psychological research. Psychological methods, 4(3), 272.

Fávero, L. P., Belfiore, P., Silva, F. D., & Chan, B. L. (2009). Análise de dados. Modelagem multivariada para tomada de decisões. Rio de Janeiro: Campus.

Giareta, M. (2011). Planejamento financeiro pessoal: Uma proposta de controle de fluxo de caixa para orçamento familiar (monografia de Especialização). Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

Halles, C. R., Sokolowski, R., & Hilgemberg, E. M. (2008). O planejamento financeiro como instrumento de qualidade de vida. Anais do Seminário de Políticas Públicas no Paraná, Curitiba, PR, Brasil, 1.

Heath, C., & Soll, J. B. (1996, June). Mental budgeting and consumer decisions. Journal of Consumer Research, 23(1), 40-52.

Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística. (2012, junho). Retratos da sociedade brasileira: Inclusão financeira.

Katona, G. (1975). Psychological Economics. New York: Elsevier.

Keynes, J. M. (1996). A teoria geral do emprego, do juro e da moeda. São Paulo: Nova cultural.

Lea, S. E. G., Webley, P., & Walker, C. M. (1995, December). Psychological factors in consumer debt: Money management, economic socialization, and credit use. Journal of Economic Psychology, 16(4), 681-701.

Lindqvist, A. (1981, January). A note on determinants of household saving behavior. Journal of Economic Psychology, 1(1), 39-57.

Livingstone, S. M., & Lunt, P. K. (1992, March). Prediciting personal debt and debt repayment: Psychological, social and economic determinants. Journal of Economic Psychology, 13, 111-134.

Lunt, P. K., & Livingstone, S. M. (1991, December). Psychological, social and economic determinants of saving: Comparing recurrent and total savings. Journal of Economic Psychology, 12(4), 621-641, 1991.

Lynch, J. G. Jr., Netemeyer, R. G., Spiller, S. A., & Zammit, A. (2010, June). A generalizable scale of propensity to plan: The long and the short of planning for time and for money. Journal of Consumer Research, 37(1), p. 108-128.

Macedo, J. S., Jr. (2010). A árvore do dinheiro: Guia para cultivar sua independência financeira. Rio de Janeiro: Elsevier.

Ministério da Educação e Cultura. (2000). Parâmetros curriculares nacionais: Ensino médio. Brasília, DF: MEC.

Miotto, A. P. (2013). Antecedentes e consequências da gestão das finanças domésticas: Uma investigação com consumidoras da classe C (tese de Doutorado). Fundação Getúlio Vargas, São Paulo.

Moura, A. G. de. (2005). Impacto dos diferentes níveis de materialismo na atitude ao endividamento e no nível de dívida para financiamento do consumo nas famílias de baixa renda do município de São Paulo (dissertação de Mestrado). Fundação Getúlio Vargas, São Paulo.

Neri, M., Carvalho, K., & Nascimento, M. (1999). Ciclo da vida e motivações financeiras (com especial atenção aos idosos brasileiros). Rio de Janeiro: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. Retirado de http://www.ipea.gov.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=3980

Organização de Cooperação e de Desenvolvimento Econômico. (2004). OECD's Financial Education Project. Retirado de www.oecd.org/

Peng, T. M., Bartholomae, S., Fox, J. J., & Cravener, G. (2007, June). The impact of personal finance education delivered in high school and college courses. Journal of Family and Economic Issues, 28(2), 265-284.

Ponchio, M. C. (2006). The influence of materialism on consumption indebtedness in the context of low income consumers from the city of Sao Paulo (tese de Doutorado). Fundação Getúlio Vargas, São Paulo.

Raghubir, P., & Srivastava, J. (2008). Monopoly money: the effect of payment coupling and form on spending behavior. Journal of Experimental Psychology: Applied, 14(3), 213-225.

Savoia, J. R. F., Saito, A. T., & Santana, F. de A. (2007). Paradigmas da educação financeira no Brasil. Revista de Administração pública, 41(6,), 1121-1141.

Siegel, S. (1975). Estatística Não Paramétrica. São Paulo: McGraw-Hill do Brasil.

Silveira, M. A. C., & Moreira, A. R. B. (2014). Taxa de poupança e consumo no ciclo da vida das famílias brasileiras: evidência microeconômica. IPEA. Retirado de http://www.ipea.gov.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=23335

Slomp, J. Z. F. (2008). Endividamento e Consumo. Revista das Relações de Consumo, 109-131.

Thaler, R. (1985, Summer). Mental accounting and consumer choice. Marketing Science, 4(3), 199-214.

Triola, M. F. (2005). Introdução à estatística. Rio de Janeiro: LTC.

Vieira, S. F. A., Bataglia, R. T. M., & Sereia, V. J. (2011). Educação financeira e decisões de consumo, investimento e poupança: uma análise dos alunos de uma universidade pública do norte do Paraná. Revista de Administração, 9(3), 61-86.

Publicado
14-12-2018
Como Citar
Marques, M. F. S., Takamatsu, R. T., & Avelino, B. C. (2018). Finanças pessoais: uma análise do comportamento de estudantes de Ciências Contábeis. RACE - Revista De Administração, Contabilidade E Economia, 17(3), 819-840. https://doi.org/10.18593/race.v17i3.16850

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##