Impactos da participação de mulheres em iniciativas de economia solidária no Cariri Paraibano

  • Rafaelle Amado da Silva Universidade Federal de Campina Grande
  • Verônica Macario de Oliveira Universidade Federal de Campina Grande
  • Suzanne Érica Nóbrega Correia Universidade Federal de Campina Grande

Resumo

Resumo: Neste artigo objetivou-se identificar as possibilidades, desafios e transformações sociais no processo de emancipação feminina em empreendimentos solidários assistidos pelo projeto Mulheres Rurais: Autonomia e Empoderamento no Cariri Paraibano, na Cidade de Sumé, PB. Foi realizado um estudo de caso de natureza descritiva. Os resultados demonstram que a participação de mulheres em empreendimentos de Economia Solidária (ES) promove melhorias em suas vidas, integração com outras mulheres dentro de uma mesma realidade, melhores condições de trabalho e realização pessoal. Isso se relaciona a um processo de transformação social na medida em que auxilia no resgate de sua autoestima, impacta na busca por igualdade entre os gêneros e gera sua emancipação social. Porém, as integrantes das iniciativas investigadas enfrentam desafios relacionados à gestão do empreendimento, à infraestrutura inadequada, ao pouco retorno financeiro e à conciliação entre os afazeres domésticos e as atividades do grupo.

Palavras-chave: Economia Solidária. Emancipação feminina. Empreendimentos solidários. Inclusão social. Transformações sociais.

Impacts of women’s participation in Solidarity Economy initiatives in the Cariri Parairano

Abstract: This article aims to identify the impacts of Solidarity Economy (SE) in reference of possibilities, challenges and social transformations that stem from initiatives of in the process of female emancipation in solidarity projects assisted by the project Rural Women: Autonomy and Empowerment not Cariri Paraibano in the City of Sumé, PB. A descriptive case study was carried out. The results demonstrate that the participation of women in SE projects promotes: improvements in their lives, better working conditions and personal fulfillment. This is related to a process of social transformation insofar as it contributes to recover their self-esteem, impacts on the search for equality between genders and generates social emancipation. However, as members of SE initiatives, they face challenges that are related to enterprise management, inadequate infrastructure, little financial return, and reconciliation between household chores and group activities.

Keywords: Solidary Economy. Female emancipation. Social transformations. Enterprises solidary. Social inclusion.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rafaelle Amado da Silva, Universidade Federal de Campina Grande

Unidade Acadêmica de Administração e Contabilidade

Verônica Macario de Oliveira, Universidade Federal de Campina Grande
Unidade Acadêmica de Administração e Contabilidade
Suzanne Érica Nóbrega Correia, Universidade Federal de Campina Grande
Unidade Acadêmica de Administração e Contabilidade

Referências

Bardin, L. (2011). Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70.

Barreto, R. de O., & De Paula, A. P. P. (2009). Os dilemas da economia solidária: um estudo acerca da dificuldade de inserção dos indivíduos na lógica cooperativista. Cadernos EBAPE, BR, 7(2).

Castilho, M. A., Mariani, M. A. P., & Garcia, R. A. M. (2012). Economía solidaria y condiciones de autogestión en emprendimientos económicos solidarios en el municipio de Aquidauana (MS-Brasil). Estudios y perspectivas en turismo, 21(5), 1225-1243.

Cezar, L. C., & Fantinel, L. D. (2018). The sales of craft over a Lively Talk and a cup of Coffee: Social representations in a commercialization center of solidarity economy. BBR. Brazilian Business Review, 15(5), 475-493.

Costa, P. de A., & Carrion, R. da S. M. (2011). Situando a Economia Solidária no Campo dos Estudos Organizacionais. Otra Economía, 3(4), 66-81.

Culti, M. N. (2004). Mulheres na Economia Solidária: Desafios sociais e políticos. Anais do Congresso Europeu CEISAL de Latino-americanistas, Bratislava, Eslovaquia, 4.

Dias, T. F., & Souza, W. J. (2014). Gestão social e economia solidária: O caso da Associação dos Produtores e Produtoras Rurais da Feira Agroecológica de Mossoró-Aprofam, Mossoró-RN. TPA-Teoria e Prática em Administração, 4(1), 261-294.

Faria, J. H. (2017). Autogestão, economia solidária e organização coletivista de produção associada: Em direção ao rigor conceitual. Cadernos EBAPE. BR, 15(3), 629-650.

Flick, U. (2008). Introdução à pesquisa qualitativa-3. Porto Alegre: Artmed.

França, G. C., Filho. (2001). Novos arranjos organizacionais possíveis? O fenômeno da economia solidária em questão (precisões e complementos). Organizações & Sociedade, 8(20).

Guérin, I. (2003). Sociologia Econômica e Relações de Gênero. In Emílio, M., Teixeira, M., Nobre, M., & Godinho, T. (Org.), Trabalho e Cidadania Ativa para as Mulheres: Desafios para as Políticas Públicas. São Paulo: Coordenadoria Especial da Mulher da Prefeitura Municipal de São Paulo.

Guérin, I. (2005). Mulheres e a economia solidária (As). São Paulo: Edições Loyola.

Guerra, A. C., & Toledo, D. A. da C. (2006). Economia solidária e relações de gênero: Analisando uma nova relação de trabalho. Anais do Encontro Anual da Anpad, Rio de Janeiro, RJ, 30.

Lima, G., & Soares, M. L. (2011). Mulheres, história e saberes: Construindo economia solidária. Anais da Jornada Internacional de Políticas Públicas, São Luis, MA, 5.

Messias, A. R., & Lima, J. R. O. (2014). A mulher na economia popular e solidária: Ponderações a partir de uma experiência de incubação. Anais do Congresso Internacional interdisciplinar em Sociais e Humanas (CONINTER), Salvador, BA, 3.

Mundim, F. de L. C., & Teodósio, A. dos S. (2011). (Des)Caminhos e Encruzilhadas das Mulheres na outra Economia: Um Estudo de Caso no Assentamento Rural das Pastorinhas. Gestão e Sociedade, 5(11), 104-120.

Onuma, F., Capelle, M., & Mafra, F. (2015). Aproximações entre a Autogestão na Economia Solidária e em Proudhon: Um Convite à Reflexão no Campo da Economia Solidária. Anais do Encontro da Associação dos Programas de Pós-Graduação em Administração - Ananpad, Belo Horizonte, MG, 39.

Peixoto, S. L. F., Ramos, J. P., & Pessoa, C. (2008). Economia Solidária e Feminista: Reflexões em torno da automonia econômica das mulheres. Anais do Encontro Internacional Trabalho e Formação de Trabalhadores, Fortaleza, CE, 2.

Ramos, A. T. A. (2011). Mulheres na Economia Solidária: Uma alternativa de Inserção Social ao Mercado de Trabalho. Anais do Congresso Lus Afro-Brasileiro de Ciências Sociais - Diversidades e (Des)Igualdades, Salvador - BA, 11.

Rocha, A. N., Filho, & Cunha, L. A. G. (2009). Economia Solidária: Alternativa de desenvolvimento, geração de trabalho, renda e resistência à exclusão social. Emancipação, 9(1), 95-105.

Sá, M. G. de, & Soares, G. J. de V. (2005). Reflexões sobre poder e controle nas organizações da economia solidária (OES): Um olhar à luz dos bichos de Orwell. Cadernos EBAPE. BR, 3(2), 01-13.

Santos, J. C., & Oliveira, B. A. M. (2015). Possibilidades para a Psicologia na economia solidária: Atuação numa ITCP. Psicologia & Sociedade, 27(2), 18.

Secretaria Nacional de Economia, Ministério do Trabalho e Emprego. (2006). Economia Solidária: Outra Economia Acontece! Cartilha da Campanha Nacional de Mobilização Social.

Silva, F. R. F. (2016). Gênero, agroecologia e economia solidária: Estudo de caso do grupo de mulheres do Acampamento Recanto da Natureza em Laranjeiras do Sul-PR. Desenvolvimento e Meio Ambiente, 39.

Silva, M. N. (2011). A economia solidária e as novas possibilidades do mundo do trabalho. Âmbito Jurídico, (86).

Silva, S. P., & Nagem, F. A. (2012). Dimensions of structural developments in the solidarity based economy: An analysis of the states Bahia and Paraná. Revista Econômica do Nordeste, 43(2), 297-312.

Singer, P. (2002). Introdução a economia solidária. São Paulo: Fundação Perseu Abramo.

Singer, P. (2008). Economia solidária. Estudos avançados, 22(62), 289-314.

Sistema de Informações em Economia Solidária. (2013). Atlas Digital da Economia Solidária. Retirado de http://sies.ecosol.org.br/atlas

Soares, M., Silva, R., & Rebouças, S. P. (2016). Complexidade e Capital Social na Economia Solidária: Evidências Empíricas dos Empreendimentos Organizados em Redes no Brasil. Anais do Encontro da Associação dos Programas de Pós-Graduação em Administração - Enanpad, Costa do Sauipe, BA, 40.

Teixeira, M. (2003). Sociologia Econômica e Relações de Gênero. In Emílio, M., Teixeira, M., Nobre, M., & Godinho, T. (Org.), Trabalho e Cidadania Ativa para as Mulheres: Desafios para as Políticas Públicas. São Paulo: Coordenadoria Especial da Mulher da Prefeitura Municipal de São Paulo.

Publicado
14-12-2018
Como Citar
Silva, R. A. da, Oliveira, V. M. de, & Correia, S. Érica N. (2018). Impactos da participação de mulheres em iniciativas de economia solidária no Cariri Paraibano. RACE - Revista De Administração, Contabilidade E Economia, 17(3), 851-866. https://doi.org/10.18593/race.v17i3.16527