Inovação social além da tecnologia social: constructos em discussão

  • Carolina Beltrão de Medeiros Universidade Federal de Pernambuco
  • Carlos Eduardo de Sousa Galvão IFMA
  • Suzanne Correia UFCG
  • Carla Gómez UFPE
  • Leonardo Castillo UFPE

Resumo

Resumo

A ampliação dos debates na academia em torno do conceito de inovação social mostra que os construtos associados a esse tema ainda estão em discussão, apesar dos esforços e avanços demonstrados nos discursos em torno das suas características. O pressuposto neste ensaio teórico é que a inovação social é um conceito que vai além da tecnologia social, porque esta última se comporta como ferramenta com potencial para que a inovação social aconteça. A proposta com este artigo ganha importância uma vez que a tecnologia social é um termo utilizado no Brasil para também definir iniciativas de inovação social, mas que não tem sido encontrado em referências internacionais, daí a inquietação dos pesquisadores em investigar o tema. Os resultados apontam que as temáticas se sobrepõem em diversos pontos, porém se entende que a inovação social tem o propósito de ampliar o escopo das tecnologias sociais adotadas pelas comunidades, quando proporcionam empoderamento aos atores envolvidos no processo de governança, concedendo-lhes, também, ganhos com vistas à transformação social.

Palavras-chave: Inovação social. Tecnologia social. Transformação social.

 

Social innovation beyond social technology: constructs under discussion

 Abstract

The expansion of the discussions in academy around the concept of Social Innovation (SI) shows that the constructs associated with this issue are still under discussion, despite the efforts and progress demonstrated in speeches around their features. The assumption of this theoretical essay is that the SI is a concept that goes beyond the Social Technology (ST), that behaves as a potential tool for that SI happens. The purpose of this paper gains importance as the Social Technology is a term used in Brazil to define Social Innovation initiatives, but has not been found in international references, hence the concern of researchers to investigate the issue. The results indicate that the themes overlap at various issues, but it is understood that social innovation is intended to enlarge the scope of social technologies adopted by the communities, when they provide empowerment to the actors involved in the governance process, granting them also gains to social transformation.

Keywords: Social innovation. Social technology. Social transformation.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALBUQUERQUE, L. C. Tecnologias Sociais ou Tecnologias Apropriadas? O resgate de um termo. In: OTTERLOO, a. (Org.). Tecnologias Sociais: caminhos para a sustentabilidade. Brasília: Rede de Tecnologia Social, 2009. PP. 15-24.

ANDRÉ, I. ; ABREU A.. Dimensões e espaços da inovação social. Finisterra, XLI, 81, pp. 121-141, 2006.

ASSOGBA, Y.. Théorie systémique de l’action sociale et innovation sociale. Alliance de recherche université-communauté/innovation sociale et développement des communautés (AURCISDC), Université du Québec en Outaouais (UQO), Série : Recherches, no 31, mars, 2010.

BAUMGARTEN, M.. Geopolítica do Conhecimento e da Informação: semiperiferia e estratégias de desenvolvimento. Liinc em Revista, v.3, n.1, março 2007, Rio de Janeiro, p. 16-32.

______ (org.). Conhecimentos e redes – sociedade, política e inovação. Porto Alegre: Ed.Universidade/UFRGS, 2005.

BEPA - BUREAU OF EUROPEAN POLICY ADVISERS. Social Innovation – a decade of changes. Luxembourg: Publications Office of the European Union, 2014.

BIGNETTI, L. P.. As inovações sociais: uma incursão por ideias, tendências e focos de pesquisa. Ciências Sociais Unisinos, 2011, v. 47, n. 1.

CAJAIBA-SANTANA, G.. Social innovation: moving the field forward: a conceptual framework. Technological Forecasting and Social Change, v. 82, p. 42 - 51, 2014.

CLOUTIER, J. 2003. Qu’est-ce que l’innovation sociale? Crises, ET0314. Disponível em: www.crises.uqam.ca . Acesso em: 18/03/2015.

DAGNINO, R.. Tecnologia social: ferramenta para construir outra sociedade. (org.). 2.ed. rev. e ampl. Campinas: Komedi, 2009.

DAGNINO, R. P.; BAGATTOLLI, C. Como transformar a tecnologia social em política pública? In: DAGNINO, R. P. (Org.). Tecnologia social: ferramenta para construir outra sociedade. Campinas: IG; Unicamp, 2009.

DAGNINO, R., BRANDÃO, F. C.; NOVAES, H. T.. Sobre o marco analítico-conceitual da tecnologia social. In: Tecnologia social: uma estratégia para o desenvolvimento. Rio de Janeiro: Fundação Banco do Brasil, 2004.

DAGNINO, R.; GOMES, E. Sistema de inovação social para prefeituras. In: CONFERÊNCIA NACIONAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA PARA INOVAÇÃO. Anais… São Paulo, 2000.

DIAS, R.; NOVAES, H. Contribuições da economia da inovação acerca da tecnologia social. In: Tecnologia social: ferramenta para construir outra sociedade. DAGNINO, R. P. (org). Campinas, SP: IG/UNICAMP, 2009.

DURKHEIM, É.. As regras do método sociológico. Lisboa: Editorial Presença, 1989 (1ª edição: 1895).

FREITAS, C. C. G.. Tecnologia Social e Desenvolvimento Sustentável: um estudo sob a ótica da adequação sociotécnica. Tese (doutorado) – Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Sociais Aplicadas, Pós-Graduação em Administração, 2012.

GABOR, D. Innovations: scientific, technological and social. New York: Oxford University Press, 1970.

GOMEZ, C., et al. Inovação Social x Tecnologia Social: Duas faces da mesma moeda? In: XXVII Simpósio de Gestão da Inovação Tecnológica, 2014, Belo Horizonte. Anais... Belo Horizonte: ANPAD, 2014.

HENDERSON, C. R.. The Scope of Social Technology. The American Journal of Sociology, v. 6, n. 4, 1901, p.465-486.

HOWALDT, J.; KOPP, R.; SCHWARZ, M.. Social Innovations as Drivers of Social Change – exploring Tarde-s contribution to social innovation theory building. In:

HOWALDT, J.; SCHWARZ, M. Social Innovation: Concepts, research fields and international trends. Dortmund, May, 2010.

JOÃO, I. S. Modelo de gestão da inovação social para empresas sociais. Tese (Doutorado em Economia) – Programa de Pós-Graduação em Administração de Organizações, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto-SP, 2014.

MAGIS, K.; SHINN, C.. Emergent Principles of Social Sustainability. In Dillard J, King M, Dujon V, editors, Understanding the social dimension of sustainability. New York: Taylor and Francis, 2009.

MANZINI, E.. Design para a inovação social e sustentabilidade: Comunidades criativas, organizações colaborativas e novas redes projetuais. Caderno do grupo de altos estudos/volume I: Rio de Janeiro, 2008.

MORAES, C. A.. Representações sociais da comunidade científica brasileira sobre tecnologia social. Tese (doutorado) – Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Departamento de Psicologia, Pós-Graduação em Psicologia, 2012.

MOULAERT, F. et al. Towards Alternative Model(s) of Local Innovation. Urban Studies, n. 42, v. 11, 2005, p. 1.969-90.

MOULAERT, F.; MARTINELLI, F.; GONZÁLES, S.; SWYNGEDOUW, E. Introduction social innovation and governance in European cities. European Urban and Regional Studies, 2007. 14(3): 195 - 209. http://dx.doi.org/10.1177/0969776407077737 , Acesso em 17/04/2015.

MULGAN, G.. The process of social innovation. Innovation, v.1, n. 2, p. 145 - 162, 2006.

MULGAN, G. et al. Social Innovation: what it is, why it matters and how it can be accelerated. London: The Basingstoke Press, 2007.

MURRAY, R.; CAULIER-GRICE, J.; MULGAN, G.. The open book of social innovation. London: Young Foundation, 2010.

NASCIMENTO, E. P.. Trajetória da sustentabilidade: do ambiental ao social, do social ao econômico. Estud. av., São Paulo ,v. 26, n. 74, p.51-64, 2012.

OECD - Organisation for Economic Co-Operation and Development. Fostering Innovation to Address Social Challenges. Paris, 2011.

OLIVEIRA, N. D. A.; SILVA, T. N.. Inovação social e tecnologias sociais sustentáveis em relacionamentos intercooperativos: umestudo exploratório do CREDITAG-RO. Revista Adm. UFSM, Santa Maria, v. 5, n. 2, p. 277 – 295, MAI./AGO. 2012.

PHILLS Jr., J. A.; DEIGLMEIER, K.; MILLER, D. T. Rediscovering social innovation. Stanford Social Innovation Review, Fall: 34 - 43, 2008.

POL, P.; VILLE, S..Social innovation: Buzz word or enduring term. The Journal of Socio-Economics, 2009, v. 38, p.878–885.

RTS - Rede de Tecnologia Social. Disponível em: http://rts.ibict.br/. Acesso em 12. fev 2016.

RODRIGUES, A. L. Modelos de gestão e inovação social em organizações sem fins lucrativos: um estudo comparativo de casos no Brasil e no Québec. Tese (Doutorado em Administração) – Escola de Administração de Empresas de São Paulo, Fundação Getúlio Vargas, São Paulo-SP, 2004.

RODRIGUES, I.; BARBIERI, C.. A emergência da tecnologia social: revisitando o movimento da tecnologia apropriada como estratégia de desenvolvimento sustentável. RAP — Rio de Janeiro, 42(6):1069-94, nov./dez. 2008.

SCHUMACHER, E. F. O negócio é ser pequeno: um estudo de economia que leva em conta as pessoas. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1979.

SCHUMPETER, J. Teoria do desenvolvimento econômico: uma investigação sobre lucros, capital, crédito, juro e ciclo econômico. 2ª ed.. São Paulo: Nova Cultural, 1985.

TAYLOR, J. Introducing social innovation. The Journal of Applied Behavioral Science, 6(6): (69) – 77, 1970. http://dx.doi.org//0.1177/002188637000600104 Acesso em 12/01/2015.

Publicado
13-12-2017
Como Citar
Medeiros, C. B. de, Galvão, C. E. de S., Correia, S., Gómez, C., & Castillo, L. (2017). Inovação social além da tecnologia social: constructos em discussão. RACE - Revista De Administração, Contabilidade E Economia, 16(3), 957-982. https://doi.org/10.18593/race.v16i3.13606