Conflitos nas relações sociais de trabalho no contexto da nova gestão pública à luz da psicodinâmica do trabalho

  • Rafaela Gomes Aguiar Universidade Estadual do Ceará
  • Ana Cristina Batista dos Santos Universidade Estadual do Ceará

Resumo

No texto apresentam-se os resultados de uma pesquisa em que se teve o objetivo de compreender o fenômeno dos conflitos nas relações sociais de trabalho, em organizações públicas, no contexto da Nova Gestão Pública, sob as lentes da Psicodinâmica do Trabalho. A revisão de literatura aborda: as tipologias da administração pública: administração pública patrimonialista, administração pública burocrática, nova gestão pública; a lente teórica da Psicodinâmica do Trabalho e suas dimensões constituintes; e os conflitos nas relações de trabalho. Metodologicamente, realizou-se uma pesquisa qualitativa, com uso de entrevistas narrativas com 14 servidores da administração direta e da administração indireta de um estado do Nordeste brasileiro. Utilizou-se a técnica da análise dos núcleos de sentido para a compreensão das narrativas. Após a transcrição e categorização das entrevistas, os seguintes temas foram identificados: condições de trabalho, organização do trabalho, relações sociais de trabalho, medo, carga psíquica, doença/saúde, sofrimento/prazer e estratégias de defesa. Concluiu-se que os conflitos originários da relação sujeito-trabalho e das relações sociais, profissionais e afetivas que se desenrolam nos contextos de trabalho sob a Nova Gestão Pública compõem uma fonte de ansiedade, tensão, inquietação, medo e sofrimento, ao mesmo tempo que tal contexto e relações são palco da emergência de dimensões associadas ao prazer, como valorização, satisfação e reconhecimento, confirmando que os constructos prazer e sofrimento operam no real do trabalho de maneira inter-relacionada.

Palavras-chave: Administração pública brasileira. Conflitos. Psicodinâmica do Trabalho.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ABRUCIO, F. L. Trajetória recente da gestão pública brasileira: um balanço crítico e a renovação da agenda de reformas. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 25, n.5, p. 67-86, 2007. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rap/v41nspe/a05v41sp.pdf>. Acesso em: 14 ago. 2015.

ANDION, C. Por uma nova interpretação das mudanças de paradigma na administração pública. Cadernos da Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas, Rio de Janeiro, v. 10, n. 1, p.1-19, mar. 2012. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/cebape/v10n1/03.pdf>. Acesso em: 14 ago. 2015.

BRESSER‐PEREIRA, L. C. Reforma do Estado para a cidadania: a reforma gerencial brasileira na perspectiva internacional. 2. ed. São Paulo: Ed. 34, 2011.

BRESSER-PEREIRA; L. C. Uma nova gestão para um novo Estado: liberal, social e republicano. Revista do Serviço Público, v. 26, n. 1, jan./mar, 2001.

BRESSER-PEREIRA; Luís Carlos. A reforma gerencial do Estado de 1995. Revista de Administração Pública, v. 34, p. 7-26, 2000.

BRESSER-PEREIRA; Luís Carlos. Construindo o Estado republicano. Rio de Janeiro: FGV, 2009.

BRESSER-PEREIRA; Luís Carlos. Reforma da nova gestão pública: agora na agenda da América Latina, no entanto. Revista do Serviço Público, v.5, Ano 53, n. 1, jan./mar, 2002.

BUENO, M.; MACÊDO, K. B. A Clínica psicodinâmica do trabalho: de Dejours às pesquisas brasileiras. ECOS, v. 2, n. 2, 2012. Disponível em: . Acesso em: 16 out. 2015.

CARDOSO, M. F. Influência da nova gestão pública sobre políticas de educação superior: um estudo acerca do programa de apoio aos planos de reestruturação e expansão das universidades federais (reuni) no nordeste brasileiro. 2016. 100f. Tese (Doutorado em Administração) – Programa de Pós-Graduação em Administração, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Rio Grande do Norte, 2016.

DEJOURS, C. & DERANTY, J. F. The centrality of work. critical horizons. v. 11, n. 2, p. 167-180, 2010.

DEJOURS, C. A loucura do trabalho. 2. ed. São Paulo, SP: Cortez, 1992.

DEJOURS, C. Da psicopatologia à psicodinâmica do trabalho. In: Lancmann S, Sznelwar L.I (Orgs.). Christophe Dejours: da psicopatologia à psicodinâmica do trabalho. 3. ed. Rio de Janeiro: FIOCRUZ, 2011.

DEJOURS, C. Subjetividade, trabalho e Ação. Revista Produção, v. 14, n. 3, set./dez. 2004.

DEJOURS, C.; ABDOUCHELI, E.; JAYET, C. Psicodinâmica do trabalho: contribuições da escola dejouriana à análise da relação prazer, sofrimento e trabalho. São Paulo: Atlas, 1994.

EVARISTO, J. L. S.; BATISTA-DOS-SANTOS, A. C. Mudanças na administração pública brasileira: do Estado Patrimonialista à Nova Gestão Pública. In: REUNIÃO ANUAL DA SBPC, 67., Anais... São Carlos, 2015.

FAORO, R. Os donos do poder: formação do patronato político brasileiro. 3. ed. Rio de Janeiro: Globo, 2001.

FONSECA; J. A.; PEREIRA; L. Z.; GONÇALVES; C. A. Retórica na construção de realidades na segurança pública: abordagens dos sistemas de Minas Gerais e São Paulo. Revista Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 49, n. 2, p. 395-422, mar./abr. 2015.

GOMES, C. C. P. A subjetividade na gestão de pessoas: estudo exploratório com servidores públicos. 2011, 68f. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) - Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais, Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, RS, 2011.

HOOD, C. A Public Management For All Seasons? Public Administration, v. 69, p. 3- 9, Spring, 1991.

LODGE, M; GILL, D. Toward a new era of administrative reform? The myth of post-NPM in New Zealand. Governance, v. 24, n. 1, p. 141–166, jan. 2011.

MACÊDO, K. B.; MENDES, A. M. Vivências de prazer e sofrimento em trabalhadores de organizações com contexto de qualidade de vida no trabalho. In K. B. MACÊDO (Org.), Qualidade de vida no trabalho: o olhar da Psicologia e da Administração. Goiânia: Universidade Católica de Goiás. 2004, p. 61-84

MENDES, A. M. Pesquisa em psicodinâmica do trabalho: a clínica do trabalho. In A. M. Mendes (Org.). Psicodinâmica do trabalho: teoria, método e pesquisas. São Paulo: Casa do Psicólogo. 2007, p. 65-87.

MENDES, A. M; FREITAS, L. G; AUGUSTO, M.M.;Vivências de prazer e sofrimento no trabalho de profissionais de uma fundação pública de pesquisa. Psicologia em Revista, v. 20, p. 34-55, 2014.

MENDES, A.M; FERREIRA, M. C. Contexto de Trabalho. In: SIQUEIRA, Mirlene Maria Matias (Org.). Medidas do comportamento organizacional: ferramentas de diagnóstico e gestão. Porto Alegre RS: Artmed, 2008, p. 111-123.

PAULA, A. P. P. D. Administração Pública Brasileira entre o gerencialismo e a gestão social. Revista de Administração de Empresas, 45, p. 36-49, 2005.

PECI, A.; ALCADIPANI, Demarcação científica: uma reflexão crítica. In: ENCONTRO NACIONAL DA ASSOCIAÇÃO DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO,3. Anais... Curitiba, 2004.

PIRES, A. P. Amostragem e pesquisa qualitativa: Ensaio teórico e metodológico. In: In: POUPART, J. et al. A pesquisa qualitativa: enfoques epistemológicos e metodológicos. Rio de Janeiro: Vozes, 2008.

SANTANA, W.G.P.; GOMES, A. F. Por uma convivência (não tão) harmônica entre paradigmas nos estudos organizacionais. In: ENANPAD, 2007, Anais... Rio de Janeiro, 2007.

SECCHI, L. Modelos organizacionais e reformas da administração pública. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 2, n. 43, p.347-369, mar. 2009. Mensal. Disponível em:<http://www.scielo.br/pdf/rap/v43n2/v43n2a04.pdf>. Acesso em: 16 set. 2015.

SICHÈRE, P. Douleuret travail: quid de la psychodynamique? Questions posées à Isabelle Gernet. Douleurs: Évaluation, Diagnostic, Traitement, v. 11, p. 135-40, 2010.

SILVA, G. R. F. OU LAVNCHICHA, G.R.F;A Clínica psicodinâmica do trabalho: teoria e método. Khóra: revista Transdisciplinar, v. 2, p. 2, 2015.

SIMIONE, A. A. A modernização da gestão e a governança no setor público em Moçambique. Revista de Administração Pública, v. 48, p. 551-570, 2014.

STAKE, R. E. Estudos de caso em pesquisa e avaliação educacional. Educação e seleção, n. 07, p. 5-14, 2013.

STEPHANY FILHO. L.; Burocratização tecnológica em tempos de capitalismo flexível: análise da relação entre Sistemas ERP e o pensamento burocrático. 2016, 87f. Dissertação (Mestrado em Administração), Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza, 2016.

SZNELWAR, L. I., UCHIDA, S.; LANCMAN, S. A subjetividade no trabalho em questão. Revista Tempo Social, v. 23, n. 1. 2011. Disponível em:<http://revistas.usp.br/ts/article/view/12650/14427>. Acesso em: 18 ago. 2015.

WEBER, M. Economia e Sociedade: fundamentos da sociologia compreensiva. Revisão técnica de Gabriel Cohn, Brasília, v. 2, n.1, 1999.

Publicado
21-12-2017
Como Citar
Aguiar, R. G., & dos Santos, A. C. B. (2017). Conflitos nas relações sociais de trabalho no contexto da nova gestão pública à luz da psicodinâmica do trabalho. RACE - Revista De Administração, Contabilidade E Economia, 157-184. https://doi.org/10.18593/race.v0i0.15111
Edição
Seção
Edição Especial Administração Pública: Gestão de Pessoas