Retorno dos investimentos de empresas do agronegócio brasileiro

  • Cristian Baú Dal Magro
  • Edgar Pamplona Universidade Regional de Blumenau - FURB.
  • Marcello Christiano Gorla
  • Tarcísio Pedro da Silva Universidade Regional de Blumenau - FURB.

Resumo

Resumo: O objetivo com o estudo foi verificar a atratividade nos retornos dos investimentos de empresas brasileiras do agronegócio com o uso do modelo Capital Asset Pricing Model (CAPM). Para isso, realizou-se pesquisa descritiva, análise documental e utilizou-se abordagem quantitativa. A amostra é composta por ações de 13 empresas do agronegócio brasileiro negociadas na BM&FBovespa e o período de análise compreende os anos de 2010 a 2014. Os achados apontaram que o CAPM identifica maior atratividade para as empresas do agronegócio brasileiro quando comparado com a média do mercado dado pelo IBovespa. Contudo, o CAPM foi eficiente para dimensionar os retornos esperados apenas nos anos 2010, 2011 e 2014, sendo que, em 2012 e 2013, a atratividade apontada pelo CAPM foi significativamente menor do que o retorno real, fato que pode ser entendido por meio de aspectos econômicos, pois o setor do agronegócio cresceu nesse período em oposição ao baixo desempenho geral do mercado. Por fim, salienta-se que o retorno real médio foi constatado superior para as empresas do agronegócio brasileiro em relação ao retorno do mercado em geral. Por vezes, apresentaram retornos reais maiores do que o esperado e, assim, foram consideradas atrativas para investimentos pela maximização dos ganhos no mercado acionário brasileiro.

Palavras-chave: Atratividade dos investimentos. CAPM. Empresas do agronegócio.

 

Return of investments of brazilian agribusiness companies

 

Abstract: The aim of the study is to assess the attractiveness of the investment returns of Brazilian agribusiness companies using the Capital Asset Pricing Model (CAPM). For this, was achieved descriptive research, document analysis and quantitative approach. The sample is composed of 13 Brazilian agribusiness companies listed on the BM&FBovespa and the analysis period comprises the years between 2010 to 2014. The findings indicated that the CAPM identifies more attractiveness for companies in the agribusiness compared to the market average given by IBovespa. However, the CAPM was efficient to scale the expected returns only in the years 2010, 2011 and 2014, occurring in 2012 and 2013, that the attractiveness appointed by CAPM was significantly lower than the actual return, which can be understood through economic aspects, because the agribusiness sector grown in this period in opposition to the low overall market performance. Finally, it should be noted that the average real return was found to be higher for the brazilian agribusiness companies in relation to the market return in general. At times, they had higher-than-expected real returns and thus were considered attractive for investments by maximizing earnings in the Brazilian stock market.

Keywords: Attraction of investments. CAPM. Agribusiness companies.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cristian Baú Dal Magro
Doutor em Ciências Contábeis e Administração pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis (PPGCC) da Universidade Regional de Blumenau (PPGCC/FURB).
Edgar Pamplona, Universidade Regional de Blumenau - FURB.
Doutorando em Ciências Contábeis e Administração no Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis (PPGCC) da Universidade Regional de Blumenau (PPGCC/FURB).
Marcello Christiano Gorla
Doutor em Ciências Contábeis e Administração pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis (PPGCC) da Universidade Regional de Blumenau (PPGCC/FURB).
Tarcísio Pedro da Silva, Universidade Regional de Blumenau - FURB.
Doutor em Ciências Contábeis e Administração pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis (PPGCC) da Universidade Regional de Blumenau (PPGCC/FURB). Atualmente é professor do PPGCC da FURB.

Referências

ALENCASTRO, D. Análise Empírica do CAPM Básico para o Brasil após a Implantação do Plano Real. 2009. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Econômico)–Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegra, 2009.

AMARAL, H. F. et al. Fundos de pensão como formadores de poupança interna: uma alternativa para o financiamento da atividade econômica. Rev. de Administração Contemporânea, v. 8, 2004.

ARAÚJO, D. L. et al. O Risco de Mercado do Agronegócio Brasileiro: uma Análise comparativa entre os modelos CAPM e GARCH-M. Revista Eletrônica de Gestão Organizacional, v. 2, n. 3, 2004.

ARAÚJO, E. A. T.; OLIVEIRA, V. do C.; CASTRO SILVA, W. A. CAPM em estudos brasileiros: Uma análise da pesquisa. Revista de Contabilidade e Organizações, v. 6, n. 15, p. 95-122, 2012.

BALI, T. G.; ZHOU, H. Risk, uncertainty, and expected returns. Journal of Financial and Quantitative Analysis, v. 51, i. 3, p. 707-735, 2016.

BANZ, R. W. The relationship between return and market value of common stocks. Journal of Financial Economics, v. 9, i. 1, p. 3-18, 1981.

BLACK, F.; JENSEN, M. C.; SCHOLES, M. S. The capital asset pricing model: some empirical tests. Studies in the theory of capital markets: Praeger, 1972.

BM&FBOVESPA. Índice Bovespa – Ibovespa. Disponível em: <http://www.bmfbovespa.com.br/indices/ResumoIndice.aspx?Indice=IBOVESPA&idioma=pt-br>. Acesso em: 16 set. 2015.

BM&FBOVESPA. Relatório Anual 2011. 2011. Disponível em: <http://ri.bmfbovespa.com.br/ptb/901/BMFBovespaRA2011GRIPT.pdf>. Acesso em: 16 set. 2015.

BRUNI, A. L. Risco, Retorno e Equilíbrio: uma Análise do Modelo de Precificação de Ativos Financeiros na Avaliação de Ações Negociadas na BOVESPA (1988-1996). 1998. Dissertação (Mestrado em Administração)–Universidade de São Paulo, São Paulo, 1998.

COPELAND, T. et al. Financial Theory and Corporate Policy. 4. ed. United States: Addison Wesley, 2005.

COSTA JUNIOR, N. C. A. da; MENEZES, E. A.; LEMGRUBER, E. F. Estimação do Beta de ações através do método dos coeficientes agregados. Revista Brasileira de Economia, v. 47, n. 4, p. 605-621, 1993.

DEMPSEY, M. The capital asset pricing model (CAPM): the history of a failed revolutionary idea in finance? Abacus, v. 49, i. S1, p. 7-23, 2013.

DHANKAR, R. S.; SINGH, R. Arbitrage pricing theory and the capital asset pricing model-evidence from the indian stock market. Journal of Financial Management & Analysis, v. 18, i. 1, p. 14, 2005.

EHRHARDT, M. C.; BRIGHAM, E. F. Administração Financeira: Teoria e Prática. São Paulo: Cengage Learning, 2012.

ELTON, E. J. et al. Moderna teoria de carteiras e análise de investimentos. São Paulo: Atlas, 2004.

FAMA, E. F.; FRENCH, K. R. Multifactor explanations of asset pricing anomalies. The journal of finance, v. 51, i. 1, p. 55-84, 1996.

FAMA, E. F.; FRENCH, K. R. O modelo de precificação de ativos de capital: teoria e evidências. Revista de Administração de Empresas, v. 47, n. 2, p. 103-118, 2007.

FAMA, E. F.; FRENCH, K. R. The Capital Asset Pricing Model: Theory and Evidence. Journal of Economic Perspectives, v. 18, i. 3, p. 25-46, 2004.

FAMA, E. F.; MACBETH, J. D. Risk, return, and equilibrium: empirical tests. The Journal of Political Economy, v. 81, i. 3, p. 607-636, 1973.

FARIAS, T. A.; MOURA, F. R.; FIGUEIREDO, L. E. N. Capital Asset Pricing Model: um estudo de caso ao segmento da construção civil. Revista de Economia Mackenzie, v. 14, n. 2, 2018.

FERNANDES, M.; TORO, J. O Mecanismo de Transmissão Monetária na Economia Brasileira Pós-Plano Real. Revista Brasileira de Economia – RBE, v. 59, n. 1, p. 5-32, 2005.

FLETCHER, J. An Examination of the Cross-Sectional Relationship of Beta and Return: UK Evidence. Journal of Economics and Business, v. 49, p. 211-221, 1997.

FORSTER, G. Modelo de Precificação de Ativos–CAPM: Um Estudo sobre a Apuração do Custo de Oportunidade do Capital Próprio. Revista TECAP, v. 3, n. 3, 2009.

GALDI; F. C.; SECURATO, J. R. O risco idiossincrático é relevante no mercado brasileiro? Revista Brasileira de Finanças, v. 5, n. 1, p. 41-58, 2007.

GALENO, M. M. Aplicação do CAPM (Capital Asset Pricing Model) Condicional por meio de Métodos não-paramétricos para a economia brasileira: um estudo empírico do período 2002-2009. 2010. Dissertação (Mestrado em Administração)–Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010.

HAUGEN, R. A.; BAKER, N. L. Commonality in the Determinants of Expected Stock Returns. Journal of Financial Economics, v. 41, p. 401-439, 1996.

HERRERA, F. L.; TÉLLEZ, F. J. V. Variables económicas y un modelo multifactorial para la bolsa mexicana de valores: análisis empírico sobre una muestra de activos. Academia Revista Latinoamericana de Administración, v. 29, p. 5-28, 2009.

IBRAHIM, M. H.; AZIZ, H. Macroeconomic variables and the Malaysian equity market: a view through rolling subsamples. Journal of economic studies, v. 30, i. 1, p. 6-27, 2003.

KRISTJANPOLLER, W.; MORALES, M. Teoría de la asignación del precio por arbitraje aplicada al mercado accionario chileno. Lecturas de Economía, v. 74, p. 37-59, 2011.

LAKONISHOK, J.; SHAPIRO, A. C. Systematic risk, total risk and size as determinants of stock market returns. Journal of Banking and Finance, v. 10, i. 1, p. 115-132, 1986.

LINHARES, H. da C. Análise do desempenho financeiro de investimentos ESG nos países emergentes e desenvolvidos. 2018. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Contábeis) – Universidade Nacional de Brasília, Brasília, DF, 2018.

LINTNER, J. The valuation of risk assets and the selection of risk investments in stock portfolios and capital budgets. Review of Economic and Statistics, v. 47, p. 13-37, 1965.

LIU, W. A liquidity-augmented capital asset pricing model. Journal of Financial Economics, v. 82, p. 631-671, 2006.

MACHADO, M. A. V.; MACHADO, M. R. Liquidez e precificação de ativos: evidências do mercado brasileiro. BBR-Brazilian Business Review, v. 11, n. 1, p. 73-95, 2014.

MARKOWITZ, H. M. Portfolio Selection: Efficient Diversification of Investments. New York: Wiley, 1959.

MARKOWITZ, H. M. Portfolio selection. The Journal of Finance, v. 7, i. 1, p. 77-91, 1952.

MARTINSONS, M. G.; DAVISON, R. M. Strategic decision making and support systems: Comparing American, Japanese and Chinese management. Decision Support Systems, v. 43, i. 1, p. 284-300, 2007.

MENDONÇA, M. G. de; ABRÃO, R. A. F. Subdesenvolvimento, Desindustrialização e Exploração de Recursos Naturais: o Petróleo da Camada de Pré-Sal como Chave ou Entrave para o Desenvolvimento Nacional. Revista Aurora, v. 8, n. 2, 2015.

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO. Projeções do Agronegócio – Brasil 2012/13 a 2022/23 – Projeções de Longo Prazo. 2013. Disponível em: <http://www.agricultura.gov.br/arq_editor/projecoes%20-%20versao%20atualizada.pdf>. Acesso em: 28 ago. 2015.

MOSSIN, J. Equilibrium in a capital asset market. Econométrica, v. 34, p. 68-783, 1966.

OJALA, M.; HALLIKAS, J. Investment decision-making in supplier networks: Management of risk. International Journal of Production Economics, v. 104, i. 1, p. 201-213, 2006.

PAIVA, F. D. Modelos de precificação de ativos financeiros de fator único: um teste empírico dos modelos CAPM e D-CAPM. REGE Revista de Gestão, v. 12, n. 2, p. 49-65, 2005.

ROSS, S. A. The arbitrage theory of capital asset pricing. Journal of Economic Theory, v. 13, i. 3, p. 341-360, 1976.

ROSS, S. A.; WESTERFIELD, R. W.; JAFFE, J. F. Administração financeira. São Paulo: Atlas, 1995.

ROSTAGNO, L. M.; KLOECKNER, G. de O.; BECKER, J. L. Previsibilidade de retorno das ações na Bovespa: um teste envolvendo o modelo de fator de retorno esperado. Revista Brasileira de Finanças, v. 2, n. 2, p. 183-206, 2004.

SAMANEZ, C. P. Gestão de Investimentos e Geração de Valor. 1. ed. São Paulo: Person Prentice Hall, 2006.

SANTOS, J. O. dos; FAMÁ, R.; MUSSA, A. A Adição do Fator de Risco Momento ao Modelo de Precificação de Ativos dos Três Fatores de Fama & French Aplicado ao Mercado Acionário Brasileiro. REGE Revista de Gestão, v. 19, n. 3, 2012.

SAUER, A.; MURPHY, A. An empirical comparison of alternative models of capital asset pricing in Germany. Journal of Banking & Finance, v. 16, i. 1, p. 183-196, 1992.

SCHIVINSKI, T. O Efeito da Divulgação das Demonstrações Financeiras sobre o Retorno das Ações e Avaliação do Modelo CAPM no Mercado de Capitais Brasileiro. 2002. Dissertação (Mestrado em Engenharia)–Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2002.

SECURATO, J. R. Decisões Financeiras em Condições de Risco. São Paulo: Atlas, 1996.

SHARPE, W. F.; ALEXANDER, G. J.; BAILEY, J. V. Investments. New Jersey: Prentice Hall, 1995.

SHARPE, W. F. Capital assets prices: a theory of Market equilibrium under condition of risk. Journal of Finance, v. 19, i. 3, p. 425-442, 1964.

SILVA, L. S. A. da; QUELHAS, O. L. G. Sustentabilidade empresarial e o impacto no custo de capital próprio das empresas de capital aberto. Gestão & Produção, v. 13, n. 3, p. 385-395, 2006.

SILVA, W. A. M. da et al. O efeito do CAPM em relação ao retorno das ações DAS empresas listadas no novo mercado do BM&FBovespa. Revista de Gestão, Finanças e Contabilidade, v. 7, n. 3, p. 299-313, 2017.

SILVA, W. V. da et al. Formulação de Carteiras Hipotéticas de Ativos Financeiros usando a Técnica Multivariada de Análise de Agrupamento. Revista Universo Contábil, v. 5, n. 3, p. 43-59, 2009.

SMIT, H. T. J.; TRIGEORGIS, L. Strategic investment: Real options and games. Princeton University Press, 2004.

SUN, C.; ZHANG, D. Assessing the financial performance of forestry-related investment vehicles: Capital asset pricing model vs. arbitrage pricing theory. American Journal of Agricultural Economics, p. 617-628, 2001.

TAMBOSI FILHO, E.; COSTA JÚNIOR, N. C. A.; ROSSETTO, J. R. Testando o CAPM condicional nos mercados brasileiro e norte-americano. Revista de Administração Contemporânea, v. 10, n. 4, p. 143-168, 2006.

TOBIN, J. Liquidity Preference as Behavior Towards Risk. The Review of Economic Studies, v. 25, i. 2, p. 65-86, 1958.

TOMAZONI, T.; MENEZES, E. A. Estimativa do custo de capital em empresas brasileiras de capital fechado (sem comparáveis de capital aberto). Revista de Administração da USP, v. 37, n. 34, p. 38-48, 2002.

TREYNOR, J. L. Market Value, Time, and Risk. Unpublished manuscript. Hillsdale, Michigan: Rough Draft, 1961.

WANDERLEY, C. A. N.; SILVA, A. C. da; LEAL, R. B. Tratamento Contábil de Ativos Biológicos e Produtos Agrícolas: uma Análise das Principais Empresas do Agronegócio Brasileiro. Revista Pensar Contábil, v. 14, n. 53, p. 53-62, 2012.

Publicado
28-08-2018
Como Citar
Dal Magro, C. B., Pamplona, E., Gorla, M. C., & Silva, T. P. da. (2018). Retorno dos investimentos de empresas do agronegócio brasileiro. RACE - Revista De Administração, Contabilidade E Economia, 17(2), 667-694. https://doi.org/10.18593/race.v17i2.16402