Remuneração dos executivos e indicadores de desempenho em empresas participantes do Ibovespa

  • Régis Barroso Silva Universidade Federal do Ceará
  • David Stanhy de Carvalho Silva Universidade Estadual do Piauí - Campus Rio Marataoan
  • Márcia Martins Mendes De Luca Universidade Federal do Ceará
  • Alessandra Carvalho de Vasconcelos Universidade Federal do Ceará

Resumo

Resumo: Fundamentado na Teoria da Agência, neste estudo teve-se por objetivo principal analisar a relação entre a remuneração dos gestores de 48 empresas participantes do Ibovespa e seus indicadores de desempenho, utilizando-se dos testes de correlação, análise de correspondência múltipla e regressão. Os resultados evidenciaram a inexistência de correlação significante entre a remuneração dos diretores-executivos e os indicadores Lucro por Ação e Retorno sobre o Patrimônio Líquido. Embora os níveis de significância encontrados para a correlação entre remuneração dos diretores-executivos e desempenho apontem para a existência de correlação somente para os indicadores Q de Tobin e a variação do Valor de Mercado, destaca-se a necessidade de continuidade dos estudos sobre o tema, uma vez que, em razão da separação da propriedade e controle e dos consequentes conflitos de agência entre proprietários e gestores, as empresas precisam adotar mecanismos para que o alinhamento entre esses agentes possibilite a criação de oportunidades que possam potencializar seus resultados.

Palavras-chave: Teoria da Agência. Remuneração de gestores. Indicadores de desempenho.

Executive compensation and performance indicators in companies participating in the Bovespa Index

Abstract: According to the Agency Theory, the present study aims at analyzing the relation between remuneration for managers of 48 companies listed on the Bovespa Index and their respective performance indicators. This research employed the correlation, the multiple correspondence analysis and regression tests. The obtained results made it possible to verify the inexistence of significant correlation between the remuneration of managers and the performance indicators Earnings per share and Return on equity. Although the levels of significance found for the correlation between the variables executive compensation and performance indicators point at the existence of correlation only for Tobin’s Q and Market value variation, the continuity of studies stands out because, it is known that, due to the separation of property from control and resulting agency conflicts between owners and managers, companies need to adopt devices so that the alignment of these agents makes it possible to create opportunities to boost results.

Keywords: Agency Theory. Executive compensation. Performance indicators.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Régis Barroso Silva, Universidade Federal do Ceará
Mestre em Administração e Controladoria pela Universidade Federal do Ceará
David Stanhy de Carvalho Silva, Universidade Estadual do Piauí - Campus Rio Marataoan
Mestre em Administração e Controladoria pela Universidade Federal do Ceará
Márcia Martins Mendes De Luca, Universidade Federal do Ceará

Doutora em Controladoria e Contabilidade pela Universidade de São Paulo

Professora da Universidade Federal do Ceará

Alessandra Carvalho de Vasconcelos, Universidade Federal do Ceará

Doutora em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Santa Catarina

Professora da Universidade Federal do Ceará

Referências

Aguiar, A. B., & Pimentel, R. C. (2017). Remuneração de executivos e desempenho no mercado brasileiro: relações contemporâneas e defasadas. Revista de Administração Contemporânea, 21(4), 545-568.

Almeida, R. S., Klotzle, M. C., & Figueiredo, A. C., Pinto. (2013). Composição do conselho de administração no setor de energia elétrica do Brasil. Revista de Administração da Unimep-Unimep Business Journal, 11(1), 156-180.

Andreas, J. M., Rapp, M. S., & Wolff, M. (2012). Determinants of director compensation in two-tier systems: evidence from German panel data. Review of Managerial Science, 6(1), 33-79.

Anjos, L. C. M., Tavares, M. F. N., Monte, P. A., & Lustosa, P. R. B. (2015). Relações entre controle acionário e remuneração de executivos. Enfoque: Reflexão Contábil, 34(1), 45-56.

Anthony, R. N., & Govindarajan, V. (2008). Sistemas de controle gerencial. São Paulo: McGraw-Hill.

Beuren, I. M., Silva, M. Z., & Mazzioni, S. (2014). Remuneração dos executivos versus desempenho das empresas. Revista de Administração Faces Journal, 13(2), 8-25.

Brealey, R. A., Myers, S. C., & Allen, F. (2011). Principles of corporate finance. (10th ed.). New York: McGraw-Hill/Irwi.

Camargos, M. A., & Helal, D. H. (2007). Remuneração executiva, desempenho econômico-financeiro e a estrutura de governança corporativa de empresas brasileiras. Anais do Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, Rio de Janeiro, RJ, 31.

Conyon, M. J., & Murphy, K. J. (2000). The prince and the pauper? CEO pay in the United States and United Kingdom. The Economic Journal, 110(467), 640-671.

Degenhart, L., Martins, D. L. C. C., & Hein, N. (2017). Desempenho econômico-financeiro e remuneração dos diretores executivos das empresas brasileiras. Enfoque Reflexão Contábil, 36(3), 118-135.

Demsetz, H., & Villalonga, B. (2001). Ownership structure and corporate performance. Journal of corporate finance, 7(3), 209-233.

Eulerich, M., & Velte, P. (2014). Determinants of executive board remuneration. Corporate Ownership & Control, 11(4), 96-113.

Fama, E., & Jensen, M. (1983). Separation of ownership and control. Journal of Law and Economics, (26), 301-327.

Fávero, L. P., Belfiore, P., Silva, F. L., & Chan, B. L. (2009). Análise de dados: modelagem multivariada para a tomada de decisões. Rio de Janeiro: Campus.

Ferrarini, G., & Moloney, N. (2005). Executive remuneration in the EU: the context for reform. Oxford Review of Economic Policy, 21(2), 304-323.

Forti, C. A. B., Barboza, F. L. M., Ribeiro, K. C. S., & Nogueira, S. G. (2018). O Impacto do incentivo aos funcionários nos lucros dos bancos brasileiros. Enfoque Reflexão Contábil, 37(2), 51-66.

Funchal, J. A., & Terra, P. R. S. (2006). Remuneração de executivos, desempenho econômico e governança corporativa: um estudo empírico em empresas latino-americanas. Anais do Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, Salvador, BA, 30.

Gonzaga, R. P., Yoshinaga, C. E., & Eid, W., Jr. (2013). Relação entre os sistemas de incentivos oferecidos aos gestores e desempenho das empresas brasileiras. Revista Contabilidade Vista & Revista, 24(3), 103-118.

Himmelberg, C. P., Hubbard, R. G., & Palia, D. (1999). Understanding the determinants of managerial ownership and the link between ownership and performance. Journal of financial economics, 53(3), 353-384.

Instrução CVM n. 480. (2009). Retirado de http://www.bmfbovespa.com.br/empresas/download/InstrucaoCVM480.pdf

Jensen, M. C., & Meckling, W. H. (1976). Theory of the firm: managerial behavior, agency costs, and ownership structure. Jounal of Financial Economics, 3(4), 305-360.

Klein, B. (1984). Contract costs and administered prices: an economic theory of rigid wages. The American Economic Review, 74(2), 332-338.

Machado, D. G., & Beuren, I. M. (2015). Política de remuneração de executivos: um estudo em empresas industriais brasileiras, estadunidenses e inglesas. Gestão & Regionalidade, 31(92), 4-24.

Marcon, R., & Godoi, C. K. (2004). Desempenho financeiro das empresas e remuneração por stock options: um estudo multissetorial. Revista de Administração FACES Journal, 3(1), 59-76.

Nascimento, C., Franco, L. M. G., & Cherobim, A. P. M. S. (2012). Associação entre remuneração variável e indicadores financeiros: evidências do setor elétrico. Revista Universo Contábil, 8(1), 22-36.

Nascimento, E. M., Barbosa, J. E., Cunha, J. V. A., Neto, & Dias, W. O. (2011). Teoria da agência e remuneração de executivos: influência do uso de stock options no desempenho das empresas brasileiras. Anais do Congresso USP de Controladoria e Contabilidade, São Paulo, SP, 11.

Oliveira, I. G. S., & Silva, A., Jr. (2018). Determinantes econômicos do uso de stock options em companhias brasileiras de capital aberto. Enfoque Reflexão Contábil, 37(1), 55-70.

Parente, P. H. N., Vasconcelos, A. C., & De Luca, M. M. M. (2014). Influência da estrutura de propriedade horizontal e da estrutura de propriedade piramidal na governança das maiores empresas de capital aberto do Brasil. Anais do Congresso USP de Controladoria e Contabilidade, São Paulo, SP, 14.

Rodrigues, J., & Seabra, M. (2011). An analysis of corporate board compensations in the Portuguese energy sector. Management of Environmental Quality: An International Journal, 23(1), 56-67.

Rossetti, J. P., & Andrade, A. (2014). Governança corporativa: Fundamentos, desenvolvimento e tendências. (7th ed.). São Paulo: Atlas.

Souza, P. V. S., Cardoso, R. L., & Vieira, S. S. C. (2017). Determinantes da Remuneração dos Executivos e sua Relação com o Desempenho Financeiro das Companhias. REAd. Revista Eletrônica de Administração [Edição especial]. 234-228.

Teixeira, J. C. A., & Loiola, E. (2006). Práticas inovadoras de gestão de pessoas e desempenho organizacional no Brasil. Anais do Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, Salvador, BA, 30.

Theiss, V., & Beuren, I. M. (2014). O acionista controlador e a remuneração dos executivos nas empresas listadas na BM&FBOVESPA. Revista de Gestão dos Países de Língua Portuguesa, 13(1), 2-13.

Toms, S., & Wright, M. (2002). Corporate governance, strategy and structure in British business history, 1950-2000. Business History, 44(3), 91-124.

Publicado
14-12-2018
Como Citar
Silva, R. B., Silva, D. S. de C., De Luca, M. M. M., & Vasconcelos, A. C. de. (2018). Remuneração dos executivos e indicadores de desempenho em empresas participantes do Ibovespa. RACE - Revista De Administração, Contabilidade E Economia, 17(3), 867-888. https://doi.org/10.18593/race.v17i3.16721

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##